1. ArchDaily
  2. Modernismo

Modernismo: O mais recente de arquitetura e notícia

Livro resgata a memória do arquiteto Hans Broos e sua contribuição à arquitetura brasileira

Nascido na Eslováquia em 1921, o arquiteto Hans Broos iniciou sua carreira no Brasil em 1953, após diplomar-se na Alemanha em 1949. Sua curta carreira europeia foi marcada pela reconstrução da Alemanha, quando trabalhou ao lado do arquiteto Egon Eiermann, sendo seu assistente na Universidade Técnica de Karlsruhe. Nesse período, Broos teve contato com Le Corbusier e seus preceitos da arquitetura moderna. Desde o princípio alinhado aos arquitetos do movimento moderno, Broos desenvolveu seus primeiros trabalhos em Blumenau e Florianópolis, em Santa Catarina, longe dos grandes centros brasileiros. Ao longo de sua vida profissional, o arquiteto sempre se debruçou sobre diversos tipos de programa: do residencial ao industrial, passando pelo religioso, pelo comercial e pelo social ao longo de mais de 50 anos de carreira e cerca de 400 projetos. Destes, aproximadamente 100 foram executados em vários estados como Santa Catarina, São Paulo, Pernambuco e Goiás. O arquiteto faleceu em 2011.

Ícone do Modernismo, Palácio Gustavo Capanema tem fachadas restauradas

Mais uma vez, quem estiver passando pela movimentada rua Araújo Porto Alegre, na esquina com a Avenida Graça Aranha, no centro do Rio de Janeiro (RJ), vai poder se encantar com a imponência do Palácio Gustavo Capanema e entender porque ele é um ícone do Modernismo, para o Brasil e para todo o mundo. Mais de 70 anos depois da inauguração do edifício, em 1946, toda a inovação de suas fachadas - trazida pelos mestres da arquitetura e das artes dos anos de 1930 -, foi restaurada e será entregue pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), no próximo dia 20 de setembro.

Congresso de Arquitetura, Turismo e Sustentabilidade - CATS

Pela quarta vez em Cataguases o Congresso de Arquitetura, Turismo e Sustentabilidade – CATS, vai reunir centenas de profissionais, estudantes, pesquisadores e público em geral para debaterem sobre a preservação do patrimônio histórico. O congresso vai ocorrer entre os dias 27 e 30 de Setembro de 2018. As inscrições estarão abertas a partir de 30 de Agosto de 2018.

O encontro, cujo tema será "Plano Diretor: desafio para cidades de pequeno porte", constará de palestras, sessões de comunicação, oficinas de capacitação, cursos e visitas guiadas aos bens tombados.

O congresso tem por objetivo criar em Cataguases um polo de encontro e de

"This building will balance": Mies van der Rohe e a arquitetura paulistana

Crédito da imagem: SHULZE, Franz DANFORTH, George E., Consulting Editor; “The Mies van der Rohe Archive, The Museum of Modern Art, An Ilustrated Catalogue of the Mies van der Rohe drawings in the Museum of Modern Art. Part II: 1938-1967, the American Work. Volume 17 (Ron Bacardí y Compañia, S.A. Administration Building (Cuba) and another Buildings and Projects)”; Garland Publishing, Inc., N.Y. and London, 1992
Crédito da imagem: SHULZE, Franz DANFORTH, George E., Consulting Editor; “The Mies van der Rohe Archive, The Museum of Modern Art, An Ilustrated Catalogue of the Mies van der Rohe drawings in the Museum of Modern Art. Part II: 1938-1967, the American Work. Volume 17 (Ron Bacardí y Compañia, S.A. Administration Building (Cuba) and another Buildings and Projects)”; Garland Publishing, Inc., N.Y. and London, 1992

Percorrer a sequência de croquis do projeto para o Consulado dos Estados Unidos em São Paulo, feito por Mies van der Rohe entre 1957 e 1962, e encontrar em uma das pranchas o comentário This building will balance! (1) é uma experiência representativa do que foi a influência do arquiteto alemão naturalizado nos Estados Unidos para a produção brasileira, sobretudo a paulista.

Eliel e Eero Saarinen: A vasta influência de pai e filho na arquitetura

St Louis Gateway Arch. Image © Flickr user jeffnps licensed under CC BY 2.0
St Louis Gateway Arch. Image © Flickr user jeffnps licensed under CC BY 2.0

É raro um pai e filho compartilharem a mesma data de nascimento. Ainda mais raro que essa dupla trabalhe na mesma profissão e mais raro ainda ambos alcançarem sucesso internacional em suas respectivas carreiras. Esta, no entanto, é a história de Eliel e Eero Saarinen, os arquitetos finlandeses-americanos cujo portfólio conjunto retrata o desenvolvimento do pensamento arquitetônico moderno nos Estados Unidos. Desde os edifícios finlandeses inspirados pela Art Nouveau de Eliel e o planejamento urbano modernista até o estilo internacional de Eero e suas estruturas neo-futuristas, a dupla pai-filho produziu um corpo incomparável de trabalho, culminando em duas medalhas de ouro individuais do AIA.

© MWAA<a href='https://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:FirstChristianChurch.jpg'>Photo by Greg Hume</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.5/deed.pt'>CC BY-SA 2.5</a>© <a href='https://www.flickr.com/photos/gabyu/305710396'>Ezra Stoller via Flikr user gabyu</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-nd/2.0/'>CC BY-ND 2.0</a>© <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Helsinki_Railway_Station_20050604.jpg'>Revontuli</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en'>CC BY-SA 3.0</a>+ 22

Inscrições abertas para o concurso A0= MODERNISMO x (BRASIL + LE CORBUSIER)

O Instituto Cremme tem o prazer de convidar estudantes de Arquitetura e Urbanismo, Design, Fotografia, Comunicação e Artes Plásticas de São Paulo para o concurso dentro do quadro da exposição “Experimentando Le Corbusier – Interpretações Contemporâneas do Modernismo”, em vigor no Museu da Casa Brasileira até dia 12 de agosto.

Partindo de questões atuais, os artistas que expõem, revivem a experiência do pensamento de Le Corbusier buscando adequar-se ao momento contemporâneo. Escritórios de arquitetura, como Triptyque Architecture, Nitsche Arquitetos e AR Arquitetos, representaram no formato de uma A0 tais questionamentos sintetizados no seguinte enunciado:

Congresso de Arquitetura, Turismo e Sustentabilidade

Estão abertas as inscrições para o envio de TRABALHOS ACADÊMICOS para as Sessões de Comunicação do 4o. CATS - CONGRESSO DE ARQUITETURA , TURISMO E SUSTENTABILIDADE - Cataguases - MG.

Informações e Inscrições no site: www.catscataguases.com.br

Data limite para o envio de artigos é dia 10/Agosto/2018

O evento acontecerá em Cataguases - MG, entre os dias 27 a 30 de Setembro/2018 e contará com oficinas, palestras, visitas guiadas aos bens tombados e sessões de comunicação.

Alguns nomes já estão definidos para o evento: Arquiteta Ceça Guimaraens, Arquiteto Francisco Fanucci, Arquiteto Arquiteto Manoel Ribeiro, Arquiteto Pierre Andre-Martin, Arquiteto Mario Cezar da Silveira, Turismólogas Maria

A arquitetura de Chernobyl: passado, presente e futuro

Parque de Diversões Abandonado, Pripyat. Imagem © <a href='https://www.flickr.com/photos/oinkylicious/2329332355/in/photolist-4xQrmF-Zy21ao-Kk1D9g-Gb2HP2-Gbd54x-JowQgL-Gbd2dH-kmncdm-HhH4ar-vjHaG4-UEr5H6-a18skw-4Jfgyq-a15xDt-b8aKqR-79Cs8L-7f8k5o-6mTumV-AchudK-nMskBH-21Paa6J-YtFY7A-Zym38a-GqNxX-Zu4Rj7-Zvy49y-o4Cvtz-GvJskr-Zvy4ZV-a18r3j-nMrmxp-22mw4E4-a18sfj-9pfhyd-a18srJ-6mTu12-8AFucS-6mTu6v-6mXBWu-a18q1b-6mXBNJ-a18rMf-a15AuP-a15Aor-aR4JPT-CJcGwg-d7Z5uq-GqPr6-GqKb1-a15B3P'>Flickr user oinkylicious</a> licensed under <a href=' https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.0/'>CC BY-NC-ND 2.0</a>
Parque de Diversões Abandonado, Pripyat. Imagem © Flickr user oinkylicious licensed under CC BY-NC-ND 2.0

No dia 26 de abril completou-se 32 anos do desastre nuclear de Chernobyl ocorrido em 1986, com a explosão do Reator 4 da usina nuclear na Ucrânia, causando a morte direta de 31 pessoas, a dispersão de nuvens radioativas pela Europa e o desmantelamento efetivo de 30 km de terras em todas as direções desde o centro da explosão. Trinta e dois anos mais tarde forma-se uma leitura dual da paisagem: uma de extremos de engenharia e outra de inquietude e desolação.

A medida que se transcorre o aniversário do desastre e suas consequências, exploramos o passado, o presente e o futuro da arquitetura de Chernobyl traçando o caminho de uma paisagem que ardeu no fogo, mas que ainda pode ressurgir das cinzas.

Reator 4, Chernobyl foi envolvido na maior estrutura metálica móvel do mundo. Imagem © <a href='https://www.flickr.com/photos/entoropi/35375407185/in/photolist-VU1d6x-ikWQJ1-TsSEwh-9qYCRm-9r6pCQ-5m9uAf-hQxGTt-9qW5dX-9qZ86h-ikXxJp-VGwNBV-9r3mCk-9qW8b4-JnBeTu-JEs1bN-JPwDqi-5m9uKY-VTZpwk-9qW1gt-pquPBw-o5xhEA-o5CtPv-ikXzoX-9qYYe5-9qW5Cv-ViPtB3-a1f2LP-24v4vJn-ikXG5T-ikXae5-ikXbbA-HS2sCx-ikX47f-JFgyt9-ikWQvz-JFuDgD-4JaWEF-9qYUAA-4JaXwp-ikX25w-ikX5uL-9r3dEz-21K4gzj-VLhgQ8-9qZaH1-9qVN4v-9r3vVX-9qYCb9-qVuDsv-9qW9kr'>Flickr user entoropi</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.0/'>CC BY-NC-ND 2.0</a>O quinto reator inacabado de Chernobyl. Imagem © <a href='https://www.flickr.com/photos/spoilt_exile/35540029246/in/photolist-W9xWuW-8EJWzQ-8EFKjR-nYASP9-b5mfSF-KaKzfq-JoyU1p-LeqYKQ-db7Rjb-g9sy6Z-eFjTwt-8EJRUJ-9HxbYc-9ChyMP-eFqD41-9r6syY-b5jZX8-8E3Gq8-UBvtEu-eFjVJH-2cMJbu-S1h3Ni-G8UJNf-HbTHda-oDXEJ-SSthoT-JFpB8R-oDXyo-76kFmX-sfX8km-atjDdx-8EJBQm-GbcxvD-GbcuAR-FL67kj-FfKC19-G8UGMb-Gbchbv-25mkvaF-FBeQuK-HgSNsj-8EJX9S-5m9vfu-22Epjzj-fai36Q-8EJP1W-4jMERm-JFuDgD-YYzhkv-eFqCuS'>Flickr user spoilt_exile</a> licensed under <ahref='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>CC BY-SA 2.0</a>Piscina Abandonada, Pripyat. Imagem © <a href='https://www.flickr.com/photos/22746515@N02/26563907296/in/photolist-GtmYaE-eLaenJ-eeUnTA-SF9h32-Bo4Gq1-7f8nJw-uQ48C-6qxrvs-9BV2oD-HFWifd-6qxqAm-eLaehW-4JEQH3-RX8AcC-SNS9DU-RPNywP-TC6jR6-7FU6vg-D3PFi5-UYXshy-eLaeey-SSsDqz-V3p7Lt-TNWtAx-TNRUWT-TKSjx9-V3se2D-TKVEVC-TKWHey-6w9yh1-TNqymV-TNVDBr-RX6McY-V3r94z-TNpNft-RzXz6U-6jNwgu-TNsYHr-UN3K7h-UQEByr-V3rvgz-UYsKFu-UQKsgt-TKrHko-UMYEZY-9dGEHv-XRsh7D-7f8k5o-XArcfz-UsfA6W'>Flickr user Bert Kaufmann</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/'>CC BY-NC 2.0</a>Parque de Diversões Abandonado, Pripyat. Imagem © <a href='https://www.flickr.com/photos/thedakotakid/6216419723/in/photolist-atjM1p-9qZbyw-fai36Q-VU1fxr-fahXd9-o1wcX3-Dy5et5-VU1d6x-ikWQJ1-TsSEwh-9qYCRm-9r6pCQ-5m9uAf-hQxGTt-9qW5dX-9qZ86h-ikXxJp-VGwNBV-9r3mCk-9qW8b4-JnBeTu-JEs1bN-JPwDqi-5m9uKY-VTZpwk-9qW1gt-pquPBw-o5xhEA-o5CtPv-ikXzoX-9qYYe5-9qW5Cv-ViPtB3-a1f2LP-24v4vJn-ikXG5T-ikXae5-ikXbbA-HS2sCx-ikX47f-JFgyt9-ikWQvz-JFuDgD-4JaWEF-9qYUAA-4JaXwp-ikX25w-ikX5uL-9r3dEz-21K4gzj'>Flickr user thedakotakid</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>CC BY-SA 2.0</a>+ 18

Crescendo em uma casa de vidro: como é ser filha de um arquiteto modernista intransigente?

Este artigo foi originalmente publicado no Common Edge como "Growing Up in a Glass House: An Architect’s Daughter Explores Modernism’s Shadow."

O novo livro de Elizabeth W Garber, Implosion: A Memoir of an Architect’s Daughter (She Writes Press), conta a história de como foi crescer em uma casa de vidro, projetada por seu pai, Woodie Garber, já chamado de "mais extremo, experimental e criativo arquiteto moderno de Cincinnati”. O livro de memórias, que será lançado em junho, centra-se em uma família presa no embate entre a arquitetura moderna, a mudança social radical e a loucura na turbulenta década de 1960 em Cincinnati. Recentemente, conversei com Garber sobre o livro, as críticas do modernismo e por que ela não conseguiria morar em uma casa de vidro hoje.

Filme sobre Brasília estreia em festivais europeus de cinema e arquitetura

Uma das heranças do Modernismo no mundo, como a arquitetura e o urbanismo de Brasília influenciam a vida de quem vive na capital do Brasil? Este é o tema do documentário O Corpo e a Cidade Modernista, que estreia com duas exibições na Europa: no dia 8 de maio, no Festival de Arquitetura de Copenhagen (CAFx), Dinamarca; e no dia 10 de junho, no Arquiteturas Film Festival, em Portugal.

A retomada do pós-modernismo: por que agora?

Piazza D'Italia / Charles Moore. Cortesia de The Charles Moore Foundation
Piazza D'Italia / Charles Moore. Cortesia de The Charles Moore Foundation

O argumento, elaborado pelo historiador de arquitetura Charles Jencks na introdução de seu novo livro Postmodern Design Complete, de que os estilos pós-modernos nunca realmente deixaram a arquitetura parece mais preciso que nunca. O movimento do final dos anos 1970 que começou como uma reação aos cânones utópicos do modernismo retomou fôlego dentro do campo profissional, definindo o momento presente na cultura arquitetônica.

Isso levanta uma importante questão: qual é o movimento atual da arquitetura? E o que veio na sequência do pós-modernismo? Se é que houve algo, foi um grito lamurioso de "chega de pós-moderno", seguido por uma onda recente de "salve o pós-moderno", muito bem exemplificada pela recente movimentação para preservar o edifício AT&T de Philip Johnson da remodelação proposta pelo Snøhetta. Até Norman Foster se pronunciou, dizendo que embora nunca tenha sido um entusiasta do movimento pós-moderno, compreender sua importância na história da arquitetura. O pós-modernismo está retornando com todas as suas citações e o espalhafato que lhe são característicos.

Casas de pássaros inspiradas na arquitetura moderna

Douglas Barnhard, proprietário da empresa de decoração Sourgrassbuilt, projeta e constrói casas de pássaros. Construídos com materiais reutilizados, seus projetos são inspirados no modernismo de meados do século XX e prestam homenagem a Frank Lloyd Wright, Joseph Eichler e a Bauhaus, embora apresentem também elementos que reflitam a rica cultura de surf e skate da Califórnia.

Kate Moss posa para Saint Laurent nos degraus da Casa Malaparte

A Casa Malaparte, o clássico italiano projetado por Adalberto Libera, é o pano de fundo da campanha de primavera 2018 da maison Saint Laurent, que conta com a participação da modelo britânica Kate Moss. O vídeo da campanha, dirigido por Nathalie Canguilhem, apresenta Moss na emblemática escadaria que faz vezes de cobertura da casa - um promenade arquitetônico que parece conduzir ao céu.

Sesc 24 de Maio e Instituto Moreira Salles: a tradição viva do modernismo paulista

A Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade de São Paulo (USP) está completando 70 anos. Entre as diversas contribuições à produção de conhecimento no campo da arquitetura, urbanismo e design feitas ao longo de sua história, uma se destaca particularmente ao associar uma escola, no sentido prático de um estabelecimento de ensino, a uma “escola”, uma corrente de pensamento dentro da arquitetura. Trata-se da chamada Escola Paulista de Arquitetura Moderna, grupo de arquitetos e pensadores sobre arquitetura brasileira que constituiu, desde os anos 1950, um movimento no interior do modernismo.

Em foco: Le Corbusier

"Espaço e luz e ordem. Estas são as coisas que os homens precisam tanto quanto precisam de pão ou um lugar para dormir."

Hoje, celebramos o 130° ano de nascimento de Charles Edouard Jeanneret-Gris (1887-1965), mais conhecido como Le Corbusier.

O arquiteto, urbanista, designer, pintor e escritor suíço é amplamente considerado um dos pioneiros do movimento moderno na arquitetura. Durante os 50 anos em que trabalhou com arquitetura, teve obras construídas por toda a Europa, Índia e Estados Unidos.

Por uma arquitetura de luz, cor e experiências virtuais

Este ensaio publicado pela Space Popular refere-se a uma instalação atualmente em exibição na Sto Werkstatt, em Londres. É possível experienciá-la em realidade virtual, aqui.

A Glass House não tinha outra finalidade além da estética. Destinava-se a ser puramente um espaço expositivo e uma bela fonte de ideias para a arquitetura "duradoura". De acordo com o poeta Paul Scheerbart, a quem a casa foi dedicada, ela deveria desiludir aquela compreensão mais restrita a respeito do espaço da arquitetura e introduzir os propósitos e as possibilidades que o vidro proporcionaria para o mundo da arquitetura.

Bruno Taut [acima] assim descreveu sua Glashaus para a Exposição Mundial de 1914 em Colônia, na Alemanha, como um "pequeno templo da beleza"; como "reflexos de luz cujas cores começam na base com um azul escuro e sobem passando pelo verde de musgo e dourado culminando, na parte superior, em um amarelo luminoso e pálido". [1] O Pavilhão de Vidro, projetado com base nos potenciais efeitos sobre aqueles que o percebem, deveria proporcionar intensas experiências. O espaço deveria ser criado dentro da mente humana.

The Glass Chain / Space Popular (Sto Werkstatt, London). Image © Space PopularThe Glass Chain / Space Popular (Sto Werkstatt, London). Image © Space PopularThe Glass Chain / Space Popular (Sto Werkstatt, London). Image © Space PopularThe Glass Chain / Space Popular (Sto Werkstatt, London). Image © Space Popular+ 15

Space Popular cria instalação que amplia as possibilidades do uso do vidro

"Glass Chain" (Die Gläserne Kette, em alemão) foi uma troca de cartas iniciadas por Bruno Taut em novembro de 1919. A correspondência durou apenas um ano e incluiu Walter Gropius, Hans Scharoun e Paul Gösch. As cartas de Glass Chain - treze ao total - especulam e fantasiam sobre as possibilidades do uso do vidro, imaginando, nas palavras de Fredrik Hellberg e Lara Lesmes (Space Popular), "follies de vidro fluídos e orgânicos e catedrais de cristal coloridas cobrindo cadeias de montanhas inteiras até chegarem ao espaço."

© Ben Blossom© Ben Blossom© Ben Blossom© Ben Blossom+ 18

Clássicos da Arquitetura: Edifício Nações Unidas / Abelardo Riedy de Souza

© José Moscardi_Via Revista Acrópole nº 262, p. 270, ago 1960 (CC BY-NC-ND 4.0). ImageVista da Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, com o jardim suspenso e playground em primeiro planoVista da Avenida Paulista. Image © Matheus Pereira© José Moscardi_Via Revista Acrópole nº 184, p. 174, ago 1953 (CC BY-NC-ND 4.0)© José Moscardi_Via Revista Acrópole nº 184, p. 174, ago 1953 (CC BY-NC-ND 4.0)+ 20

O Edifício Nações Unidas, projetado por Abelardo Riedy de Souza, em 1953, localiza-se na esquina da Avenida Paulista com a Avenida Brigadeiro Luís Antônio. Juntamente com o importante e icônico Edifício Três Marias, também projetado pelo arquiteto, apresenta características de costura com o tecido urbano e constitui-se de um ícone atemporal para a região.