Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Steven Holl Architects

Steven Holl Architects: O mais recente de arquitetura e notícia

ArchDaily Brasil seleciona 20 impressionantes museus do século XXI

Em homenagem ao Dia Internacional do Museu, nossa equipe de editores compilou uma lista com vinte dos museus mais interessantes e emblemáticos do mundo. De obras brasileiras, como o MuBE, de Paulo Mendes da Rocha, o Museu do Pão, do Brasil Arquitetura e a Fundação Iberê Camargo, de Álvaro Siza, a museus internacionais, como o Museu Histórico de Ningbo, de Wang Shu e o Perez Art Museum, de Herzog & de Meuron, convidamos nossos leitores a conhecer o que há de mais representativo no projeto de museus no Brasil e no mundo.

Steven Holl vence concurso para projetar nova ala do Museu Municipal de Mumbai

O escritório Steven Holl Architects foi selecionado para projetar a nova extensão de um dos museus mais antigos da Índia, o Museu Municipal de Mumbai, também conhecido como Museu Dr. Bhau Daji Lad. Selecionado dentre outros escritórios de peso, como o OMA, Studio Mumbai Architecture e Zaha Hadid, Holl é o primeiro arquiteto da história a ser escolhido através de um concurso internacional para projetar um edifício público em Mumbai.

Saiba mais sobre a proposta vencedora de Holl, a seguir.

Steven Holl é laureado com o Praemium Imperiale 2014

A Japan Art Association (JAA) premiou o arquiteto americano Steven Holl com o Praemium Imperiale 2014. Holl será homenageado numa cerimônia que acontecerá em Tóquio no dia 15 de outubro. A citação do júri afirma que suas "obras são muito conceituadas internacionalmente, sobretudo como resultado de sua filosofia em relação à unificação da 'experiência' do espaço, conforme representada pela cor e luz, com a história e cultura de cada local de construção."

Desde seu lançamento em 1989, o prêmio anual reconhece as "contribuições excepcionais ao desenvolvimento, promoção e progresso das artes" nos campos da arquitetura, pintura, escultura, música, teatro e cinema. Apenas um seleto grupo de arquitetos já recebeu este prêmio, dentre os quais James Stirling, Tadao Ando, Álvaro Siza,Richard Rogers, Jean Nouvel, Toyo Ito, Zaha Hadid, Peter Zumthor, Oscar Niemeyer, e Jacques Herzog & Pierre de Meuron.

Siza, OMA e Holl entre os finalistas do MCHAP

O (MCHAP) anunciou na noite de ontem os sete finalistas escolhidos de uma lista preliminar de 36 projetos. O evento aconteceu em Santiago, Chile.

Para escolher os finalistas os cinco membros do júri - Francisco Liernur, Sarah Whiting, Wiel Arets, Dominique Perrault, e Kenneth Frampton - passaram os últimos doze dias visitando os projetos, conversando com os arquitetos, usuários e proprietários dos espaços e promovendo intensos debates acerca das obras.

Como notou Dominique Perault, "Há muitos modos de avaliar os projetos - modelos, desenhos, imagens - e nós aproveitamos todas as oportunidades para testar a qualidade das arquiteturas. Ao fim, apenas visitando os projetos é que se pode sentir o 'toque de deus' - a presença do edifício em seu contexto."

A lista de finalistas mostra bastante variedade - em termos de escala, lugar, tipologia, programa, materiais, etc. - tornando a escolha do vencedor ainda mais desafiadora. Veja os sete finalistas a seguir, dentre os quais a Fundação Iberê Camargo em Porto Alegre, de Álvaro Siza.

MCHAP divulga lista com os 36 "projetos mais impressionantes" nas Américas

Wiel Arets, Decano da Universidade de Arquitetura no Instituto Tecnológico de Illinois (IIT) e Dirk Denison, diretor do prêmio Mies Crown Hall Americas (MCHAP), anunciaram a listagem inaugural do MCHAP – 36 “Projetos Impressionantes” selecionados entre os 255 nomeados do MCHAP.

“A rica diversidade destes trabalhos construídos é um testamento para a energia criativa sendo trabalhada nas Américas hoje em dia", disse Arets. "Quando vista em conjunto com o trabalho inovador dos finalistas do MCHAP emergente e do vencedor, a Poli House por Mauricio Pezo e Sofia von Ellrichshausen, que nós homenageamos em maio, nós vemos a evolução de uma distinta conversação americana sobre a criação de um espaço habitável." Veja todos os 36 vencedores a seguir.

Revisando o livro 'Urban Hopes': um olhar sobre as últimas obras de Steven Holl na China

Neste artigo originalmente publicado pela Metropolis Magazine como "Urban Hopes, Urban Dreams" (Esperanças Urbanas, Sonhos Urbanos), Samuel Medina analisa um novo livro sobre a obra de Steven Holl na China. Concentrando-se em cinco grandes projectos, o livro coloca o trabalho de Holl no contexto mais amplo de suas influências urbanísticas - incluindo idéias de sua própria arquitetura no papel que só agora estão reaparecendo.

Steven Holl é o raro arquiteto cujos conceitos são tão conhecidos quanto seus edifícios. O rendimento prolifico de Hall aparece tanto em edifícios quanto em monografias através da sua habilidade em marcar suas idéias. Urban Hopes: Made in China (Lars Müller, 2014) uma leitura condensada das mais recentes obras de Holl na China, é o último de uma sequência de pequenos livros que tem continuamente embalado o crescente corpo de trabalhos do arquiteto.

Ancoragem e Entrelaçamento apareceu em 1996 e expôs temas arquitetônicos e noções espaciais apenas parcialmente evidenciados através do seu trabalho até aquele momento. Em ambos, os prédios eram poucos e distantes entre si, espalhados entre as páginas impressas com  a "arquitetura de papel", saída principal para as energias criativas de Holl nas décadas anteriores, desde sua mudança para Nova Iorque em 1976. Esses e outros títulos foram acompanhados por Parallax, em 2000, uma mistura de referências filosóficas, científicas e poéticas que ungem a arquitetura com a áurea do Gesamtkunstwerk. A ideia de Holl sobre "porosidade" fez sua estreia aqui, prematuramente, onde foi aplicada quase literalmente no Simmos Hall, MIT, em sua fachada esponjosa. Não foi até alguns anos mais tarde, quando o arquiteto colocou seus pés na China, que o conceito seria batizado como um princípio central do desenho urbano do século  21. O Urbanismo de 2009 tanto avança quanto recapitula as grandes ideias do livro anterior.  

Leia a seguir a revisão do livro Urban Hopes

Centro Esportivo Campbell / Steven Holl Architects

©  Iwan Baan © Chris McVoy © Chris McVoy © Chris McVoy + 31

Fundindo Arquitetura e Música: Philip Kennicott descreve a inspiração por trás da Galeria e Casa Daeyang de Steven Holl

Laureado recentemente com o Prêmio Pulitzer de crítica de 2013, Phillip Kennicott contruiu uma bela reputação como parte do corpo crítico de arte e arquitetura da seção de estilo do Washington Post. Um de seus mais recentes trabalhos, Music Holl: A Copper Clad Pavilion in Seoul, comenta a inspiração por trás da Galeria e Casa Daeyang, de Steven Holl, em Seoul.

Projetada como um experimento sobre a "arquitetônica da música", a geometria básica da Daeyang Gallery and House foi inspirada na  Symphony of Modules de 1967 de Istvan Anhalt - uma partitura única encontrada na coletânea contemporânea de John Cage. Reminiscente das "formas de blocos e estilhaços" dos esboços de Anhalt, o projeto de Holl apresenta três pavilhões revestidos de cobre pontuados por uma sinfonia de claraboias retangulares cuidadosamente locadas que animam o interior com "barras de luzes". Como Kennicott descreve, Holl usa a música como uma "poderosa metáfora para o dinâmico desdobrar da experiência" (registrado neste filme por Spirit of Space).

Leia o artigo Music Holl: A Copper Clad Pavilion de Kennicott na íntegra aqui. Continue a comparar os esboços de  Steven Holl com a  Symphony of Modules de Anhalt.

Dois vídeos que caturam a essência do Sliced Porosity Block do Steven Holl Architects

Steven Holl Architects entrega Micro-Cidade em forma de sol em Chengdu

©  Iwan Baan
© Iwan Baan

Quatro anos após o início das obras, Steven Holl Architects completaram o Sliced Porosity Block no coração de Chengdu, China. Localizado na intersecção do primeiro Anel Viário e a Rodovia Ren Ming Nam, visitantes podem acessar os quase 28 mil m² do complexo sem precisar usar o transporte privado, o que reflete suas conexões com o sistema de transporte público de Chengdu. Estimulando o micro urbanismo, as cinco torres de oferecem um hotel, cafés, restaurantes, apartamentos, escritórios e lojas comerciais. Ao invés de ser desenhado como um arranha-céu de caráter icônico, o Sliced Porosity Block se identifica como um espaço público metropolitano com grandes praças e uma híbrido de diferentes funções.

Mais de Sliced Porosity Block de Steven Holl a seguir.

Sliced Porosity Block / Steven Holl Architects, por Hufton + Crow

Muito antes do previsto, Sliced Porosity Block de Steven Holl em Chengdu, China, foi concluído. Formando grandes praças públicas com um mix de várias funções, o grupo de cinco torres tem a intenção de ser encarado mais como uma área pública apesar do imponente desenho que pode ser visto no local. Sua geometria recortada pelo sol resulta das necessidades mínimas da exposição solar do tecido urbano adjacente. O grande espaço público enquadrado pelos edifícios formam três vales inspirados num poema de Du Fu (713-770).

Bienal de Veneza 2012: Cinco Arquitetos Norte-Americanos / Kenneth Frampton

Steven Holl revela novo conceito para Barts Maggie de Londres / Reino Unido

Espaço T / Steven Holl Architects

Instituto de Arte Contemporânea / Steven Holl Architects

Steven Holl projetará o novo Museu de Belas Artes de Houston (MFAH)