1. ArchDaily
  2. Inteligência Artificial

Inteligência Artificial: O mais recente de arquitetura e notícia

Inteligência artificial na arquitetura: o que a tecnologia já nos permite automatizar em casa?

Não são poucas as histórias de ficção que nos fazem sonhar com a automatização em nossas vidas. Robôs e geringonças cheias de luzes e botões prometem facilitar e transformar nossas rotinas, além de influenciarem a estética com uma linguagem futurista. Na realidade, além de replicar essa estética na arquitetura, hoje em dia nos deparamos com tecnologias de inteligência artificial que avançaram o suficiente para serem incorporadas aos projetos de arquitetura mais simples, como as residências unifamiliares.

Inteligência artificial na arquitetura: o que a tecnologia já nos permite automatizar em casa?Inteligência artificial na arquitetura: o que a tecnologia já nos permite automatizar em casa?Inteligência artificial na arquitetura: o que a tecnologia já nos permite automatizar em casa?Inteligência artificial na arquitetura: o que a tecnologia já nos permite automatizar em casa?+ 5

Algoritmos e estética: o futuro do design generativo

O aprendizado de máquina e o design generativo estão moldando profundamente a vida moderna. Uma crítica central à importância e ao avanço da inteligência artificial, especialmente no contexto da arquitetura, é a capacidade de uma máquina projetar, assim como o medo resultante de que os serviços profissionais possam ser limitados. À medida que as cidades continuam se desenvolvendo, novas ferramentas surgem para ajudar a visualizar e criar o ambiente construído. Como os arquitetos podem adotar o design generativo para reimaginar modelos de sustentabilidade, práticas inclusivas e novas estéticas?

Algoritmos e estética: o futuro do design generativoAlgoritmos e estética: o futuro do design generativoAlgoritmos e estética: o futuro do design generativoAlgoritmos e estética: o futuro do design generativo+ 9

O uso da inteligência artificial como estratégia para analizar a informalidade urbana

Dentro da região da América Latina e Caribe, foi registrado que pelo menos 25% da população vive em assentamentos informais. Dado que a expansão de tal realidade é um dos maiores problemas que afligem estas cidades, apresentou-se um projeto, apoiado pelo BID, que propõe como as novas tecnologias podem contribuir para a identificação e detecção destas áreas a fim de intervir e ajudar a reduzir a informalidade urbana.

Pavilhão do Reino Unido na Expo 2020 Dubai é palco para poemas gerados por IA

© Alin Constantin Photography
© Alin Constantin Photography

A contribuição do Reino Unido para a Expo 2020 Dubai é uma estrutura escultural de madeira que celebra a diversidade cultural e a colaboração, destacando a Grã-Bretanha como um ponto de encontro de culturas e ideias. Criado pelo artista e designer Es Devlin, o Poem Pavilion usa algoritmos avançados de aprendizado de para transformar a entrada dos visitantes em poemas coletivos. Este último pode ser lido em displays iluminadores na fachada, transformando o pavilhão na própria exposição.

Pavilhão do Reino Unido na Expo 2020 Dubai é palco para poemas gerados por IAPavilhão do Reino Unido na Expo 2020 Dubai é palco para poemas gerados por IAPavilhão do Reino Unido na Expo 2020 Dubai é palco para poemas gerados por IAPavilhão do Reino Unido na Expo 2020 Dubai é palco para poemas gerados por IA+ 16

Inteligência artificial da IBM indica onde plantar árvores para armazenar mais carbono

Plantar árvores é uma das ações mais simples e eficientes combater as mudanças climáticas, e o plantio é usado por muitas empresas para compensar as emissões de carbono. Mas, ao escolher este caminho, é preciso se certificar que estamos plantando árvores que efetivamente irão armazenar quantidades suficientes de carbono.

Nesta escolha, o local do plantio é um fator importante. As árvores precisam ser plantadas onde poderão viver durante décadas e absorver devidamente o carbono que circula no ar.

Indo na contramão: escritórios de arquitetura que estão rompendo com o status quo

A arquitetura é uma profissão de longa data, que produziu diversos marcos icônicos que admiramos e reverenciamos em todo o mundo, além de desempenhar um papel na organização das cidades em que vivemos hoje. Esta descrição, no entanto, contempla a arquitetura no sentido tradicional — e há inúmeros exemplos de indivíduos e empresas que desviaram da prática arquitetônica tradicional, seja por meio do aprofundamento em campos adjacentes ou pela exploração de novas tecnologias.

Indo na contramão: escritórios de arquitetura que estão rompendo com o status quoIndo na contramão: escritórios de arquitetura que estão rompendo com o status quoIndo na contramão: escritórios de arquitetura que estão rompendo com o status quoIndo na contramão: escritórios de arquitetura que estão rompendo com o status quo+ 12

Inteligência artificial e arquitetura: como a tecnologia está mudando a forma de projetar e vivenciar o espaço

No clássico filme de Jacques Tati, Mon Oncle (1958), a casa, como materialização cenográfica da “máquina de morar”, é a protagonista. Seus aparatos tecnológicos, por vezes indomáveis, são os que ditam as regras. A proprietária da casa, Madame Arpel, é uma tecnocentrista típica, maravilhada com toda a tecnologia que a cerca acreditando que ela seja a solução para todos seus problemas diários. No lado oposto de Arpel está seu irmão, Mr. Hulot, que chega para uma visita e se desentende com toda essa inovação. Ao longo da sua estadia, conhecemos uma casa que se mostra muito complexa e ao mesmo tempo não permite o controle do usuário.

Inteligência artificial e arquitetura: como a tecnologia está mudando a forma de projetar e vivenciar o espaço Inteligência artificial e arquitetura: como a tecnologia está mudando a forma de projetar e vivenciar o espaço Inteligência artificial e arquitetura: como a tecnologia está mudando a forma de projetar e vivenciar o espaço Inteligência artificial e arquitetura: como a tecnologia está mudando a forma de projetar e vivenciar o espaço + 7

Como o Design Generativo deve impactar a arquitetura?

Tentativa e erro. Em um um guardanapo, papel manteiga, ou em um fundo preto do CAD, grande parte do trabalho de um arquiteto é fazer e refazer testes, linhas, formas, cópias. Descartar e recomeçar. De uma ideia inicial a um projeto final há um caminho extenuante e longo. Isso porque projetar é tomar infinitas decisões, sendo que uma alteração influencia em outros tantos elementos sendo, enfim, um exercício de escolhas e concessões. Seja conseguir construir o máximo da legislação no terreno sem impactar o entorno e deixando todas as unidades com boa exposição solar, ou encaixar o máximo de mesas de trabalho em um escritório sem perder uma boa circulação e fluidez no espaço, são muitos estudos até chegar na opção mais adequada. Ou, por exemplo, a posição de uma janela, ainda que fique muito bem na composição da fachada, pode inviabilizar a localização da cama em um dormitório ou aumentar muito o consumo energético da edificação.

Evidentemente, em todo o projeto há sempre prazos e orçamentos apertados, um cliente geralmente com pressa e uma quantidade de tempo limitada para se pensar em todas as combinações possíveis e se as decisões projetuais tomadas são, de fato, as mais adequadas. É aí que, cada vez mais, o conceito de Design Generativo (Generative Design) vem aparecendo na arquitetura.

Mars House, a primeira casa digital vendida no mundo

A Mars House, concebida pela artista e fundadora do Techism Movement, Krista Kim, tornou-se a primeira casa digital a ser comercializada no mundo. Elaborada como um arquivo digital único e exclusivo, como uma espécie de token criptográfico (NFT), a Mars House é na verdade um arquivo 3D que pode ser explorado através de realidade virtual ou realidade aumentada. A Mars House é uma estrutura feita de luz, uma casa digital com uma atmosfera única e que vem acompanhada por uma trilha sonora criada por Jeff Schroeder da banda Smashing Pumpkins.

O futuro do urbanismo na China: como construir cidades mais habitáveis?

E assim começamos o ano de 2021, logo depois de encerarmos um dos anos mais difíceis e desafiadores das últimas décadas. E agora? Quais são as nossas expectativas para o futuro próximo? Em recente pesquisa, a UN75 relata que a maioria das pessoas se mantém muito otimista em relação ao que está por vir: “em todo o mundo, a maioria dos entrevistados acredita que a nossa civilização estará muito melhor em 2045 do que hoje (49%), ao passo que 32% dos entrevistados acreditam que a nossa situação estará pior.” 

Pioneiros: 6 escritórios de arquitetura que exploram a Inteligência Artificial em seus projetos

Neste artigo, abordamos como a inteligência artificial está contribuindo para com a mudança dos nossos processos de projeto, e como arquitetos e outros profissionais estão reagindo e incorporando esses avanços tecnológicos na prática. Que tipo de inovação a IA já trouxe para a indústria da arquitetura e construção, e o que está sendo testado neste exato momento? A seguir, compilamos uma seleta lista de projetos que podem nos ajudar a melhor explicar como a IA está sendo incorporada ao nosso dia-a-dia, transformando a nossa prática profissional.

Recursos online gratuitos para conhecer e se aprofundar em inteligência artificial

Dado que a Inteligência Artificial, ao longo dos últimos anos, passou a ser uma das principais forças motrizes no âmbito da inovação tecnológica e no desenvolvimento econômico – provocando ainda uma revolução nas relações sociais–, ela tem exigido de todos nós a aquisição de novos conhecimentos e um conjunto adicional de habilidades. Assim como o domínio de pelo menos um software BIM passou a ser um pré-requisito para a maioria dos postos de trabalho no setor da arquitetura e construção, ter uma compreensão mínima ou até mesmo saber como utilizar ferramentas de IA já é algo que se espera de um arquiteto, e provavelmente, muito em breve, passará a ser mais um dos tantos requisitos exigidos de um arquiteto em uma entrevista de emprego. Entretanto, em meio ao oceano de informações disponíveis, como podemos começar a navegar neste universo? A seguir, organizamos uma lista de recursos disponíveis online, com palestras e cursos gratuitos, os quais nos permite melhor compreender de que maneira podemos nos beneficiar das tecnologias de IA e como aplicá-las à nossa prática profissional.

Como a inteligência artificial transformará a arquitetura até 2050

É inegável que a inteligência artificial está transformando a maneira como projetamos e construímos nossos edifícios e cidades. Acredita-se que nos próximos trinta anos, até 2050, a incorporação de tais avanços tecnológicos serão amplamente sentidos em todos os aspectos da nossa vida cotidiana. Tendo em vista todos os desafios que se desenham à nossa frente, incluíndo as mudanças climáticas e a dificuldade cada vez maior de acesso à moradia, a inteligência artificial – se utilizada da maneira certa –, pode ser um dos nossos principais aliados para transformar um potencial futuro distópico e um mundo habitável e sustentável. Ao imaginarmos o futuro hoje, é impossível não tentar prever como será a vida daqui a trinta anos, e está cada vez mais difícil, dissociar a imagem do futuro como uma realidade definitivamente entrelaçada e dependente das novas tecnologias.

Como a inteligência artificial transformará a arquitetura até 2050Como a inteligência artificial transformará a arquitetura até 2050Como a inteligência artificial transformará a arquitetura até 2050Como a inteligência artificial transformará a arquitetura até 2050+ 11

Spacemaker desenvolve projeto generativo baseado em Inteligência Artificial para cidades mais sustentáveis

A Autodesk acaba de adquirir os direitos operacionais da plataforma Spacemaker, um ferramenta conhecida por facilitar o trabalho de arquitetos e empreendedores, “permitindo testar e avaliar soluções projetuais rapidamente e assim, encontrar melhores soluções para cada projeto específico”. Concebida para um público alvo de arquitetos, urbanistas e empreendedores do ramo imobiliário, a plataforma Spacemaker opera através de uma nuvem e utiliza tecnologias de Inteligência Artificial para ajudar estes profissionais a tomarem melhores decisões durante as primeiras fases de projeto.

Spacemaker desenvolve projeto generativo baseado em Inteligência Artificial para cidades mais sustentáveis Spacemaker desenvolve projeto generativo baseado em Inteligência Artificial para cidades mais sustentáveis Spacemaker desenvolve projeto generativo baseado em Inteligência Artificial para cidades mais sustentáveis Spacemaker desenvolve projeto generativo baseado em Inteligência Artificial para cidades mais sustentáveis + 13

Como podemos transformar nossas cidades com o uso da tecnologia?

Segundo estimativas das Nações Unidas, atualmente mais de 55% da população mundial vive em cidades ou áreas urbanizadas, com uma forte probabilidade de este numero aumentar para quase 70% ao longo das próximas décadas. Apesar deste previsível e vertiginoso crescimento populacional urbano, muitas das grandes cidades do mundo têm feito pouco ou quase nada para qualificar suas infraestruturas já muito precárias e insuficientes. De fato, o que se desenha a nossa frente é o grande desafio da vez, talvez um dos maiores que a humanidade já enfrentou. Se a solução dos problemas de grande escala parece algo impraticável ou até impossível, talvez devêssemos buscar resolver os pequenos problemas, um de cada vez.

Para além da escala humana: ecossistemas, migrações e paisagens desumanizadas

A escala humana na arquitetura abrange desde dimensões físicas de um determinado edifício ou ambiente construído até a percepção ou experiência do espaço por meio dos sentidos. Portanto, a escala humana pode ser entendida como um parâmetro que surge do confrontamento entre o nosso corpo e o ambiente no qual estamos inseridos. Entretanto, à medida que passamos a observar a arquitetura para além da escala humana, onde a ergonometria já não mais desempenha um papel primordial na concepção do espaço e seus componentes, nos deparamos com uma série de novas tipologias arquitetônicas, as quais nos permitem refletir e repensar a maneira como concebemos nossos edifícios e espaços urbanos.

Para além da escala humana: ecossistemas, migrações e paisagens desumanizadasPara além da escala humana: ecossistemas, migrações e paisagens desumanizadasPara além da escala humana: ecossistemas, migrações e paisagens desumanizadasPara além da escala humana: ecossistemas, migrações e paisagens desumanizadas+ 13

BIG revela o projeto da AI CITY, o mais moderno campus de inovação tecnológica da China

O BIG acaba de revelar o mais um mega-empreendimento na China, o AI CITY, a futura sede do provedor de serviços inteligentes Terminus Group. Concebido como o mais moderno campus de inovação tecnológica da China, a estrutura concebida pelo BIG promoverá o desenvolvimento de novas tecnologias em “inteligência artificial, robótica e big data”. A ser construído em Chongqing—conhecida como “a cidade da montanha” no sudoeste da China—, o projeto encontra-se inserido na área de desenvolvimento industrial de alta tecnologia da cidade.

BIG revela o projeto da AI CITY, o mais moderno campus de inovação tecnológica da ChinaBIG revela o projeto da AI CITY, o mais moderno campus de inovação tecnológica da ChinaBIG revela o projeto da AI CITY, o mais moderno campus de inovação tecnológica da ChinaBIG revela o projeto da AI CITY, o mais moderno campus de inovação tecnológica da China+ 24

O melhor do ArchDaily Brasil sobre tecnologia na arquitetura

Reunimos aqui uma lista com nossos melhores artigos, notícias e projetos que abordam diferentes facetas da tecnologia na arquitetura e construção.