O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Mobilidade

Como o desenho urbano pode salvar vidas?

14:00 - 14 Dezembro, 2017
Como o desenho urbano pode salvar vidas?, © Cidade Ativa
© Cidade Ativa

Quando a questão sobre mortes e lesões no trânsito é colocada em pauta, rapidamente a associamos aos limites de velocidade. Especialistas do mundo todo concordam que essa é uma das principais e mais eficientes medidas que asseguram a segurança viária: quanto maior a velocidade do veículo, menor a chance de sobrevivência em um impacto. Por exemplo, ser atingido por um veículo a 80km/h é o mesmo que cair de uma altura de 9 andares (cerca de 30 metros de altura). Mas, se as velocidades são indicadas por placas de trânsito, qual é então o papel do desenho urbano na segurança e proteção das pessoas?

Paris quer sediar os Jogos Olímpicos de 2024 sem carros nas ruas

10:00 - 13 Novembro, 2017
Paris quer sediar os Jogos Olímpicos de 2024 sem carros nas ruas, Último Dia sem Carro em Paris proibiu a circulação de veículos em toda a cidade. Foto: Laura Azeredo, via TheCityFix Brasil
Último Dia sem Carro em Paris proibiu a circulação de veículos em toda a cidade. Foto: Laura Azeredo, via TheCityFix Brasil

O futuro de uma nova Paris já vem sendo noticiado há alguns meses. Desde que a atual prefeita, Anne Hidalgo, assumiu o cargo, seu desejo de uma cidade com cada vez menos carros vem se realizando em pequenas (ou nem tão pequenas) ações. No entanto, parece que esse objetivo ganhou uma data perfeita para ser alcançado: os Jogos Olímpicos de 2024.

China inaugura primeiro transporte público rápido e elétrico sem motorista

08:00 - 29 Outubro, 2017
China inaugura primeiro transporte público rápido e elétrico sem motorista, Cortesia de Foto: ImagineChina/REX. Cortesia de CicloVivo
Cortesia de Foto: ImagineChina/REX. Cortesia de CicloVivo

O primeiro “trem smart” do mundo sem trilhos e sem condutor inaugurou na China. O modelo é considerado um sistema ferroviário futurista e virou notícia no mundo inteiro.

Uma mistura de ônibus, metrô e bonde é o que aparenta o design do novo transporte. Mas, em eficiência, ele é muito melhor do que os ônibus e tem a vantagem de ter um custo menor do que um sistema de veículo sobre trilhos, por exemplo, onde é exigida toda uma infraestrutura.

Ponte Hercílio Luz será reaberta para pedestres e ciclistas em Florianópolis

10:00 - 6 Outubro, 2017
Ponte Hercílio Luz será reaberta para pedestres e ciclistas em Florianópolis, Ponte Hercílio Luz, Florianópolis. Image © Rodrigo Soldon, via Flickr. Licença CC BY 2.0
Ponte Hercílio Luz, Florianópolis. Image © Rodrigo Soldon, via Flickr. Licença CC BY 2.0

Após anos de restauro, a Ponte Hercílio Luz, ícone do patrimônio da Ilha de Santa Catarina, poderá, emfim, ser reaberta ao público para pedestres e ciclistas. Com conclusão prevista para dezembro de 2018, a estrutura servirá também de passagem para modais de transporte coletivo, afirma o diretor da região metropolitana do Ipuf (Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis), Michel Mittmann.

Cidade Ativa Adverte: carros fazem mal à saúde

14:00 - 25 Setembro, 2017
Cidade Ativa Adverte: carros fazem mal à saúde, © Cidade Ativa e Estúdio Rebimboca
© Cidade Ativa e Estúdio Rebimboca

Por muitas décadas, fumar representou status, charme e elegância, sendo o cigarro objeto do desejo de inúmeras gerações. Ao perceber que aproximadamente 25% da população brasileira era fumante, o Ministério da Saúde impôs, em 2002, que os representantes das marcas de cigarro adicionassem mensagens de advertência sobre as substâncias tóxicas presentes no produto e suas graves consequências à saúde. Dez anos depois da medida, essa taxa já havia baixado para 15% da população.

Mas o que isso tem a ver com os automóveis?

São Paulo through the looking-glass [seis cenários impossíveis para sp]

18:00 - 20 Setembro, 2017
São Paulo through the looking-glass [seis cenários impossíveis para sp], SAO PAULO THROUGH THE LOOKING-GLASS [seis cenários impossíveis para sp], com Eduardo Pimentel Pizarro
SAO PAULO THROUGH THE LOOKING-GLASS [seis cenários impossíveis para sp], com Eduardo Pimentel Pizarro

“Alice laughed. […] ‘One can’t believe impossible things.’ ‘I daresay you haven’t had much practice,’ said the Queen. ‘When I was your age, I always did it for half-an-hour a day. Why, sometimes I’ve believed as many as six impossible things before breakfast.”

A partir deste trecho do livro “Through the Looking-Glass”, de Lewis Carroll, e à contrapelo da realidade, o objetivo do curso é experimentar, teórica e projetualmente, a proposição de seis cenários “impossíveis” para a cidade de São Paulo, direcionados por seis eixos temáticos: edifícios;

A maioria das cidades brasileiras apresentam boas condições de mobilidade

10:00 - 22 Agosto, 2017
A maioria das cidades brasileiras apresentam boas condições de mobilidade, Curitiba aparece em terceiro lugar no ranking das capitais. Foto: Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis
Curitiba aparece em terceiro lugar no ranking das capitais. Foto: Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis

Com mais de 70% da população mundial vivendo em cidades até 2050, a qualidade de vida e a saúde da população dependem das medidas tomadas hoje nos centros urbanos. Com o propósito de oferecer um instrumento para avaliação e formulação de políticas públicas no Brasil, o Observatório das Metrópoles desenvolveu o Índice de Bem-Estar Urbano dos Municípios Brasileiros (IBEU-Municipal). A ferramenta apresenta um levantamento inédito sobre as condições urbanas dos 5.570 municípios brasileiros, a partir da análise de dimensões como mobilidade, condições ambientais urbanas, condições habitacionais, atendimentos de serviços coletivos e infraestrutura.

13 Cidades que estão começando a banir os automóveis

10:00 - 20 Agosto, 2017
13 Cidades que estão começando a banir os automóveis, Oslo, Noruega. Image © dconvertini via Visual Hunt /  CC BY-SA
Oslo, Noruega. Image © dconvertini via Visual Hunt / CC BY-SA

Dos últimos cinco anos para cá, diferentes cidades em todo o mundo começaram a perceber que é mais fácil e saudável para seus habitantes viverem sem automóveis. Dos incontáveis benefícios para meio ambiente ao aumento da segurança viária, livrar-se dos carros particulares parece uma solução cada vez mais viável (e necessária) nos centros urbanos.

Oslo, na Noruega, é uma das pioneiras desta tendência mundial e em 2015 anunciou que baniria os automóveis com motor à combustão do centro da cidade. Após protestos por parte dos comerciantes (algo que frequentemente acontece nessas situações) o conselho municipal propôs uma solução: em vez de banir os carros, tornar cada vez mais difícil o acesso ao centro com a exclusão dos estacionamentos.

Um sistema de transporte público é tão bom quanto seu tempo de espera

07:00 - 19 Agosto, 2017
Um sistema de transporte público é tão bom quanto seu tempo de espera, Ponto em frente ao Costanera Center (Santiago), onde o metro quadrado é mais caro de todo o Chile. Ao menos o assunto é democraticamente mal. Imagem © Rodrigo Díaz
Ponto em frente ao Costanera Center (Santiago), onde o metro quadrado é mais caro de todo o Chile. Ao menos o assunto é democraticamente mal. Imagem © Rodrigo Díaz

Utilizar um ônibus da Transantiago é uma experiência esteticamente pouco prazerosa. Se para você a imagem do veículo sujo, amassado, descuidado, como um velho bandoneón cujo fole está a ponto para lançar suas últimas notas (e já o fez, em algumas ocasiões, em pleno percurso) é ruim, para quem o utiliza é ainda pior.

O que deveria ter sido obra de qualquer um das centenas de bons arquitetos existentes no Chile, terminou nas mãos do Maestro Lucho. Ele foi responsável por apagar, com alguns poucos pesos, um dos muitos incêndios do lançamento da Transantiago em fevereiro de 2007. Armado com ferro, malha soldada, pranchas de zinco e pintura verde, fez aparecer, da noite para o dia, algo parecido a uma estação de transporte público onde antes havia uma casinha resignada ou com sorte, uma banquinha protegida por um teto. As construções do Maestro Lucho seriam provisorias, ajudariam a resistir à tempestade e ganhar o tempo necessário para propor soluções definitivas, a altura de um sistema integrado de primeiro mundo (ou quase).

Já se passaram dez anos de provisoriedade.

O transporte público pode ser ruim, mas jamais melhorará favorecendo o interesse privado

07:00 - 14 Agosto, 2017
O transporte público pode ser ruim, mas jamais melhorará favorecendo o interesse privado, © Rodrigo Díaz
© Rodrigo Díaz

Na imagem consigo contar 38 automóveis cruzando de leste a oeste o Paseo de la Reforma, que de passeio tem muito pouco. São 2h da tarde, não é hora de pico mas o trânsito está, no mínimo, pesado. A velocidade não é superior aos 10 km/h, inferior ao do destemido ciclista que surge por entre os carros arriscando a pele em um ambiente em que pedalar requer habilidade.

No meio dos 38 automóveis se adverte a presença de um micro-ônibus. Com toda certeza, é ele que se desloca de forma mais lenta de todas. Desloca-se lentamente porque tem que fazer paradas contínuas para embarcar e desembarcar os passageiros, paradas particularmente contínuas no modelo escassamente regulamentado no qual se desenvolvem as rotas tradicionais de micro-ônibus na Cidade do México, onde a receita do operador depende diretamente do número de passageiros transportados. Desloca-se muito lentamente porque geralmente circula pela direita, em uma via compartilhada onde é comum encontrar outros veículos estacionados que circulam de forma lenta ou que estão esperando sua vez para virar a direita. Desloca-se lentamente porque não possui uma série de privilégios na hora de circular, apesar de ser, sem dúvidas, o mais eficiente dos modelos motorizados da foto, pelo menos quando a área ocupada por cada veículo e a quantidade de passageiros que transportam.

Cidades mais ativas e segurança viária

14:00 - 7 Agosto, 2017
Cidades mais ativas e segurança viária, Travessia de pedestres na Avenida Faria Lima, em São Paulo. Image © Cidade Ativa
Travessia de pedestres na Avenida Faria Lima, em São Paulo. Image © Cidade Ativa

A segurança viária e redução das mortes e lesões no trânsito têm sido encaradas como prioridade em diversos lugares do mundo. A OMS (Organização Mundial da Saúde), inclusive, definiu esta como a Década de Ação pela Segurança no Trânsito 2011-2020, na qual governos de todo o mundo se comprometeram a tomar novas medidas para reduzir em 50% os níveis de mortalidade e lesões de trânsito nesses 10 anos. 

A redução da velocidade nas vias é utilizada como ferramenta essencial para diminuir mortes e lesões. No Brasil, cidades como São Paulo e Curitiba implementaram, nos últimos anos, perímetros onde é regulamentada uma velocidade máxima baixa, como as Áreas 40 e Áreas Calmas, respectivamente. Essas medidas têm como objetivo melhorar a segurança dos usuários mais vulneráveis do sistema viário, pedestres e ciclistas, buscando a convivência pacífica e a mitigação de atropelamentos na área. Em São Paulo, essas mudanças se mostraram efetivas: 2015 foi o ano com menor número de mortes desde 1998, segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). Infelizmente, com o abandono de parte dessas medidas pela nova gestão, assiste-se agora a um novo aumento: no primeiro semestre de 2017 houve 23% mais óbitos de pessoas a pé e 75% de pessoas pedalando, em comparação com o mesmo período do ano anterior. 

6 Dicas para projetar ruas preparadas para enfrentar as chuvas

07:00 - 6 Agosto, 2017
© NACTO
© NACTO

A Associação Nacional de Funcionários de Transporte Urbano de Nova Iorque, NACTO, lançou um novo guia orientado a melhorar o desenho das ruas, desta vez focado em como esses espaços públicos podem estar melhor preparados para enfrentar as chuvas.

A partir da perspectiva de que na cidade é mais complexa a absorção das águas pluviais devido à alta presença de concreto, seja nos edifícios, nas diversas infra-estruturas viárias, ou nas calçadas, torna-se necessário introduzir mudanças para melhorar a qualidade de vida.

Por isso, no novo guia desenvolvido em colaboração com o setor de Cidades Sustentáveis da Fundação Summit, são propostas estratégias orientadas a tornar as ruas locais mais seguros, sobretudo através da mobilidade, para que as cidades tenham uma melhor relação com seus corpos d'água já existentes. 

Evento debaterá oportunidades e desafios de Estatutos do Pedestre em cidades brasileiras

18:00 - 1 Agosto, 2017
Evento debaterá oportunidades e desafios de Estatutos do Pedestre em cidades brasileiras

No próximo 08 de agosto, Dia Mundial do Pedestre, o projeto Como Anda, desenvolvido pelas organizações Cidade Ativa e Corrida Amiga com o apoio do Instituto Clima e Sociedade (iCS), promoverão a mesa-redonda “Estatuto do Pedestre: Oportunidades e Desafios em cidades brasileiras”. O evento, que será realizado no MobiLab (Laboratório de Mobilidade Urbana), visa discutir o recém-sancionado Estatuto do Pedestre na cidade de São Paulo e sua repercussão no Brasil sob a perspectiva de atores que influenciam e participam das tomadas de decisões relacionadas aos marcos regulatórios municipais.

Estão confirmados para o debate José Police Neto, vereador de São Paulo

A estupidez do estacionamento gratuito

07:00 - 22 Julho, 2017
A estupidez do estacionamento gratuito , Estacionamientos em Tóquio. Imagem © Kevin Krejci [Flickr], sob licença CC BY 2.0
Estacionamientos em Tóquio. Imagem © Kevin Krejci [Flickr], sob licença CC BY 2.0

É preciso encarar de vez a questão: o estacionamento gratuito não existe, não passa de uma ilusão. Ponto. Sempre tem um custo, e esse custo deve ser pago por alguém. 

Não me refiro a quanto custa a pavimentação, pintura de demarcação e sinalização das vias, mas do quanto custa esse bem escasso que só é utilizado para estacionar quatro rodas. Nas periferias urbanas, de baixa densidade e que concentram poucas viagens, o custo desse solo geralmente é baixo, enquanto em áreas que concentram muitas viagens seu valor pode ser altíssimo, tão alto que justifica a cobrança de quem utiliza esses espaços.

As 20 melhores cidades do mundo para andar de bicicleta

16:00 - 30 Junho, 2017
As 20 melhores cidades do mundo para andar de bicicleta, Copenhague, Dinamarca. Flickr usuario: © Mikael Colville-Andersen, licença CC BY 2.0.
Copenhague, Dinamarca. Flickr usuario: © Mikael Colville-Andersen, licença CC BY 2.0.

Anualmente, a empresa dinamarquesa de consultoria Copenhagenize publica um ranking com as 20 cidades mais adequadas do mundo para o transporte em bicicleta. 

A lista foi lançada pela primeira vez em 2011 e atualmente é considerada uma das mais importantes da área, com a empresa se dedicando a promover o uso da bicicleta como meio de transporte - e não apenas para uso recreativo - em suas estratégias de desenho urbano focadas nas pessoas, com as quais presta assessoria para autoridades municipais de todo o mundo.

Prefeitura de São Paulo aprova o Estatuto do Pedestre

10:00 - 25 Junho, 2017
Prefeitura de São Paulo aprova o Estatuto do Pedestre , © Daniel Guimarães / A2 Fotografia, via Flickr de Preferência à Vida. Licença CC BY 2.0
© Daniel Guimarães / A2 Fotografia, via Flickr de Preferência à Vida. Licença CC BY 2.0

A Prefeitura de São Paulo sancionou o Estatuto do Pedestre, um regulamento que pretende garantir a segurança e a acessibilidade do principal modo de conhecer e experienciar a cidade: a caminhada. De autoria do vereador José Police Neto, após a publicação no Diária Oficial de São Paulo, no dia 14 de junho, a nova lei passou a ter validade oficial. 

A Gran Vía de Madri terá espaço para ciclistas em 2018

16:00 - 17 Junho, 2017
A Gran Vía de Madri terá espaço para ciclistas em 2018, Antes y después de la Gran Vía de Madrid. Image Cortesía de Ayuntamiento de Madrid
Antes y después de la Gran Vía de Madrid. Image Cortesía de Ayuntamiento de Madrid

A Prefeitura de Madri anunciou a reconversão de uma das principais artérias da capital espanhola em um espaço viário mais adequado aos pedestres, com uma ciclovia de duas mãos, vegetação e calçadas mais amplas. O projeto ainda está sendo redigido e buscará potencializar as relações entre as pessoas, facilitando os deslocamentos em bicicleta e contribuindo, assim, para melhorar as condições de vida da cidade. 

Projetos pequenos, mas com grande alcance. Está e uma das vertentes exploradas pela Prefeitura de Madri e que toma forma em iniciativas como esta: a Gran Vía será uma via mais humana, restringindo o acesso de veículos motorizados e facilitando os deslocamentos de bicicleta. Com esta medida, a Prefeitura aprofunda sua intenção de humanizar Madri, uma cidade claramente dominada pelo automóvel. 

O prefeito que transformou seu estacionamento privativo em um parklet

16:00 - 13 Junho, 2017
O prefeito que transformou seu estacionamento privativo em um parklet, Svante Myrick (de gravata) conversa com os vizinhos de Ithaca no parklet do prefeito. Imagem via Facebook de Svante Myrick
Svante Myrick (de gravata) conversa com os vizinhos de Ithaca no parklet do prefeito. Imagem via Facebook de Svante Myrick

Svante Myrick recusou a vaga de estacionamento que lhe era de direito e a converteu em um pequeno parque de uso público, um parklet, como se convencionou chamar hoje em dia.

Pouco antes havia decidido deixar de usar o automóvel para ir ao trabalho, optando pelas caminhadas, como 15% dos habitantes da sua cidade. 

Mas, ainda antes desta decisão, ele havia se convertido, aos 25 anos, no prefeito mais jovem de Ithaca, Nova York, uma pequena cidade de 30 mil habitantes que não que teria espaço nos mapas se não abrigasse em suas terras a Universidade de Cornell.

A história é antiga, mas vale a pena retomá-la.