Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Archigram

Archigram: O mais recente de arquitetura e notícia

A importância do corte na representação e prática arquitetônica

07:00 - 30 Novembro, 2018
A importância do corte na representação e prática arquitetônica, Instituto Moreira Salles © Nelson Kon
Instituto Moreira Salles © Nelson Kon

A compreensão da arquitetura enquanto campo trata, entre outras coisas, de sua linguagem e representação como síntese de uma série de esforços variados - qualidades construtivas, compositivas, espaciais e técnicas - que se articulam para culminar na obra construída. Para tanto, pensar na representação gráfica que pressupõem todos esses esforços é essencial, uma vez que ela representa, simultaneamente, procedimento e produto do fazer arquitetônico.

7 Edifícios incríveis nunca construídos ganham vida com essas renderizações

10:00 - 9 Julho, 2018
7 Edifícios incríveis nunca construídos ganham vida com essas renderizações, Cortesia de Onward by Onstride Financial
Cortesia de Onward by Onstride Financial

Precisa-se apenas de caneta, papel e uma mente criativa para criar projetos inovadores. No entanto, é no momento de concretizar as ideias que surgem os verdadeiros desafios. Enquanto alguns arquitetos podem esbanjar seu virtuosismo e criatividade ao projetar e construir algumas das estruturas mais incríveis que o mundo já viu, outros apenas sonham em um dia construir um de seus mais ambiciosos projetos. Seja devido a limitações econômicas ou tecnológicas, a maioria destes projetos surpreendentes nunca verão a luz do dia.

Embora você nunca tenha visitado essas magníficas estruturas - e provavelmente nunca o fará - elas estão disponíveis para uma visita virtual. Estes sete edifícios poderiam ser os projetos mais icônicos e inovadores que o mundo já viu, e por cortesia da Onward, o blog da Onstride Financial, você pode visita-los sem sair de casa.

Arquitetura e utopia: videoclipes que buscam referência nas cidades utópicas do Superstudio e Archigram

07:00 - 3 Maio, 2018
Arquitetura e utopia: videoclipes que buscam referência nas cidades utópicas do Superstudio e Archigram

Arquitetura e utopia: videoclipes que buscam referência nas cidades utópicas do Superstudio e Archigram Arquitetura e utopia: videoclipes que buscam referência nas cidades utópicas do Superstudio e Archigram Arquitetura e utopia: videoclipes que buscam referência nas cidades utópicas do Superstudio e Archigram Arquitetura e utopia: videoclipes que buscam referência nas cidades utópicas do Superstudio e Archigram + 14

Em arquitetura, a critica sempre vem acompanhada de um conceito utópico. As utopias não são modelos alternativos e também não servem para resolver os problemas existentes, mas para torná-los ainda mais evidentes. Poderíamos dizer que o conceito principal de uma utopia é a esperança. A utopia é o embrião de cada projeto, cada pequeno espaço onde a vida humana acontece. O que é mais revolucionário em uma utopia é a sua capacidade de desenvolver uma reflexão crítica sobre o mundo em que vivemos, devolvendo a sua dignidade através de uma análise racional.

Arquitetos como os do Superstudio e do Archigram foram pioneiros no desenvolvimento de visões utópicas sobre à arquitetura. Estes movimentos críticos chegaram a seu auge durante os anos 1960, justo quando o mundo presenciava uma enorme crise econômica sem precedentes. Estes são momentos cruciais para as utopias, porque justamente em momentos de maior desespero é que a esperança mais se fortalece; Ambos estúdios de arquitetura, se assim podemos chama-los, contribuíram decisivamente para o desenvolvimento do pensamento crítico sobre a arquitetura, desmantelando a visão canônica da profissão, assim como o consumismo irrelevante, propondo novas visões para o futuro de nossas cidades, ideias que ainda permanecem atuais quando paramos para idealizar uma sociedade livre.

Os 9 grupos mais inspiradores e audaciosos da arquitetura dos anos 60 e 70

07:00 - 4 Outubro, 2017
Os 9 grupos mais inspiradores e audaciosos da arquitetura dos anos 60 e 70

A primeira viagem espacial à lua, os protestos anti-guerra generalizados, Woodstock e os hippies, comunidades rurais e ambientalismo, o Muro de Berlim, o movimento de libertação das mulheres e muito mais - as tumultuadas décadas de sessenta e setenta ocupam um lugar inesquecível na história da humanidade. Com as injustiças sendo questionadas abertamente e ideias radicais que propunham destituir muitas das convenções existentes em várias esferas da vida, as coisas não foram diferentes no mundo da arquitetura.

O mundo idealizado pelos modernistas foi logo questionado por experimentos utópicos dos grupos "anti-arquitetura" ou "design radical" dos 1960-1970. Restabelecendo a arquitetura como um instrumento de crítica política, social e cultural, elaboraram manifestos e projetos arrojados, experimentaram com a colagem, música, performance artística, mobiliário, design gráfico, zines, instalações, eventos e exposições. Enquanto certos indivíduos desta época como Cedric Price, Hans Hollein e Yona Friedman perduraram como importantes nomes na esfera do radicalismo e do não construído, o espírito revolucionário dessas décadas também viu o nascimento de vários jovens coletivos de arquitetura. No que há de mais excêntrico, veja a lista (de forma alguma exaustiva) de alguns grupos que ousaram questionar, cutucar, expandir, se rebelar, interromper e redefinir a arquitetura nos anos 60 e 70.

Em foco: Sir Peter Cook

06:00 - 22 Outubro, 2016
Em foco: Sir Peter Cook, Plug-In City. Imagem © Peter Cook
Plug-In City. Imagem © Peter Cook

Sir Peter Cook, o arquiteto, professor e escritor inglês celebra hoje seu 80º aniversário. Uma figura central no mundo da arquitetura há mais de meio século, Cook foi um dos fundadores do Archigram, grupo vanguardista dos anos 60. Atualmente, Cook leciona na University College London e dá palestras em todo o mundo.

18 fontes de pesquisa online para arquitetos

07:00 - 12 Agosto, 2016
18 fontes de pesquisa online para arquitetos

Graças à internet, a busca por recursos de pesquisa não está mais limitada a bibliotecas próximas. Com efeito, muitas bibliotecas e revistas de renome mundial estão agora trabalhando para digitalizar partes importantes de suas coleções, ao mesmo tempo em que diversas organizações digitais têm surgido com a missão de melhorar o acesso a informação. Para ajudar a identificar alguns dos mais úteis, preparamos uma lista de 18 sites gratuitos que oferecem artigos acadêmicos, publicações, fotos, vídeos e muito mais.

The Plug-In City, 1964 / Peter Cook, Archigram

13:00 - 9 Janeiro, 2014
The Plug-In City, 1964 / Peter Cook, Archigram, Cortesia de Peter Cook vía Archigram Archives
Cortesia de Peter Cook vía Archigram Archives

O projeto Plug-In City, do grupo Archigram, nunca foi construído, mas seus conceitos e ideias provocaram (e ainda provocam) intensos debates que mesclavam arquitetura, tecnologia e sociedade. Quando a Plug-In City foi proposta em 1964, o projeto oferecia um enfoque novo e fascinante ao urbanismo, invertendo a percepção tradicional do papel da infraestrutura na cidade.

Mais sobre este inquietante projeto seguir.

Cinco exemplos fantásticos de arquitetura especulativa

19:00 - 31 Dezembro, 2013
Cinco exemplos fantásticos de arquitetura especulativa, Very Large Structure, por Manuel Dominguez. Cortesia de Poliedro
Very Large Structure, por Manuel Dominguez. Cortesia de Poliedro

Este artigo de Avinash Rajagopal aparece originalmente em Metropolis Magazine como "Five Compelling Works of Architecture Fiction". Rajagopal defende o gênero muitas vezes rejeitado de "ficção de arquitetura", dando cinco exemplos recentes do melhor que o campo tem a oferecer.

Até onde sabemos, o escritor Bruce Sterling cunhou o termo "ficção arquitetônica" em 2006. Ele estava se referindo, é claro, a projetos especulativos em que arquitetos usam ideias para o ambiente construído para se expressar de uma forma análoga aos contadores de histórias, que se baseiam nas palavras. É uma tradição arquitetônica de longa data. Sterling cita a obra polêmica de 1960 do grupo britânico Archigram; o cânone inclui os desenhos de Lebbeus Woods das duas décadas que seguiram e as imagens digitais de Greg Lynn (um dos quais acompanhou um conto de Sterling, em Fiction Issue de Metropolis de 2003).

Nos últimos anos, temos visto  um engrandecimento do gênero. A razão comum para explicar a profusão desses trabalhos de ficção é que a recessão tornou mais difícil para arquitetos jovens encontrarem trabalho "real", mas há provavelmente outros fatores em jogo. Preocupações éticas estão de volta ao zeitgeist para uma geração contraditória que é também Occupy Wall Street, iPhones, e lojas hipsters que vendem um único café. Suas utopias e distopias são mais facilmente imaginadas em 3D Max e Photoshop, e muito mais rapidamente difundidas online. 

Comentários em blogs ainda falam sobre a "inutilidade" da arquitetura de ficção. Respondê-los seria montar uma defesa de um conto - o que seria certamente possível, mas um exercício autodestrutivo. É da própria natureza da ficção incomodar-se menos com a utilidade do que com a possibilidade. Neste espírito, aqui estão cinco projetos recentes que achei convincentes, seja enquanto imagem ou enquanto histórias que pretendem contar.

Uma "Walking City" para o século XXI

13:00 - 28 Novembro, 2013
Uma "Walking City" para o século XXI, Courtesy of Poliedro
Courtesy of Poliedro

Em um mundo onde as pessoas se deslocam cada vez mais, as cidades estão passando por um problema que não estava previsto: seus cidadãos estão se mudando para outros lugares. Quando as ofertas de emprego e os recursos começaram a ficar escassos, algumas cidades modernas, como Detroit por exemplo, sofreram severas dificuldades e, frequentemente, processos de esvaziamento e contração urbana. Em contrate a isto, a "Very Large Structure" de Manuel Dominguez, resultado de sua tese na ETSA em Madri, propõe uma cidade nômade que pode se mover sobre esteiras (semelhantes as de tratores) em direção a locais onde trabalho e recursos sejam abundantes.

Esta certamente não é a primeira vez que a ideia de uma cidade nômade é proposta. A Walking City de Ron Herron é um dos projetos mais conhecidos do Archigram e tem influenciado a teoria da arquitetura desde então. Entretanto, o projeto da "Very Large Structure" vai além na ideia de cidade móvel ao incluir sólidas propostas para geração de energia a bordo da cidade.

Continue lendo para saber mais sobre este provocativo projeto - incluindo suas pranchas de apresentação e uma série de imagens.

Courtesy of Poliedro Courtesy of Poliedro © Manuel Dominguez / Zuloark © Manuel Dominguez / Zuloark + 15

Arup os Arranha-céus de 2050

20:00 - 9 Março, 2013
Arup os Arranha-céus de 2050, Cortesia de Arup
Cortesia de Arup

Estima-se que até 2050, 75% da população mundial - que será de 9 bilhões - viverão nas cidades. A expansão urbana já é problemática e os planejadores são confrontados por novos desafios como o de construir verticalmente e não para o horizonte. Além disso, as cidades são cada vez mais confrontadas por mudanças climáticas, escassez de recursos, custos crescentes de energia e ainda a possibilidades de futuros desastres naturais ou provocados pelo homem. Em resposta a estas questões, a Arup propôs a sua visão de um edifício urbano na cidade do futuro.

Em sua proposta, intitulada "Está Vivo!", eles imaginam um ecossistema urbano de edifícios conectados e "vivos", que não só criam espaços, mas também criam um ambiente. De acordo com a Arup, edifícios do futuro não irão apenas produzir e consumir energia, mas irão fornecer aos seus ocupantes ar puro e água limpa.

Mais informações da visão da Arup

O que Archigram teria feito para o Jogos Olímpicos de Londres 2012 ?

19:00 - 25 Junho, 2012
O que Archigram teria feito para o Jogos Olímpicos de Londres 2012 ?