Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. 3d Printing

3d Printing: O mais recente de arquitetura e notícia

A era de ouro da impressão 3D: Inovações mudando a indústria

A impressão 3D em si não é mais uma tecnologia nova, mas isso não impediu que pesquisadores e inovadores de todo o mundo criassem novos aplicativos e oportunidades. Alguns experimentos com novos materiais foram conduzidos por preocupações de sustentabilidade e outros são simplesmente o resultado de imaginação e criatividade. Outros optaram por investir seu tempo utilizando materiais mais tradicionais de novas maneiras. Materiais, no entanto, são apenas o começo. Os pesquisadores desenvolveram novos processos que permitem a criação de objetos que anteriormente eram impossíveis de imprimir e, em uma escala maior, novas tipologias de edifícios estão sendo testadas - incluindo um habitat para o planeta Marte!

Columbia University reproduz a estrutura interna da madeira com impressão 3D

via Columbia University
via Columbia University

Pesquisadores da Columbia University desenvolveram um método para recriar os padrões internos e externos de materiais como a madeira usando impressoras 3D e técnicas digitalização. Ao passo que a aparência externa e os padrões de objetos naturais são testados e experimentados com certa facilidade, um grande desafio na indústria de impressão 3D é a replicação da textura interna dos objetos.

Em seu estudo mais recente, intitulado Digital Wood: 3D Internal Color Texture Mapping, a equipe de pesquisadores descreve como um sistema de "mapeamento de cores e voxels" leva à produção de um objeto impresso em 3D cuja textura se parece muito com a da madeira de oliveira, inclusive em corte.

via Columbia University via Columbia University via Columbia University via Columbia University + 6

ETH Zurich e Zaha Hadid Architects criam pavilhão de concreto que pode ser transportado em uma mala

O ETH Zurich, em colaboração com o Zaha Hadid Architects Computation and Design Group (ZHCODE) e a Architecture Extrapolated (R-Ex), acabam de apresentar a mais nova tecnologia para estruturas de concreto, uma fôrma em malha tridimensional que serve como elemento de modelagem para estruturas curvas de concreto.

O protótipo chamado de “KnitCandela”, é o primeiro projeto desenvolvido com a aplicação desta nova tecnologia em escala 1:1, uma estrutura de concreto de cinco toneladas em exposição no Museo Universitário de Arte Contemporânea da Cidade do México.

© Juan Pablo Allegre via ZHA © Leo Bieling via ZHA © Lex Reiter via ETH Zurich © Maria Verhulst via ETH Zurich + 14

Primeira ponte de aço impressa em 3D é destaque na Semana do Design da Holanda

A empresa holandesa de robótica MX3D revelou a primeira ponte de aço inoxidável impressa em 3D do mundo na Dutch Design Week. Projetada para ser instalada em um dos canais mais antigos e famosos no centro de Amsterdã, a ponte foi criada em colaboração com o designer Joris Laarman. Equipando robôs industriais com ferramentas específicas, o projeto mostra as possíveis aplicações da tecnologia de impressão 3D com múltiplos eixos.

MX3D Bridge. Imagem © Adriaan de Groot MX3D Bridge. Imagem © Adriaan de Groot MX3D Bridge. Imagem © Adriaan de Groot MX3D Bridge. Imagem © Adriaan de Groot + 7

Tonkin Liu cria dispositivo médico inovador inspirado em estruturas arquitetônicas

Anna Liu e Mike Tonkin, do estúdio Tonkin Liu, de Londres, desenvolveram um dispositivo médico inovador para procedimentos na traqueia de pacientes. O protótipo de stent é baseado nas conhecidas Shell Lace Structures desenvolvidas pelo estúdio, uma “tecnologia estrutural de superfície projetada e desenvolvida ao longo de uma década de pesquisas para aplicações em arquitetura e engenharia.”

O protótipo impresso em 3D é 500 vezes menor do que o utilizado pela empresa para suas aplicações arquitetônicas e foi desenvolvido em colaboração com a Arup e o Museu de História Natural.

Cortesia de Tonkin Liu Cortesia de Tonkin Liu Cortesia de Tonkin Liu Cortesia de Tonkin Liu + 10

Como uma impressora 3D mudou minha vida: a escala

Que a impressão 3D chegou para ficar é um fato. Todos os dias vemos artigos que mostram os avanços mais recentes com impressão 3D. Desde pontes impressas a próteses para uma criança, passando por máquinas que imprimem pizzas. No campo da arquitetura, vemos a impressão 3D como a próxima revolução que nos libertará do trabalho de realizar maquetes, mas... por que limitar essa tecnologia apenas a isso?

Ciclovias, imigrantes e relíquias do futuro: 4 reflexões sobre arquitetura e cidade na Holanda

No final do mês de novembro tivemos o privilégio de visitar a Holanda (Países Baixos) graças ao convite que recebemos do Het Nieuwe Instituut (HNI): viajando entre Amsterdã, Roterdã e o charmoso povoado de Radio Kootwijk nos encharcamos da cultura holandesa, observando e pensando em voz alta, criando dúvidas e tentando resolvê-las na volta para casa.

Por isso, decidimos compartilhar com vocês uma série de reflexões pessoais sobre a arquitetura e o urbanismo da Holanda, acreditando que a partir de pequenos detalhes podemos discutir grandes temas.

Discorreremos sobre entender o êxito dos seus 32.000 km de ciclovias, a importância dos imigrantes na sua atual gastronomia, o inferno dos barcos durante séculos e que terminou sendo convertido em um aeroporto, as novas tipologias arquitetônicas em vias de extinção e os atuais experimentos de materiais carbono zero.

A seguir, um convite a observar e deixar de turistar. 

Radio Kootwijk: edifício A. Imagem © beefortytwo [Flickr CC] Bazar, restaurante multicultural em Rotterdam que reflete a multiculturalidade das principais cidades holandesas. Imagem © Dominik Morbitzer [CC] Ciclista em Amsterdam. Imagem © José Manuel Ríos Valiente [Flickr CC] A convivência das culturas gastronômicas na Holanda. Imagem via Wikipedia CC + Earth Pulse + 18

The Neighbourhood propõe um futuro urbano alternativo através da impressão 3D

A impressão 3D está rapidamente emergindo como uma tecnologia que pode ser aplicada à escala do ambiente urbano. Mas podemos usar materiais confeccionados a partir dessa tecnologia para criar espaços urbanos atraentes que estejam em constante mudança? A agência de comunicação The Neighbourhood imaginou uma série de arquiteturas especulativas com base em materiais criados com impressão 3D.

Emerging Objects cria coluna à prova de terremotos feita com impressão 3D

Uma equipe de projetistas da Califórnia desenvolveu uma coluna à prova de terremotos construída de areia através de impressão 3D, sem tijolos ou argamassa, criada para resistir a severas atividades sísmicas. A "Quake Column" é composta por tijolos ocos empilháveis que se combinam para criar uma estrutura torcida, otimizada para vibrações intensas em zonas assoladas por terremotos. Criada pelo escritório Emerging Objects, a composição da coluna de areia é apenas uma de várias outras experimentações da equipe com novos materiais para impressão 3D, incluindo sal, nylon e chocolate. A coluna pode ser facilmente montada e desmontada para usos em estruturas temporárias ou permanentes, e foi propositalmente projetada para ter uma montagem simples para construtores iniciantes.

Saiba mais sobre a Quake Column, a seguir.

Autodesk anuncia investimento de US$ 100 milhões em impressão 3D

A Autodesk anunciou recentemente um novo programa que pretende investir cerca de US$ 100 milhões em companhias que trabalham com impressão 3D nos próximos anos. O Spark Investment Fund investirá em empreendedores, startups e pesquisadores inovadores que trabalham no campo da impressão 3D e contribuem para "estender os limites da tecnologia de impressão 3D e acelerar a nova revolução industrial."

O fundo de investimento foi desenvolvido juntamente com software Spark, uma plataforma livre e aberta de impressão 3D lançada recentemente que conecta uma ampla gama de hardwares de impressão 3D e softwares de projeto e que funciona com qualquer tipo de material. A companhia espera que a comunidade que já trabalha com esse tipo de impressão modifique e melhore o software. 

Mais informações a seguir.

Escritório Emerging Objects propõe casa feita com impressão 3D, concreto e sal

Interior. Imagem © Emerging Objects
Interior. Imagem © Emerging Objects

Os arquitetos do Emerging Objects estão trabalhando na criação de uma casa feita com impressão 3D a partir de sal e concreto. Conhecida como "3D Printed House 1.0", o estudo de caso foi encomendado pelo Jin Hai Lake Resort Beijing e integra métodos construtivos tradicionais com materiais renováveis de impressão 3D - produzidos pelo Emerging Objects - para construir uma casa que seja sustentável, estruturalmente resistente e bela.

Como a impressão 3D está salvando um edifício de Frank Lloyd Wright

Na vasta quantidade de matérias sobre impressão 3D na mídia, a tecnologia é frequentemente citada como o "futuro" da produção, com foco na sua capacidade de criar coisas novas de forma rápida e barata. Mas a impressão 3D precisa ser apenas o futuro? Como atesta esse artigo, originalmente publicado pela Metropolis Magazine com o nome "3D Printing Saves a Frank Lloyd Wright Treasure", a impressão 3D também tem algo a oferecer ao passado, especificamente a uma edificação de Frank Lloyd Wright que estava se deteriorando e cujos "blocos têxteis" eram simplesmente muito complexos para serem restaurados através de outras técnicas modernas. Continue lendo para descobrir como esse resgate de alta tecnologia está sendo realizado.

Impressão 3D e biomimética: Como a natureza influenciará o ambiente construído do futuro

A biomimética está rapidamente emergindo como uma das próximas fronteiras arquitetônicas. Novos processos de fabricação como as impressões 3D, somados à tendência de conceber edifícios ambientalmente mais sustentáveis, originou uma onda de projetos que derivam de fenômenos naturais ou, até mesmo, que são construídos com matéria biológica. Um recente exemplo desta tendência é a instalação “Hy-Fi,”, projeto concebido para o MoMA PS1 desse ano e construído com tijolos orgânicos. Outros projetos como o Silk Pavilion do MIT Media Lab levam a inovação biológica ainda mais longe ao empregar processos biométricos de construção - cerca de 6.500 "bichos da seda" teceram a membrana do Silk Pavilion. "Animal Printheads" (algo como "cabeçotes animais") como Geoff Manaugh os chama em seu artigo "Architecture-By-Bee and Other Animal Printheads", já provaram ser uma parte viável dos processos de fabricação na arte - e, talvez no futuro, também do ambiente construído. Mas o que acontece quando humanos modificam animais para que "imprimam" outros materiais?

Hy-Fi, projeto vencedor do 2014 Young Architects Program. The Museum of Modern Art and MoMAPS1. Imagem © The Living Silk Pavilion do MIT Media Lab. Imagem © Steven Keating Bicho da seda tecendo o  Silk Pavilion do MIT Media Lab. Imagem © Steven Keating © John Becker + 10

Algas, sal, batatas e outros materiais incomuns aplicados à arquitetura

O seguinte artigo é apresentado por ArchDaily Materials. Neste artigo, originalmente publicado pela Metropolis Magazine, Lara Kristin Herndon e Derrick Mead exploram sete materiais inovadores na arquitetura e os ousados projetistas que os utilizaram.

Vídeo: Impressão 3D do futuro skyline de San Francisco

O skyline de San Francisco está passando por profundas mudanças. Projetos como a torre residencial do OMA, e empreendimentos de Foster + Partners e Studio Gang transformarão dramaticamente a cidade - e graças ao modelo produzido através de impressão 3D mostrado nesse vídeo, podemos saber exatamente como isso acontecerá. O modelo de 1,8m x 1.8m mostra 115 quadas no centro de San Francicso do modo como eles estarão em 2017 e foi criado pela companhia de visualização Steelblue em parceria com a Autodesk. Considerado o maior modelo de cidade do mundo feito com uma impressora 3D, a maquete mostra mais do que simplesmente como será o centro de San Francisco: projeções sobrepostas podem mostrar a etapa de construção de cada edifício, padrões de tráfego e outras informações. Além disso, cada quadra pode ser substituída para manter o modelo sempre atualizado. Assista o vídeo e saiba mais sobre a maquete nesse artigo do SF Gate.

Primeira casa feita a partir de uma impressora 3D será construída em Amsterdã

“A indústria da construção é uma das mais poluentes e ineficientes que existem,” aformou Hedwig Heinsman, do escritório Dus Architects, a Olly Wainwright do The Guardian. “Com a impressão 3D, o desperdício é zero, os custos de transporte são reduzidos, e tudo pode ser derretido e reciclado. Isso pode revolucionar o modo como fazemos nossas cidades.

Trabalhando com outro escritório holandês, Ultimaker, o Dus Architects desenvolveu o KamerMaker, uma impressora 3D grande o bastante para imprimir pedaços de edifícios de até 2m x 2m x 3,5m, feitos com hotmelt, uma mistura de bioplástico feita com 75% de óleo vegetal. Os pedaços podem ser empilhados e conectados como peças de LEGO, formando casas de vários pavimentos cujos projetos podem ser adaptados segundo as necessidades de cada usuário. Para seu primeiro projeto, o Dus se inspirou nas casas dos canais de Amsterdã.