Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Placemaking

Placemaking: O mais recente de arquitetura e notícia

Placemaking vs gentrificação: a diferença entre requalificar e elitizar um espaço público

A ideia de qualificar um espaço público ao melhorar ambientes que unam pessoas não deveria gerar desconfianças ou temores. Porém, experiências específicas de locais que viram o custo de vida aumentar muito após a sua requalificação vêm gerando contradições. Afinal, a nova vilã chamada gentrificação tem alguma relação com placemaking?

Laboratório Urbano Efêmero de Campo Grande

O Laboratório Urbano Efêmero Campo Grande é um ciclo de atividades que vai gerar temporariamente intervenções e debater visões alternativas para o futuro do território da Esplanada Ferroviária.

Por meio da ação coletiva ocorrerão atividades que visam reconhecer, fortalecer e agir sobre esse território, para que projetos e iniciativas que estão em Campo Grande possam atuar em rede, construindo ações para uma cidade melhor.

A participação do público é sempre gratuita, aberta e fundamental, por isso o Laboratório é aberto e colaborativo – pessoas e organizações podem, inclusive, propor atividades para compor a programação.

O Laboratório Urbano Efêmero de Campo Grande se

Micro Escola Urbana | Cocriação de Diretrizes para a área externa do Justo

No sábado dia 20 de Julho, o coletivo TransLAB.URB, à convite da turma do JUSTO, propõe mais uma edição da Micro Escola Urbana, agora numa roupagem invernal.

A ideia básica é a condução de uma atividade coletiva focada no levantamento de ideias para a área externa do Justo, localizado no alto das Escadarias da Borges, no Centro Histórico de Porto Alegre.

A partir da aplicação da metodologia "Cocriação de Diretrizes para Territórios de Interesse Público", numa versão relâmpago, ocorrerão pequenos debates sobre o uso do espaço público das escadarias da Borges, passando por aspectos específicos sobre Patrimônio Histórico, abandono por parte da

Como avaliar a qualidade de um espaço público?

Este artigo foi originalmente publicado no Project for Public Spaces com o título "What makes a successful place?" e aponta algumas diretrizes a se considerar quando se projeta um espaço público: sociabilidade, usos e atividades, acessos e conexões, e conforto e imagem.

Espaços públicos são a alma de uma cidade, lugares onde as pessoas se encontam e convivem, são espaços onde celebramos a vida e as nossas diferenças. Praças, parques, ruas e largos. Avenidas, bulevares e calçadões. Espaços democráticos e sociais, pontos de conexão entre as pessoas e os edifícios que constroem uma cidade. Espaços públicos se esparramam para dentro de nossas escolas, bibliotecas e museus, atravessam edifícios e pontes conectando as pessoas e a paisagem. Mas quais são as principais características de um bom espaço público?

Destaques da semana: o que define um lugar?

Todos nós sabemos que o conceito de lugar é um valor essencial para todas as pessoas, assim como para os arquitetos e as cidades que eles projetam. Arquitetos,  urbanistas e até mesmo os administradores públicos costumam profetizar que "lugares" podem transformar uma cidade para melhor - mas o que nem todos sabem ao certo é, o verdadeiro significado deste conceito.

Laboratório Urbano Efêmero | Lab SLZ

LABORATÓRIO URBANO EFÊMERO
NO CENTRO HISTÓRICO DE SÃO LUÍS
de 27 de Agosto à 16 de Setembro de 2018

Durante três semanas São Luís vai experimentar um ciclo de atividades ligadas aos temas da inovação social urbana no contexto do Trapiche Santo Ângelo (Galpões do Complexo Santo Ângelo), situado na região central da cidade, que já está vivenciando um processo de revitalização do seu patrimônio histórico.

A ocupação deste território com um Laboratório Urbano Efêmero durante 21 dias busca o desenvolvimento do sentido de pertencimento e reconhecimento do próprio lugar, possibilitando a identificação de vontades e desejos coletivos para o codesenho de

Conferência | Urbanismo táctico – Placemaking

O Projeto "Corredor Sur", parceria entre os Coletivos TransLAB.URB (Porto Alegre - Brasil), Urbanismo Vivo (Buenos Aires - Argentina) e a FADU - Faculdade de Arquitetura, Design e Urbanismo / Udelar - Universidade da República (Montevideo - Uruguay), iniciado em Novembro de 2017, começa a colher os primeiros frutos.

Partindo da ideia de promover intercâmbios de boas práticas da atuação ativista urbana, com realidade da Academia e visando desdobramentos também com a aproximação com a Sociedade Civil, Setor Privado e Administração Pública, este corredor de integração regional vem trabalhando no primeiro semestre as possibilidades de projetos de intervenção urbana a

Oficina Internacional TransLAB.URB + Urbanismo Vivo - Taller de Caminata Sensorial, Cartografia Afectiva y Co Creación

Como parte das atividades do lançamento do Projeto "Corredor Sur - Montevideo / Porto Alegre / Buenos Aires" o coletivo autônomo TransLAB.URB (Porto Alegre) se junta com a iniciativa Urbanismo Vivo (Buenos Aires) para levar até o Uruguay alguns pontos que são trabalhados em escala local e em grandes encontros internacionais, relacionados com Placemaking, Cidades Para As Pessoas, um Urbanismo na escala humana e as possibilidades de atuação em rede, dentro de uma ótica regional, integrando cidades do sul da América do Sul.

Junto com a FADU - Faculdade de Arquitetura, Design e Urbanismo da UDELAR - Universidade da República do

Placemaking y Ciudades Para Las Personas

A atividade "Placemaking y Ciudades Para Las Personas", é um encontro informativo sobre planejamento urbano na escala humana e as possibilidades de ação em uma rede do Cone Sul, iniciando pelo projeto "Corredor Sul - Montevideo - Porto Alegre - Buenos Aires".

Programa:
- Apresentação da proposta de rede, com Leonardo Brawl Márquez (TransLAB.URB, Porto Alegre) e Carolina Huffmann (Urbanismo Vivo e Jane's Jacobs Walks, Buenos Aires).
- Comentários Adriana Goñi Mazzitelli (UIT-FADU, Montevideo)

A atividade terá lugar na próxima terça-feira, 28 de novembro na Sala Gómez Gavazzo, do Instituto de Teoria e Urbanismo da Faculdade de Arquitetura, Design e Urbanismo da UDELAR -

Oficina Internacional do TransLAB.URB - Taller abierto: Placemaking, co-creación, mejora espacio público

Na sexta-feira dia 20 de Outubro de 2017 o Coletivo autônomo de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, irá promover um Workshop internacional junto à Marina da cidade espanhola de Valência.

Após a passagem pela Placemaking Week 2017 na cidade de Amsterdam, os representantes do coletivo TransLAB.URB, os urbanistas Fausto Bugatti Isolan e Leonardo Brawl Márquez irão apresentar a metodologia de "Co Criação de Diretrizes para Territórios de Interesse Público" na região portuária da cidade de Valência, a terceira maior cidade espanhola e o segundo mais importante porto do Mediterrâneo do país.

Em uma atividade aberta à população em geral, serão abordadas

Santa Úrsula convida TransLAB

Na terça-feira, dia 22 de Agosto, o curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Santa Úrsula - USU recebe o TransLAB.URB, "braço investigativo" sobre a cidade e o meio urbano, ligado ao Translab, Laboratório Cidadão e Instituto de Pesquisa em Inovação Social de Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

O arquiteto urbanista, ativista social e Placemaker, Leonardo Márquez Brawl, co-fundador do Translab, vai propor três atividades ao longo do dia:

11h - ATIVISMO URBANO - roda de conversa aberta ao público
Compartilhando experiências da realidade ativista do profissional urbanista, cidadão e agente transformador da cidade.

14h - PLACEMAKING - oficina c/ inscrições via DACAU

Exposição Antes e Depois, as transformações do espaço público

A SEMANA DO CAMINHAR celebra o modo de deslocamento mais utilizado e mais incrível de se deslocar e interagir com as cidades: O CAMINHAR!

A Exposição faz parte da Samana do Caminhar
https://www.facebook.com/events/1885366618369593/

Vamos inspirar as pessoas mostrando diversos exemplos de transformações pelo mundo! Venham!

O projeto ANTES | DEPOIS é o mapeamento colaborativo de espaços públicos transformados.

As novas configurações mostram a mudança na maneira de pensar as cidades, com a criação de áreas de convivência e prioridade ao transporte coletivo e mobilidade ativa - pedestres, ciclistas e outras não motorizadas.

São mais de 3.000 exemplos inspiradores no Brasil e no mundo encontrados no

Laboratório Hackerativista Urbano #2

>> 2ª edição do Programa para formação de coletivos temporários e experimentação em projetos de inovação social, a partir de ferramentas tecnológicas, tecnologias sociais e conexão com arte e ativismo <<

A proposta deste curso é que os participantes mesmo sem conhecimento prévio de eletrônica, programação, ativismo ou experiências artísticas conheçam as ferramentas e deem os seus primeiros passos na programação e cultura Maker utilizando Arduino.
Além dos conhecimentos sobre arduinos, serão trabalhados conceitos e práticas de inovação social, ativismo e hackerativismo urbano - explorando a capacidade de interação e transformação dos espaço urbano nas cidades, utilizando tecnologias sociais.
Seráo 07 encontros

Como construir lugares para melhorar a saúde mental dos habitantes

O placemaking é um conceito cunhado pela ONG norte-americana, Project for Public Spaces (PPS), para definir os processos de desenho colaborativo de espaços públicos que levam em conta os desejos, interesses e necessidades das comunidades locais.

Seus alcances foram estudados sob a perspectiva de diversos temas presentes em nossas cidades, como ecologia, psicologia, sustentabilidade, resiliência, entre outros. 

Conexões entre pessoas e lugares podem ser a chave para a segurança dos espaços públicos

Hoje, muitos espaços públicos são vistos como locais não tão seguros em milhares de cidades ao redor do mundo. A noção de segurança é perdida no momento em que uma localidade se torna vazia, não recebe iluminação, uso ou até mesmo a atenção adequada. Conectar os espaços entre o que é público e o que é privado pode ser um trunfo para evitar isso. Esses espaços são chamados deplinth. O conceito é amplamente explorado em A Cidade Ao Nível dos Olhos, livro que compila projetos que transformaram locais no mundo inteiro.

1ª Semana TransLAB.URB // Território Ativo

1ª Semana TransLAB.URB // Território Ativo
Dias 31 de Julho, 01, 02, 03 de Agosto

O TransLAB, Laboratório Cidadão e Instituto de Pesquisa em Inovação Social, através da
sua Linha de Trabalho permanente de Urbanismo, o TransLAB.URb lança a sua
primeira “Semana TransLAB.URB” com o tema “Território Ativo”, e convida todos os interessados para uma série de atividades com o objetivo de provocar reflexões sobre o papel do cidadão como protagonista do território, estimulando a construção de ações locais.

Todas as atividades terão contribuição sugerida de R$ 5,00, pagos no ato.
Serão fornecidos certificados de participação.

Inscrições: http://goo.gl/forms/0OGqcD668aVVe3P33

ATIVIDADES

Domingo, 31 de Julho

> Abertura Festiva da 1ª Semana

Espaço Urbano: Episódio 7 - Placemaking

Espaço Urbano é uma websérie de 10 episódios sobre cidades brasileiras vistas e debatidas através de diferentes ângulos. Produzida pelo Rio Academy, Espaço Urbano é uma compilação de ideias, pensamentos e visões de palestrantes do Fórum Internacional de Arquitetura e Urbanismo - FIAU 2015 que aconteceu este ano no Rio de Janeiro.

O sétimo episódio da série aborda a questão do placemaking, uma abordagem multifacetada do planejamento e da constituição de espaços públicos. Fazendo uso das habilidades, inspirações e potenciais de uma comunidade local, esta visão de planejamento tem o intuito de criar espaços públicos que promovam a felicidade e o bem estar social.

A função do placemaking na nova agenda urbana

Imaginar como serão as cidades nas próximas décadas tem levado autores de muitas áreas a apresentar visões futuristas sobre os atributos que mais contribuem com a construção de lugares de permanência, entre os quais a identidade e a sociabilidade. 

É o que sustenta Ethan Kent, sociólogo e vice-presidente do Project for Public Spaces (PPS), que diz que para que estas visões não sejam tão distantes, é necessário trabalhar com um enfoque compartilhado entre as diversas áreas para enfrentar os desafios comuns presentes nos espaços urbanos. Esta nova maneira de abordar os problemas, segundo Kent, caminha em direção a um objetivo maior que considera como o lugar e o placemaking podem redefinir as relações de trabalho para dar forma ao nosso mundo.