1. ArchDaily
  2. Reutilização Adaptativa

Reutilização Adaptativa: O mais recente de arquitetura e notícia

Requalificar sem gentrificar, o exemplo de Seul

Este artigo foi originalmente publicado pela Metropolis Magazine como "A Once-Maligned Concrete Megastructure in Seoul is Revitalized - Sans Gentrification".

Concluído em 1966, o Sewoon Sangga é uma megaestrutura residencial construída no coração de Seul. Projetado pelo proeminente arquiteto sul-coreano Kim Swoo-geun, este enorme edifício de uso misto é composto por oito blocos em altura cobrindo uma faixa de um quilômetro de extensão em pleno centro da cidade. Como um projeto extremamente inovador para a época, ele foi concebido como uma pequena cidade independente, contando com todas as comodidades necessárias para a vida de seus moradores além de um parque, um grande átrio de acesso e um deck para pedestres. Infelizmente, durante a execução muitas das ideias utópicas de Kim foram por água abaixo devido às limitações dos sistemas construtivos. Já no final da década de 1970, o Sewoon Sangga passou por um voraz processo de abandono, deixando centenas de unidades residenciais vazias assim como a grande maioria dos espaços comerciais, que se deslocaram para o outro lado do rio no novo distrito de Gangnam, em rápida expansão e desenvolvimento. Devido a sua localização central e a queda vertiginosa dos preços dos aluguéis, a megaestrutura foi sendo ocupada pelo comércio informal e abrigando uma série de atividades ilícitas.

Aeroporto Tempelhof de Berlim: redenção através do reuso adaptativo

A história do Aeroporto Tempelhof de Berlim parece que nunca terá um fim.

Localizado ao sul do tradicional bairro de Kreuzberg e a apenas quinze minutos de bicicleta do centro da cidade, o antigo complexo nazista - contando o terminal, os hangares e seu enorme campo de pouso - ocupa uma área de mais de 400 hectares em um área em pleno desenvolvimento imobiliário da capital alemã. Se estivéssemos em qualquer outra metrópole, esta "mina de ouro" urbana teria sido arrebatada rapidamente há alguns anos, mas, se tratando de Berlim, a apropriação criativa desta histórica estrutra prevaleceu sobre as narrativas de desenvolvimento urbano mais convencionais.

© Danica O. Kus© Danica O. Kus© Danica O. Kus© Danica O. Kus+ 24

Igreja de Louis Sullivan será convertida no primeiro museu de música gospel dos EUA

Quando alguns arquitetos foram convidados a repensar os edifícios negligenciados de Chicago para uma exposição, Dirk Lohan projetou um plano de requalificação para a Igreja Batista Peregrina de Louis Sullivan. Em breve, o edifício de referência de Sullivan se tornará o primeiro Museu Nacional de Música Gospel dos EUA, e contatá com um café, lojas, espaço para eventos, uma biblioteca e um auditório para 350 pessoas.

De espaços mortos a espaços públicos: Como os becos podem melhorar nossas cidades

Esse artigo foi publicado originalmente por Redshift, da Autodesk, como "Reincarnated Architecture: Through Green Alleys, Dead Space Can Live Anew."

Campo de olivas é convertido em projeto habitacional ecológico

O escritório Philippe Barrière Collective (PB + Co) criou o plano urbano para um novo empreendimento semi-rural / semi-urbano em Manouba, Tunísia. Ocupando um campo de olivas, o projeto inclui pavilhões de habitação coletiva e prevê a recuperação de 4.475 oliveiras.

Cortesia de v2comCortesia de v2comCortesia de v2comCortesia de v2com+ 4

Gort Scott projeta microapartamentos em antigo edifício corporativo na Inglaterra

Gort Scott, em colaboração com a construtora Pocket Living, recebeu permissão para construir 45 micro unidades habitacionais de preços acessíveis em um terreno onde se localiza um edifício corporativo desocupado em Walthamstow, Inglaterra. Em um esforço para produzir espaços habitáveis de alta qualidade no coração da cidade, o projeto conta com elementos de três e quatro pavimentos que completam o terraço na parte posterior do edifício existente, preenchendo o vazio entre os edifícios adjacentes.

Inspirado pelo legado da William Morris School que antigamente ocupava o terreno, o exterior do projeto será caracterizado por elementos de concreto pré-moldado e tijolo vermelho.

Material reaproveitado cria padrões distintos de ladrilhos de feltro que fornecem controle de som

Courtesy of FilzFelt
Courtesy of FilzFelt

O Escritório de Pesquisas em Arquitetura (ARO) e FilzFelt uniram-se para criar ARO Block, uma série de ladrilhos acústicos modulares que provê controle de som em um sistema personalizável e fácil de instalar. Criados a partir de recortes reaproveitados do material utilizado na fábrica, que são muito pequenos, na maioria da vezes, o ARO Block não apenas cria diferentes padrões de ladrilhos de feltro como também impede o desperdício de tecido, tornando sua aplicação uma solução sustentável.