1. ArchDaily
  2. Clássicos Da Arquitetura Brasileira

Clássicos Da Arquitetura Brasileira: O mais recente de arquitetura e notícia

Clássicos da Arquitetura: Oscar Niemeyer

Hoje, dia do arquiteto, Oscar Niemeyer completaria 109 anos.
Para celebrar separamos alguns dos clássicos do arquiteto já publicados pelo ArchDaily Brasil.

Clássicos da Arquitetura: Seis Casas de Arquiteto

Relembre as seis residências de arquiteto que publicamos nas últimas semanas.

Workshop ArchDaily Brasil: Clássicos da Arquitetura Brasileira, na UFRGS

“É difícil falar aquilo que você vê. E mais difícil do que falar aquilo que você vê é escrever aquilo que você vê. Porém mais difícil do que falar aquilo que você vê ou escrever aquilo que você vê é ver o que você vê.”

O Workshop ArchDaily Brasil de Clássicos da Arquitetura Brasileira será uma simulação do backstage de trabalho da equipe de editores e colaboradores na preparação das suas publicações. Os estudantes estarão na posição de colaboradores, simulando suas tarefas, com a vantagem de participar de um processo coletivo e presencial, prático e teórico, de discussão e produção, juntamente com o editor, como guia da equipe. O enfoque prático do curso será a escritura descritiva em arquitetura, que determina a singularidade dos textos elaborados para os Clássicos da Arquitetura, e que configura o núcleo da crítica em arquitetura. O Workshop será um trabalho intenso de observação e de transformação dessas observações em palavras, mediante um ciclo de retroalimentação entre escritura, observação e desenho.

Clássicos da Arquitetura: Edifício Guaimbê / Paulo Mendes da Rocha e João Eduardo de Gennaro

Clássicos da Arquitetura: Edifício Guaimbê / Paulo Mendes da Rocha e João Eduardo de GennaroClássicos da Arquitetura: Edifício Guaimbê / Paulo Mendes da Rocha e João Eduardo de GennaroClássicos da Arquitetura: Edifício Guaimbê / Paulo Mendes da Rocha e João Eduardo de GennaroClássicos da Arquitetura: Edifício Guaimbê / Paulo Mendes da Rocha e João Eduardo de Gennaro+ 10

Um edifício inteiramente em concreto aparente. Sua estreita fachada principal é marcada por uma sequência de toldos curvos e floreiras de seção triangular ambos em concreto aparente, intercalados por superfícies transparentes de vidro e faixas opacas de concreto.

Clássicos da Arquitetura: Edifício Barão de Limeira / Gregori Warchavchik

Clássicos da Arquitetura: Edifício Barão de Limeira / Gregori WarchavchikClássicos da Arquitetura: Edifício Barão de Limeira / Gregori WarchavchikClássicos da Arquitetura: Edifício Barão de Limeira / Gregori WarchavchikClássicos da Arquitetura: Edifício Barão de Limeira / Gregori Warchavchik+ 22

O edifício possui seis faixas idênticas que determinam os cinco pavimentos tipo e a platibanda da cobertura. Sua fachada principal e o caráter do edifício são determinados por elas. São compostas por um trecho reto, que ocupa os dois terços orientais da fachada, e um trecho curvo, que demarca as varandas dos apartamentos de frente.

Clássicos da Arquitetura: "Os" três Pavilhões do Brasil

Relembre os três Pavilhões do Brasil construídos nas Feiras Mundiais de Nova York '39, Bruxelas 58' e Osaka '70.

Clássicos da Arquitetura: Pavilhão de Nova York 1939 / Lucio Costa e Oscar Niemeyer

Clássicos da Arquitetura: Pavilhão de Nova York 1939 / Lucio Costa e Oscar NiemeyerClássicos da Arquitetura: Pavilhão de Nova York 1939 / Lucio Costa e Oscar NiemeyerClássicos da Arquitetura: Pavilhão de Nova York 1939 / Lucio Costa e Oscar NiemeyerClássicos da Arquitetura: Pavilhão de Nova York 1939 / Lucio Costa e Oscar Niemeyer+ 19

Por Carlos Eduardo Comas

Graça, leveza, extroversão, exuberância e porosidade respondem ao desejo de transmitir atributos convencionalmente considerados apropriados para um pavilhão de feira. A teatralidade também convém a um tipo de construção que não deve durar mais que uma estação, como uma peça.

Os clássicos de Lelé

Os clássicos de LeléOs clássicos de LeléOs clássicos de LeléOs clássicos de Lelé+ 14

Deixamos a seguir uma breve lista dos Clássicos da Arquitetura do João Filgueiras Lima, o nosso grande Lelé, quem nos deixou no dia de hoje. Esta é um pequena homenagem do ArchDaily Brasil.

Clássicos da Arquitetura: Igrejinha Nossa Senhora de Fátima / Oscar Niemeyer

© Marcel Gautherot. Via Blog do Instituto Moreira Salles
© Marcel Gautherot. Via Blog do Instituto Moreira Salles

Cinco vigas similares unidas num ponto e logo abertas em leque conformam o perímetro da laje de cobertura que em projeção horizontal forma um triângulo isósceles de vinte e cinco metros de base e vinte e nove metros de altura.

Clássicos da Arquitetura: Casa no Butantã / Paulo Mendes da Rocha e João de Gennaro

Clássicos da Arquitetura: Casa no Butantã / Paulo Mendes da Rocha e João de GennaroClássicos da Arquitetura: Casa no Butantã / Paulo Mendes da Rocha e João de GennaroClássicos da Arquitetura: Casa no Butantã / Paulo Mendes da Rocha e João de GennaroClássicos da Arquitetura: Casa no Butantã / Paulo Mendes da Rocha e João de Gennaro+ 26

Se as duas vigas transversais das extremidades da laje de cobertura descessem formando as empenas externas do pavimento principal, se encontrariam perfeitamente com o perímetro da laje de piso. Se as vigas longitudinais não avançassem vinte centímetros em balanço sustentando e afastando das vigas as empenas externas de concreto, não haveria espaço para a calha superior e não se criaria uma brecha no piso principal para iluminar indiretamente o interior. Se nas laterais desse piso não fossem levantadas muretas externas de blocos de concreto, não se formaria nas fachadas dois planos sobrepostos e uma sombra constante entre eles, e às vezes um terceiro plano intermediário.

Clássicos da Arquitetura: Residência do Arquiteto / Jaime Lerner

Sete vigas semi-invertidas idênticas e paralelas determinam a cobertura do edifício. Seção: oito por quarenta centímetros. Distanciamento: oitenta centímetros de eixo a eixo. Desenho: três segmentos retilíneos contínuos. O primeiro, horizontal, apresenta sete metros e cinco centímetros de extensão. O segundo, em aclive, apresenta três metros e sessenta centímetros a um ângulo de sessenta e três graus. E o terceiro, o principal, dezenove metros e quarenta centímetros em declive a um ângulo de dezesseis graus e meio: ângulo próximo ao declive natural do terreno.

Clássicos da Arquitetura: Casa Bola / Eduardo Longo

Clássicos da Arquitetura: Casa Bola / Eduardo LongoClássicos da Arquitetura: Casa Bola / Eduardo LongoClássicos da Arquitetura: Casa Bola / Eduardo LongoClássicos da Arquitetura: Casa Bola / Eduardo Longo+ 40

Uma estrutura esférica de oito metros de diâmetro surge –ou talvez pousa– na laje de coberta de uma casa. Digamos que pousa e se enraíza na estrutura da casa: as vigas existentes são descascadas para que nelas sejam soldados os ferros da nova estrutura. Cria-se uma nova fundação suspensa. Sobre ela pousa o edifício.

Clássicos da Arquitetura: Segunda residência do arquiteto / Vilanova Artigas

Cortesia de Rosa Artigas
Cortesia de Rosa Artigas

Clássicos da Arquitetura: Segunda residência do arquiteto / Vilanova ArtigasClássicos da Arquitetura: Segunda residência do arquiteto / Vilanova ArtigasClássicos da Arquitetura: Segunda residência do arquiteto / Vilanova ArtigasClássicos da Arquitetura: Segunda residência do arquiteto / Vilanova Artigas+ 27

O acesso ao edifício é delimitado pelos muros da garagem a quarenta e cinco graus em relação à fachada principal. Sobre eles uma abóboda rebaixada, aberta em ambas as frentes. Esta é a entrada da casa: o retângulo do portão da garagem e sobre ele o arco da abóbada. Entra-se por um portãozinho de ferro entre muretas de alvenaria pintadas de branco que leva a um caminho descoberto rente à garagem. Logo chega-se a um átrio coberto por uma laje plana.

Clássicos da Arquitetura: Residência no Morumbi / Oswaldo Bratke

Clássicos da Arquitetura: Residência no Morumbi / Oswaldo BratkeClássicos da Arquitetura: Residência no Morumbi / Oswaldo BratkeClássicos da Arquitetura: Residência no Morumbi / Oswaldo BratkeClássicos da Arquitetura: Residência no Morumbi / Oswaldo Bratke+ 20

De uma matriz ortogonal modular surge o edifício. Sete eixos estruturais transversais, de cinco metros e setenta centímetros de espaçamento, marcam com a locação dos pilares as fachadas frontal e de fundos. Lateralmente, são quatro os eixos, porém com diferentes medidas entre eles. Uma laje de piso, cinquenta centímetros acima do nível do solo na fachada principal, e uma laje de cobertura completam a composição: dois planos horizontais unidos por uma matriz de linhas verticais.

Clássicos da Arquitetura: Residência Liliana e Joaquim Guedes

Clássicos da Arquitetura: Residência Liliana e Joaquim GuedesClássicos da Arquitetura: Residência Liliana e Joaquim GuedesClássicos da Arquitetura: Residência Liliana e Joaquim GuedesClássicos da Arquitetura: Residência Liliana e Joaquim Guedes+ 39

Dois pares de pilares idênticos e simétricos. Duas vigas transversais idênticas. Duas lajes de estrutura homogênea e idêntica. Duas escadas idênticas e sobrepostas. E ainda assim não se vê regularidade no edifício.

Clássicos da Arquitetura: Residência Waldo Perseu Pereira / Joaquim Guedes

Clássicos da Arquitetura: Residência Waldo Perseu Pereira / Joaquim GuedesClássicos da Arquitetura: Residência Waldo Perseu Pereira / Joaquim GuedesClássicos da Arquitetura: Residência Waldo Perseu Pereira / Joaquim GuedesClássicos da Arquitetura: Residência Waldo Perseu Pereira / Joaquim Guedes+ 35

Este é o último Clássico da Arquitetura de 2013. O ano termina, então, com uma obra de Joaquim Guedes: a Residência Waldo Perseu Pereira, sobre a qual não escreverei por dois motivos: