Audrey Migliani

Audrey Migliani é arquiteta e urbanista (2013), mestre em arquitetura pela USJT-SP (2016). É colaboradora do ArchDaily desde fevereiro de 2014. Também é pesquisadora em Ambiente Preparado onde estuda os benefícios e as possibilidades de espaços dimensionados para crianças, na escala da casa e da cidade. Fez parte da equipe do Núcleo Docomomo-SP entre 2014 e 2019.

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE AUTOR

Cozinhas monocromáticas: 3 estratégias projetuais com uma única cor

Apartamento Tetrys 607 / CR2 Arquitetura. Image © Cris Farhat 3in1 / batlab architects. Image © Norbert Juhász Residencia Jade / E/L Studio. Image © Pepper Watkins Apartamento em Korydallos / Plaini and Karahalios Architects. Image © Nikos Papageorgiou + 27

Um ambiente monocromático é um espaço em que a maioria de seus elementos é de uma única cor. E, embora seja muito comum as cores escolhidas serem em preto e branco, devido à sua neutralidade, é possível usar qualquer paleta de cores, aproveitando seus infinitos tons, subtons ou matrizes.

Arquitetura de madeira para crianças: projetando espaços aconchegantes e divertidos

Geometrical Space for a Two Kid Family / Atelier D+Y Blue and Glue / HAO Design Podgorje TimeShare Kindergarten and School / Arhitektura Jure Kotnik MRN Kindergarten and Nursery / HIBINOSEKKEI + Youji no Shiro + 71

O ambiente em que habitamos nos influencia diretamente. Quando pensamos nas crianças, é sempre desejável que consideremos que este ambiente seja seguro, acessível e, ao mesmo tempo estimulante, para que eles possam se mover e se desenvolver livremente sem colocar sua integridade física em perigo. Já falamos em outra oportunidade sobre como criar playgrounds dentro de casa, mas hoje, decidimos reunir uma série de exemplos que usam o calor e a versatilidade da madeira para criar interiores interativos, criativos e divertidos para as crianças.

Banheiros coletivos para crianças: O que considerar ao projetar?

Kindergarden in Chroscice / PORT Kindergarden between Palms in Los Alcazares / Cor & Asociados Children Hospital EKH / IF (Integrated Field) Beelieve Preeschool of Life / EstudioFernandaOrozco + 14

É bastante comum usar o termo acessibilidade ao projetar espaços para pessoas com necessidades especiais ou para idosos. No entanto, para garantir um design universal eficaz para as crianças, é imprescindível conhecer e focar em suas necessidades específicas, com base em ergonomia, segurança, iluminação natural e artificial, cores e acessórios. Neste artigo, abordaremos os parâmetros mais importantes a serem considerados ao especificar dimensões e materiais em banheiros coletivos para crianças pequenas.

Como minimizar os efeitos nocivos do gás formaldeído nos interiores

Nos momentos em que as pessoas passam mais e mais tempo dentro de suas casas, escritórios e outros espaços fechados, é importante garantir que estamos oferecendo ambientes seguros e saudáveis, especialmente em interiores projetados para crianças e idosos. Existe um composto químico que ganhou popularidade nos últimos anos, pois está presente em vários materiais que moldam os espaços em que habitamos, influenciando diretamente a qualidade do ar que respiramos: o formaldeído.

Como projetar escolas e interiores baseados na pedagogia Waldorf

Introduzida por Rudolf Steiner, a pedagogia Waldorf é alimentada por princípios da filosofia antroposófica. Uma das principais características de sua abordagem pedagógica é a suposição de que a formação de um ser humano deve ser holística: seus sentimentos, sua imaginação, seu espírito e seu intelecto como uma composição única, visando uma completa integração entre o pensamento, o sentimento e a ação (o pensar, o sentir e o agir estão sempre ligados).

O foco da filosofia é desenvolver indivíduos capazes de se relacionar com si mesmos e com a sociedade (inteligência inter e intrapessoal), habilidades que são fundamentais para os desafios que o século XXI desenhou. Esse aprendizado ocorre, em grande parte, devido à força característica das escolas que seguem esse método de introduzir famílias no ambiente escolar, transformando-as em uma comunidade. Abordaremos como isso é feito, a seguir.

Yellow Train School / Biome Environmental Solutions. Image © Vivek Muthuramalingam After-School Care Centre Waldorf School / MONO Architekten. Image © Gregor Schmidt Marecollege / 24H Architecture. Image Cortesia de Boris Zeisser Escola El Til·ler / Eduard Balcells + Tigges Architekt + Ignasi Rius Architecture. Image © Adrià Goula + 19

Onde as crianças brincarão? Como projetar cidades estimulantes e seguras para a infância

Cities for Play é um projeto cujo objetivo principal é de inspirar arquitetos, urbanistas e planejadores urbanos a criarem cidades estimulantes, respeitosas e acessíveis às crianças.

Natalia Krysiak é uma arquiteta australiana que acredita que as necessidades das crianças devem ser colocadas como ponto central no desenho urbano para assegurar comunidades resilientes e sustentáveis. Em 2017, criou Cities for Play que estuda exemplos de cidades que se preocupam em proporcionar ambientes que são capazes de promover a saúde e o bem-estar (físico e emocional) das crianças com foco nas brincadeiras e na "mobilidade ativa" de espaços públicos. 

Como escolher pisos para áreas públicas e de alto tráfego

Atualmente há uma infinidade de opções de pisos disponíveis no mercado, cada qual com suas especificações e particularidades. Ao projetar um espaço público, é fundamental fazer as perguntas corretas para definir os materiais de acordo com os requisitos e funções de cada uma de suas partes. Para começar: onde o piso será instalado? (área interna/externa; área molhada/úmida) / qual a quantidade de tráfego ao qual será submetido? (leve, moderado, alto tráfego) / que tipo de fluxo o piso receberá? (Pessoas, bicicletas, veículos leves, veículos pesados) / que tipo de inserção você quer adicionar considerando o contexto preexistente?

A partir dessas perguntas, pode-se traçar um perfil mais preciso e efetivo em relação à "resistência à abrasão" do piso (fator fundamental para assegurar a durabilidade do material). Depois, somam-se os fatores estéticos, funcionais, econômicos e sustentáveis.

© Grigoriy Sokolinsky. ImageRua Bolshaya Morskaya / AB CHVOYA + AM TRI Azatlyk - Praça Central de Naberezhnye Chelny / DROM. Image © Dmitry Chebanenko © Clément Guillaume. ImageEntrada de Chatenay Malabry / Ateliers 2/3/4/ © Norbert Tukaj . ImageEspaço Público de Ogmios / DO ARCHITECTS + 21

Conselhos para iluminar espaços interiores para crianças

Quando se fala sobre iluminação, muitos pensam que o assunto se resume à decoração e aos tipos de luminárias. No entanto, é consenso entre arquitetos que um bom projeto de luminotécnica agrega tanto valor estético, funcional como ambiental. Além disso, saber dimensionar e direcionar cada luminária para sua função, contribui também para a economia de energia elétrica.

No que se diz respeito às necessidades das crianças, é fundamental atentar para a quantidade, qualidade e tipo de lâmpada para cada objetivo específico do ambiente: dormir, brincar e aprender. A seguir, explicaremos melhor cada uma de suas especificidades.

© Atsushi Ishida. Image LHM Kindergarten / Moriyuki Ochiai Architects © Threeimages. Image Avenue Green Sheshan in Shanghai / ELTO Consultancy © Xia Zhi . Image Family Box Qingdao / Crossboundaries © Xia Zhi . Image Family Box Qingdao / Crossboundaries + 23

Como funcionam as telhas fotovoltaicas?

O funcionamento das telhas solares, ou telhas fotovoltaicas, acontece da mesma forma que os painéis fotovoltaicos, já bastante utilizados na construção civil. A diferença está na montagem, já que essas fazem parte da construção do telhado desde seu início, ou seja, são projetadas em conjunto à nova cobertura enquanto os painéis são parafusados em uma cobertura existente.

As telhas são compostas por células fotovoltaicas que, no momento em que recebem luz solar, criam um campo elétrico capaz de fornecer energia elétrica para ser utilizada no interior da construção, já que as placas fotovoltaicas são conectadas através de cabos elétricos até o quadro de força.

Como estimular a autonomia das crianças através da arquitetura e o método Montessori

Maria Montessori começou a desenvolver seu método no início do século XX: trata-se de uma pedagogia científica com o principal objetivo de promover uma educação que contribua positivamente ao desenvolvimento do cérebro da criança, respeitando a individualidade de cada uma delas, estimulando sua autonomia, autoestima e autoconfiança.

Apesar do método ter sido criado no século passado, é agora que a ciência começa a comprovar muitas informações deixadas por Montessori em seu legado. Cada vez mais fala-se sobre aplicá-lo na arquitetura de espaços para as crianças e muito tem-se falado sobre "quartos montessorianos" e sobre a tendência: cama casinha! 

Cadeira Cubo. Image Cortesia de Cuchi Móveis Infantis Prateleira Pega Pega. Image Cortesia de Cuchi Móveis Infantis Montessori Kindergarten / ArkA. Image © Chiara Ye Preescolar Beelieve / 3Arquitectura. Image © Leonardo Finotti + 26

O que é Madeira Laminada Colada (MLC ou Glulam)?

A madeira laminada colada (MLC), também conhecida como Glulam (por seu nome inglês 'Glued Laminated Timber'), é um material estrutural fabricado através da união de segmentos individuais de madeira, colados com adesivos industriais (geralmente adesivos de resina de melamina ou poliuretano). As peças resultantes oferecem alta durabilidade e resistência à umidade, podendo vencer grandes vãos e conformar formas únicas.

Shane Homes YMCA at Rocky Ridge / GEC Architecture. Image © Adam Mork The Roof House / MILODAMALO. Image © Ilya Ivanov Casey Key Guest House / Sweet Sparkman Architects. Image © George Cott Wooden House / MAATworks. Image © Marcel van der Burg + 15

10 plantas resistentes que sobreviverão em ambientes com pouca luminosidade

Home Cafes / Penda. Image © Zhi Xia
Home Cafes / Penda. Image © Zhi Xia

Com apartamentos e casas cada vez menores, percebemos uma crescente demanda para integrar espécies de plantas em espaços interiores. Mas que tipo de plantas escolher se não temos luz natural abundante? Neste artigo você encontrará algumas sugestões de espécies que são indicadas para ficarem "à sombra" ou "à meia sombra". Esse indicador é importante especialmente quando falamos de ambientes internos que recebem pouca luminosidade solar. 

Zamioculca. Image © Liubabasha, Vía Shutterstock Aglaonema. Image © Liubabasha, Vía Shutterstock Dracaena . Image © Gringoann, Vía Shutterstock Sansevieria Trifasciata. Image © Liubabasha, Vía Shutterstock + 33

Qual iluminação é melhor para banheiros?

Um bom projeto de interiores precisa estar compatível com um projeto de luminotécnica adequado. Ele é responsável por assegurar que a quantidade e a potência das lâmpadas são adequadas aos ambientes dependendo de suas dimensões e de seu uso.

Chameleon Villa / Word of Mouth Architecture. Image © Daniel Koh The Skyscape Rooftop House / WARchitect. Image © Rungkit Charoenwat All House / Gui Mattos. Image © Carolina Lacaz House on the Hill / MoDusArchitects. Image © Filippo Molena + 20

Quando foram inventadas as janelas de vidro?

Você já se fez essa pergunta? Pode parecer estranho imaginar, à primeira vista, que nem sempre tivemos janelas em nossas construções, nem tão pouco elas eram vedadas por um material transparente capaz de permitir a entrada de iluminação natural em recintos escuros ou de fazer uma barreira contra o frio: o vidro.

Apartamento Consolação / SOEK Arquitetura. Image © Rafael Renzo Apartamento Urimonduba / Candida Tabet Arquitetura. Image © Rômulo Fialdini Casa ABK / Bernardes Arquitetura. Image © Leonardo Finotti Casa para Beth / Salmela Architect. Image © Paul Crosby + 17