1. ArchDaily
  2. Saúde

Saúde: O mais recente de arquitetura e notícia

As melhores cidades do mundo para se viver em 2021

A cidade neozelandesa de Auckland lidera a classificação geral na pesquisa anual das melhores cidades para se viver da Economist Intelligence Unit (EIU). Listando 140 cidades, as quais foram avaliadas segundo cinco diferentes categorias, incluindo estabilidade, saúde, cultura e meio ambiente, educação e infraestrutura, a edição da EIU deste ano foi totalmente influenciada pela pandemia de COVID-19. Austrália, Japão e Nova Zelândia assumiram as primeiras posições, disparadas na frente de outras cidades e países que costumam figurar entre as melhores colocadas do ranking.

Tokyo, Japan. Image via ShutterstockAuckland, New Zealand. Image via Shutterstock/ By Maurizio De MatteiZurich, Switzerland. Image via Shutterstock/ By Maykova GalinaAdelaide, Australia . Image via Shutterstock/ By myphotobank.com.au+ 12

Grupo de Estudos de Arquitetura com Saúde

O grupo de Estudo de Arquitetura com Saúde, é um evento mensal que tem como objetivo a discussão sobre os temas Neurociências aplicadas à Arquitetura bem como os 9 Fundamentos dos edifícios saudáveis.

No encontro de dia 11 de Julho, iremos debater o artigo "Applying Neuroscience to Architecture" escrito por John P. Eberhard.

Este encontro é online, falado em Português, gratuito e aberto a todas as pessoas que têm interesse em aprender e estudar mais sobre estas áreas.

Os grupos de estudo são uma comunidade, um espaço de aprendizagem, conhecimento, crescimento e partilha. São grupos em desenvolvimento e crescimento.

Inscrições no link: https://forms.gle/A9ZxSK4tvv6wpGvx6

Saúde mental e arquitetura: seria este o momento de mudança?

A relação entre saúde mental e os arquitetos, especialmente os estudantes de arquitetura, não é uma questão inédita. Em um contexto onde o estresse é um dos grandes problemas do século, atingindo mais de 90% da população mundial segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o universo da arquitetura e suas práticas, tanto profissionais quanto estudantis, normalizaram o estresse e a ansiedade como parte integrante da profissão. Entretanto, pesquisas recentes de estudantes mostram insatisfação com essa realidade, agora agravada devido a pandemia. Seria, portanto, o momento de rever as práticas institucionais e pressionar para uma mudança de cultura?

A importância da arquitetura na prevenção e no controle de doenças

No atual cenário mundial, conciliar estudos de arquitetura com a saúde é sempre bem-vindo. O ano de 2020 parou o mundo e refletiu a importância de se voltar os olhares para as áreas mais vulneráveis. Como abranger, igualmente, serviços públicos de qualidade para toda uma população, se uma parcela dela está com seu espaço urbano fragilizado? É essencial buscar respostas à essa questão para planejar um futuro sustentável para a humanidade. 

Nesse sentido, o objetivo deste artigo é proporcionar uma reflexão acerca da desigualdade socioeconômica espacial, promovendo a arquitetura como elemento para auxiliar a transformação desses espaços, apresentando dados que elucidem a situação urbana habitacional dos aglomerados subnormais e que realizem análises das doenças negligenciadas desses assentamentos.

Novo filme produzido pelo OMA explora ideias para o hospital do futuro

Um novo filme produzido pelo OMA / Reinier de Graaf intitulado The Hospital of the Future [O Hospital do Futuro] foi lançado como parte da exposição Twelve Cautionary Urban Tales no Centro de Criação Contemporânea Matadero em Madri. Considerado um “manifesto visual”, o curta-metragem de 12 minutos questiona antigas convenções de saúde no campo da arquitetura em termos de metodologia de construção dos hospitais e suas tipologias. Investigando o papel que a doença desempenhou na formação das cidades, o filme oferece uma perspectiva possível para o futuro dos projetos voltados à área da saúde.

ONG leva banheiros secos ao nordeste brasileiro

De acordo com a Sistema Nacional de Informações sobre o Saneamento de 2018, 25,8% da população nordestina não têm acesso à água e 72% dos nordestinos não têm acesso à rede de esgoto. “Agora me diz, como eu faço pra ter um banheiro em casa nessas condições?”. Essa era a pergunta que tirava o sono e a tranquilidade de Vera.

Vera mora na pequena comunidade de Riacho das Almas (PE) e sua história se assemelha a de milhares de famílias que vivem na zona rural do semiárido nordestino. Onde o acesso a água é escasso e o esgotamento sanitário é praticamente inexistente, o uso de banheiros tradicionais, com torneira, chuveiro e descarga d’água, é incomum na região. Por conta disso, famílias como a de Vera e tantas outras utilizam espaços improvisados ao ar livre para suas necessidades: o banheiro de aveloz.

Como construir lugares para melhorar a saúde mental dos habitantes

O placemaking é um conceito cunhado pela ONG norte-americana, Project for Public Spaces (PPS), para definir os processos de desenho colaborativo de espaços públicos que levam em conta os desejos, interesses e necessidades das comunidades locais.

Seus alcances foram estudados sob a perspectiva de diversos temas presentes em nossas cidades, como ecologia, psicologia, sustentabilidade, resiliência, entre outros. 

Plaza Brasil, Santiago. © Flickr: Claudio Olivares Medina. Licença CC BY-NC-ND 2.0Parque Metropolitano Sur, Cerros de Chena, Santiago. © Flickr: Pilar Berguido. Licença CC BY 2.0© Flickr: Claudio Olivares Medina. Licencia CC BY-NC-ND 2.0Parque Araucano, Santiago. © Plataforma Urbana+ 7

A história dos espaços de cura e suas arquiteturas

Assim como nós, as palavras têm uma história. Cura vem do latim e está ligada ao ato de cuidar. Esse mesmo radical dá origem da palavra curador, como aquele que é responsável por um acervo ou instituição, por exemplo e cuidado. Talvez descrito no sentido médico pela primeira vez por CelsusIn hoc casu medici cura esse debet, ut morbum mutet (Neste caso o cuidado médico é indicado para mudar o curso da doença) [1]. Hoje quando pensamos em curas parece que falamos de um ato isolado dentro de um tratamento qualquer. A cura da gripe. A cura do câncer. A cura do novo coronavírus. Porém é importante pensar na cura como um processo que depende de múltiplos fatores.

Fachada do recém-inaugurado Hospital de Urgências de São Bernardo do Campo projetado por SPBR Arquitetos. Aqui texto do Francesco Perrota-Bosch sobre o projeto. Imagem © Nelson Kon Interior de uma das suítes do Hospital Sírio Libanês. Imagem: Hospital Sírio LibanêsHôpital de la Salpêtrière parte do Hospital Geral de Paris. Muitos dos habitantes submetidos ao rigor disciplinar da instituição tinham problemas de saúde e ficavam em alas reservadas para que não contaminassem os demais. Assim como as hospedarias dos mosteiros e conventos da Idade Média, o hospital não era concebido para a cura e o tratamento dos doentes era algo secundário, muito mais ligado às obras de caridade do que o cuidado com a pessoa em sofrimento. Note a Cruz Latina no frontão. Imagem: Wikimedia Commons, licença CCEnfermaria do Hôpital Necker, 1918. O hospital moderno vai herdar o caráter disciplinar de instituições de suas instituições antecessoras. Seja no universo correcional do Hospital Geral, do tratamento caritativo-espiritual do Hôtel-Dieu ambos na França, da experiência do Hospital Betheleem na Inglaterra ou mesmo o espaço de cuidado dos soldados, cada vez mais treinados e especializados, na volta dos combates. A lógica da vigilância (posto de enfermagem), monitoramento e registro de atividades (prontuário), identificação das pessoas mesmo que venham a óbito (pulseira de identificação) está muito mais ligada ao universo militar/disciplinar do que aos espaços de cura da antiguidade. Imagem: Archives de l’AP-HP, usado sob termos de Fair Use+ 20

Meia Hora com BrCidades: entrevista com Paulo Galo

Dia 14 de julho, terça-feira, às 20h: Paulo Galo é o convidado do próximo programa Meia Hora com o BrCidades. Galo é líder da mobilização que reivindica melhores condições de trabalho para entregadores de aplicativos, que no período de pandemia estão entre os mais expostos aos riscos de contágio. Os debatedores são Paolo Colosso e Tainá de Paula. O programa será transmitido ao vivo e simultaneamente pelo Facebook, YouTube e pelo Twitter do BrCidades. Clique no link, ative o lembrete e vem com o BrCidades: https://www.youtube.com/watch?v=Lu653hXjTKs

A rede BrCidades já conta com a participação de 26 universidades públicas e

Nossa cobertura completa sobre o coronavírus, a arquitetura e as cidades

Em meio a uma pandemia que já atingiu 184 países e contagiou mais de um milhão pessoas ao redor do mundo, buscamos cobrir todos os temas que relacionem o cononavírus com a arquitetura e o espaço - e maneiras de tornar o distanciamento social menos penoso.

Primeira UTI móvel em contêiner projetada por Carlo Ratti é instalada em hospital em Turim

A primeira unidade do projeto CURA de Carlo Ratti foi instalada em um hospital de campanha em Turim, norte da Itália, uma das regiões mais atingidas pela pandemia de coronavírus. Lançada há quatro semanas, a iniciativa de converter contêineres comerciais em unidades de terapia intensiva para pacientes com COVID-19 foi concretizada em tempo recorde.

© Max Tomasinelli© Max Tomasinelli© Max Tomasinelli© Max Tomasinelli+ 14

Nova Iorque busca adaptar rapidamente hospitais para atender a demanda causada por COVID-19

À medida que o número de pessoas infectadas com o coronavírus atinge níveis assombrosos em Nova Iorque, as autoridades buscam soluções rápidas e eficientes para atender a demanda por espaço para os pacientes. Lutando contra o tempo, a cidade busca maneiras de alterar as estruturas existentes.

A ameaça do mofo negro à arquitetura e seus ocupantes

Todos já tivemos a infeliz surpresa de encontrar algum ponto de mofo em casa. Os indesejáveis pontinhos pretos e esverdeados, geralmente vistos em cantos escuros e úmidos, podem parecer inofensivos à primeira vista, mas representam um problema grande às edificações e aos ocupantes. Principalmente, pois sabemos que a tendência é de se espalharem cada vez mais, contaminando outros materiais e superfícies, causando um cheiro característico e contaminando o ar. Mas de que forma é possível controlá-los e, principalmente, evitar que surjam através do projeto arquitetônico?

SOM + May Architecture projetam instalações para tratamento de câncer em Atlanta

Projetado por Skidmore, Owings & Merrill LLP (SOM) e o parceiro local May Architecture, a nova instalação para tratamento do câncer é uma adição ao campus da Emory University no Hospital Midtown (EUHM) e ao existente Winship Cancer Institute.