1. ArchDaily
  2. Paisagismo

Paisagismo: O mais recente de arquitetura e notícia

Reuso de parques urbanos: um futuro promissor para um presente conturbado

A Metropolis Magazine abordou a produção da High Line Network, um consórcio norte-americano de projetos de reuso que tem compartilhado ideias e práticas ao longo da pandemia.

Desde o início da pandemia, a High Line Network — um associação dedicada ao planejamento e execução de projetos de requalificação urbana em toda a América do Norte — tem realizado uma série de encontros virtuais entre seus membros e parceiros, tanto para comunicar informações à respeito dos projetos em andamento quanto para compartilhar experiências de como cada um dos escritórios está lindando com as dificuldades impostas pela recente crise sanitária. Com muitos projetos sobre a prancheta e outros tantos para serem concluídos e inaugurados em breve, a High Line Network acredita que iniciativas como esta passarão a desempenhar um papel ainda mais relevante na vida das pessoas, especialmente à medida que as restrições de circulação começam a ser abrandadas.

Eastside Trail and Ponce City Market along the Atlanta BeltLine. Cortesia de The SintosesArt along the Eastside Trail of the Atlanta BeltLine. Cortesia de The SintosesDequindre Cut Cortesia de Detroit Riverfront ConservancyMurals along Dequindre Cut. Cortesia de Detroit Riverfront Conservancy+ 13

Arquitetura da paisagem: conheça o trabalho de 17 paisagistas brasileiros contemporâneos

O campo do paisagismo é o responsável pela transformação e ressignificância espacial da paisagem, ora valorizando o objeto construído, ora trazendo luz à historia do território em questão. Assim como os elementos construídos, a vegetação quando projetada é capaz de trabalhar uma série de estímulos, propriedades e funções.

Roberto Burle Marx, Rosa Kliass, Miranda Magnoli... Estes são certamente alguns dos ilustres poetas da paisagem moderna no Brasil. Mas quando o assunto é o paisagismo contemporâneo brasileiro, alguns profissionais vêm demonstrando destaque nos últimos anos. Dentro deste quadro, compilamos abaixo dezessete profissionais. Confira a seguir:

Casa OF / Studio Otto Felix. Image © Denilson MachadoResidência em Gonçalves / André Vainer Arquitetos. Image © Tuca Reinés Tropical Island (Alemanha). Image Cortesia de Burle Marx PaisagismoUnique Garden Hotel &Spa (SP - Arquitetura Ruy Othake). Image Cortesia de Burle Marx Paisagismo+ 22

Paisagens críticas e educadoras: a obra de Mathur & Da Cunha

Qual a sua ideia de paisagem? Arquitetura da Paisagem – tradução literal do inglês “Landscape Architecture” – é um campo de conhecimento adjacente à arquitetura e ao urbanismo que muitos relutam em traduzir para o português como Paisagismo, mas que não abrange as complexidades da arquitetura da paisagem. Suspeitamos que a razão por trás do desconforto com a tradução pode ser entendida como o resultado de uma tradição arquitetônica comum no Brasil de entender a paisagem como um ente puramente projetado e estático.

Estuário, projeto SOAK, Mumbai, Índia. Fonte: Adaptado de Mathur & Da Cunha, 2020Analisando os processos da paisagem da costa. Projeto SOAK, Mumbai, Índia. Fonte: Adaptado de Mathur & Da Cunha, 2020Representação em corte de corpos d’água, trechos do projeto: Mississippi Floods: designing a shifting landscape. Fonte: Adaptado de Mathur & Da Cunha, 2020Paisagem emergente e a desigualdade de acesso a infraestrutura em uma comunidade na Ilha de Fiji. Colagem por Erich Wolff, 2019+ 13

Domos para a prática de ioga invadem os espaços públicos de Toronto

Um intervenção criada pelo Lmnts Outdoor Studio em Toronto, Canadá, disponibilizou 50 pequenos domos translúcidos individuais para a prática de ioga ao ar livre em isolamento. A principal intenção por trás do projeto é incentivar as atividades físicas em locais abertos, respeitando obviamente, as medidas de distanciamento social.

Cortesia de Lmnts Outdoor StudioCortesia de Lmnts Outdoor StudioCortesia de Lmnts Outdoor StudioCortesia de Lmnts Outdoor Studio+ 14

Morar Mais por menos

Nascida no Rio em 2004 com 77 edições realizadas em 14 capitais, o evento de arquitetura, decoração e design mais descolado e ousado da cidade estará de volta em Outubro de 2020.
Com projetos sofisticados e acessíveis nossos profissionais mostrarão que é possível gastar pouco e ter um ambiente incrível.
Já iniciamos os trabalhos do Morar Mais RJ 2020! Nesta 17ª edição, serão 59 belíssimos ambientes em um imóvel cercado de verde e bastante arejado no bairro Itanhangá de outubro à Novembro. Respeitando o isolamento social e seguindo as orientações sanitárias da OMS e das autoridades públicas locais, o Morar

Após o coronavírus, o que será do paisagismo?

A crise urbana traz muitos desafios, mas também apresenta oportunidades para os arquitetos paisagistas ajudarem a construir espaços verdes e cidades mais justas.

Como um morador de Los Angeles que não dirige, andar pela cidade a pé e de bicicleta sempre me fez sentir como se todos os lugares fossem meus.

Mas, nos últimos dois meses, os habitantes têm frequentado mais as ruas, como se todos tivessem descoberto pela primeira vez, que são capazes de explorar a cidade sem carro. Embora a maioria das praias e trilhas da cidade tenham sido fechadas, mesmo sendo reabertas, desde então, notei que o rio Los Angeles se tornou o novo "ponto de referência" da cidade, como um ponto de encontro, socialmente distante. Em uma cidade que não possui parques públicos adequados, as pessoas estão transformando qualquer pedaço de grama ou calçada - seja um pátio de uma escola, um canteiro central ou um trecho de concreto ao lado de um estacionamento - em um local de alívio da loucura.

ODA projeta arranha-céu com vazio central em Seattle

O escritório ODA divulgou imagens de sua nova torre de uso misto de 362 metros de altura no centro de Seattle. O projeto destaca o valor do espaço ao ar livre e conta com um grande vazio que ocupa o meio da torre, oferecendo vistas para a paisagem urbana e natural.

Rockwell Group lança kit de estratégias para ocupar restaurantes e bares após a pandemia

David Rockwell e sua equipe do Rockwell Group propuseram uma iniciativa para ruas abertas – um modelo para refeições ao ar livre – a fim de ajudar bares e restaurantes na reabertura após a pandemia. As estratégias de projeto ilustram soluções práticas para fazer com que todos se sintam seguros.

50 Espécies da Mata Atlântica que podem ser plantadas na calçada

Em 2017, a prefeitura de Salvador, na Bahia, criou o Plano Diretor de Arborização Urbana e como parte das ações lançou uma cartilha bem completa para quem deseja fazer plantios nos espaços urbanos.

Quais espécies são mais indicadas e como plantar árvores em calçadas são algumas das dúvidas respondidas no documento. Apesar de ser intitulado “Manual Técnico de Arborização Urbana de Salvador”, a cartilha pode ser aproveitada por moradores de qualquer cidade, especialmente os que vivem no bioma Mata Atlântica.

BIM para paisagismo: cenários, possibilidades e avanços

Caminhamos para um cenário onde a tecnologia BIM irá nos ajudar amplamente a maximizar as funções e habilidades dos profissionais da construção civil, abrindo espaço para que possamos planejar, projetar, construir e gerenciar edificações e infraestruturas com muito mais eficiência, integrando todos os sistemas estruturais, mecânicos, elétricos e hidráulicos de maneira responsável, econômica e sustentável.

Studio Precht projeta parque urbano adaptado ao isolamento social

Enquanto a maioria dos parques e jardins públicos foram fechados ao redor do mundo em uma tentativa de conter a disseminação do surto de COVID-19, o Studio Precht apresentou um projeto de espaço verde concebido par atender as regras do distanciamento físico. Intitulado “Parc de la Distance”, a proposta introduz um novo conceito de espaço ao ar livre, o qual resguarda o distanciamento físico e promove a solidão contemplativa a curto prazo.

Cortesia de Studio PrechtCortesia de Studio PrechtCortesia de Studio PrechtCortesia de Studio Precht+ 18

Varandas com vegetação: detalhes e cortes de jardins em altura

25 Green / Luciano Pia. ImagemEdifício Lorena / Lucia Manzano Arquitetura + Paisagismo. Image Ediífcio PRV 843 / JL arquitectos. Image Bosco Verticale / Stefano Boeri Architetti. Image + 22

Agora que as varandas adquiriram uma grande relevância em todo mundo ao serem oficializadas como plataformas para a dispersão e a interação social em regiões onde a quarentena obrigatória - medida importa em um grande número de países para frear o contágio do COVID-19 - que não permitem que os habitantes saiam de seus apartamentos, é um momento oportuno para pensar nas ferramentas que temos para desenhar e qualificar esses espaços.

Elementos chave de Paisagismo: planos, clareiras e disposição de árvores

Assim como os elementos arquitetônicos que compõe e conformam o espaço construído – piso, paredes e teto, os elementos vegetais também são capazes de conformar espaços livres em áreas de grande, média e pequena escala, de parques a jardins residenciais, atuando como estruturadores espaciais. Segundo Benedito Abbud, “O paisagismo é a única expressão artística em que participam os cinco sentidos do ser humano. Enquanto a arquitetura, a pintura, a escultura e as demais artes plásticas usam e abusam apenas da visão, o paisagismo envolve também o olfato, a audição, o paladar e o tato, o que proporciona uma rica vivência sensorial, ao somar as mais diversas e completas experiências perceptivas. Quanto mais um jardim consegue aguçar todos os sentidos, melhor cumpre seu papel”. [1]

De maneira prática, faremos alguns posts mostrando a conceituação e utilização dos componentes vegetais – árvores, arbustos, grama e forrações nos espaços livres. Neste artigo abordaremos os planos, maciços vegetais e a disposição de árvores.

Elementos chave de paisagismo: marcos visuais, eixos, escalas, visadas e sensorialidade

Assim como os elementos arquitetônicos que compõem e conformam o espaço construído – piso, paredes e teto, os elementos vegetais também são capazes de conformar os espaços livres em áreas de grande, média e pequena escala, de parques a jardins residenciais, atuando como estruturadores espaciais. Segundo Benedito Abbud, “O paisagismo é a única expressão artística em que participam os cinco sentidos do ser humano. Enquanto a arquitetura, a pintura, a escultura e as demais artes plásticas usam e abusam apenas da visão, o paisagismo envolve também o olfato, a audição, o paladar e o tato, o que proporciona uma rica vivência sensorial, ao somar as mais diversas e completas experiências perceptivas. Quanto mais um jardim consegue aguçar todos os sentidos, melhor cumpre seu papel” [1],

Nesta segunda parte de nossa série buscaremos exemplificar de maneira prática a conceituação e utilização dos marcos visuais, eixos, escalas, visadas e sensorialidade em um projeto paisagístico.

Paisagismo em interiores: 30 projetos que trazem o verde para dentro do edifício

Trazer elementos da natureza - como água, vegetação, luz natural, pedras ou, até mesmo, o uso da madeira - para o projeto de interiores pode proporcionar composições mais ricas e complexas no ambiente construído. Nestes projetos de paisagismo, as texturas, silhuetas e, principalmente, as sensações geradas, podem estabelecer novas relações de bem-estar e conforto para o usuário. 

Paisagismo Clube Náutico Araraquara / Licuri Paisagismo

© Bruna Moreschi© Cauê Martins© Bruna Moreschi© Bruna Moreschi+ 16

Américo Brasiliense, Brasil