1. ArchDaily
  2. Urbanismo Tático

Urbanismo Tático: O mais recente de arquitetura e notícia

Urbanismo tático: uma ferramenta adaptável para manter o distanciamento seguro

Quando foi a última vez em que você caminhou por um mercado sem estar consciente se pessoas estão caminhando por perto ou a última vez em que você deu um passeio no parque do bairro sem pensar nas condições de higiene ao seu redor?

A pandemia de Covid-19 deixou o mundo em um estado de paralisação. Embora em muitos lugares as pessoas já tenham passado um longo tempo trancadas em casa, ainda estamos nos acostumando a esse novo normal, trabalhando para mudar a maneira como nos relacionamos com as pessoas e com os espaços públicos ao ar livre.

Uma demonstração de espaço público ampliado em Biscayne Green, um parque “pop-up” no centro de Miami. Ilustração: Rajeev Malagi/WRIVias arteriais e outras ruas centrais funcionaram como canais de circulação para os veículos de emergência durante os períodos de bloqueio. Ilustração: Rajeev Malagi/WRIIniciativas como o projeto “Break the Chain Umbrella” criam formas inovadoras de transmitir conhecimento sobre o distanciamento social a partir do uso de ferramentas simples. Ilustração: Rajeev Malagi/WRI ÍndiaEm diversas cidades da América e da Europa, ciclofaixas já existentes foram ampliadas e outras novas foram criadas para permitir o distanciamento seguro entre os ciclistas. Ilustração: Rajeev Malagi/WRI+ 7

A dimensão política da arquitetura: ativismo e desenho

A inércia da política e da governança em um momento no qual grandes mudanças sociais estão ocorrendo em um ritmo cada vez mais rápido - sem falar na insatisfação com o processo de tomada de decisão - abre espaço para ações de baixo para cima, ativismo e esforços ousados. Diante de tantos exemplos de ativismo social, os arquitetos têm ferramentas para construir suas próprias posições? A arquitetura tem o poder de alterar o status quo?

Com urbanismo tático, cidades enfrentam COVID-19 priorizando pedestres e ciclistas

Ciclovias criadas da noite para o dia, vias convertidas em zonas calmas, calçadas estendidas às pressas – tudo para acomodar a necessidade de mobilidade urbana em um cenário de pandemia. A COVID-19 tem gerado grandes intervenções urbanas, muitas vezes sem a possibilidade de grande planejamento ou investimento. Cidades convertem-se em laboratórios de experiências que podem trazer benefícios durante a crise e legar um mundo mais sustentável quando o pior passar.

O que é urbanismo tático?

O urbanismo tático, prática que vem ganhando destaque nos últimos anos, tem se mostrado uma estratégia atrativa para coletivos ativistas, arquitetos, urbanistas e designers ao redor do mundo por propor, a baixo custo e numa micro-escala, intervenções urbanas pontuais na intenção de promover o direito à cidade. Essa maneira de se pensar espaços públicos na cidade busca atuar por uma lógica não-hierárquica, na qual a sociedade civil (em colaboração ou não com o Estado e/ou empresas privadas) propõe alternativas ao processo tradicional de projeto na esfera urbana.

"O que há de mais acessível aos jovens é o urbanismo tático": uma entrevista com Rua Arquitetos

Desde 2008, o Rua Arquitetos se dedica a projetos bastante variados que incluem organização de exposições, residências, galerias de arte e projetos urbanísticos. Tal experiência rendeu publicações e premiações nacionais e internacionais, e participação em exposições como as do MoMA (2014), do MAK em Viena (2015), do Carnegie Museum of Arts em Pittsburgh (2016), e a do MAM São Paulo (2017). Além das bienais de arquitetura de Hong Kong-Shenzhen (2013), Chicago (2015), Veneza (2016/18) e Trienal de Lisboa (2016).

Urbanismo tático: tintas, cones e a transformação das cidades

Em setembro deste ano as vias no entorno da escola Anne Frank, no bairro do Confisco, em Belo Horizonte, receberam pintura de solo, com faixas para a travessia de pedestres e marcas de delimitação nas faixas de circulação de veículos. Além disso, foram instalados vasos feitos de pneus reciclados, cones de sinalização e mobiliário para descanso. No final de semana seguinte, entre os dias 20 e 22 de setembro, coincidindo com o Dia Mundial Sem Carro, o trânsito de veículos motorizados foi interrompido e o espaço se transformou em uma Rua Aberta, com shows, atividades culturais e espaço de convivência para os moradores da região. No mês seguinte, em outubro, alunos de 8 a 10 anos da escola Anne Frank participaram de uma oficina de montagem de placas de trânsito, escrevendo mensagens que passariam a compor a sinalização viária da região.

6 Iniciativas voluntárias que transformam a vida de diferentes cidades do Brasil

Da revitalização de áreas verdes degradadas à realização de jogos colaborativos, eventos e oficinas, existem diversas ações que são possíveis de realizar voluntariamente para mudar a paisagem de uma cidade e as pessoas que vivem nela.

Além de serem formas importantes de participação social, a organização de pessoas por meio de coletivos e a adesão a iniciativas que se apoiam em trabalho voluntário, facilitam a interação entre o poder público e as comunidades, trazendo muitos resultados positivos, inclusive na maneira como interagimos com as cidades.

Laboratório Urbano Efêmero de Campo Grande

O Laboratório Urbano Efêmero Campo Grande é um ciclo de atividades que vai gerar temporariamente intervenções e debater visões alternativas para o futuro do território da Esplanada Ferroviária.

Por meio da ação coletiva ocorrerão atividades que visam reconhecer, fortalecer e agir sobre esse território, para que projetos e iniciativas que estão em Campo Grande possam atuar em rede, construindo ações para uma cidade melhor.

A participação do público é sempre gratuita, aberta e fundamental, por isso o Laboratório é aberto e colaborativo – pessoas e organizações podem, inclusive, propor atividades para compor a programação.

O Laboratório Urbano Efêmero de Campo Grande se

4° COURB - Encontro de Urbanismo Colaborativo

O 4° COURB, Encontro de Urbanismo Colaborativo, visa conectar a pluralidade de atores envolvidos na co-criação das cidades, buscando soluções colaborativas, fomentando tecnologias sociais e ferramentas de participação social no desenvolvimento de ações, projetos e políticas urbanas. A cada edição vem aumentando a rede de pessoas, instituições, universidades e organizações engajadas na transformação inclusiva das cidades brasileiras.

Momentos expositivos, de integração, capacitação e cocriação organizados em: atividade de recepção/networking, palestras, painéis de debates, mostra de projetos, oficinas e vivências em bairros da cidade de Belém. Confira a programação prévia:

Este ano, o evento estará pela primeira vez no Norte do

Arquicast #70: Urbanismo Tático

Você já deve ter ouvido falar no termo “urbanismo tático”. Apesar de recente, essa abordagem sobre o espaço público ganhou visibilidade nos últimos 10 anos e hoje há diversos exemplos sobre como intervir no urbano a partir de uma visão de curto prazo, baixo custo e alto engajamento social. Pois no episódio #70 batemos um papo com a arquiteta carioca e doutora em Urbanismo Adriana Sansão, que tem um trabalho prático extenso e acumula pesquisas sobre o tema. Clique aqui para saber mais!

II Festival A Cidade Precisa de Você

II Festival A Cidade Precisa de Você
Um convite para construir brincando a nossa cidade educadora

QUANDO: 26 de novembro a 1 de dezembro de 2018
ONDE: Parque Linear do Canivete, Jardim Damasceno, norte de SP

É relevante no Brasil e no mundo o movimento de apropriação dos espaços públicos urbanos pelos seus habitantes. O direito à cidade está em pauta e, no centro dele, muitos cidadãos estão se propondo a participar ativamente das decisões em relação à sua cidade ou mesmo em atividades cotidianas de melhoria destes espaços. Urbanismo tático, handmade urbanism, human centered design, social interest design, do it yourself… Diversos movimentos

Laboratório Urbano Efêmero | Lab SLZ

LABORATÓRIO URBANO EFÊMERO
NO CENTRO HISTÓRICO DE SÃO LUÍS
de 27 de Agosto à 16 de Setembro de 2018

Durante três semanas São Luís vai experimentar um ciclo de atividades ligadas aos temas da inovação social urbana no contexto do Trapiche Santo Ângelo (Galpões do Complexo Santo Ângelo), situado na região central da cidade, que já está vivenciando um processo de revitalização do seu patrimônio histórico.

A ocupação deste território com um Laboratório Urbano Efêmero durante 21 dias busca o desenvolvimento do sentido de pertencimento e reconhecimento do próprio lugar, possibilitando a identificação de vontades e desejos coletivos para o codesenho de

Conferência | Urbanismo táctico – Placemaking

O Projeto "Corredor Sur", parceria entre os Coletivos TransLAB.URB (Porto Alegre - Brasil), Urbanismo Vivo (Buenos Aires - Argentina) e a FADU - Faculdade de Arquitetura, Design e Urbanismo / Udelar - Universidade da República (Montevideo - Uruguay), iniciado em Novembro de 2017, começa a colher os primeiros frutos.

Partindo da ideia de promover intercâmbios de boas práticas da atuação ativista urbana, com realidade da Academia e visando desdobramentos também com a aproximação com a Sociedade Civil, Setor Privado e Administração Pública, este corredor de integração regional vem trabalhando no primeiro semestre as possibilidades de projetos de intervenção urbana a

Intervenção colorida transforma famosa rua de Santiago em passeio lúdico

A construção da Linha 3 do metrô de Santiago, através do centro histórico da capital chilena, implicou no impedimento do trânsito veicular pela rua "Bandera" desde o ano de 2013. Convertido em estacionamento de automóveis desde então, a calçada foi cercada durante um mês para a construção do "Paseo Bandera", um novo e colorido projeto pedonal inaugurado nessa quarta-feira (dia 20) por Felipe Alessandri, prefeito de Santiago e patrocinadores.

O escritório Estudio Victoria — liderado pelo muralista Dasic Fernández (com formação em Arquitetura) e o arquiteto Juan Carlos López — foi encarregado do desenho do "Paseo Bandera", unificando uma calçada de 400 metros lineares em uma colorida faixa de anamorfismos e franjas, numa superfície total de 3.300 metros quadrados.

© María González© María GonzálezEl tramo Sustentabilidad, con el verde clásico de Carlsberg. Image © María González© María González+ 19

Urbanismo tático, utopias e curadoria ativista: uma entrevista com Pedro Gadanho

Apresentamos a seguir uma entrevista com o arquiteto e curador português, Pedro Gadanho, realizada pela arquiteta e pesquisadora Carol Farias. Na conversa, discutem temas como urbanismo tático, utopias e curadoria ativista, temas abordados em exposições realizadas pelo curador em Nova Iorque e Lisboa.

Debate sobre o Plano Estratégico de Transformação para o Rio Comprido no Rio de Janeiro

O Baixo Rio é um coletivo multidisciplinar que se propõe a elaborar estratégias para transformar o espaço urbano, em toda a sua abrangência. Temos como premissa a participação ativa dos diversos agentes: população, a iniciativa pública, privada e acadêmica.

Temos como objetivo transformar nossa cidade em um lugar melhor, mais sustentável e seguro. Sendo assim, temos que começar a repensar as ruas, os parques, as praças e a paisagem urbana, fazendo com que seja possível humanizar o espaço público e experimentar o encontro entre as diversas “tribos” que vivem na mesma comunidade.

Vamos criar um debate sobre estratégias sustentáveis que se apliquem

Laboratório Hackerativista Urbano #2

>> 2ª edição do Programa para formação de coletivos temporários e experimentação em projetos de inovação social, a partir de ferramentas tecnológicas, tecnologias sociais e conexão com arte e ativismo <<

A proposta deste curso é que os participantes mesmo sem conhecimento prévio de eletrônica, programação, ativismo ou experiências artísticas conheçam as ferramentas e deem os seus primeiros passos na programação e cultura Maker utilizando Arduino.
Além dos conhecimentos sobre arduinos, serão trabalhados conceitos e práticas de inovação social, ativismo e hackerativismo urbano - explorando a capacidade de interação e transformação dos espaço urbano nas cidades, utilizando tecnologias sociais.
Seráo 07 encontros

Guia do urbanista tático: materiais e projeto

O urbanismo tático corresponde às intervenções que permitem experimentar mudanças na cidade por um período determinado, oferecendo uma aproximação ao impacto causado caso a iniciativa fosse, de fato, executada. 

Em todo o mundo existem vários casos que, diante das necessidades da população, buscaram soluções a partir de intervenções feitas com materiais econômicos e de rápida implementação.