Beatriz Colomina fala sobre gênero, trabalho coletivo e doença na arquitetura

Beatriz Colomina fala sobre gênero, trabalho coletivo e doença na arquitetura

A historiadora e curadora Beatriz Colomina fala sobre nossa disciplina e a dificuldade que temos de aceitar que a arquitetura é o resultado de um esforço coletivo. Quando questionada sobre sexismo e questões de gênero na arquitetura, Colomina amplia a discussão e aborda o mito histórico da arquitetura como o produto de uma mente única, brilhante - e sempre masculina. Uma ficção que obscureceu o papel de várias mulheres, e equipes inteiras, comprometidas com o processo de design.

Diretora e fundadora do Programa de Mídia e Modernidade da Universidade de Princeton, Colomina visitou o Brasil para a abertura da 12ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, onde apresentou seu trabalho sobre a relação entre mídias sociais e espaços públicos. Em um mundo em que muitos jovens estão trabalhando a partir de suas camas, a historiadora argumenta que a arquitetura precisa rever o papel desse espaço privado e repensar sua relação com o domínio urbano.

Assista, acima, à entrevista que fizemos com ela (em inglês).

Sobre este autor
Cita: Baratto, Romullo. "Beatriz Colomina fala sobre gênero, trabalho coletivo e doença na arquitetura" [Beatriz Colomina on Gender, Collaborative Work, and Disease in Architecture] 25 Nov 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/928891/beatriz-colomina-fala-sobre-genero-trabalho-coletivo-e-doenca-na-arquitetura> ISSN 0719-8906

Mais entrevistas em nossoCanal de YouTube

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.