Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Audrey Migliani

Audrey Migliani é arquiteta (2013) e mestre em Arquitetura e Urbanismo (2016) pela Universidade São Judas Tadeu/SP. É colaboradora do ArchDaily desde fevereiro de 2014.

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE AUTOR

Fotografias da Igreja de Jesús Obrero de Eladio Dieste, por Marcelo Donadussi

Há tempos publicamos no ArchDaily Brasil um artigo em que Carlos Eduardo Dias Comas descreve a Igreja de Jesús Obrero (Atlantica, Uruguai) projetada por Eladio Dieste em 1952. O fotógrafo Marcelo Donadussi visitou a o obra e dividiu o resultado conosco.

Pela casa se conhece o dono / Didier Cornille

Da editora. Valendo-se de textos curtos e ilustrações precisas, Didier Cornille apresenta casas icônicas em ordem cronológica, dos anos 1920 até o início do século XXI. Gerrit Rietveld, Le Courbusier, Frank Lloyd Wright, Charles e Ray Eames,Mies Van der Rohe, Oscar Niemeyer, Jean Prouvé, Frank Gehry, Shigeru Ban, Rem Koolhaas, Sarah Wigglesworth e Jeremy Till são nomes que deixaram marcas por revolucionar os projetos de moradias, influenciando também nos métodos de construção. Frank Lloyd Wright, por exemplo, integrou uma residência a uma cachoeira e Rem Koolhaas projetou uma casa que tem como cômodo principal um elevador, para atender às necessidades de seu dono paraplégico.

Fotografias atualizadas da Sede Social do Jóquei Clube de Goiás / Paulo Mendes da Rocha e João Eduardo de Gennaro

© Lucas Jordano © Lucas Jordano © Lucas Jordano © Lucas Jordano + 17

Após a publicação do Jóquei Clube de Goiás, com três fotos de sua autoria, o fotógrafo Lucas Jordano gentilmente resolveu voltar ao Jóquei e nos enviar um novo levantamento fotográfico. Confira as novas imagens.

Clássicos da Arquitetura: Faculdade de Arquitetura da UFBA / Diógenes Rebouças

© Manuel Sá © Manuel Sá © Vânia Hemb © Felipe Paim + 17

Em 07 de maio de 2014 o arquiteto baiano Diógenes Rebouças,  muito influente entre o final dos anos 1940 e o início dos anos 1960,completaria 100 anos. Para celebrar essa data tão importante, resolvemos apresentar a Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia (FAUFBA), confira.

Clássicos da Arquitetura: 100 anos de Lina Bo Bardi

Hoje celebraríamos o 100º aniversário de Lina Bo Bardi.
Para comemorar, selecionamos quatro clássicos da arquiteta ítalo-brasileira já publicados pelo ArchDaily Brasil.

Lina por escrito / Silvana Rubino e Marina Grinover (org.)

Da editora. Primeira publicação dedicada aos textos da arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi (1914-1992), este livro revela a extraordinária capacidade que ela tinha de transformar seu universo criativo em palavras. Esta seleção de 33 textos reúne seus artigos publicados em periódicos e jornais diários, desde a década de 1940 até os anos 90, numa criteriosa seleção que traz a público o melhor de sua produção, muitas vezes esparsa ou inacessível.

Clássicos da Arquitetura: Quatro edifícios institucionais modernos

Relembre os últimos quatro Clássicos da Arquitetura Brasileira que publicamos em novembro.

Clássicos da Arquitetura: CEASA Porto Alegre/ Carlos Maximiliano Fayet, Cláudio Luiz Araújo e Carlos Eduardo Comas + Eladio Dieste

Cortesia de Acervo João Alberto FAU UniRitter. Cortesia de Sergio Marques Cortesia de Acervo João Alberto FAU UniRitter. Cortesia de Sergio Marques Via benhuser.wordpress.com Via benhuser.wordpress.com + 15

O Pavilhão dos Produtores é o maior e principal edifício do conjunto. O edifício é formado por uma repetição contínua de um mesmo elemento: uma abóbada de tijolo armado com dupla curvatura. São quarenta e uma abóbadas intercaladas por aberturas de iluminação.

Supercrítico / Rem Koolhaas e Peter Eisenman

Da editora. Pequeno mas de conteúdo expansivo, Supercrítico é uma chave poderosa para se compreender o estado da arquitetura contemporânea e repensar seus lugares-comuns.
Os autores Rem Koolhaas e Peter Eisenman, dois dos arquitetos mais influentes em atividade, fazem de um debate sobre arquitetura –permeado por risadas e discordâncias acirradas– uma reflexão de peso a respeito do sentido de uma prática crítica hoje, do lugar que a arquitetura ocupa num mundo globalizado e midiático, do ensino e da pesquisa na área, de seus próprios projetos e escritos.

Parallaxis / Vicente de Mello

Da editora. Parallaxis reúne catorze séries fotográficas de Vicente de Mello como: Brasília, utopia líricaGaláctica, "Quantas ASAS tem um pixel?"Strobo, entre outras.
Trata-se de um fotolivro feito de pequenos fotolivros, sendo cada um num formato diferente dentro dentro da mancha, por vezes variando também o papel. O conjunto de imagens revela um fotógrafo detalhista, versátil e aberto a experimentações, sobretudo formais e com a luz.

Clássicos da Arquitetura: Paulo Mendes da Rocha

Hoje é aniversário do arquiteto capixaba Paulo Mendes da Rocha, vencedor Pritzker Architecture Prize em 2006.
Para comemorar, relembre alguns dos clássicos publicados no ArchDaily Brasil.

Clássicos da Arquitetura: Quatro escolas modernas

Relembre as quatro escolas modernas que publicamos nas últimas semanas.

Clássicos da Arquitetura: Escola Estadual Milton Campos / Oscar Niemeyer

© Tibor Jablonsky
© Tibor Jablonsky

© Stamo Papadaki, 1956 © Stamo Papadaki, 1956 © Stamo Papadaki, 1956 Clássicos da Arquitetura: Escola Estadual Milton Campos / Oscar Niemeyer + 37

Quatro blocos envoltos por uma área ajardinada determinam o conjunto arquitetônico. Três destes blocos são retangulares e o quarto bloco, cuja planta tem a forma de um trapézio isósceles, distingue-se dos demais por seu traçado externo curvilíneo.

Clássicos da Arquitetura: Grupo Escolar Vale Verde / Éolo Maia

© André Luiz Prado © André Luiz Prado © André Luiz Prado © André Luiz Prado + 15

Dois atributos determinam o edifício: os tijolos maciços de cerâmica de tom avermelhado que o materializa e os diferentes arcos e abóbadas que cobrem seus recintos. Os tijolos estão assentados de diferentes modos, principalmente à meia vez. As abóbadas são predominantemente de berço, com exceção das galerias que são cobertas por abóbadas abatidas, e os arcos que determinam as aberturas de passagem são sobretudo plenos, com exceção dos arcos de acesso ao edifício, que são do tipo ultrapassado.

Brutalist Connections - A Refreshed Approach To Debates & Buildings / Ruth Verde Zein

Da editora. Quem tem medo do Brutalismo? Nas últimas décadas, o Brutalismo deixou de ser tema tabu e mal conhecido e passou a figurar, em debates e publicações. Iniciadas há mais de uma década, as extensas pesquisas de Ruth Verde Zein sobre as “Conexões Brutalistas” dos anos 1950-70 são apresentadas neste livro de maneira sintética e lúdica. Embora considerando as contribuições canônicas, seus estudos desestabilizam estereótipos convencionais e abrem novas possibilidades interpretativas, contribuindo para a revisão e renovação contemporânea dos debates sobre o tema.

Quatro artigos sobre Teoria da Arquitetura

Relembre os quatro artigos que publicamos sobre a Teoria da Arquitetura.

Design Total Cauduro Martino / Celso Longo

Da editora. Ao longo de seus cinquenta anos de atuação, o escritório Cauduro Martino desenvolveu centenas de identidades visuais para grandes empresas que tiveram uma presença massiva na vida dos brasileiros.
Este livro analisa minuciosamente cinco projetos de escala urbana, situados na interface entre design gráfico, desenho industrial, arquitetura e urbanismo: o Metrô de São Paulo (1967), o Zoológico de São Paulo (1972), a Avenida Paulista (1973), o Sistema Municipal de Transportes (1974), e o Banespa (1975). São trabalhos seminais quanto ao método e à linguagem.

Figuras, Portas e Passagens / Robin Evans

Coisas ordinárias contêm os mais profundos mistérios. No início é difícil ver no layout convencional de uma casa contemporânea qualquer coisa senão a cristalização da fria razão, necessidade e o óbvio, e por causa disso nós somos facilmente levados a pensar que uma mercadoria tão transparentemente não excepcional deva ser forjada diretamente a partir de coisas de básicas necessidades humanas. De fato, praticamente todos os estudos sobre o habitar, qualquer que seja seu escopo, são fundados sobre esse pressuposto. ‘A luta por encontrar um lar’, declara um especialista proeminente, ‘e o desejo pelo abrigo, privacidade, conforto e independência que uma casa pode prover, são familiares por todo o mundo.’[1] Desde tal ponto de visão as características do habitar moderno parecem transcender nossa própria cultura, sendo erguida ao estado de requisitos universais e atemporais para uma vida decente. Isso é facilmente bem explicado, já que todas as coisas ordinárias parecem a uma vez neutras e indispensáveis, mas isto é uma ilusão, e uma ilusão com consequências também, à medida que esconde o poder que o arranjo costumeiro do espaço doméstico exerce sobre nossas vidas, e ao mesmo tempo oculta o fato de que essa organização tem uma origem e um propósito. A busca por privacidade, conforto e independência através da agência de arquitetura é bastante recente, e até quando essas palavras vieram por primeira vez à cena e eram usadas em relação aos assuntos domésticos, seus significados eram bem diferentes desses que nós entendemos agora. Assim o seguinte artigo é uma tentativa um tanto quanto crua e esquemática por descobrir apenas um dos segredos do que é agora tão ordinário.