Como minimizar os efeitos nocivos do gás formaldeído nos interiores

Como minimizar os efeitos nocivos do gás formaldeído nos interiores

Nos momentos em que as pessoas passam mais e mais tempo dentro de suas casas, escritórios e outros espaços fechados, é importante garantir que estamos oferecendo ambientes seguros e saudáveis, especialmente em interiores projetados para crianças e idosos. Existe um composto químico que ganhou popularidade nos últimos anos, pois está presente em vários materiais que moldam os espaços em que habitamos, influenciando diretamente a qualidade do ar que respiramos: o formaldeído.

Stepping Park House / VTN Architects. Este é um bom exemplo de espaço bem ventilado e iluminado, reduzindo as chances de contaminação ambiental. Image © Hiroyuki Oki
Stepping Park House / VTN Architects. Este é um bom exemplo de espaço bem ventilado e iluminado, reduzindo as chances de contaminação ambiental. Image © Hiroyuki Oki

Em palavras simples, formaldeído é um gás incolor e inflamável que, à temperatura ambiente, possui um forte odor. A exposição a esse gás pode causar efeitos adversos à saúde  no sistema respiratório, nos olhos e na pele. Os sintomas mais comuns são: irritação (nos olhos, nariz e garganta), lacrimação, queimadura nasal, tosse, espasmos bronquiais, irritação pulmonar e dermatite. Em casos extremos, pode causar câncer.

Onde o formaldeído pode ser encontrado?

O formaldeído é um subproduto da combustão e outros processos naturais. Ele pode ser encontrado como ingrediente de diversos tipos de materiais construtivos, especialmente em produtos compostos de madeira e materiais isolantes.

Wood Slat Shotgun House / Austigard Arkitektur. Este é um bom exemplo de espaço bem ventilado e iluminado, reduzindo as chances de contaminação ambiental. Image © Ivan Brodey
Wood Slat Shotgun House / Austigard Arkitektur. Este é um bom exemplo de espaço bem ventilado e iluminado, reduzindo as chances de contaminação ambiental. Image © Ivan Brodey

Mas nos interiores residenciais, também pode ser encontrado em: 

  • Na forma gasosa através de emissões através de aparelhos (não ventilados) com queima de combustível como fogões a gás ou querosene.
  • Colas, tintas, lacas, tecidos para prensas permanentes e alguns tipos de revestimentos e acabamentos;
  • Conservantes usados ​​em alguns medicamentos, cosméticos e produtos de limpeza como lavar louça e amaciantes;
  • Diversos fertilizantes e pesticidas.
  • Fumaça de cigarros. Por isso, é imperativo evitar fumar em ambientes fechados. 
  • Produtos de madeira prensada feitos com adesivos que contenham resinas de uréia-formaldeído (UF);
  • Produtos de madeira aglomerado (usado como sub-piso e estante e em armários e móveis);
  • Painéis de madeira compensada (usados ​​para revestimento decorativo de paredes e usados ​​em armários e móveis);
  • Painel de fibras de média densidade (MDF) (usado para frentes de gavetas, armários e tampos de móveis). O painel de fibras de média densidade contém uma proporção mais alta de resina para madeira do que qualquer outro produto de madeira prensado por UF e é geralmente reconhecido como o produto de madeira prensado com maior emissão de formaldeído.

Home 09 / i29 | interior architects. Este é um bom exemplo de espaço bem ventilado e iluminado, reduzindo as chances de contaminação ambiental. Image © i29 l interior architects
Home 09 / i29 | interior architects. Este é um bom exemplo de espaço bem ventilado e iluminado, reduzindo as chances de contaminação ambiental. Image © i29 l interior architects

Se você for especificar qualquer produto com esse tipo de material, esteja atento à essas informações. 

Níveis recomendados para residências

Seu risco para a saúde humana depende diretamente do seu nível de concentração no ar, do tempo de exposição e do estado de saúde da pessoa exposta ao formaldeído. As concentrações residenciais médias geralmente ficam bem abaixo de 0,1 (ppm) e são consideradas quantidades significativas quando o nível está acima de 0,3 (ppm). Isso ocorre, por exemplo, quando produtos de madeira foram fabricados ou prensados recentemente, uma vez que o nível de gás diminui com o tempo.

Apartamento Cobogó / Pietro Terlizzi Arquitetura. Este é um bom exemplo de espaço bem ventilado e iluminado, reduzindo as chances de contaminação ambiental. Image © Guilherme Pucci
Apartamento Cobogó / Pietro Terlizzi Arquitetura. Este é um bom exemplo de espaço bem ventilado e iluminado, reduzindo as chances de contaminação ambiental. Image © Guilherme Pucci

Como podemos proteger nossos lares e família do formaldeído?

1. Reduza o consumo de produtos com formaldeído em sua composição ou escolha aqueles sem adição de formaldeído

Deve-se considerar o uso de produtos de madeira compostos certificados ou feitos de madeira maciça, aço inoxidável, cerâmica, adobe e tijolo. As certificações restringem as emissões de formaldeído, oferecendo opções mais seguras. Recomenda-se preferir produtos de madeira compostos por resinas de fenol-formaldeído (PF), uma vez que emitem formaldeído a taxas consideravelmente mais baixas do que aqueles compostos por resinas de ureia-formaldeído (UF).

Além disso, é importante verificar se os materiais não contêm formaldeído adicionado. A classificação NAF (formaldeído sem adição) é um padrão rigoroso na medição de emissões de formaldeído na indústria, de acordo com o CARB (California Air Resources Board).

Vernizes, Stains, Óleos, Ceras: Quais são os acabamentos mais adequados para madeira?. Image © il21
Vernizes, Stains, Óleos, Ceras: Quais são os acabamentos mais adequados para madeira?. Image © il21

2. Maximize a ventilação natural

Os níveis de emissão de formaldeído podem aumentar em ambientes quentes e úmidos. Logo, controlar esse fatores pode contribuir bastante com a diminuição dos riscos. A ventilação natural é sempre bem-vinda, no caso de diminuir os efeitos da liberação do formaldeído ela torna-se um importante aliado. Se uma boa ventilação natural não for fácil, é possível incorporar ar-condicionado e desumidificadores, que devem ser limpos e drenados com freqüência para evitar a proliferação de fungos, que também são muito prejudiciais à qualidade do ar interno.

Confira algumas recomendações para melhorar a ventilação natural, aqui.

Ventilação cruzada? Efeito chaminé? Entenda alguns conceitos de ventilação natural. Image © Matheus Pereira
Ventilação cruzada? Efeito chaminé? Entenda alguns conceitos de ventilação natural. Image © Matheus Pereira

Referências

  • What should I know about formaldehyde and indoor air quality? Disponível neste link. Acesso em 23 março 2020.
  • Facts About Formaldehyde. Disponível neste link. Acesso em 23 março 2020.
  • How you can protect yourself and your family from formaldehyde exposure. Disponível neste link. Acesso em 23 março 2020.
  • California Air Resources Board. Fact Sheets – Formaldehyde. Disponível neste link. Acesso em 23 março 2020.

Sobre este autor
Cita: Audrey Migliani. "Como minimizar os efeitos nocivos do gás formaldeído nos interiores" 26 Mar 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/936129/como-minimizar-os-efeitos-nocivos-do-formaldeido-nos-interiores> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.