Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU aplicados em projetos de arquitetura

Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU aplicados em projetos de arquitetura

Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) foram estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2015 e fazem parte de uma agenda mundial que visa a implementação de políticas públicas para guiar a humanidade até 2030, rumo a um futuro sustentável.

Segundo a própria organização, eles são um apelo global para acabar com a pobreza, proteger o meio ambiente e o clima, garantindo que as pessoas, em todos os lugares, possam desfrutar de paz e de prosperidade. São abordadas, portanto, diferentes temáticas como saúde, educação, igualdade de gênero, redução das desigualdades, padrões sustentáveis de produção e de consumo, proteção e uso sustentável dos oceanos e dos ecossistemas terrestres, crescimento econômico inclusivo, entre outras.

Centro para Gestantes / MASS Design Group. Imagem @Iwan Baan.Catedral Cardboard / Shigeru Ban. Imagem @Stephen Goodenough.EVOA - Centro de Interpretação Ambiental / Maisr Arquitetos. Imagem @Filipa Miguel Ferreira.Iniciativa Deu Praia em São Léo. Imagem cortesia de Instituto COURB Brasil.+ 18

O ambiente construído se relaciona intrinsecamente com cada um dos 17 objetivos, tornando-se um componente fundamental na concretização desse futuro sustentável. Desenvolvido coerentemente, ele pode significar a materialização de soluções que contribuem diretamente para a construção de comunidades sustentáveis e com qualidade de vida, seja por meio do programa que abriga, da forma construtiva ou da simbologia que representa.

A seguir, apresentaremos alguns projetos que ilustram a contribuição da arquitetura e do urbanismo para a concretização de cada um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

1. Erradicação da Pobreza

Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares, implementando medidas e sistemas de proteção social adequados para os mais pobres e vulneráveis.

Moradias Infantis / Rosenbaum® + Aleph Zero. Imagem @Leonardo Finotti.
Moradias Infantis / Rosenbaum® + Aleph Zero. Imagem @Leonardo Finotti.

Nesse sentido, a arquitetura propriamente dita pode não auxiliar diretamente na erradicação da pobreza, mas contribui na qualidade de vida dos mais vulneráveis possibilitando o acesso a direitos básicos como habitação e educação dignas. A escola-moradia Canuanã, feita por Rosenbaum® + Aleph Zero é um exemplo importante do papel transformador da arquitetura nesse ODS oferecendo não somente uma infraestrutura digna, mas principalmente potencializando a ideia de pertencimento dos alunos em relação ao espaço.

 2.  Fome zero e agricultura sustentável

Erradicação da fome, o alcance da segurança alimentar, melhoria da nutrição e promoção da agricultura sustentável.

Nature Urbaine. Imagem cortesia de Ciclovivo.
Nature Urbaine. Imagem cortesia de Ciclovivo.

O ambiente construído, neste caso, pode assumir um papel não somente na preservação da paisagem e proteção do ecossistema, mas também na expansão de áreas para produção de alimentos, como o caso da Nature Urbaine, a maior fazenda urbana da Europa construída em uma cobertura. São 14 mil m² que contribuem para a criação de vínculos sociais, reconexão com a natureza, conscientização de uma alimentação melhor, biodiversidade e criação de empregos verdes.

3. Saúde e Bem-Estar

Garantir o acesso à saúde de qualidade e promover o bem-estar para todos, em todas as idades.

Centro para Gestantes / MASS Design Group. Imagem @Iwan Baan.
Centro para Gestantes / MASS Design Group. Imagem @Iwan Baan.

É claro o papel de todo e qualquer ambiente interno na qualificação do espaço e no bem-estar do usuário, porém, há ainda, projetos que carregam também em seu programa uma função especial na potencialização da saúde e qualidade de vida como o caso do Centro para Gestantes do MASS Design Group. Projetado no pequeno país de Malawi, esse centro procura reduzir a mortalidade materna oferecendo abrigo e acompanhamento às gestações mais vulneráveis.

4. Educação de qualidade

Garantir o acesso à educação inclusiva, de qualidade e equitativa, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos.

Escola Primária em Gando / Kéré Architecture. Imagem @Siméon Duchoud.
Escola Primária em Gando / Kéré Architecture. Imagem @Siméon Duchoud.

As escolas e espaços educacionais são uma parte crucial no nosso investimento para o futuro. O arquiteto Francis Keré é um expoente quando se fala em levar a educação até lugares remotos. Seu trabalho nas comunidades vulneráveis africanas como o campus educacional para a Fundação Mama Sarah Obama no Quênia ou a Escola Primária em Gando representam a democratização do acesso à educação contando ainda com a colaboração da comunidade na promoção da cultura sustentável local.

5. Igualdade de gênero

Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e jovens.

Academia Girl Move / ROOTSTUDIO + Paz Braga. Imagem @Paz Braga.
Academia Girl Move / ROOTSTUDIO + Paz Braga. Imagem @Paz Braga.

Segundo a ONU, a igualdade de gênero não é apenas um direito humano fundamental, mas uma base necessária para um ambiente pacífico, próspero e sustentável. Nesse sentido, são ressaltados projetos que possibilitam a inclusão social e econômica da população fragilizada como a Academia Girl Move do ROOTSTUDIO + Paz Braga, representando um novo modelo educacional que busca empoderar mulheres em contextos vulneráveis.

6. Água potável e saneamento

Garantir a disponibilidade e a gestão sustentável da água potável e do saneamento para todos.

Estação de Tratamento de Água Solrødgård / Henning Larsen. Imagem @Jacob Due.
Estação de Tratamento de Água Solrødgård / Henning Larsen. Imagem @Jacob Due.

Neste ODS a arquitetura assume um importante papel na contribuição para a coleta e purificação da água da chuva, como o Centro de tratamento d'água WaterHall de Orient Occident Atelier. Entretanto, alguns edifícios são também ativadores educacionais, ensinando sobre a conscientização do uso da água como é o caso da Estação de Tratamento de Água Solrødgård de Henning Larsen que visa abrir o diálogo com a comunidade sobre o uso de recursos e a conscientização ambiental, criando um apelo público dentro de uma infraestrutura municipal.

7. Energia limpa e acessível

Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos.

Usina de Biomassa / Matteo Thun & Partners. Imagem @ Jens Weber.
Usina de Biomassa / Matteo Thun & Partners. Imagem @ Jens Weber.

A energia em si é essencial para a realização dos processos cotidianos, representando também um grande desafio ambiental no mundo de hoje. A Usina de Biomassa de Matteo Thun & Partners é um claro exemplo de projeto contemporâneo que ressignifica o consumo energético com o uso da biomassa, gerando energia extra para até 1.450 casas geminadas de um bairro próximo.

8.  Trabalho decente e crescimento econômico

Promover o crescimento econômico inclusivo e sustentável, o emprego pleno e produtivo e o trabalho digno para todos.

Centro de Capacitação Indígena Käpäcläjui / Entre Nos Atelier. Imagem @Ingrid Johanning.
Centro de Capacitação Indígena Käpäcläjui / Entre Nos Atelier. Imagem @Ingrid Johanning.

O Centro de Capacitação Indígena Käpäcläjui projetado por Entre Nos Atelier, representa um impulsor para o desenvolvimento de projetos locais sustentáveis e em harmonia com o entorno. Ele possibilita a capacitação profissional de uma população vulnerável fazendo parte de um sistema estratégico de integração rural para o fortalecimento comunitário.

9. Indústria, inovação e infraestrutura

Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação.

Fábrica Vestre / BIG. Imagem cortesia de Lucian R.
Fábrica Vestre / BIG. Imagem cortesia de Lucian R.

A indústria da construção é um dos segmentos que mais consome recursos naturais e energia no mundo hoje em dia. Falar sobre um futuro sustentável é, inexoravelmente, falar também sobre produção industrial sustentável. Nesse quesito, vale destacar o projeto do BIG para fábrica de móveis norueguesa Vestre que, quando construído, será o primeiro edifício industrial na região nórdica a alcançar o BREAM Outstanding, a mais alta certificação ambiental do país.

10. Redução das desigualdades

Reduzir as desigualdades dentro dos países e entre eles.

Catedral Cardboard / Shigeru Ban. Imagem @Stephen Goodenough.
Catedral Cardboard / Shigeru Ban. Imagem @Stephen Goodenough.

No conceito amplo, a redução das desigualdades no ambiente construído pode se desenvolver em diversas formas e escalas como na criação de espaços urbanos acessíveis para pessoas com deficiência, nos projetos de inclusão e capacitação profissional, nas moradias sociais, etc. Dentre todas vertentes que poderiam ser exploradas neste ODS, um dos seus principais focos é o desafio contemporâneo das migrações e fluxos de refugiados. Nesse sentido, os projetos humanitários de Shigeru Ban são excelentes exemplos de estruturas emergenciais desenvolvidas para acolher e proteger refugiados ou desabrigados.

11. Cidades e comunidades sustentáveis

Tornar as cidades e comunidades mais inclusivas, seguras, resilientes e sustentáveis.

Bairro Sustentável Estocolmo. Imagem © Flickr usuario: design for health. Licença: CC BY NC 2.0.
Bairro Sustentável Estocolmo. Imagem © Flickr usuario: design for health. Licença: CC BY NC 2.0.

Segundo previsões, até 2050 mais de 60% da população mundial viverá nas cidades fomentando o crescimento do ambiente urbano. Sendo assim, a urbanização, mobilidade, gestão de resíduos sólidos e saneamento estão incluídos nas metas de um futuro sustentável como essenciais para esse desenvolvimento saudável. Neste sentido, o exemplo apresentado aqui é um caso bem sucedido de planejamento urbano que, ao longo de uma implementação gradual, possibilitou a criação de um bairro inteiramente sustentável em Estocolmo, Suécia.

12. Consumo e produção responsáveis

Garantir padrões de consumo e de produção sustentáveis.

Pavilhão do Povo / bureau SLA + Overtreders W. Imagem @Filip Dujardin.
Pavilhão do Povo / bureau SLA + Overtreders W. Imagem @Filip Dujardin.

A redução da geração de resíduos é um ponto crucial para o desenvolvimento sustentável da indústria civil. Para tal, muito se tem explorado sobre novos materiais e estruturas construtivas que permitam uma construção mais limpa e sustentável. O Pavilhão do Povo de bureau SLA + Overtreders W é um exemplo interessante já que se define como uma declaração da nova economia circular, uma edificação 100% cíclica onde nenhum material de construção foi desperdiçado, representando uma esperança para o futuro da indústria construtiva.

13. Ação contra a mudança global do clima

Tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos.

Parque Manancial de Águas Pluviais / Turenscape. Imagem cortesia de Turenscape.
Parque Manancial de Águas Pluviais / Turenscape. Imagem cortesia de Turenscape.

Além de nos dedicarmos à criação de novos projetos ambientalmente conscientes, é importante entendermos nosso papel também na readaptação de espaços já construídos, levando em conta as mudanças climáticas que já estão em curso. Como exemplo de projeto que atinge este objetivo está o Parque Manancial de Águas Pluviais por Turenscape que transforma o pântano em uma "esponja verde" – um parque de águas pluviais urbanas, não só salvando o ecossistema com risco de extinção, mas também fornecendo um espaço verde para a nova comunidade urbana do seu entorno.

14. Vida na água

Conservar e usar de forma sustentável os oceanos, mares e os recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.

Centro de Visitantes na Islândia / Andersen & Sigurdsson Architects. Imagem @Christopher Lund.
Centro de Visitantes na Islândia / Andersen & Sigurdsson Architects. Imagem @Christopher Lund.

A indústria da construção é um grande poluente do ambiente marítimo, assim como os próprios assentamentos próximos das margens e orlas, dessa forma, projetar nessas condições requer muito cuidado e estudo. Entretanto, quando bem elaborado, o projeto pode representar um enorme ganho cultural e educativo para a região, como é o caso do Centro de Visitantes na Islândia de Andersen & Sigurdsson Architects que atende às necessidades dos pescadores e autoridades portuárias, além de ser um ponto focal para os turistas.

15.  Vida terrestre

Proteger, restaurar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres.

EVOA - Centro de Interpretação Ambiental / Maisr Arquitetos. Imagem @Filipa Miguel Ferreira.
EVOA - Centro de Interpretação Ambiental / Maisr Arquitetos. Imagem @Filipa Miguel Ferreira.

Assim como a relação com a água é um ponto delicado na implementação de um projeto, sua inevitável interferência no solo também se torna um ponto crucial para a arquitetura e urbanismo. Nesse sentido, o projeto para o EVOA - Centro de Interpretação Ambiental de Maisr Arquitetos, reflete não somente uma delicadeza ao tocar e interferir no solo como serve também como instrumento para educação ambiental.

16. Paz, Justiça e Instituições Eficazes

Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas a todos os níveis.

Corte Regional e Tribunal Industrial de Montmorency / Dominique Coulon & Associés. Imagem @David Romero-Uzeda, @Patrick Miara.
Corte Regional e Tribunal Industrial de Montmorency / Dominique Coulon & Associés. Imagem @David Romero-Uzeda, @Patrick Miara.

Edifícios de caráter público são importantes em uma sociedade justa e pacífica fortalecendo a responsabilidade do Estado na vida de cada habitante e a sua arquitetura deve representar tal condição. Um exemplo é a Corte Regional e Tribunal Industrial de Montmorency de Dominique Coulon & Associés, na França, que tem como tema a justiça acessível sendo um edifício público aberto e sem ostentações, bem costurado ao tecido urbano.

17. Parcerias e meios de implementação

Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável.

Iniciativa Deu Praia em São Léo. Imagem cortesia de Instituto COURB Brasil.
Iniciativa Deu Praia em São Léo. Imagem cortesia de Instituto COURB Brasil.

A implementação de cada um dos 17 ODS só poderá ser viabilizada se contar com um esforço coletivo em prol do futuro sustentável do planeta. As cidades, da mesma forma, são construídas por muitas mãos nas quais a coletividade é fundamental perante os esforços individuais. Para finalizar essa jornada pelos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável, apresentamos aqui uma série de iniciativas civis que dizem respeito ao último ODS da lista nos fazendo renovar a esperança em um mundo melhor e lembrar do poder contido também nas pequenas ações.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Camilla Ghisleni. "Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU aplicados em projetos de arquitetura" 15 Out 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/949170/os-17-objetivos-de-desenvolvimento-sustentavel-da-onu-aplicados-em-projetos-de-arquitetura> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.