Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Bim

Bim: O mais recente de arquitetura e notícia

Como saber se vale a pena sua empresa investir no BIM?

Enquanto o BIM é cada vez mais uma necessidade na arquitetura, ainda é difícil quantificar os benefícios que ele está trazendo para a indústria. Atualmente, não existe um método padrão da indústria para o cálculo do Retorno Sobre Investimento (ROI) do BIM e, devido às complexidades do cálculo, muitas empresas não adotaram quaisquer práticas de medição consistentes para determinar o benefício monetário que a tecnologia trouxe à sua empresa. A dificuldade centra-se no fato de que a análise tradicional do ROI é incapaz de representar fatores intangíveis que são importantes para um projeto de construção, tais como os custos evitados ou melhoria da segurança.

Portanto, como os principais fornecedores de tecnologia BIM, a Autodesk estava interessada em pesquisar o assunto. Seu estudo, "Alcançar o ROI Estratégico: Medindo o Valor do BIM", revela que o papel do ROI na tomada de decisões de tecnologia está mudando, uma vez que empresas líderes estão buscando uma visão mais diferenciada do ROI para informar a sua estratégia de investimento e de inovação.

Transcendendo o cálculo tradicional "lucro versus custo", as empresas estão olhando para diferentes dimensões da empresa para desenvolver quantificações bem informados do seu Retorno Sobre Investimento para BIM.

10 passos para simplificar a transição do seu escritório para o BIM

A esta altura, você já deve estar convencido de que o BIM será uma boa ferramenta para o seu escritório. Ao contrário do CAD convencional, o BIM é composto por modelos tridimensionais inteligentes, que tornam os processos críticos de projeto e construção - como coordenação, comunicação e colaboração - muito mais fáceis e rápidos. No entanto, por estas razões, o BIM também é visto por muitos como um sistema complicado e de difícil aprendizagem, podendo custar caro para o escritório durante o período de transição. Então, de que forma deve ser feita a transição de todo o escritório para o sistema BIM? Aqui estão dez passos para guiá-lo nesse caminho.

Como adotar o BIM: 3 modos de realizar um projeto piloto em seu escritório

Ultimamente, o BIM está se tornando uma prática padrão. A maioria das pessoas envolvidas no setor da construção - de arquitetos e engenheiros que utilizam BIM a órgãos governamentais que estão exigindo a utilização de BIM em certos tipos de projetos - estão convencidos de seus benefícios, como eficiência, colaboração, redução de custos, e melhoria da comunicação. Como resultado, muitas empresas hoje em dia que ainda não adoraram o BIM dão o mesmo motivo: o temido período de transição.

Naturalmente, estes receios de transição não são totalmente infundados, já que um novo software exige treinamento de pessoal e problemas de adaptação são inevitáveis na mudança do fluxo de trabalho existente. Estes custos iniciais criam uma barreira para muitas empresas que simplesmente não podem arcar com o tempo ou o custo agora que lhes permitiriam aproveitar os benefícios do BIM no futuro. A chave para resolver isso, claro, é minimizar os custos iniciais - e uma maneira de fazer isso, que muitos especialistas recomendam, é começar a transição de sua empresa para o BIM com um único projeto-piloto, em que você vai ser capaz de estabelecer um fluxo de trabalho, definir padrões que se adequam a sua empresa, e transferir essas lições para projetos posteriores.

Mas qual é a melhor maneira de selecionar este projeto-piloto? Você deveria trabalhar em um edifício grande ou pequeno? Um trabalho complexo ou um simples? Aqui, três pioneiros no uso do BIM compartilham o que aprenderam com os seus próprios projetos-piloto, cada um com características muito diferentes.

Conheça o Weber-BIM, plataforma criada pela Quartzolit com o acervo digital de seus produtos

via Weber via Weber via Weber via Weber + 8

A revolução dos softwares de arquitetura: do padrão único ao DIY

Sempre fomos uma profissão de hackers. Cada edifício é único, feito a partir de inúmeras operações de alteração e modificação que trazem materiais e sistemas díspares em um todo coeso. Mas quando se trata de softwares a maioria de nós têm se contentado com o consumismo entusiasmado, aguardando ansiosamente os próximos lançamentos dos desenvolvedores de software, como Autodesk, McNeel (Rhino) e Bentley (MicroStation).

Faz cinco anos que lançamos oficialmente o nosso programa de pesquisa no Yazdani Studio of Cannon Design, e durante esse período, compreendemos que a evolução do nosso processo reflete no trabalho dos maiores arquitetos, mudando o relacionamento dos profissionais com os meios de produção. Especificamente, temos notado que no final de 2007, algo mudou. McNeel introduziu um plugin na programação visual chamado Grasshopper, e mais e mais arquitetos começaram a hackear suas ferramentas, bem como seus edifícios.

Cortesia de Yazdani Studio of CannonDesign Cortesia de Yazdani Studio of CannonDesign Cortesia de Yazdani Studio of CannonDesign Cortesia de Yazdani Studio of CannonDesign + 7

Abertas as inscrições para o CONEFEC: 1° Congresso Nacional de Eficiência em Edifícios

Estão abertas as inscrições para o CONEFEC- 1° Congresso Nacional de Eficiência em Edifícios. O Congresso foi criado pela crença de que podemos desafiar o pessimismo atual e transformar o mercado da construção civil com práticas mais eficientes, viáveis, sustentáveis e inovadoras.

Seminário "Preservação Digital do Patrimônio Arquitetônico" na FAU UFRJ

O seminário "Preservação Digital do Patrimônio Arquitetônico: Centro de Proteção Ambiental da Usina Hidrelétrica de Balbina" tem por objetivo apresentar as pesquisas desenvolvidas sobre o projeto homônimo e divulgar o estado de abandono desta obra. Com o seminário,serão reunidas as pesquisas desenvolvidas por dois grupos de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro - PROARQ/FAU/UFRJ.

Morphosis Architects vence o "2015 Technology In Architectural Practice Innovation Awards"

O AIA divulgou os quatro projetos vencedores do primeiro Prêmio de Inovação Technology in Architectural Practice (TAP), com o projeto Emerson College Los Angeles, do escritório Morphosis Architects, recebendo o prêmio "Stellar Architecture". Fundada em 2005, a TAP Knowledge Community tem reunido esforços para reconhecer e disseminar o melhor uso das tecnologias BIM, e o AIA espera que o Prêmio de Inovação TAP "revigore o discurso de como essas inovações podem guiar a profissão e a prática da arquitetura e ampliar a missão do instituto."

Veja os quatro projetos premiados, a seguir.

Imagem © Tom Holdsworth Imagem © Alene Davis Imagem © Point B Design Imagem © Iwan Baan + 9

Desenho à mão vs. ferramentas digitais: a opinião de nossos leitores

Muitos debates fazem parte do mundo da arquitetura e eventualmente ocupam lugar de destaque nos meios de comunicação, como por exemplo o papel das mulheres na profissão ou as longas jornadas de projeto nas universidades. Entretanto, uma das discussões mais persistentes entre arquitetos - principalmente dentre das academias - é a batalha entre desenho à mão e o uso de softwares digitais.

Há algumas semanas publicamos uma matéria que lançava luz sobre essa discussão e convidava nossos leitores a deixarem suas opiniões sobre o tema numa tentativa de abordar o tópico a partir de diferentes pontos de vista.

Qual software de arquitetura é o melhor para você?

Uma das maiores decisões ao iniciar sua carreira - seja como arquiteto independente ou ao abrir seu escritório - é qual software utilizar. Pode ser tentador escolher um líder da indústria, mas você pode acabar pagando muito caro por um programa que não é o mais adequado para suas necessidades. Nessa matéria, originalmente publicada em ArchSmarter como "Which architectural software is right for me?", Michael Kilkelly analisa os fatores que deveriam influenciar sua decisão, seja se você está escolhendo pela primeira vez ou pensando em mudar de ideia.

Qual programa CAD ou BIM você deveria usar? Bem, isso depende. Que ferramentas você precisa? Quais são suas prioridades em relação ao custo e compatibilidade? Você usa um Mac ou um PC?

Qual o papel do desenho à mão na arquitetura de hoje?

Historicamente, a habilidade de desenhar à mão - seja para produzir desenhos técnicos precisos ou perspectivas expressivas - é um ponto central na profissão da arquitetura. Mas, com o lançamento e subsequente popularização de programas CAD desde o início dos anos 1980, o prestígio de desenhar à mão foi ameaçado. Hoje, com softwares de projeto e apresentação cada vez mais sofisticados - do Revit ao Rhinoceros - ganhando popularidade, a importância de desenhar à mão se tornou tema de uma discussão acalorada.

Seriam os computadores ruins para a arquitetura?

Em seus artigos para o ArchSmarter, Michael Kilkelly frequentemente elogia o valor dos computadores e da automação, um ponto de vista por vezes controverso que divide opiniões. Em particular, seu post anterior publicado no ArchDaily, "5 razões para arquitetos aprenderem programação" gerou uma discussão significativa. Mas qual é o valor dessa automação? Neste post, publicado originalmente em ArchSmarter, ele expande sua visão sobre em quais aspectos os computadores podem ser úteis - e o mais importante, em quais eles podem não ser.

Eu escrevo muito sobre a tecnologia digital e automação aqui no ArchSmarter, mas lá no fundo, tenho uma fraqueza por todas as coisas analógicas. Ainda construo modelos físicos. Carrego um caderno Moleskine comigo em todos os lugares e também comprei recentemente um toca-discos Crosley .

Posso ouvir qualquer tipo de música que quiser através do Spotify. O mundo da música está literalmente na ponta dos meus dedos. Não mudou o que eu escuto, mas mudou a forma como eu ouço música. Há mais atrito envolvido nos vinis. Tenho que possuir o LP e tenho que colocá-lo manualmente na plataforma giratória. É um ato deliberado que exige muito mais esforço do que simplesmente selecionar uma lista de reprodução no Spotify. E é muito mais divertido.

5 razões para arquitetos aprenderem programação

Em seu popular post sobre como os arquitetos podem "maximizar a produtividade e minimizar o trabalho," Michael Kilkelly sugere que você deve "personalizar suas ferramentas de trabalho e, consequentemente, sua maneira de trabalhar" e "utilizar macros para automatizar as tarefas repetitivas." Ambos soam muito úteis, claro, mas não exigem conhecimentos em programação? Sim - mas de acordo com Kilkelly esta deve ser uma ferramenta disponível no kit de cada arquiteto. Publicado originalmente em ArchSmarter, aqui ele mostra 5 razões para os arquitetos aprenderem programação.

Como arquitetos, precisamos saber muitas coisas. Precisamos saber os códigos de construção, estruturas, sistemas mecânicos, materiais. Precisamos saber como ler códigos de zoneamento, como calcular a área de construção, a paginação do piso do escritório. A lista só aumenta. Será que realmente precisamos saber programar softwares também?

ThinkParametric oferece cursos online gratuitos

Lançada em maio de 2014, ThinkParametric é uma plataforma online para o aprendizado de ferramentas digitais de arquitetura. O acesso aos vídeos tutoriais e à comunidade online geralmente custa US$29 por mês, ou US$ 269 por um ano, no entanto, para celebrar o sucesso do primeiro ano, no início deste mês eles anunciaram uma "temporada de cursos abertos", um mês inteiro para as pessoas aproveitarem seus cursos gratuitamente.

Cursos gratuitos de arquitetura e design online

Devido à grande popularidade dos cursos online abertos, aprender nunca foi tão fácil (ou conveniente). Páginas como Coursera e edX oferecem aulas gratuitas de universidades renomadas de todas as partes do mundo, incluindo Harvard, MIT a Universidade de Hong Kong. Embora alguns cursos sejam mais estruturadas e incluam um plano de ensino, tarefas de casa, testes e a opção de receber um certificado, outros podem ser feitos em um ritmo mais independente.

Seguindo nosso popular artigo MIT, Harvard e TU Delft oferecem cursos online gratuitos de arquitetura, compilamos uma lista de cursos online relacionados à arquitetura, engenharia, urbanismo e design. Então, se você quer embarcar em um novo tema ou se aprofundar em algo que já conhece, dê uma olhada nesses cursos online gratuitos a seguir.

Os melhores programas BIM e de desenho de 2015

O primeiro relatório Grid℠ do G2 Crowd acaba de ser divulgado, colocando a plataforma DataCAD como o programa CAD com maiores níveis de satisfação entre os usuários.

Analisando mais de 180 opiniões de profissionais da indústria, o Grid℠ avalia os níveis de satisfação dos programas em relação à sua presença de mercado (determinada pela escala do fornecedor, participação no mercado e impacto social), categorizando os produtos como "Líder", "Alta Performance", "Concorrente" ou "Nicho". A avaliação do G2 Crowd envolve todos os programas CAD mais usados na arquitetura e construção, abrangendo ferramentas e bibliotecas BIM para projeto mecânico, elétrico, hidráulico e arquitetônco.

Sefaira anuncia ferramenta de visualização e análise de iluminação em tempo real para o Revit

Sefaira, uma companhia especializada em softwares para construção civil, anunciou recentemente uma nova ferramenta de visualização e análise de iluminação em tempo real que funciona juntamente com o Revit, um dos programas BIM mais utilizados atualmente. Sefaira para Revit permite uma análise ainda em estágio inicial, levando a "decisões de projeto mais bem informadas, baseadas em várias medições de iluminação natural."

Galeria Mauritshuis, na Holanda, reabre após obras de renovação

A Galeria Mauritshuis, um palácio holandês do século XVII localizado em Haia, foi recentemente re-inaugurada após intensos trabalhos de renovação e extensão a cargo do escritório Hans van Heeswijk e da Arup, responsável pelos serviços de engenharia e proteção contra incêndios. Similar ao Rijksmuseum de Amsterdã, que reabriu após dez anos de restauros e remodelação, a Galeria Mauritshuis exibe uma das mais valiosas coleções de pinturas da Era de Ouro holandesa, incluindo o famoso quadro Rapariga ou Moça com o Brinco de Pérola, de Johannes Vermeer. Além do trabalho de renovação, o escritório Hans van Heeswijk Architects também ampliou as galerias, acrescentando novos espaços de exposição, um auditório e espaços educacionais.

Cortesia de Mauritshuis, Haia. Imagem © Ronald Tilleman Cortesia de Mauritshuis, Haia. Imagem © Ronald Tilleman Cortesia de Mauritshuis, Haia. Imagem © Ronald Tilleman Cortesia de Mauritshuis, Haia. Imagem © Ronald Tilleman + 24