1. ArchDaily
  2. Photography

Photography: O mais recente de arquitetura e notícia

Como o acaso ajudou Pedro E. Guerrero a se tornar o fotógrafo favorito de Frank Lloyd Wright

O que é necessário para um estudante de artes de 22 anos começar uma relação profissional duradoura com "o maior arquiteto americano de todos os tempos"? Originalmente publicado na Curbed como "How a 22-Year-Old Became Wright's Trusted Photographer", esse artigo revela que para Pedro E. Guerrero foi necessário coragem e muita sorte - mas uma vez que começaram a trabalhar juntos, esse par improvável era uma dupla perfeita.

Quando Frank Lloyd Wright contratou Pedro E. Guerrero para fotografar a Taliesin West em 1939, nenhum dos dois sabia que isso levaria a uma das relações mais importantes na história da arquitetura. Wright tinha 72 anos e já havia sido publicado na capa da Time devido à Casa da Cascata. Guerrero tinha 22 anos e acabara de sair da faculdade. Seu primeiro encontro aconteceu a pedido do pai de Guerrero, um pintor que conhecia vagamente Wright da vizinhança e esperava que o arquiteto oferecesse a seu filho um trabalho. Qualquer trabalho.

O jovem Guerrero teve a audácia de se apresentar ao famoso arquiteto como "fotógrafo". Na realidade, ele não havia ganhado nenhum tostão com isso até então. "Eu tinha o pior portfólio do mudo, incluindo uma foto de um pelicano morto", confessou Guerrero mais tarde. "Mas eu também tinha nus feitas na praia em Malibu. Isso pareceu capturar o interesse de Wright."

Fotografias de cima do edifício mais alto de Nova Iorque

Fotografia registrada do 432 Park Ave, voltado para oeste. Imagem © Demid Lebedev
Fotografia registrada do 432 Park Ave, voltado para oeste. Imagem © Demid Lebedev

"Quanto mais alto você for, mais solitário o mundo parece."

Demid Lebedev, mais conhecido por sua conta no instagram (Demidism), escalou recentemente o 432 Park Avenue, registrando perspectivas inéditas a partir do edifício residencial mais alto de Nova Iorque. "Fui ao céu e voltei" escreveu Lebedev em uma das fotos. Envolto por neblina, Lebedev registrou vistas a partir de diferentes níveis do edifício, que está atualmente em fase final de construção. 432 Park Avenue terá 420 metros de altura - ultrapassando o One57 - e receberá o título de edifício residencial mais alto da cidade.

Após sua escalada, Lebedevfoi preso e acusado por invasão e imprudência, segundo afirma um jornal local.

Nós conversamos com Lebedev para saber como é escalar o maior edifício edifício da cidade e como ela muda à medida que nos afastamos do nível da rua. Leia, a seguir, o que Lebedev tem a dizer e veja algumas de suas impressionantes fotografias.

Seriam as construções abandonadas ruínas da modernidade?

Ruínas antigas são algo comum na Europa - há muitos exemplos famosos como Pompeia, o Partenon, o Coliseu - mas o que dizer das novas ruínas? Esqueletos de edifícios incompletos agora povoam o skyline das cidades europeias. Uma forma de momento mori, essas construções abandonadas provam que nenhuma estrutura é permanente ou imune aos desejos cambiantes de uma sociedade em fluxo. O fotógrafo inglês Sam Laughlin documenta o surgimento dessas "ruínas" em sua série Frameworks, um exame contemporâneo do envelhecimento do ambiente construído.

Entre no mundo abandonado de Frameworks e veja outras fotografias de Laughlin, a seguir.

Seriam as construções abandonadas ruínas da modernidade?Seriam as construções abandonadas ruínas da modernidade?Seriam as construções abandonadas ruínas da modernidade?Seriam as construções abandonadas ruínas da modernidade?+ 16

A ascensão do "Ruin Porn"

Ultimamente os arquitetos têm compartilhado uma fascinação crescente por ruínas. À medida que as tecnologias para imaginar os edifícios do futuro se tornaram mais precisas - nos permitindo não apenas caminhar por eles, sobrevoá-los e dissecar suas paredes, mas também calcular as quantidades exatas de materiais, capacidades estruturais e custos - nossa fascinação por ruínas, um processo governado por leis da natureza e do tempo, espacialmente imprevisível e raramente uniforme, também tem se tornado mais popular.

Iwan Baan entre os jurados do concurso de fotografia "Avant Guardian"

A revista Surface Magazine está relançando seu famoso concurso de fotografia Avant Guardian, uma competição que ajudou a deslanchar a carreira de muitos grandes fotógrafos. Os editores da Surface e o renomado júri - composto pelos fotógrafos Iwan Baan, Johan Lindeberg, Klitos Teklos (Air Paris), Benoit Lagarde (Splashlight), e Keren Sachs (Offset) - selecionarão 10 finalistas. Os trabalhos escolhidos serão publicados na edição de outubro desse ano da revista Surface e expostos em exibições itinerantes.

Para inspirá-lo a participar, reunimos a seguir algumas impressionantes fotografias de Iwan Baan. O prazo para as inscrições é quinta-feira, 24 de julho.

Iwan Baan entre os jurados do concurso de fotografia Avant GuardianIwan Baan entre os jurados do concurso de fotografia Avant GuardianIwan Baan entre os jurados do concurso de fotografia Avant GuardianIwan Baan entre os jurados do concurso de fotografia Avant Guardian+ 9

7 impressionantes registros aéreos de cidades

As possibilidades oferecidas pela fotografia podem muitas vezes mostrar aquilo que nos passa despercebido - um ângulo ou ponto de vista incomum - ou ainda sugerir atmosferas frequentemente invisíveis aos olhos. Em arquitetura, a fotografia pode registrar ângulos, formas, cores, sensações, usos, práticas... e o mesmo se dá com a fotografia de cidades. 

Contudo, a gravidade (frequentemente) limita o fotógrafo ao chão, e a maior parte dos registros visuais é feito ao nível do solo, mostrando a cidade e seus espaços através de uma perspectiva que, embora extremamente rica, deixa escapar possibilidades outras de registros.

As imagens a seguir mostram sete impressionantes registros visuais de cidades através de uma perspectiva pouco comum. Veja a seguir:

Ensaio fotográfico “Sesc Pompeia, Concreto Vermelho – 2013”

O designer e fotógrafo paulistano Fernando Pires realizou ano passado uma série fotográfica no icônico Sesc Pompéia, uma das mais expressivas obras da arquiteta Lina Bo Bardi.

Partindo da obra arquitetônica - um projeto brutalista onde duas cores, o vermelho e o cinza do concreto, se unem com harmoniosamente – o fotógrafo faz uma releitura bastante pessoal em um ensaio que explora a simetria e busca transmitir a sensação de conforto visual.

O ensaio mostra profundo respeito pela obra da arquiteta, entretanto, através da linguagem da fotografia, cria narrativas outras que têm como base o próprio edifício do Sesc Pompéia. 

Veja a seguir algumas das fotografias deste ensaio

Ensaio fotográfico “Sesc Pompeia, Concreto Vermelho – 2013”Ensaio fotográfico “Sesc Pompeia, Concreto Vermelho – 2013”Ensaio fotográfico “Sesc Pompeia, Concreto Vermelho – 2013”Ensaio fotográfico “Sesc Pompeia, Concreto Vermelho – 2013”+ 15

Uma Jornada Fotográfica através do Vale de Zumthor

Nosso amigo e fotógrafo de arquitetura Felipe Camus embarcou recentemente em uma peregrinação arquitetônica pelo vale do Reno. Localizado na região Graubünden, na Suíça, o vale possui muitas das obras mais importantes do arquiteto premiado com o Pritzker, Peter Zumthor, todas em um raio de 60 quilômetros. Nascido na região, Zumthor fez os projetos relacionando-os à suas localizações e tempos, prestando especial atenção aos detalhes e materiais. Como resultado, as obras espelham suas habilidades inigualáveis e integridade.

Junte-se a nós para este Guia especial de Arquitetura que inclui um mapa detalhado, fotos e descrições de algumas das obras de Peter Zumthor, a seguir...

Uma Jornada Fotográfica através do Vale de ZumthorUma Jornada Fotográfica através do Vale de ZumthorUma Jornada Fotográfica através do Vale de ZumthorUma Jornada Fotográfica através do Vale de Zumthor+ 137

Pavilhão Vieux Port / Foster + Partners, Fotos por Edmund Sumner

Localizado na foz do porto de Marselha - declarado Patrimônio da Humanidade - o Pavilhão Vieux Port, projetado por Foster + Partners, proporciona um novo espaço coberto para eventos próximo ao limite leste do porto. Trazendo novo foco sobre a cidade, estas fotografias de Edmund Summer exemplificam a capacidade da cobertura de aço inoxidável de ampliar e refletir os movimentos do porto, criando um espetáculo que convida os visitantes a permanecer no lugar. Desde sua inauguração neste ano, o projeto vem se mostrado um verdadeiro convite aos habitantes de Marselha para aproveitar este espaço para a realização de eventos, feiras e celebrações. Outras fotografias de Summer podem ser vistas na sequência.

Fotografia e Arquitetura: Paúl Rivera

Esta semana queremos lhes apresentar Paúl Rivera: fotógrafo de arquitetura nascido em Puebla, México. Paúl estudou Artes Visuais na Universidade da Califórnia, São Diego (UCSD) focando-se nas áreas de fotografia e filmagem. Em 1999, ele foi para Nova York, onde continuou sua exploração fotográfica, com foco na arquitetura e design de interiores.

Em 2004 se tornou sócio de archphoto, uma empresa de fotografia de arquitetura onde trabalha com Eduard Huber, Inés Leong e Andrew Rugge; onde se pode ver grandes obras de arquitetura de todas as partes do mundo. 

Na continuação lhes apresentamos esta entrevista exclusiva junto com uma seleção de suas melhores imagens.