Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Urban Design

Urban Design: O mais recente de arquitetura e notícia

Antes e Depois: 30 fotos que mostram que é possível projetar para os pedestres

Proporcionar mais espaço aos pedestres é uma das principais metas dos projetos de renovação urbana em muitas cidades do mundo.

Recorrendo à distribuição do espaço público, que implica, muitas vezes, em restringir o espaços dos automóveis - seja nas ruas ou estacionamentos -, plantar mais árvores, construir mais calçadas e ciclovias e estabelecer novas zonas de lazer, é possível projetar lugares mais acolhedores, com menos congestionamento viário e que fomentam o uso de meios de transporte sustentáveis, como as caminhadas e o ciclismo.

Três direitos dos pedestres que podem ser assegurados por meio do desenho urbano

Ainda que todos sejamos pedestres, muitas vezes quem está atrás do volante não respeita o espaço, o tempo ou a prioridade de quem anda a pé. Esse é um dos motivos que faz de qualquer caminhada nas cidades um desafio. Além das questões de segurança pública, a hierarquia e o consequente desenho urbano que configuram as vias urbanas brasileiras dificultam o atendimento dos direitos básicos dos pedestres.

Aprenda a projetar uma quadra urbana com este baralho de 50 cartas

Sabemos perfeitamente que na arquitetura e no urbanismo, o aprendizado pode se dar de muitas formas: pense em suas maquetes, desenhos de observação, desenhos técnicos, aulas teóricas, ateliês, modelos virtuais 3D e até exercícios em realidade virtual. Nessa mesma linha, a editora a+t architecture publishers publicou 50 Urban Blocks, um baralho de cartas que busca facilitar o projeto de quadras urbanas através de 50 tipologias. 

Cada carta tem 13x8 centímetros e tem impressões em ambos os lados, com versão em inglês e espanhol. Além disso, cada carta inclui uma axonométrica, uma planta geral, projeção de sombras, coeficiente de ocupação e área total construída.

Museu de Ciência para Crianças de Incheon / HAEAHN Architecture + Yooshin Architects & Engineers + Seongwoo Engineering & Architects

© Park Young-chae © Park Young-chae © Park Young-chae © Park Young-chae + 31

The Neighbourhood propõe um futuro urbano alternativo através da impressão 3D

A impressão 3D está rapidamente emergindo como uma tecnologia que pode ser aplicada à escala do ambiente urbano. Mas podemos usar materiais confeccionados a partir dessa tecnologia para criar espaços urbanos atraentes que estejam em constante mudança? A agência de comunicação The Neighbourhood imaginou uma série de arquiteturas especulativas com base em materiais criados com impressão 3D.

Conchas Acústicas / Flanagan Lawrence

Cortesia de Flanagan Lawrence Cortesia de Flanagan Lawrence Cortesia de Flanagan Lawrence Cortesia de Flanagan Lawrence + 12

Littlehampton, Reino Unido

Light Matters: Pixels voadores inteligentes criam nuvens de luz

Imagine um sistema de iluminação que pudesse voar e iluminar as edificações ou nos guiar individualmente através do espaço. O que aconteceria ainda se pudéssemos interagir com esses pixels voadores? Esses conceitos poderiam ser concretizados num futuro próximo ao passo que os primeiro protótipos e experimentos são introduzidos. LEDs controlados por softwares combinados à tecnologia dos drones proporcionariam extraordinárias possibilidades de induzir a novas formas de experiência espacial. Essas nuvens de pixels luminosos emergiriam como padrões digitais, mas ao mesmo tempo criariam uma atmosfera romântica ao formar constelações no céu noturno. Os primeiros projetos compartilham um caráter lúdico, porém, laboratórios como o MIT's SENSEable City Lab, o ARES Lab e o Ars Electronica Futurelab mostraram um futuro fascinante no desenho urbano para os sistemas de orientação ou previsão de desenvolvimentos imobiliários, ao passo que avanços na tecnologia de baterias e controle sem fio abriram novas perspectivas para uma vida com pixels voadores inteligentes.

"Moskva: Urban Space" investiga o futuro dos espaços públicos de Moscou na Bienal de Veneza 2014

Na estréia do pavilhão de Moscou na Bienal de Veneza, a exposição "Moskva: urban space" explora o desenvolvimento histórico dos espaços públicos e examina o progresso da cidade no contexto da proposta vencedora de Diller Scofidio + Renfro para o Zaryadye Park. Com curadoria de Sergey Kuznetsov, Arquiteto Chefe de Moscou, juntamente com Kristin Feireiss do AEDES, e organizado pelo MCA - Comitê de Arquitetura e Desenvolvimento Urbano de Moscou, a exposição acontece num momento crucial na definição do futuro do desenvolvimento urbano em Moscou. Segundo Kuznetsov, "Ao passo que a aparência de Moscou nos últimos 100 anos foi bastante determinada pela arquitetura de seus edifícios que representavam o desenvolvimento político e econômico, a singularidade urbana de hoje é baseada no "tecido conectivo" de seus espaços públicos que se tornaram criadores de identidade igualmente importantes e contribuem significativamente para melhorar a qualidade de vida urbana de seus cidadãos." A seguir mais informações sobre a exposição e algumas fotografias de Patricia Parinejad.

© Patricia Parinejad © Patricia Parinejad © Patricia Parinejad © Patricia Parinejad + 13

Campos de refugiados sírios e o urbanismo improvisado

À medida que a guerra civil síria continua, cada vez mais cidadãos cruzam a fronteira em direção aos campos de refugiados na Jordânia. Apesar desses campos serem temporários, o número de pessoas que eles recebem e a incerteza de quando a crise na Síria cessará lhes rende uma sensação de permanência. Este artigo do New York Times analisa como esses campos estão se tornando, pouco a pouco, ocupações urbanas e o que isso significa para o futuro dos projetos de campos de refugiados.

Ampliação da Plaza Espanyola / Noemí Martínez

© Adrià Goula © Adrià Goula © Adrià Goula © Adrià Goula + 18

Ampliação  · 
Hospitalet de Llobregat, Espanha

Cidade do Cabo adota uma estratégia incomum para qualificar assentamentos informais

A Cidade do Cabo adotou uma nova estratégia para qualificar os assentamentos informais - a reconfiguração e reposicionamento das habitações em assentamentos muito densos de acordo com uma estrutura espacial elaborada pela comunidade. A inciativa serve para criar espaços coletivos, tornar as comunidades mais seguras e qualificar as moradias, dentre muitos outros benefícios. Clique aqui para ver como e onde essa estratégia foi adotada.

Freya e Robin / Studio Weave

© David Williams © Peter Sharpe © Studio Weave © David Williams + 25

Northumberland, Reino Unido
  • Arquitetos Autores deste projeto de arquitetura Studio Weave

A arquitetura de Kowloon Walled City: Um trecho do livro "City of Darkness Revisited"

Tendo em vista o lançamento de uma segunda edição revisada do livro "City of Darkness" - o texto oficial sobre Kowloon Walled City, que você pode ajudar a financiar pelo Kickstarer aqui - os autores Greg Girard Ian Lambot compartilharam um trecho de "City of Darkness Revisited".

As fases iniciais da cidade murada se caracterizaram por tipologias construtivas previsíveis e os edifícios foram construídos no princípio dos direitos dos ocupantes, com a construção em locais aleatórios de terra disponível por quem chegou lá primeiro. Os corredores e passagens evoluíram - de forma não planejada - até o "mapa" estabelecido da cidade, o qual se manteria até que fosse demolida. Uma fonte elétrica básica existia, cada vez mais sobrecarregada por ligações clandestinas que passavam do limite do sistema, e os poucos fontanários forneciam a única água disponível. O aumento da necessidade de acomodar a crescente população residencial e comercial, forçou, nos anos 60, a tipologia do edifício da cidade murada, inicialmente com um estruturas residenciais de dois a três andares, a dar um salto para seis a sete andares. Isso representou um limiar importante, pois nessas alturas maiores os edifícios, inevitavelmente, se tornam mais complexos e exigem o uso de  concreto armado, mais investimento e assim por diante. Eles também exigiam uma maneira diferente de viver. A água era levada manualmente até os pavimentos mais altos, assim como os botijões de gás propano, usados para cozinhar ou aquecer a água.

Cortesia de 'City of Darkness Revisited' Cortesia de 'City of Darkness Revisited' Cortesia de 'City of Darkness Revisited' Cortesia de 'City of Darkness Revisited' + 10

Anunciados os vencedores do Prêmio Canadense de Desenho Urbano 2014

Os vencedores do Prêmio Canadense de Desenho Urbano de 2014 (Canadian Urban Design Awards), um prêmio bienal que reconhece projetos que contribuem com a vitalidade e sustentabilidade das cidades canadenses, foram recentemente anunciados pelo Instituto Real do Canadá, o RAIAC (sigla em inglês para Royal Institute of Canada), o Instituto Canadense de Planejadores e a Sociedade Canadense de Arquitetos Paisagistas. Oito prêmios foram entregues para indivíduos, organizações e empresas - incluindo Perkins + Will para o masterplan em Edmonton, em reconhecimento aos seus esforços de planejamento urbano em categorias como Iniciativas Comunitárias e Projeto Cívico. Mais informações sobre os vencedores a seguir.

Caminho em Pilar de la Horadada / Joaquín Alvado Bañón

© David Frutos © David Frutos © David Frutos © David Frutos + 32

Pilar de la Horadada, Espanha

Monde & Medias / TVK - Trévelo & Viger-Kohler + NP2F

© Clément Guillaume © Clément Guillaume © Clément Guillaume © Clément Guillaume + 16

Paris, França
  • Arquitetos Autores deste projeto de arquitetura TVK, NP2F
  • Área Área deste projeto de arquitetura

Energy Carousel Dordrecht / Ecosistema Urbano Architects

© Emilio P. Doiztua © Emilio P. Doiztua © Emilio P. Doiztua © Emilio P. Doiztua + 31

Dordrecht, Outro

Noventa e Nove Falhas / The University of Tokyo Digital Fabrication Lab

© Hayato Wakabayashi Cortesia de The University of Tokyo Digital Fabrication Lab © Hayato Wakabayashi Cortesia de The University of Tokyo Digital Fabrication Lab + 32

Pavilhão  · 
-, Japão