1. ArchDaily
  2. Áreas Verdes

Áreas Verdes: O mais recente de arquitetura e notícia

Áreas verdes estratégicas: como aproveitar ao máximo seus efeitos de resfriamento

As áreas verdes são consideradas uma das formas mais adequadas e acessíveis para mitigar os efeitos do aumento das temperaturas nos ambientes urbanos. À medida que o clima global aquece, as cidades em todo o mundo enfrentam ondas de calor mais frequentes e extremas, colocando seus cidadãos em risco. Muitas cidades estão adotando estratégias para reduzir o impacto das ilhas de calor urbanas, que são geradas quando a cobertura natural do solo é substituída por superfícies que absorvem e retêm calor, como pavimentos e edifícios. Isso aumenta a temperatura em vários graus. As cidades têm seu microclima, influenciado por esse fenômeno aliado a uma série de fatores muitas vezes esquecidos. Para que uma estratégia climática seja eficiente, todos os fatores precisam ser levados em consideração.

Áreas verdes estratégicas: como aproveitar ao máximo seus efeitos de resfriamentoÁreas verdes estratégicas: como aproveitar ao máximo seus efeitos de resfriamentoÁreas verdes estratégicas: como aproveitar ao máximo seus efeitos de resfriamentoÁreas verdes estratégicas: como aproveitar ao máximo seus efeitos de resfriamento+ 12

Como as cidades estão se adaptando às ondas de calor diante da mudança climática

A crise climática tornou as ondas de calor mais prováveis e intensas em todo o mundo. No hemisfério norte, as temperaturas recordes estão colocando milhões de pessoas em perigo. Durante os últimos meses, ondas de calor recorrentes afetaram a Europa Central e Ocidental, causando incêndios florestais, evacuações e mortes relacionadas ao calor. Nos Estados Unidos, os líderes locais também estão pedindo cautela, enquanto cidades densamente povoadas na Ásia estão anunciando estratégias para lidar com as temperaturas extremas.

As cidades estão na linha de frente desta emergência de saúde pública. As pessoas que vivem em áreas urbanas estão entre as mais atingidas quando ocorrem ondas de calor, em parte devido às ilhas de calor urbano. Este é um fenômeno que ocorre quando as cidades substituem a cobertura natural do solo por densas concentrações de superfícies que absorvem e retêm o calor, como pavimentos e edifícios. Os níveis de risco de calor também variam por bairro, sendo os setores menos influentes e historicamente marginalizados os mais afetados devido à densidade da população, acesso limitado aos sistemas de refrigeração e disponibilidade limitada de espaços verdes urbanos.

Como as cidades estão se adaptando às ondas de calor diante da mudança climáticaComo as cidades estão se adaptando às ondas de calor diante da mudança climáticaComo as cidades estão se adaptando às ondas de calor diante da mudança climáticaComo as cidades estão se adaptando às ondas de calor diante da mudança climática+ 6

Neurociência ambiental: um campo emergente para cidades mais equitativas

Pocket Park na Xinhua Road, Shanghai por SHUISHI. Imagem © Hao Chen
Pocket Park na Xinhua Road, Shanghai por SHUISHI. Imagem © Hao Chen

A neurociência ambiental é um campo emergente, dedicado ao estudo do impacto dos ambientes sociais e físicos, sobre os processos e comportamentos do cérebro. Desde várias oportunidades de interação social aos níveis de ruído, e acesso a áreas verdes, as características do meio urbano têm implicações importantes para os mecanismos neurais e o funcionamento do cérebro, influenciando assim nosso estado físico. O campo ilustra uma imagem diferente de como as cidades impactam nossa saúde e bem-estar, proporcionando assim uma nova camada científica de compreensão, que poderia ajudar arquitetos, urbanistas e tomadores de decisão a criar ambientes urbanos mais equitativos.

Neurociência ambiental: um campo emergente para cidades mais equitativasNeurociência ambiental: um campo emergente para cidades mais equitativasNeurociência ambiental: um campo emergente para cidades mais equitativasNeurociência ambiental: um campo emergente para cidades mais equitativas+ 5

Parque Docklands / BAU Brearley Architects + Urbanists

Parque Docklands / BAU Brearley Architects + UrbanistsParque Docklands / BAU Brearley Architects + UrbanistsParque Docklands / BAU Brearley Architects + UrbanistsParque Docklands / BAU Brearley Architects + Urbanists+ 24

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área :  367000
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano :  2020
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes :  Jiangsu guixing municipal engineering

9 Projetos que redefinem a brutalidade do concreto pelo uso da vegetação

© Hiroyuki Oki
© Hiroyuki Oki

9 Projetos que redefinem a brutalidade do concreto pelo uso da vegetação9 Projetos que redefinem a brutalidade do concreto pelo uso da vegetação9 Projetos que redefinem a brutalidade do concreto pelo uso da vegetação9 Projetos que redefinem a brutalidade do concreto pelo uso da vegetação+ 10

O concreto é frequentemente visto como um material bruto, duro e frio – e é, inclusive, adorado por isso. No entanto, o uso do concreto junto da vegetação pode contribuir para uma espécie de "suavizada" do material, adequando-o a mais aplicações. Veja, a seguir, nove projetos que apresentam soluções interessantes para a fusão do concreto com a vegetação. 

Verticalização verde: impactos no nível do solo e na paisagem urbana

Com o adensamento das cidades e redução da disponibilidade de solo, o fenômeno da verticalização tem se intensificado nas cidades de todo o mundo. Assim como a verticalização de edifícios — que costuma dividir opiniões de arquitetos e urbanistas — muitas iniciativas têm buscado na dimensão vertical uma possibilidade para promover a presença do verde nos centros urbanos. Jardins, fazendas ou florestas verticais, hortas em coberturas e estruturas suspensas para agricultura urbana são algumas das possibilidades de verticalização do cultivo de espécies vegetais, cada uma com suas especificidades e impactos específicos para as cidades e seus habitantes.

Mas seria a verticalização a solução ideal para tornar as cidades mais verdes? E quais são os impactos dessa ação nos centros urbanos? Ou ainda, quais os benefícios da vegetação que são perdidos ao adotar soluções em altura, ao invés de promover seu cultivo diretamente no solo?

Verticalização verde: impactos no nível do solo e na paisagem urbanaVerticalização verde: impactos no nível do solo e na paisagem urbanaVerticalização verde: impactos no nível do solo e na paisagem urbanaVerticalização verde: impactos no nível do solo e na paisagem urbana+ 7

Henning Larsen vence concurso para complexo de uso misto na Coreia do Sul

A proposta da Henning Larsen para o Vale de Seul foi selecionada como vencedora do Concurso de Desenvolvimento Central da cidade. Com a intenção de configurar um novo lar para o público no centro da cidade, o empreendimento de uso misto "mescla o perfil comercial global de Seul com uma pegada ecológica, enfatizando à vida dos pedestres no centro da cidade". Outras propostas incluíram projetos do MVRDV e SOM.

Henning Larsen vence concurso para complexo de uso misto na Coreia do SulHenning Larsen vence concurso para complexo de uso misto na Coreia do SulHenning Larsen vence concurso para complexo de uso misto na Coreia do SulHenning Larsen vence concurso para complexo de uso misto na Coreia do Sul+ 16

Systematica divulga estudo sobre áreas verdes, públicas e lugares de encontro na cidade de Milão

A Systematica acaba de divulgar um estudo de caso sobre as áreas verdes, públicas e lugares de encontro da cidade de Milão. Particularmente relevante neste momento — em que as pessoas estão voltando a tomar as ruas da capital lombada depois de meses de isolamento em uma das regiões mais afetadas pela recente crise sanitária—, a pesquisa oferece um panorama global da atual situação das áreas de domínio público na cidade, assim como destaca uma série de parques e praças de Milão que costumam ser menos procurados e portanto, mais seguros e convidativos.

ODA projeta arranha-céu com vazio central em Seattle

O escritório ODA divulgou imagens de sua nova torre de uso misto de 362 metros de altura no centro de Seattle. O projeto destaca o valor do espaço ao ar livre e conta com um grande vazio que ocupa o meio da torre, oferecendo vistas para a paisagem urbana e natural.

Barcelona criará 44 hectares de novas áreas verdes até 2019

A Prefeitura de Barcelona destinará entre 45 e 50 milhões de euros para a criação de 44 hectares de infraestrutura verde até 2019, segundo anunciou a Secretária de Ecologia, Urbanismo e Mobilidade, Janet Sanz, em conferência de imprensa.

O anúncio foi realizado durante a apresentação do Programa de Impulso à Infraestrutura Verde Urbana, um projeto apoiado em três eixos que visa aumentar em 165 hectares a quantidade de áreas verdes naturais até o ano de 2030, aumentando 1 metro quadrado de área verde por pessoa.

Os planos de Paris para incentivar a agricultura urbana e construir jardins públicos

As autoridades de Paris lançaram uma série de iniciativas para que a cidade seja mais verde e possa, assim, enfrentar seus problemas ambientais.

Nesse sentido, destacam-se iniciativas como o plano para ter um quarto de sua superfície em 2020 coberto de áreas verdes, o programa "Verde perto de mim" que permite aos vizinhos que sejam os jardineiros de seus bairros, e o plano "Parisculteurs" para criar 100 hectares verdes em coberturas e fachadas na cidade.

Treepedia: a enciclopédia da vegetação em diferentes cidades do mundo

Os benefícios de ter áreas verdes nas cidades são inúmeros tanto para seus habitantes como para o meio ambiente. Nesse sentido, é possível mencionar sua capacidade de controlar a temperatura ambiental, mitigar a contaminação acústica e atmosférica, reduzir os níveis de ansiedade e estresse, e diminuir os níveis de delinquência (Kuo, FE & Sullivan, 2001).

A importância das áreas verdes é cada vez maior em cidades de todo o mundo, porém, ainda é preciso ampliar esse alcance. 

Como fazer Cidade: Vitoria-Gasteiz Capital Verde 2012