1. ArchDaily
  2. Coronavírus

Coronavírus: O mais recente de arquitetura e notícia

Instituto Tomie Ohtake lança publicação digital sobre experiências do corpo com a arquitetura no isolamento social

Como parte de sua parceria de intercâmbios em arte-educação e mediação cultural, o Instituto Tomie Ohtake e o Museu Astrup Fearnley, de Oslo, lançam a publicação digital A nossa casa é onde a gente está. O projeto é apoiado pela Embaixada Real da Noruega em Brasília.

Domos para a prática de ioga invadem os espaços públicos de Toronto

Um intervenção criada pelo Lmnts Outdoor Studio em Toronto, Canadá, disponibilizou 50 pequenos domos translúcidos individuais para a prática de ioga ao ar livre em isolamento. A principal intenção por trás do projeto é incentivar as atividades físicas em locais abertos, respeitando obviamente, as medidas de distanciamento social.

Cortesia de Lmnts Outdoor Studio Cortesia de Lmnts Outdoor Studio Cortesia de Lmnts Outdoor Studio Cortesia de Lmnts Outdoor Studio + 14

14 Cursos online sobre arquitetura para acompanhar durante a quarentena

Pouco mais de quatro meses após o primeiro caso confirmado de coronavírus no Brasil, e cerca de três meses e meio após os primeiros decretos da quarentena, muitas cidades ainda mantêm medidas restritivas como forma de promover o isolamento social. Apesar da recente flexibilização que alguns estados e municípios têm adotado, as mudanças no cotidiano de arquitetos e estudantes permanecem e a popularidade de atividades remotas, como os cursos online, tem crescido nos últimos meses.

Enquanto muitos escritórios de arquitetura se encontram diante de demandas reduzidas e obras paradas, estudantes estão com aulas interrompidas ou transferidas para a modalidade online. Com mais tempo livre, seja pela diminuição dos deslocamentos ou pela redução de atividades, estudantes e arquitetos têm buscado nos cursos online uma forma de aprimorar ou ampliar conhecimentos em ferramentas, programas e conteúdos teóricos.

RIBA lança guia de recuperação ao COVID-19

O Royal Institute of British Architects (RIBA) publicou orientações para ajudar escritórios a passar por este momento de recuperação da crise do COVID-19 que alguns países já vivenciam. O Roteiro de Recuperação é dividido em três partes: Resposta, Recuperação e Resiliência. Cada fase considera uma série de ações que os escritórios podem adotar para responder aos desafios em diferentes áreas de seus negócios ao longo desta crise e para além dela.

Hiperstudio propõe transformar edifícios comerciais em conjuntos de uso misto após pandemia

Um dos efeitos colaterais da pandemia global de coronavírus no campo da arquitetura é a reflexão sobre o futuro das cidades e do ambiente construído. Talvez nunca se tenha debatido tanto sobre isso e muitas propostas e visões vêm sendo divulgadas, abordando desde o convívio nos espaços públicos até os pormenores dos novos usos para espaços privados. Em relação às dinâmicas urbanas, mudanças de programa talvez sejam uma possível saída para garantir que bairros comerciais e de serviço mantenham sua vitalidade.

Com mais pessoas trabalhando remotamente, há uma possibilidade de que alguns edifícios comerciais sofram ligeiro esvaziamento. A partir desta reflexão, os arquitetos Matheus Marques, Ricardo Goncalves, Luis Favilla e Rolando Figueiredo, do escritório paulistano Hiperstudio, desenvolveram uma proposta que aborda a conversão de edifícios comerciais monofuncionais em conjuntos de uso misto, incorporando unidades residenciais e espaços de convívio público.

WZMH Architects projeta ponto de teste e triagem inteligente para COVID-19

O Citizen Care Pod é uma nova iniciativa para a triagem e testes inteligentes de COVID-19, combinando tecnologia e desenho modular. Liderada pela Citizen Care Pods Corporation, a equipe multidisciplinar, composta também pelo escritório canadense WZMH Architects e pelas empresas PCL Construction, Insight Enterprises e Microsoft, trabalhou para tirar o projeto do papel em menos de um mês.

Instalação rápida do Citizen Care Pod. Imagem Cortesia do Citizen Care Pod O Citizen Care Pod está equipado com um conjunto de tecnologias inteligentes e personalizáveis, como estações de higienização de mãos que são alimentadas pela plataforma Microsoft Azure e pela Azure AI, que permitem um ambiente de teste seguro para pacientes e profissionais de saúde da linha de frente. Imagem Cortesia do Citizen Care Pod O Citizen Care Pod é uma solução plug-and-play que pode ser rapidamente instalada com uma empilhadeira ou posicionada em um caminhão. Imagem Cortesia de Citizen Care Pod Testes e triagem fisicamente distantes. Imagem Cortesia do Citizen Care Pod + 7

Nevoeiros ontem e hoje: Guilherme Wisnik conversa com Michael Wesely

O desenvolvimento das interfaces digitais, somado ao bombardeamento de imagens que sofremos cotidianamente pela publicidade, aumentam a demanda pela nitidez das coisas, que tendemos a naturalizar. É o que Baudrillard chamou de "mundo da hipervisibilidade". A arte, no entanto, pode propor uma desaceleração da percepção, nos apontando dimensões mais profundas da experiência, onde a velocidade se torna retardamento.

Guilherme Wisnik conversa com Michael Wesely, fotógrafo de arte alemão mais conhecido por suas fotos de cidades, edifícios e paisagens, tiradas com uma técnica especial de exposição ultra longa. De 1986 a 1988, Michael Wesely freqüentou a Bayerische Staatslehranstalt für Photographie em Munique, antes de estudar na Academia de Belas Artes de Munique.

Systematica divulga estudo sobre áreas verdes, públicas e lugares de encontro na cidade de Milão

A Systematica acaba de divulgar um estudo de caso sobre as áreas verdes, públicas e lugares de encontro da cidade de Milão. Particularmente relevante neste momento — em que as pessoas estão voltando a tomar as ruas da capital lombada depois de meses de isolamento em uma das regiões mais afetadas pela recente crise sanitária—, a pesquisa oferece um panorama global da atual situação das áreas de domínio público na cidade, assim como destaca uma série de parques e praças de Milão que costumam ser menos procurados e portanto, mais seguros e convidativos.

Turistas não há mais: chamada de ensaios sobre cidades turísticas no pós-pandemia

A Torre Eiffel, desenhada e erguida para a Exposição Universal de Paris em 1889 celebrava novos métodos e materiais industriais, e a inovação de se construir em altura. Apesar de ter apenas um patamar inaugurado a tempo para a exposição, a torre já possibilitava a seus visitantes uma visão aérea de sua cidade. Isso era particularmente interessante naquele momento, em que se celebravam as recentes Reformas de Paris (1853-1975), por Barão Haussmann, e seu racional, inovador e controverso plano urbano para a cidade.

Após o coronavírus, o que será do paisagismo?

A crise urbana traz muitos desafios, mas também apresenta oportunidades para os arquitetos paisagistas ajudarem a construir espaços verdes e cidades mais justas.

Como um morador de Los Angeles que não dirige, andar pela cidade a pé e de bicicleta sempre me fez sentir como se todos os lugares fossem meus.

Mas, nos últimos dois meses, os habitantes têm frequentado mais as ruas, como se todos tivessem descoberto pela primeira vez, que são capazes de explorar a cidade sem carro. Embora a maioria das praias e trilhas da cidade tenham sido fechadas, mesmo sendo reabertas, desde então, notei que o rio Los Angeles se tornou o novo "ponto de referência" da cidade, como um ponto de encontro, socialmente distante. Em uma cidade que não possui parques públicos adequados, as pessoas estão transformando qualquer pedaço de grama ou calçada - seja um pátio de uma escola, um canteiro central ou um trecho de concreto ao lado de um estacionamento - em um local de alívio da loucura.

Arquitetas lançam manual para reabrir espaços comerciais com segurança no pós-pandemia

A ressignificação dos espaços públicos e privados tem sido pensada por inúmeros arquitetos e urbanistas para o pós-pandemia. A reabertura gradual do comércio e a volta de outras atividades em todo o país exigem de proprietários, funcionários, usuários e clientes mudanças de hábitos e de condutas para que a saúde de todos seja garantida.

Seis espaços comerciais frequentemente usados por muitas pessoas – academia, salão de beleza, escritório, escritório-corporativo, recepção e sala da aula – ganharam orientações para o adequado funcionamento, elaboradas pelas arquitetas e urbanistas Maria Paula Dunel e Ingrid Joyce Almeida de Jesus.

Rockwell Group lança kit de estratégias para ocupar restaurantes e bares após a pandemia

David Rockwell e sua equipe do Rockwell Group propuseram uma iniciativa para ruas abertas – um modelo para refeições ao ar livre – a fim de ajudar bares e restaurantes na reabertura após a pandemia. As estratégias de projeto ilustram soluções práticas para fazer com que todos se sintam seguros.

5 Guias de projeto para uma transição segura pós-pandemia

Para garantir uma transição adequada pós COVID-19, arquitetos, especialistas em saúde pública e engenheiros estão criando diretrizes de projeto para fornecer às pessoas recursos seguros e eficientes. Encontrando um equilíbrio entre otimizar as operações e manter as pessoas seguras, as estratégias abordam o ambiente construído que nos cerca, desde restaurantes até ruas, escritórios e comércios.

Endereçadas a autoridades, proprietários e empregadores da cidade, as ferramentas desenvolvidas ajudam a reabrir o mundo, reduzindo o risco de transmissão do COVID-19, promovendo padrões de distanciamento social e melhorando o bem-estar. Conheça neste artigo 5 guias de projeto que garantem uma transição segura pós-coronavírus.

Tainá de Paula e Guilherme Wisnik conversam sobre exclusão racial, crise sanitária e sociedade

Precariedade urbana, vulnerabilidade social, exclusão racial, crise sanitária, hecatombe ambiental, Estado genocida. Insatisfação crescente nas ruas, falseamento de dados sobre a pandemia, recessão econômica. Que pactos sociais e políticos serão possíveis para reformular a democracia num país esfacelado? Guilherme Wisnik conversa com Tainá de Paula, arquiteta e urbanista, ativista das lutas urbanas, mestre em Urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Arquiteto brasileiro propõe equipamento urbano para higienização e informação sobre o coronavírus

Em meio à pandemia do novo Coronavírus, a competição internacional “Coronavirus Design Competition”, promovida pela plataforma Go Achitect, estimula estudantes e profissionais de diversas áreas a pensar de que maneira podem ser desenvolvidos produtos, objetos e equipamentos que ajudem a população a permanecer saudável física e psicologicamente em um cenário de tantas incertezas. O arquiteto brasileiro Leonardo Dias concorre, junto a mais de 100 candidatos de todo o mundo, com a proposta de um totem urbano que promove a higienização das mãos, a informação dos cidadãos, e a humanização dos dados.

LabCidade cria série de mapas temáticos sobre a difusão espacial da COVID-19

O LabCidade da FAUUSP tem realizado diversos estudos sobre os modos de mapear a COVID-19 no território de São Paulo.

Assessorias Técnicas de São Paulo enviam carta ao CAU sobre a urgência no apoio a ações de ATHIS

Obra do Novo Horizonte, de autoria de Isac Marcelino. Imagem: Acervo Usina
Obra do Novo Horizonte, de autoria de Isac Marcelino. Imagem: Acervo Usina

Frente a atual situação de emergência imposta, não somente pela maior pandemia da história moderna, mas também pelo total desgoverno que rege esse país, agravados pela desigualdade estrutural que provoca um verdadeiro genocídio da população mais vulnerável da nossa sociedade, nós, arquitetos urbanistas, representantes de assessorias técnicas do Estado de São Paulo, com histórica trajetória de atuação e produção habitacional pautados pela luta do direito à cidade, entendemos que é fundamental nos posicionarmos quanto à importância de ações efetivas deste que é o órgão representativo da nossa categoria, voltadas às necessidades das comunidades organizadas que vivem em assentamentos populares ou em situação de vulnerabilidade social:

Inscrições abertas para projetos de enfrentamento à pandemia da COVID-19

Iniciativas emergenciais para combater os impactos causados pela pandemia da COVID-19 a partir da arquitetura e urbanismo poderão contar com patrocínio do CAU/SC. A autarquia lançou nesta terça-feira, 26 de maio, a Chamada Pública Nº 01/2020 em que prevê o investimento de R$ 75.000,00 em projetos que beneficiem famílias em vulnerabilidade socioeconômica nas questões relativas à Habitação de Interesse Social e no âmbito do Ensino, Pesquisa e Extensão.

Os projetos poderão pleitear cotas de R$ 2.500,00 e devem executar ações de abrangência municipal ou estadual até dezembro de 2020. As inscrições permanecem abertas entre 1º e 14 de junho de 2020.