Arquitetura Grega

  1. ArchDaily
  2. Países
  3. Grécia

Projetos mais recentes em Grécia

Últimas notícias em Grécia

Estratégias pouco convencionais e proximidade com a natureza: 4 jovens escritórios na Europa

Quatro jovens escritórios de arquitetura com sedes na Grécia, Lituânia, Itália e Dinamarca foram escolhidos pela New Generations, uma plataforma que observa o que há de mais inovador dentre os arquitetos europeus, proporcionando um espaço para troca de conhecimento e confronto, teoria e produção. Desde a sua fundação em 2013, a New Generations trouxe a público mais de 300 escritórios promissores de arquitetura, apresentando um cenário diversificado de studios e ateliês dedicados às mais diferentes atividades culturais, promovendo festivais, exposições, chamadas abertas, entrevistas e oficinas.

Hotelaria e a crise habitacional: recuperando a arquitetura abandonada

No mundo inteiro, os países estão enfrentando uma crise habitacional. As estatísticas das Nações Unidas estimam que o número de pessoas que vivem em moradias abaixo do padrão é de 1,6 bilhão, e 100 milhões de pessoas não tem acesso a uma casa. À medida que os conflitos e as mudanças climáticas forçam os refugiados a se deslocarem para novos países, e os preços das casas continuam a subir, as cidades estão tendo que buscar opções para fornecer moradia segura e acessível para seus habitantes.

Automação na construção: um fator limitante da criatividade dos arquitetos?

Vivemos em uma era marcada pelo avanço e desenvolvimento de novas tecnologias. Neste contexto, não é nenhuma surpresa que a indústria da construção civil tenha operado ao longo das últimas décadas um processo de desenvolvimento sem precedentes. Apropriando-se das muitas inovações e tecnologias que a cada dia se tornam mais acessíveis no mercado, muitas empresas de engenharia e arquitetura estão buscando aprimorar seus processos de projeto e construção, tornando-os mais eficientes, rápidos e sustentáveis. Entretanto, a generalizada e sistemática incorporação de novos sistemas, tecnologias e processos automatizados no canteiro de obras—que marca o atual ethos da industria da construção civil—trouxe à tona uma série de questões sobre as quais refletir: Será que os robôs substituirão os arquitetos? Será que viveremos para ver uma industria da construção totalmente automatizada e autônoma? E quais seriam os impactos disso tudo no que se refere ao trabalho do arquiteto como o conhecemos hoje?

7 Pavilhões na Bienal de Veneza que exploram as migrações e seus impactos no espaço construído

Buscando responder a intrigante pergunta proposta por Hashim Sarkis como tema central da 17ª Bienal de Arquitetura de Veneza, “Como viveremos juntos”, diversos arquitetos e curadores dos pavilhões nacionais apresentaram uma série de propostas e leituras sobre os principais problemas e as mais recorrentes questões que permeiam a nossa disciplina. A inquietação do curador da Bienal de Veneza de 2021, foi encarada como um chamado à comunidade de arquitetos “a imaginar espaços que nos permitam viver juntos generosamente”, espaços que não sejam limitados por contratos ou regras e sejam suficientemente flexíveis para acolher uma maior diversidade de pessoas, promovendo a sensação de pertencimento ainda que em um lugar completamente alheio a nossas próprias raízes. Ao contrário do que foi visto ao longo das últimas décadas, a migração hoje não é mais um fenômeno local—do campo para a cidade—, e sim uma questão bastante abrangente, complexa e que transcende fronteiras. As novas tecnologia e a consequente transformação dos espaços de trabalho, além é claro da recente pandemia, alteraram profundamente a forma como nos relacionamos com o espaço construído e não-construído. Atualmente, 85% dos nossos afazeres diários podem ser cumpridos sem precisarmos sair de casa. Dito isso, o que estamos observando no mundo hoje, é uma necessidade cada vez maior de flexibilizarão dos nossos espaços construídos e habitáveis.

Foster+Partners divulga imagens do projeto da torre mais alta da Grécia

O escritório Foster+Partners divulgou seu projeto para Marina Tower, uma torre residencial destinada a se tornar o edifício mais alto da Grécia. Localizado em Ellinikon, nos arredores de Atenas, o projeto faz parte de um plano de desenvolvimento maior que visa transformar os arredores do antigo aeroporto em novos bairros em torno de um grande parque costeiro. A torre de 200 metros de altura no centro do masterplan mostra uma relação permeável entre os espaços internos e externos em sintonia com o clima mediterrâneo, ao mesmo tempo que apresenta vários elementos de água e extensa vegetação.

Bienal de Design de Londres 2021: pavilhões nacionais destacam papel do design ao enfrentar desafios globais

A Bienal de Design de Londres está atualmente em exibição na Somerset House, com 38 exposições de seis continentes, apresentando o papel do design na abordagem dos desafios globais. Com curadoria do Diretor Artístico Es Devlin, o evento gira em torno do tema ‘Ressonância’, convidando designers e artistas a considerar o efeito dos “conceitos inovadores do design sobre a forma como vivemos e as escolhas que fazemos”. Na terceira edição da Bienal de Design de Londres, os pavilhões nacionais destacam novas perspectivas sobre as questões mundiais, explorando sustentabilidade e meio ambiente, globalização e migração, história e vida cotidiana.

Arquitetura subterrânea: mimese e eficiência térmica

A arquitetura como resultado da ação humana sobre a paisagem, confronta-se sempre com o desafio de construir relações entre o espaço construído e o contexto natural específico. Quando tratamos de edifícios enterrados, este vínculo se torna ainda mais evidente além de um fator fundamental para o sucesso do projeto. Neste contexto, a decisão de intervir na paisagem natural, seja enterrando ou aterrando, geralmente trás uma série de benefícios para um projeto de arquitetura, entre os quais podemos destacar a integração com o contexto e outros benefícios técnicos, como por exemplo, uma melhor eficiência termodinâmica.

Imagens aéreas mostram as obras de expansão do metrô de Atenas e Tessalônica

Com a recente conclusão de diversas novas estações e túneis, a expansão do metrô de Atenas e o desenvolvimento do sistema de metrô de Tessalônica, segunda maior cidade da Grécia, estão prestes a serem concluídos. A construção de uma conexão direta entre o aeroporto de Atenas e o porto de Pireu, bem como o desenvolvimento da primeira linha de metrô de Tessalônica estão em andamento, e as imagens do fotógrafo Pygmalion Karatzas mostram as obras dessas grandes infraestruturas.

A história da arquitetura: Grécia antiga

Até onde os registros escritos alcançam, o que se sabe é que a “pré-história” é um período que vai de 35.000 à 3.000 anos a.C. no Oriente Médio e 2.000 a.C. na Europa Ocidental. Pelo que é possível observar, os construtores da antiguidade tinham uma profunda compreensão das necessidades humanas e como lidar com as condições ambientais através da arquitetura em sua forma mais primitiva. Nos primórdios, famílias e tribos viviam em cabanas construídas a base de ossos e peles de animais. Milhares de anos de passaram até que o homem passasse a construir estruturas mais robustas utilizando pedras e tijolos de barro, assumindo formas prismáticas e dotadas de aberturas para iluminação e ventilação natural.

Concurso reinventa a tipologia do crematório em Patras na Grécia

O município de Patras, na Grécia, lançou um concurso para o projeto de um Crematório - um assunto altamente debatido no contexto grego ortodoxo. A proposta vencedora foi dos arquitetos Stelios Andrikopoulos, Konstantinos Grivas e Alexandra Stratou.

Carregando... Pode demorar alguns segundos