Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Arquitetura Brasileira

Arquitetura Brasileira: O mais recente de arquitetura e notícia

MoMA disponibiliza para download "Brazil Builds": o livro que apresentou a arquitetura brasileira para o mundo

Em 13 de janeiro de 1943, cidadãos de Nova Iorque - e, de modo geral, arquitetos de todo o mundo - puderam conhecer a arquitetura brasileira. Brazil builds : architecture new and old, 1652-1942 foi a exposição realizada pelo MoMA - Museu de Arte Moderna sobre a arquitetura produzida no Brasil não apenas naquele momento, mas desde meados do século XVII.

Casas brasileiras: 11 residências elevadas do solo

Assim como muitas decisões projetuais no campo da arquitetura, a escolha de elevar uma casa em relação ao terreno não tem impactos apenas estéticos, mas também - ou sobretudo - funcionais. Elevar um edifício do solo ajuda a afastar a umidade e melhorar a circulação do ar, ao mesmo tempo em que minimiza seu apoio no plano e, consequentemente, a necessidade de movimentação de terra para executar a obra. Assim, lajes suspensas são simultaneamente soluções arquitetônicas e bioclimáticas passivas, adequando-se bem ao clima quente e úmido que caracteriza a maior parte do Brasil.

Casas brasileiras: 26 residências com brise-soleil

Projetar em um país onde o clima é predominantemente equatorial ou tropical implica em tomar decisões que diminuam a sensação de calor nos espaços internos da edificação. A versatilidade, a funcionalidade e a estética do brise-soleil são características que encorajam arquitetos, sobretudo no contexto brasileiro, a utilizá-lo em edifícios residenciais. O brise-soleil, quebra-sol, ou apenas brise, funciona como uma espécie de “meio termo” entre abertura e fechamento, controlando a entrada de iluminação no edifício sem impedir a ventilação. Além disso, o sistema também permite uma maior conciliação entre a privacidade dos espaços internos e a vista para o externo.

Guia de arquitetura de Belo Horizonte: 25 lugares para conhecer na capital mineira

Em 1897 foi instituída a Cidade de Minas Gerais, que em 1901 passou a ser chamada de Belo Horizonte. O projeto urbanístico de Aarão Reis para a capital mineira deu origem à primeira cidade moderna planejada no Brasil. A malha ortogonal que define quarteirões, grandes corredores e diferentes zonas urbanas foi inspirada em outros modelos de cidades, como Paris e Washington, com a presença de ideais modernizantes e republicanos que inspiraram a hierarquização do território.

Guia de arquitetura de Salvador: 25 lugares para conhecer na primeira capital do Brasil

Salvador é uma cidade marcada por uma falha geológica que a divide em duas: cidade alta e cidade baixa. Essa diferença de nível de aproximadamente 80 metros originou, desde o início da sua colonização, diferenças de usos e ocupações do solo nesse território - que foram se modificando ao longo dos anos com o desenvolvimento e expansão da cidade. A paisagem soteropolitana não é marcada apenas pela falha geológica, mas também é expressão de diferentes camadas de tempo: a primeira capital do Brasil, que completou 470 anos este ano, teve na sua arquitetura, ao longo da história, exemplares de diversos estilos e vertentes, como o neocolonial, barroco, neoclássico, eclético, moderno e contemporâneo.

Reativar Territórios: método terceira margem

A Terceira Margem aposta em fazer projetos que possam Reativar Territórios, isto é, articular a experiência do construir com a própria Terra, com a autonomia dos habitantes e com experiências que possam animar seus corpos, humanos ou não.

Assim, neste evento, propusemos três ações. Uma exposição que apresenta a metodologia de projeto para ambientes construídos da Terceira Margem (a qual definimos de participativa e feminista), apresentando quatro projetos, através de desenhos e maquetes conceituais, e um vídeo focalizado nas oficinas corporais e sensoriais; o lançamento do livro Reativar Territórios que desenvolve o tema da participação e apresenta essa metodologia; e

Quando fomos modernos: Arquitetura e design no Brasil

O legado do moderno brasileiro é hoje matéria de um intenso revisionismo e constitui uma referência central para muitas produções contemporâneas, incluindo aquelas que negam seus preceitos. O curso procura definir historicamente a categoria do moderno no campo da arquitetura e do design no Brasil, entendendo sua emergência no contexto da formação de uma identidade nacional.

O modernismo brasileiro deriva do Movimento Moderno europeu, que estabelece-se como conceito nos anos 1930. O curso revisita os principais fatos e obras do período entre os anos 1930 e 1970, tendo como marco inicial o projeto do Ministério da Educação e Saúde Pública no

Exposição "Casas Paulistas: 2000 - 2017" explora o espaço do sonho na arquitetura paulista

O Campus Universitario di Matera inaugura hoje, 5 de junho, a exposição Casas Paulistas: 2000 - 2017. A mostra faz parte de uma série de exibições brasileiras na capital europeia da cultura de 2019. Com curadoria de Romullo Baratto e concepção de Ruben Otero, a exposição reúne 12 projetos de residências paulistas construídas a partir da virada do século.

Arquitetura e educação: 15 escolas projetadas por arquitetos brasileiros

© Mateus Sá © Fernando Stankuns © Nelson Kon © Ana Mello + 31

O segredo de uma boa educação não reside apenas na didática do professor e em bons livros, o espaço de ensino que os estudantes frequentam também possui um grande peso no aprendizado deles, uma vez que requisitos de conforto acústico, térmico, lumínico e, até mesmo, paisagístico influenciam diretamente no comportamento e atenção de cada um. No Brasil, os projetos de escolas variam muito do setor privado ao público e em ambos é possível encontrar soluções de grande qualidade.

Prêmio Obra do Ano 2019: Conheça os 15 finalistas do maior prêmio da arquitetura lusófona

Temos o prazer de apresentar, hoje, os projetos finalistas do Prêmio Obra do Ano 2019 (ODA19). Após duas semanas de nomeações, e mais de 10.000 votos, foram escolhidos os projetos favoritos entre centenas de obras construídas nos países de língua portuguesa. Nosso júri de especialistas, composto por nossos próprios leitores, realizou, mais uma vez, um excelente trabalho na seleção das 15 obras. Os finalistas abrangem uma diversidade notável de programas. Há projetos culturais, comerciais, educacionais, praças, residências de alto padrão e remodelações. A seleção é uma amostra interessante da produção arquitetônica contemporânea em Brasil e Portugal, fortemente marcada pela exploração dos materiais, a riqueza de nossos contextos geográficos e os diversos desafios enfrentados pelas nossas sociedades.

Clássicos da Arquitetura: Edifício Esther / Álvaro Vital Brasil e Adhemar Marinho

Este artigo foi originalmente publicado em 01 de fevereiro de 2018. Para ler sobre outros projetos icônicos de arquitetura, visite nossa seção Clássicos da Arquitetura.

Com o exponencial crescimento populacional paulistano na década de 1930 e o incentivo do mercado privado da construção civil, uma série de arquitetos foram convidados a projetarem edifícios com usos variados no centro da cidade. Álvaro Vital Brasil e Adhemar Marinho foram os responsáveis pela concepção do Edifício Esther, ícone na primeira fase de verticalização da Praça da República. [1]

Em 1933, quando a cidade ultrapassou a marca de um milhão de habitantes, um considerável número de edifícios verticais passaram a ser construídos. [2] Em decorrência da expansão demográfica urbana e verticalização em massa entre os anos 30 e 40, o elevado preço dos aluguéis e valorização da terra na região do centro expandido marcaram transformações no quadro residencial e urbano. [3]

Pérolas ocultas da arquitetura latino-americana

Ninho de Quetzalcóatl / Javier Senosian. Imagem © Marcos Betanzos
Ninho de Quetzalcóatl / Javier Senosian. Imagem © Marcos Betanzos

Teatro Oficina / Lina Bo Bardi e Edson Elito. Imagem © Nelson Kon Portal do cemitério de azul. Imagem via Wikipedia User Elciri Licensed under CC BY-SA 2.5 Centro Cultural García Márquez. Imagem © Alejandro Ojeda Galería IK LAB / Jorge Eduardo Neira Sterkel. Image Cortesía de IK LAB + 24

Durante as férias de inverno muitos arquitetos aproveitam para viajar e conhecer outras cidades e monumentos. Durante esta breve pausa, convidamos todos os arquitetos à repensar seus próximos destinos e visitar um dos mais incríveis projetos de arquitetura da América Latina. Ainda que seja importante para um arquiteto revisitar projetos clássicos, tenha em conta que explorar lugares desconhecidos pode surpreendê-lo de uma maneira como você nunca imaginou. Tendo isso em mente, decidimos fazer uma lista de importantes obras arquitetônicas pouco conhecidas, as quais chamamos de "pérolas ocultas da arquitetura latino-americana". Veja a seguir a lista completa, compilada especialmente para vocês.

Exposição FAU 70 Anos

Criada em 1948, a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP) é hoje uma das mais importantes faculdades de arquitetura da América Latina e está entre as 50 mais melhores do mundo.
Com aproximadamente 2 mil alunos (1500 na graduação e 500 na pós-graduação) a FAUUSP também se destaca na área de pesquisa com cerca de 20 laboratórios e 2 bibliotecas com mais de 150mil volumes.*
A exposição, com coordenação geral da Profa. Dra. Ana Lanna, apresenta a história dessa instituição desde o seu início no palacete da Vila Penteado até a transferência para o edifício

Sérgio Bernardes e sua contribuição à arquitetura brasileira

Com uma vida profissional marcada pela densa produção e pesquisa, não apenas arquitetônica, mas em uma série de outros campos inter-relacionados, Sérgio Bernardes começou a trabalhar muito jovem e aos treze anos fundou sua primeira oficina de maquetes. Aos quinze anos – antes mesmo de ingressar na faculdade de Arquitetura – concebeu seu primeiro projeto, a residência Eduardo Baouth, em Itaipava, no Rio de Janeiro, para amigos de seus pais. Além da arquitetura, também percorreu por outros campos, como o da marcenaria, por exemplo.

Em 1948 graduou-se na Faculdade de Arquitetura pela Universidade do Rio de Janeiro, período em que a arquitetura moderna encontrava-se em destaque no cenário internacional, pois o país já havia participado da Exposição Mundial de 1939 em Nova Iorque e trabalhos modernos brasileiros já haviam sido expostos no MoMA em 1943. Antes mesmo de completar a graduação, Sérgio obteve sua primeira publicação em arquitetura, com o projeto do Country Club em Petrópolis, pela revista L’Architecture d’Aujourd’hui.

Arquitetura Paulistana - Módulo 10

CURSO LIVRE ARQUITETURA PAULISTANA – MÓDULO 10

“Uma das coisas que me impressionou demais durante minha estadia em Luanda foi o resplendor marcado na atmosfera... se você estivesse no interior de qualquer prédio, olhar para uma janela era insuportável por causa do brilho. As paredes escuras que emolduravam a luz brilhante de fora faziam você se sentir muito desconfortável. A tendência era olhar para longe da janela. Outra coisa que me impressionou foi a importância da brisa... a importância da brisa ao levar para longe o ar quente que se acumulava em volta do prédio. E eu pensava se não seria

Lançamento do livro Horizontes Arquitetura - Projetos 2002 a 2017

Horizontes Arquitetura e Urbanismo, LUA LAB - Laboratório de Urbanismo Avançado, Nhamerica Platform e Fernando Luiz Lara convidam para o lançamento do livro "Horizontes Arquitetura e Urbanismo, Projetos 2002 a 2017"

Compartilhe e venha curtir conosco este dia especial.
Terça feira, 17/10, de 17:30 às 19:00
Livraria da Rua
Rua antônio de Albuquerque 913 - Savassi
Belo Horizonte MG

Entre 2006 e 2012 o Brasil investiu um volume significativo de recursos em obras de infraestrutura, urbanização e habitação. No momento em que passamos por uma aguda crise de investimento, torna-se fundamental refletir sobre a experiência do passado próximo para constituir um juízo crítico sobre as intervenções,

Estudantes do ArqLab-Senac criam baralho de arquitetura brasileira

A bagagem e o repertório arquitetônicos são ferramentas fundamentais para qualquer arquiteto. Parte da qualidade arquitetônica de suas propostas está vinculada diretamente ao tamanho do seu repertório transformado em uma “coleção de obras”.

Essa coleção está em constante transformação e ampliação. Todo espaço visitado, vivenciado, experimentado é incorporado na coleção. Esse processo é diário, está no cotidiano do arquiteto.

Cortesia de ArqLab-Senac Cortesia de ArqLab-Senac Cortesia de ArqLab-Senac Cortesia de ArqLab-Senac + 16