Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Segunda Guerra Mundial

Segunda Guerra Mundial: O mais recente de arquitetura e notícia

Subúrbios de concreto: a arquitetura brutalista da Europa Oriental

19:00 - 10 Julho, 2019
Subúrbios de concreto: a arquitetura brutalista da Europa Oriental, © Zupagrafika
© Zupagrafika

Após a Segunda Guerra Mundial, o brutalismo se espalhou pela Europa, redefinindo a arquitetura moderna e estabelecendo um novo estilo para moradias populares e edifícios comunitários. Embora a maior parte da atenção tenha se detido em monumentos nas principais cidades, os subúrbios europeus também abrigam muitos edifícios brutalistas excepcionais.

Para apresentar a arquitetura brutalista "despercebida" da Europa Central e Oriental, a editora Zupagrafika registrou e reuniu mais de 100 fotografias em um livro intitulado Eastern Blocks, convidando os leitores a explorar conjuntos habitacionais brutalistas em Moscou, Berlim Oriental, Varsóvia, Budapeste, Kiev e São Petersburgo.

© Zupagrafika © Zupagrafika © Zupagrafika © Zupagrafika + 22

Berlim em miniatura: vídeo faz capital alemã parecer uma maquete vista de cima

15:00 - 20 Janeiro, 2019

MiniLook Berlin from Okapi on Vimeo.

Na correria do dia-a-dia, deslocando-se continuamente entre a casa e o trabalho, deixamos de prestar atenção nos detalhes que nos cercam. Pensando nisso, o Okapi Creative Studio criou "MiniLook Berlim", um vídeo que pretende reapresentar a cidade à seus moradores. Utilizando uma técnica de stop-motion e tilt-shift, o vídeo faz o tempo parar e a cidade parecer uma maquete, destacando as banais cenas cotidianas e imagens pitorescas da natureza, ainda que o pano de fundo esteja repleto de edifícios que todos nós conhecemos.

Dorte Mandrup vence concurso para construir escritórios sobre um bunker da 2ª Guerra Mundial

19:00 - 18 Fevereiro, 2018
© Mir
© Mir

O escritório dinamarquês Dorte Mandrup A/S foi anunciado como vencedor de um concurso para projetar o novo Centro Trilateral de Parceria do Patrimônio Mundial de Wadden, em um local naval histórico da UNESCO em Wilhelmshaven, na Alemanha. Selecionado de 14 propostas, a vencedora aparentemente flutua no topo de um bunker existente da Segunda Guerra Mundial e abrigará os escritórios de uma empresa conjunta dinamarquesa, alemã e holandesa trabalhando para proteger a área do Mar de Wadden.

Clássicos da Arquitetura: Bairro Gallaratese / Aldo Rossi e Carlo Aymonino

12:00 - 3 Abril, 2017
Clássicos da Arquitetura: Bairro Gallaratese / Aldo Rossi e Carlo Aymonino, © Gili Merin
© Gili Merin

À medida que a poeira abaixava após a Segunda Guerra Mundial, grande parte da Europa permaneceu com uma escassez habitacional. Em Milão, uma série de planos foram elaborados em resposta à crise, estabelecendo comunidades satélites para a cidade do norte da Itália, onde cada uma seria habitada por entre 50.000 e 130.000 pessoas. A construção da primeira dessas comunidades começou em 1946, um ano após o fim do conflito. Dez anos mais tarde, em 1956, a adoção do Il Piano Regolatore Generale -um novo plano diretor- preparou o cenário para o desenvolvimento da segunda, conhecida como "Gallaratese". O terreno da nova comunidade foi dividido em partes 1 e 2, sendo esta última propriedade do Monte Amiata Società Mineraria per Azioni. Quando o plano permitiu o desenvolvimento privado de Gallaratese 2 no final de 1967, a comissão para o projeto foi dada ao Studio Ayde e, em particular, seu sócio Carlo Aymonino. Dois meses depois, Aymonino convidaria Aldo Rossi para projetar um edifício para o complexo e os dois italianos começaram a realizar suas respectivas visões para a comunidade microcósmica ideal. [1]

© Gili Merin © Gili Merin © Gili Merin © Gili Merin + 17

72 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, Auschwitz busca preservar sua memória

12:00 - 27 Janeiro, 2017
72 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, Auschwitz busca preservar sua memória, Campo de concentração Auschwitz-Birkenau. Image via xiquinhosilva [Flickr CC]
Campo de concentração Auschwitz-Birkenau. Image via xiquinhosilva [Flickr CC]

Oito meses antes do fim da Segunda Guerra Mundial, no fronte europeu, o exército soviético avançava posições na Polônia anexada pela Alemanha, no começo de 1945. Isso motivou os nazistas a esvaziarem o campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, onde foram torturadas e assassinadas mais de um milhão de pessoas -principalmente judeus- nos cinco anos de sua existência.

A evacuação durou quatro dias, começando em 17 de janeiro de 1945 e ante a evidência de sua sistemática matança, os nazistas decidiram explodir parte da infraestrutura construída, alguns crematórios, porões e câmaras de gás, para tentar esquecer a existência dessa fábrica de cadáveres.

Hoje, 72 anos depois da liberação do campo de concentração mais extenso do Terceiro Reich, a fundação encarregada de Auschwitz-Birkenau busca “conservar a autenticidade”, restaurando a infraestrutura em condições mais próximas às originais da época em que os nazistas abandonaram o lugar.

Conheça o desafio que Auschwitz enfrenta, a seguir.

Campo de concentração Auschwitz-Birkenau. Image via Abel Francés Quesada [Flickr CC] Campo de concentração Auschwitz-Birkenau. Image via Clark & Kim Kays [Flickr CC] Campo de concentração Auschwitz-Birkenau. Image via Adam Kuśmierz [Flickr CC] Campo de concentração Auschwitz-Birkenau. Image via Félix Carrera [Flickr CC] + 5

Resort nazista em Rügen será transformado em conjunto de luxo

07:00 - 10 Outubro, 2016
Resort nazista em Rügen será transformado em conjunto de luxo, © Metropole Marketing
© Metropole Marketing

Três anos antes da Alemanha Invador a Polônia em 1939, Adolf Hitler ordenou a construção do maior resort turístico do mundo, localizado em um terreno na orla da ilha de Rügen. Os nazistas o chamavam de Prora.

Capaz de receber mais de 20 mil hóspedes, Prora foi concebida pra reconfortar o trabalhador alemão cansado de sua rotina na indústria. Segundo o historiador Roger Moorhouse, o resort também servia para compensar a mão de ferro da Gestapo -- um gesto pacificador para aproximar o povo alemão de Hitler.

Mas com o estopim da Segunda Guerra Mundial, a construção de Prora foi paralizada -- até agora.

Da queda do partido nazista até 2013, o resort não passava de uma casca de um edifício, porém, há três anos, a companhia imobiliária alemã Metropole Marketing adquiriu os direitos de remodelar Prora e construir no local luxuosas casas de veraneio.

© <a href='https://www.flickr.com/photos/99667320@N06/13352750454/in/photolist-mkWkvq-mkXX9i-mmvq8W-mroohW-n29cTK-mpjJy7-n34o2d-mFZRB2-mxKSBy-n5eudF-n6tHtc-n6WRZ8-mTV4ZX-n7vgVk-mZq98P-mZqATk-n1gupw-mKEMe8-mKEHmX-mD8Gyd-mKE7NF-mWhv2M-j5WdR9-iH8HG7-j56D8z-iNwCzr-iKUXXP-iH4kaF-iM7Lwn-iLW3sS-j5TGBr-iNySQW-mVPruk-mxH7yP-iP1Qaz-j95ec5-j92BrT-j889S2-jb3G5A-jb2rMZ-naEwMZ-naEfKP-n1fXS9-mZPP8M-mZPtJ6-mXGxAj-mWidK4-mHUpwd-mG1Kir-mFZADX'>Flickr user Pixelteufel</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/'>CC BY 2.0</a> © <a href='https://en.wikipedia.org/wiki/File:Flur_Zerstoerungen.JPG'>Wikimedia user Wusel007</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en'>CC BY-SA 3.0</a>. Image5 © Metropole Marketing © Metropole Marketing + 17

Exposição na Bienal de Veneza examina o julgamento de David Irving e a arquitetura do Holocausto

21:00 - 6 Março, 2016
Exposição na Bienal de Veneza examina o julgamento de David Irving e a arquitetura do Holocausto, Fachada posterior de The Evidence Room (Siobhan Allman, Anna Longrigg, Donald McKay, Michael Nugent, Nicole Ratajczak, Alexandru Vilcu). Imagem © The Evidence Room
Fachada posterior de The Evidence Room (Siobhan Allman, Anna Longrigg, Donald McKay, Michael Nugent, Nicole Ratajczak, Alexandru Vilcu). Imagem © The Evidence Room

Em 2000, em um julgamento realizado em Londres, David Irving, britânico notório por negar o Holocausto, processou, por calúnia, uma historiadora americana e seu artigo. Ele afirmou que o Holocausto na verdade não aconteceu -- teria sido o planejado e sistemático assassinato de seis milhões de judeus europeus uma farsa? A luta pelo valor de evidências arquitetônicas se torna relevante. Em última instância, análises forenses de plantas e remanescentes arquitetônicos de Auschwitz se tornaram crucial na derrota de Irving naquela que continua sendo a mais decisiva vitória contra a negação do Holocausto.

Isométrica de The Evidence Room (Siobhan Allman, Anna Longrigg, Donald McKay, Michael Nugent, Nicole Ratajczak, Alexandru Vilcu). Imagem © The Evidence Room Molde em geso do preenchimento câmara de Gás de Auschwitz, Copiado de Photo by Omer Arbel. Imagem © Omer Arbel Perspectiva interna da coluna de gás de Auschwitz em The Evidence Room (Siobhan Allman, Anna Longrigg, Donald McKay, Michael Nugent, Nicole Ratajczak, Alexandru Vilcu). Imagem © The Evidence Room Perspectiva interna da porta da câmara de gás em The Evidence Room (Siobhan Allman, Anna Longrigg, Donald McKay, Michael Nugent, Nicole Ratajczak, Alexandru Vilcu). Imagem © The Evidence Room + 14

Vídeo: 'Spirit of Berlin', registro colorido histórico de Berlim após a Segunda Guerra Mundial

05:00 - 8 Maio, 2015

Neste 08 de maio cumprem-se 70 anos do fim da Segunda Guerra Mundial na Europa, com a rendição da Alemanha do Terceiro Reich ante o exército dos Aliados, colocando um ponto final nas batalhas que perduraram por seis anos. Konstantin von zur Muehlen publicou recentemente 'Spirit of Berlin', um curta-metragem que retrata a vida cotidiana na capital alemã em julho de 1945, apenas dois meses após o fim da guerra.

Saiba mais, a seguir.

Fotografias da Segunda Guerra Mundial no Google Street View

17:00 - 11 Julho, 2014
Fotografias da Segunda Guerra Mundial no Google Street View, Champs Élysées, Paris
Champs Élysées, Paris

Mostramos recentemente os lugares onde foram feitas as fotografias de algumas das capas de discos mais famosas da história. Ao contrastá-las com as imagens do Google Street View percebemos como certos pontos das cidades mudaram e como outros continuam praticamente iguais.

Apresentamos desta vez uma galeria de fotos da Segunda Guerra Mundial, registradas em Berlim, Londres, Nova Iorque, Varsóvia, entre outras, onde é possível ver como algumas avenidas e praças continuam desempenhando um importante papel como espaços de encontro e de manifestação social.

Veja as montagens a seguir.