1. ArchDaily
  2. Michael Graves

Michael Graves: O mais recente de arquitetura e notícia

7 Arquitetos que não têm medo de usar as cores em seus projetos

Interior da Casa Gilardi. Imagem © <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File%3ACasa_Liraldi_Luis_Barrag%C3%A1n.JPG'> Wikimedia user Ulises00</a> licensed under <a href=' https://en.wikipedia.org/wiki/Public_domain'>Public Domain</a>Casa Batlló. Imagem © <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Barcelona_Casa_Batll%C3%B3_DachterrasseKamine.jpg'>Wikimedia user M.Stallbaum</a> licensed under <a href='https://en.wikipedia.org/wiki/Public_domain'>Public Domain</a>St. Coletta School / Michael Graves. Imagem Cortesia de Michael GravesCafé l'Aubette. Imagem © <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Strasbourg_Cin%C3%A9_Bal_de_l%27Aubette_janvier_2014-17.jpg'>Wikimedia user Claude Truong-Ngoc</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en'>CC BY-SA 3.0</a>+ 22

Alguns arquitetos são apaixonados por cores, alguns são impassíveis a ela, outros a odeiam e tem aqueles que preferem descartá-la como algo desnecessário na arquitetura. Em um ensaio sobre o assunto, Timothy Brittain-Catlin menciona o "puritanismo inato entre os clientes de arquitetura", os arquitetos e seu "constrangimento em relação ao uso da cor", e como "o modernismo buscou contornar o uso das cores vibrantes na arquitetura". O debate sobre a cor na arquitetura está longe de ser algo novo, no entanto não há uma conclusão unânime, e provavelmente, nunca a teremos.

Atualmente, onde o estereótipo do arquiteto sobriamente vestido de preto ainda persiste, e enquanto meditamos silenciosamente sobre a estranha definição da Cosmic Latte, existem arquitetos que não têm medo de usar amplamente a cor em tudo o que fazem. Por isso, editamos uma lista com 7 importantes arquitetos que seguiram este caminho, tanto no passado como no presente.

Kilograph transforma obra de Michael Graves em realidade virtual com estilo de aquarela

A empresa de design Kilograph anunciou o lançamento de “Imagined Landscapes”, uma nova experiência de realidade virtual que explora o trabalho não construído do arquiteto Michael Graves. Com base nas pinturas pessoais de Graves, "Paisagens imaginadas" oferece a primeira chance de adicionar aquarelas de RV a um projeto arquitetônico, transformando um resort conceitual em uma experiência interativa para os visitantes.

Cortesia de KilographCortesia de KilographCortesia de KilographCortesia de Kilograph+ 14

Construção da maior estátua do mundo projetada por Michael Graves avança na Índia

A construção da Estátua da Unidade vem avançando rapidamente na Índia. Projetada por Michael Graves, a estátua de Vallabhbhai “Sardar” Patel será a maior estrutura deste tipo no mundo com seus 182 metros de altura. O munumento em homenagem ao fundador da República da Índia terá quase o dobro da altura da Estátua da Liberdade e contará ainda com um hotel, um jardim memorial, um centro de visitantes além de estradas e pontes que permitirão o acesso desde a cidade de Kevadia, na Índia.

Cortesia de Michael Graves Architecture & DesignProgresso da construção. Cortesia de Michael Graves Architecture & DesignProgresso da construção. Cortesia de Michael Graves Architecture & DesignAplicação dos painéis de cobre. Cortesia de Michael Graves Architecture & Design+ 7

Fachada do Portland Building de Michael Graves é desmontada para reforma

O Portland Building em construção. Imagem © Iain MacKenzie. via Docomomo
O Portland Building em construção. Imagem © Iain MacKenzie. via Docomomo

Iniciaram-se os trabalhos de desmonte da fachada do icônico edifício de Michael Grave em Portland como parte do projeto de US$195 milhões que poderá fazer o edifício perder seu lugar no Registro Nacional de Sítios Históricos dos EUA.

O Portland Building em construção. Imagem © Iain MacKenzie. via DocomomoOs azulejos foram removidos do embasamento Imagem © Joakim Lord. via DocomomoOs elementos clássicos de assinatura de fachadas serão substituídos por alumínio. Imagem © Joakim Lord. via DocomomoImagem do futuro Portland Building. Imagem via Next Portland+ 5

Aprendendo sobre o pós-modernismo britânico

Neste ensaio escrito pelo arquiteto e acadêmico britânico Dr. Timothy Brittain-Catlin, a noção de pós-modernismo britânica - atualmente muitas vezes referida como intimamente ligada ao trabalho de James Stirling e o pensamento de Charles Jencks - é trazida à luz. Suas verdadeiras origens, argumenta, são mais historicamente enraizadas.

Cresci em uma bela casa vitoriana com alvenarias ornamentadas, com forma de frontões "holandeses" e belos vitrais do período arts and crafts - então eu não pensei na época, e eu não acho agora, que eu tinha muito a aprender com Las Vegas. Acontece que eu não era o único. Dos arquitetos britânicos que fizeram seus nomes como pós-modernistas na década de 1980, nem um único diria agora que eles devem muito a Robert Venturi, arquiteto americano amplamente considerado um avô do movimento.

Mercers’ House, Essex Road, Highbury, Londres, por John Melvin (1992), fotografia de Martin Charles. Doctors’ Surgery frontage to Mitchison Road. Image © John MelvinMercers’ House, Essex Road, Highbury, Londres, por John Melvin (1992), fotografia por Martin Charles. Imagem © John MelvinEpping Forest Civic Offices, por Richard Reid (1984-90). Axonométrica por Richard Reid. Imagem © Richard Reid & AssociatesMercers’ House, Essex Road, Highbury, Londres, por John Melvin (1992), fotografia por Martin Charles. Imagem © John Melvin+ 6

Falece Michael Graves

Michael Graves faleceu nesta quinta-feira aos 80 anos de idade. Famoso por suas audaciosas e simbólicas referências à arquitetura clássica e seu uso da geometria, Graves também é conhecido como um dos New York Five. Sua obra conecta a abstração da arquitetura moderna e o pós-modernismo da era atual.