Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Negocios

Negocios: O mais recente de arquitetura e notícia

21 dicas para uma vida bem sucedida na arquitetura

15:00 - 21 Junho, 2019
21 dicas para uma vida bem sucedida na arquitetura, The Offices of BIG. Image © © BIG-Bjarke Ingels Group
The Offices of BIG. Image © © BIG-Bjarke Ingels Group

Originalmente publicado em Entrepreneur Architect, Kevin J Singh, Professor Associado da Louisiana Tech, nos mostra neste artigo 21 pontos sobre como ter uma vida bem sucedida e feliz como arquiteto. A lista dá algumas diretrizes que certamente ajudarão estudantes e jovens arquitetos, mas que podem também ser úteis a profissionais não tão jovens que necessitam repensar o que lhes é mais importante na vida profissional.

O que vem a seguir é uma compilação da palestra que proferi em meu último dia de aula. Em vez de recapitular o conteúdo ou aplicar uma prova final, compartilhei com meus alunos uma apresentação intitulada You Finish School and Start to Practice. Nela apresento uma série de declarações seguidas por breves explicações.

21 carreiras que você pode seguir após se formar em arquitetura

07:00 - 10 Dezembro, 2018
21 carreiras que você pode seguir após se formar em arquitetura, © Ariana Zilliacus
© Ariana Zilliacus

Concluir a formação em arquitetura pode ser um processo árduo e longo, mas também muito gratificante. Apesar disso, muitos arquitetos recém-graduados ficam incertos sobre o que querem fazer ou sobre assumir a decisão de não trabalhar com projeto de arquitetura. A seguir, compilamos uma lista de 21 carreiras que você pode seguir com um diploma em arquitetura, que pode ajudar alguns a superar a difícil barreira de começar planejar a vida profissional que os aguarda.

© Ariana Zilliacus © Ariana Zilliacus © Ariana Zilliacus © Ariana Zilliacus + 9

Incrementando seu escritório: 4 maneiras de gerar renda através da internet

10:00 - 30 Maio, 2018
Incrementando seu escritório: 4 maneiras de gerar renda através da internet, © <a href='https://unsplash.com/photos/vSchPA-YA_A'>Unsplash user freddy marriage</a>
© Unsplash user freddy marriage

As ferramentas digitais aplicadas à arquitetura estão se tornando cada vez mais confiáveis. A tecnologia BIM (Building Information Modeling), a realidade aumentada e a realidade virtual estão sendo rapidamente incorporadas pela indústria da arquitetura. Soma-se a isso os esforços e investimentos cada vez maiores que as empresas do ramo da construção civil têm dedicado para marcar sua presença na internet. Como resultado disso, muitos escritórios de arquitetura tem iniciado a explorar também estratégias de marketing digital.

A produção de conteúdo é o principal fundamento para que um negócio possa ser bem sucedido na rede. Quando trata-se de escritórios de arquitetura, o que significa exatamente "criar conteúdo"? Através destes quatro exemplos pretendemos apresentar diferentes maneiras para gerar receita com projetos e/ou divulgado-los na internet. Ainda que seja impossível elencar todas as diferentes maneiras possíveis de desenvolver um negócio on-line, estes quatro exemplos utilizam a experiência e a trajetória de cada escritório para alavancar múltiplas possibilidades em mundo que está se tornando cada dia mais digital.

5 carreiras emergentes em tecnologia de arquitetura para prestar atenção a partir de 2018

12:00 - 11 Janeiro, 2018
5 carreiras emergentes em tecnologia de arquitetura para prestar atenção a partir de 2018, Composição baseado em imagens por Pixabay users <a href='https://pixabay.com/en/building-reflection-window-glass-922529/'>LenaSevcikova</a> and <a href='https://pixabay.com/en/man-virtual-reality-samsung-gear-vr-1416140/'>HammerandTusk</a>
Composição baseado em imagens por Pixabay users LenaSevcikova and HammerandTusk

Mesmo com tecnologias como a realidade virtual, realidade aumentada, impressão 3D, design computacional e robótica já reformulando a prática de arquitetura, a comunidade de projeto está apenas riscando a superfície do potencial dekas. Projetistas que reconhecem isso e investem na construção de habilidades e experiência para maximizar o uso dessas ferramentas no futuro se tornarão inerentemente melhores arquitetos e posicionando-se aos novos caminhos da carreira à medida que nossa profissão evolui. Mesmo há apenas uma década atrás, os projetistas com interesses em arquitetura e tecnologia eram essencialmente obrigados a prosseguir em um ou outro campo. Agora, com a arquitetura começando a aproveitar o poder das tecnologias de ponta, esses campos não são mais mutuamente exclusivos.

Com muitos escritos sobre como a tecnologia está mudando a maneira como os arquitetos trabalham e os produtos que podemos oferecer aos clientes durante o ciclo de vida de um projeto, houve menos foco em como a tecnologia está mudando as oportunidades de carreiras na área. Os escritórios de arquitetura estão agora contratando para cargos que não existiam, mesmo há três anos atrás. Aqui está uma visão em cinco modelos de carreiras emergentes que a tecnologia tornará possível em 2018 e no futuro imediato.

Arquitetos e engenheiros: não podemos simplesmente unir nossas forças?

07:00 - 29 Junho, 2017
Arquitetos e engenheiros: não podemos simplesmente unir nossas forças?, Dos arquitetos mais famosos do mundo, poucos possuem treinamento formal em engenharia. Santiago Calatrava é talvez o mais conhecido do grupo. Imagem © <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Calatrava_Puente_del_Alamillo_Seville.jpg'> Usuário Wikimedia Andrew Dunn </a> licenciado sob <a href = 'https: //creativecommons.org/licenses /by-sa/2.0/deed.en'>CC BY-SA 2.0 </a>
Dos arquitetos mais famosos do mundo, poucos possuem treinamento formal em engenharia. Santiago Calatrava é talvez o mais conhecido do grupo. Imagem © Usuário Wikimedia Andrew Dunn licenciado sob CC BY-SA 2.0

Charles Thornton, um dos engenheiros civis mais proeminentes do mundo, disse uma vez que o maior problema da engenharia civil é que "não temos auto-estima e confiança suficiente em nós mesmos para acreditar que o que fazemos é tão Importante ... Os arquitetos são treinados para apresentar, comunicar, vender, promover-se, promover sua indústria e assumir crédito pelo que fazem."

Como engenheiro civil com mais de uma década de experiência, concordo com o Sr. Thornton.

10 Lições aprendidas em 25 anos de profissão

07:00 - 7 Junho, 2017
10 Lições aprendidas em 25 anos de profissão, Foto via Visualhunt
Foto via Visualhunt

Este artigo foi originalmente publicado em Archipreneur sob o título "The 10 Most Important Lessons Learned in 25 Years of Architecture Practice."

O artigo é a expansão de uma parte da entrevista com Craig Applegath publicada no Archipreneur. Principal fundador do DIALOG’s Toronto Studio, O arquiteto falou de sua experiência em coordenar um escritório com 150 pessoas e listou 10 dicas para os archipreneurs (arquitetos empreendedores) interessados em iniciar seus próprios negócios. O Archipreneur compartilha essa lista aqui.

Quando eu comecei o meu próprio escritório pensei que todos desejariam executar seu próprio negócio. Acontece que não. A maioria das pessoas simplesmente quer trabalhar em uma ótima empresa gerenciada por outra pessoa. Mas para aqueles que são archipreneurs reais - e você sabe quem você é - não há nada tão emocionante e divertido como começar seu próprio negócio; e nada tão assustador e inquietante como começar seu próprio negócio! Estes sentimentos são o outro lado da mesma moeda. Mas, em termos de conselhos gerais para as pessoas que iniciam seu próprio escritório ou negócio, aqui estão dez lições principais que aprendi nos últimos vinte e cinco anos de prática:

8 Lições sobre como ser bem sucedido em seu escritório (segundo a mente administrativa por trás do BIG)

07:00 - 20 Abril, 2017
8 Lições sobre como ser bem sucedido em seu escritório (segundo a mente administrativa por trás do BIG), CEO and Partner Sheela Maini Søgaard in the studio at BIG. Image © Magnus Møller
CEO and Partner Sheela Maini Søgaard in the studio at BIG. Image © Magnus Møller

Este artigo de Sheela Maini Søgaard, sócia e CEO de BIG, foi originalmente publicado na DesignIntelligence como "BIG Lessons: Eight Key Points That We Focus(ed) on in Our Growth Process."

Quando entrei para o BIG–Bjarke Ingels Group em 2008, tínhamos um escritório, um parceiro e 45 funcionários. Oito anos depois temos 12 parceiros e mais de 400 funcionários em Copenhague, Nova Iorque e Londres. À medida que continuamos a expandir nosso alcance, projetos e equipe, me dei o luxo de olhar para trás e destilar o que fez a diferença até agora. Estas são as oito melhores lições que garantiram o crescimento e sucesso do BIG nos últimos oito anos.

Por que a batalha entre o lado artístico e empresarial na arquitetura não faz sentido

15:00 - 15 Abril, 2017
Por que a batalha entre o lado artístico e empresarial na arquitetura não faz sentido, Já passou a época que clientes como o Vaticano inquestionavelmente confiavam a arquitetos como Raffaele Stern grandes quantidades de dinheiro. Imagem © <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Musei_Vaticani._Braccio_Nuovo.JPG'>Jesús Moreno via Wikimedia</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en'>CC BY-SA 3.0</a>
Já passou a época que clientes como o Vaticano inquestionavelmente confiavam a arquitetos como Raffaele Stern grandes quantidades de dinheiro. Imagem © Jesús Moreno via Wikimedia licensed under CC BY-SA 3.0

Este artigo foi originalmente publicado na The Architect's Newspaper como "Phil Bernstein pens inaugural column on technology, value, and architects’ evolving role."

Esta é coluna inaugural "Valores Práticos", uma nova série bimensal pelo arquiteto e tecnólogo Phill Bernstein. A coluna irá focar no papel evolutivo do arquiteto na intersecção do projeto e construção, incluindo temáticas como sistemas de entrega alterativos e geração de valores. Bernsstein já foi vice presidente da Autodesk e agora leciona na Escola de Arquitetura de Yale.

Este semestre estou dando uma aula chamada “Explorando Novas Proposições de Valores para a Prática que é baseada na premissa que o papel dos arquitetos na indústria da construção requer que pensemos criticamente sobre nosso valor como projetistas neste sistema. Depois de estudar a estrutura e dinâmica de modelos de negócio práticos, a cadeia de fornecimento e outros exemplos de empresas de design inovadoras, os alunos terão que criar um plano de negócios para um escritório de arquitetura da "próxima geração". Sou agnóstico quanto ao que essa prática faz per se, desde que funcione em algum lugar na constelação de coisas que os arquitetos podem fazer, mas há uma restrição - a empresa proposta não pode receber em pagamentos fixos ou taxas cobradas por hora. Têm de criar valor (e lucro) através de alguma outra estratégia.

Como ganhar um salário anual de seis dígitos como arquiteto

15:00 - 26 Janeiro, 2017
Como ganhar um salário anual de seis dígitos como arquiteto, © Skitterphoto via Pixabay (Imagem de domínio público)
© Skitterphoto via Pixabay (Imagem de domínio público)

Este artigo foi originalmente publicado por The Architect's Guide como "How To Earn A Six Figure Architecture Salary."

Salário de arquiteto. Talvez um dos assuntos mais fervorosamente discutidos na profissão. Recebo mais emails com esse assunto do que qualquer outra coisa.

Anteriormente, no texto 5 Fatores que Afetam Seu Salário de Arquitetura [5 Factors Affecting Your Architecture Salary], discuti uma série de variáveis que contribuem para sua renda. No entanto, para este artigo quero destacar as áreas que irão gerar maiores retornos para seu investimento de tempo e dinheiro.

Ganhar seis dígitos não significa o que mesmo que antes, mas é ainda muito admirável (e alcançável) enquanto objetivo. Então como conseguir este significante salário de arquiteto? Vamos discutir.

Dicas de como trabalhar como arquiteto freelancer

07:00 - 8 Dezembro, 2016
Dicas de como trabalhar como arquiteto freelancer

Trabalhar como arquiteto freelancer pode ser uma boa opção para aqueles que buscam maior autonomia e liberdade em sua rotina de trabalho. Embora existam inconvenientes nesse tipo de trabalho, há estratégias específicas que podem ser empregadas para superar os desafios e incertezas de trilhar um caminho profissional independente. 

A partir do artigo The Pros and Cons of Starting out as a Freelance Architect publicado originalmente pela Archipreneur, reunimos algumas dicas para aqueles que buscam o sucesso como arquiteto freelancer em um mercado de trabalho cada vez mais complexo e competitivo.

6 formas de tornar seu escritório mais competitivo com o BIM

15:00 - 3 Dezembro, 2016
6 formas de tornar seu escritório mais competitivo com o BIM, Emerson College Los Angeles, por Morphosis Architects, que foi premiado com o AIA's 2015 Technology In Architectural Practice Innovation Awards pelo uso do BIM. Imagem © Iwan Baan
Emerson College Los Angeles, por Morphosis Architects, que foi premiado com o AIA's 2015 Technology In Architectural Practice Innovation Awards pelo uso do BIM. Imagem © Iwan Baan

Abrir um escritório de arquitetura pode partir do amor e interesse de alguém pela disciplina, mas gerenciar um negócio que seja competitivo exige mais do que apenas gostar do trabalho. O BIM pode ser o elemento definidor para que um escritório se destaque na multidão. Uma empresa pode fazer uso do BIM de muitas maneiras para se tornar mais rentável em seus projetos e mais bem sucedida, antes de tudo, na captação desses projetos. Conheça, a seguir, seis formas de tornar sua empresa mais competitiva com o BIM.

Como saber se vale a pena sua empresa investir no BIM?

07:00 - 5 Setembro, 2016
Como saber se vale a pena sua empresa investir no BIM?, Cortesia de Autodesk
Cortesia de Autodesk

Enquanto o BIM é cada vez mais uma necessidade na arquitetura, ainda é difícil quantificar os benefícios que ele está trazendo para a indústria. Atualmente, não existe um método padrão da indústria para o cálculo do Retorno Sobre Investimento (ROI) do BIM e, devido às complexidades do cálculo, muitas empresas não adotaram quaisquer práticas de medição consistentes para determinar o benefício monetário que a tecnologia trouxe à sua empresa. A dificuldade centra-se no fato de que a análise tradicional do ROI é incapaz de representar fatores intangíveis que são importantes para um projeto de construção, tais como os custos evitados ou melhoria da segurança.

Portanto, como os principais fornecedores de tecnologia BIM, a Autodesk estava interessada em pesquisar o assunto. Seu estudo, "Alcançar o ROI Estratégico: Medindo o Valor do BIM", revela que o papel do ROI na tomada de decisões de tecnologia está mudando, uma vez que empresas líderes estão buscando uma visão mais diferenciada do ROI para informar a sua estratégia de investimento e de inovação.

Transcendendo o cálculo tradicional "lucro versus custo", as empresas estão olhando para diferentes dimensões da empresa para desenvolver quantificações bem informados do seu Retorno Sobre Investimento para BIM.

10 passos para simplificar a transição do seu escritório para o BIM

07:00 - 4 Agosto, 2016
10 passos para simplificar a transição do seu escritório para o BIM, Edifício de Ciências da Vida SERA Architects e CO Architects. Imagem © SERA Architects
Edifício de Ciências da Vida SERA Architects e CO Architects. Imagem © SERA Architects

A esta altura, você já deve estar convencido de que o BIM será uma boa ferramenta para o seu escritório. Ao contrário do CAD convencional, o BIM é composto por modelos tridimensionais inteligentes, que tornam os processos críticos de projeto e construção - como coordenação, comunicação e colaboração - muito mais fáceis e rápidos. No entanto, por estas razões, o BIM também é visto por muitos como um sistema complicado e de difícil aprendizagem, podendo custar caro para o escritório durante o período de transição. Então, de que forma deve ser feita a transição de todo o escritório para o sistema BIM? Aqui estão dez passos para guiá-lo nesse caminho.

Como adotar o BIM: 3 modos de realizar um projeto piloto em seu escritório

15:00 - 13 Julho, 2016
Como adotar o BIM: 3 modos de realizar um projeto piloto em seu escritório, Cortesia de Autodesk
Cortesia de Autodesk

Ultimamente, o BIM está se tornando uma prática padrão. A maioria das pessoas envolvidas no setor da construção - de arquitetos e engenheiros que utilizam BIM a órgãos governamentais que estão exigindo a utilização de BIM em certos tipos de projetos - estão convencidos de seus benefícios, como eficiência, colaboração, redução de custos, e melhoria da comunicação. Como resultado, muitas empresas hoje em dia que ainda não adoraram o BIM dão o mesmo motivo: o temido período de transição.

Naturalmente, estes receios de transição não são totalmente infundados, já que um novo software exige treinamento de pessoal e problemas de adaptação são inevitáveis na mudança do fluxo de trabalho existente. Estes custos iniciais criam uma barreira para muitas empresas que simplesmente não podem arcar com o tempo ou o custo agora que lhes permitiriam aproveitar os benefícios do BIM no futuro. A chave para resolver isso, claro, é minimizar os custos iniciais - e uma maneira de fazer isso, que muitos especialistas recomendam, é começar a transição de sua empresa para o BIM com um único projeto-piloto, em que você vai ser capaz de estabelecer um fluxo de trabalho, definir padrões que se adequam a sua empresa, e transferir essas lições para projetos posteriores.

Mas qual é a melhor maneira de selecionar este projeto-piloto? Você deveria trabalhar em um edifício grande ou pequeno? Um trabalho complexo ou um simples? Aqui, três pioneiros no uso do BIM compartilham o que aprenderam com os seus próprios projetos-piloto, cada um com características muito diferentes.

I SEAN - 1º Seminário de Arquitetura e Negócios

16:00 - 23 Abril, 2016
I SEAN - 1º Seminário de Arquitetura e Negócios, 1º Seminário de Arquitetura e Negócios do Sul da Bahia
1º Seminário de Arquitetura e Negócios do Sul da Bahia

Palestras, oficinas, minicursos e workshop compõem a programação do 1º Seminário de Arquitetura e Negócios (SEAN) do Sul da Bahia, que será realizado em Ilhéus, dias 14 e 15 de maio, no Centro de Convenções. 
Este é o primeiro evento dirigido para estudantes e profissionais de Arquitetura e Engenharia, no Sul da Bahia, reunindo os temas Planejamento de Marketing para Arquitetos; Arquitetura e as Novas Tecnologias: Plataformas BIM e Plano de Negócios para Começar Bem, esta última oferecida pelo SEBRAE.

Feicon Batimat 2016

18:00 - 14 Abril, 2016
Feicon Batimat 2016, Credito: Divulgação
Credito: Divulgação

Com o crescimento populacional e do consumo, a demanda mundial de energia é cada vez maior. Por conta disso, é preciso buscar fontes alternativas a fim de não degradar os recursos do planeta e, muito menos, atingir a sobrevivência das espécies. Atualmente, há soluções práticas, baratas para pequenos e grandes consumidores.

Essa discussão é bastante atual e importante para o segmento da construção civil, por isso Energia será um dos macrotemas debatidos na Ilha do Conhecimento, espaço que tem finalidade de promover atualização profissional gratuita de maneira rápida e dinâmica, dentro da FEICON BATIMAT, um evento referência do setor da construção civil da América Latina, que acontece de 12 a 16 de abril, no Anhembi, em São Paulo.

4 razões para participar de concursos de arquitetura

15:00 - 25 Março, 2016
Esta obra era para Infosys Nagpur na Índia, um concurso de carta-convite realmente interessante para fazer um empreendimento sustentável de escritórios para 30.000 em um ambiente de deserto. Trabalhamos com grandes colaborações de engenheiros incluindo Atelier Ten, Arup e Andropogon. Nós não ganhamos, mas o fundador da empresa Mr. Murtha ("O Bill Gates da Índia") ficou tão impressionado que nos prometeu que trabalharíamos juntos no futuro. Imagem Cortesia de CannonDesig
Esta obra era para Infosys Nagpur na Índia, um concurso de carta-convite realmente interessante para fazer um empreendimento sustentável de escritórios para 30.000 em um ambiente de deserto. Trabalhamos com grandes colaborações de engenheiros incluindo Atelier Ten, Arup e Andropogon. Nós não ganhamos, mas o fundador da empresa Mr. Murtha ("O Bill Gates da Índia") ficou tão impressionado que nos prometeu que trabalharíamos juntos no futuro. Imagem Cortesia de CannonDesig

Durante décadas, concursos de projeto têm sido reconhecidos como uma grande oportunidades para escritórios de arquitetura estrearem ou se fazerem conhecidos. No entanto, concursos também tem desvantagens: não é fácil para os escritórios os incorporem em sua cultura. Concursos demandam tempo, frequentemente não são convertidos em horas pagas, e nem sempre são caminhos claros para fortalecer o equilíbrio da empresa, e, como resultado, têm visto certo retrocesso nos últimos anos.

Ainda assim, como a profissão de arquitetura evolui, é importante não perder de vista o valor extraordinário que os concursos de projeto podem trazer para os arquitetos, empresas e a cultura de projeto. Independente de seu tipo, escala ou estrutura, os concursos de projeto são importantes oportunidades criativas que podem enriquecer nossos esforços pessoal ou profissionalmente, e como responsável pelo projeto do novo escritório de CannonDesign em Nova York, trabalhei com meus colegas para envolvê-los em nosso trabalho. Vemos várias formas através das quais eles podem contribuir com nosso trabalho, nossa empresa e nossos clientes - e eles podem fazer o mesmo por você também.

Os Escritórios da Província de Chung Nam surgiu de um concurso realizado em parceria com James Corner Field Operations e minha empresa particular na época, a John Reed Architecture. Um dos meus esforços que mais tenho orgulho, o edifício ganhou a Premiação Edifício Verde do Ano em 2013 na Coreia do Sul. Imagem Cortesia de CannonDesign Localizado na minha cidade natal Carlisle, PA, o Dickinson College precisava de um anexo para seu complexo esportivo. A imagem ilustra como nossos croquis iniciais verdadeiramente impactaram o projeto final do edifício. Imagem Cortesia de CannonDesign O Hastings Tapley Insurance Buildings em Cambridge, MA é resultado de um concurso interno do escritório (julgado durante um happy hour) enquanto eu trabalhava na Koetter Kim and Associates. Um anexo à um edifício que eles tinham recentemente projetado, seria minha primeira obra construída. Imagem Cortesia de CannonDesign Localizado na minha cidade natal Carlisle, PA, o Dickinson College precisava de um anexo para seu complexo esportivo. A imagem ilustra como nossos croquis iniciais verdadeiramente impactaram o projeto final do edifício. Imagem Cortesia de CannonDesign + 11

Por que a gestão de custos funciona melhor com arquitetos no comando

21:00 - 22 Dezembro, 2015
Por que a gestão de custos funciona melhor com arquitetos no comando, Clínica Dermatológica DrDerm, por Atelier Central Arquitectos, foi  construída com o auxílio da gestão de custos da DIMSCALE. Imagem © Fernando Guerra | FG+SG
Clínica Dermatológica DrDerm, por Atelier Central Arquitectos, foi construída com o auxílio da gestão de custos da DIMSCALE. Imagem © Fernando Guerra | FG+SG

Falar sobre arquitetura e construção sem mencionar a questão das derrapagens orçamentais não é algo fácil de se fazer. Este tipo de problemas imprevistos acabam por acontecer na grande maioria dos projetos, pois as dinâmicas da arquitetura e da construção são extremamente complexas e muitas vezes apresentam desafios que não são 100% controláveis. Ao longo dos últimos anos várias empresas de project management têm vindo a integrar a gestão de custos nos seus portfólios de serviços, fazendo um esforço para ir ao encontro desta necessidade do mercado. No entanto a maior parte deste trabalho acaba por ser feito por consultores com um background na área financeira e com pouco (ou nenhum) conhecimento sobre arquitetura ou soluções e processos construtivos.

Com esta atenção cada vez maior dada à questão do orçamento, o desempenho dos projetos quanto ao custo tem vindo a melhorar cada vez mais, mas normalmente às custas da estética e da qualidade final do projeto. Seria viável colocar os arquitetos a gerir esta vertente do projeto? No fim das contas, são eles que têm a sensibilidade conceptual e o conhecimento técnico necessários para desempenhar esta tarefa de forma verdadeiramente completa.