Arquitetura pop-up: construindo novas experiências em pequena escala

Arquitetura pop-up: construindo novas experiências em pequena escala

A arquitetura pop-up se aproveita de pequenos espaços para criar experiências intimistas. Como estruturas temporárias e nômades, pavilhões pop-ups não são novidade no mundo da arquitetura, remontando à antiguidade quando era utilizadas durante diversos tipos de festivais. Levando a arquitetura para além de seus limites, estruturas temporárias têm como principal objetivo chamar à atenção do público, divulgando identidades, marcas e/ou produtos em contextos muito especiais. Atualmente, esta abordagem está se transformando em algo mais do que apenas intervenções efêmeras, influenciando decisivamente a maneira como pensamos e concebemos nossos edifícios.

© Dirk Weiblen© Laurian Ghinitoiu© Hadley Fruits© Onnis Luque+ 9

Murmuration Installation / SO-IL. Imagem © ​Fredrik Bauer
Murmuration Installation / SO-IL. Imagem © ​Fredrik Bauer

De pequenos centros comunitários até abrigos emergenciais, estruturas pop-up abrangem uma grande variedade de programas. Como observa Marni Epstein-Mervis, “existem hoje em dia parques de diversões pop-up, lojas, restaurantes e até hotéis pop-up”. Embora possam assumir nomes diferentes, de pavilhões temporários à estruturas instantâneas, os pop-ups compartilham uma série de características relacionadas à sua escala e impermanência. Explorando novas relação entre materiais, espaços e experiências espaciais, os projetos apresentados à seguir nos mostram soluções tão inteligentes quando compactas.

Pop-Up Herschel Supply / Linehouse

© Dirk Weiblen
© Dirk Weiblen

O Linehouse foi contratado pela marca canadense Herschel Supply para criar uma estrutura pop-up para a YO’HOOD, uma das mais importantes feiras comerciais do mundo. Com base nas raízes de Herschel em Vancouver, um centro urbano cercado pela natureza, a Linehouse concebeu a estrutura do pavilhão temporário como uma espécie de floresta urbana.

Instalação Soft Civic​ / Bryony Roberts Studio

© Hadley Fruits
© Hadley Fruits

A Soft Civic, uma instalação arquitetônica específica para seu local realizada pela Bryony Roberts Studio, responde tanto à geometria arquitetônica do histórico prédio da prefeitura de Columbus quanto ao seu papel simbólico como centro de liderança cívica na comunidade. Através da inserção de estruturas fabricadas sob medida com superfícies trançadas coloridas, a Roberts ativa o espaço público em torno da entrada principal do edifício como um novo destino.

Local / MRD Arquitectos

© Onnis Luque
© Onnis Luque

Implantado em plena Praça Manuel Tolsá, este projeto foi concebido como um espaço interativo e delimitado. Composto por doze portas, cada uma com uma cor diferente, o usuário pode escolher livremente por onde entrar. A instalação foi executada em madeira compensada, o interior, por outro lado, apresenta superfícies reflexivas feitas com vidro reciclado, criando um jogo de reflexos infinitos.

Biblioteca Nômade em Milão / AA Museum Lab & Lars Müller Publishers

© Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu

Concebida como uma estrutura urbana itinerante, a Biblioteca Nômade de Milão conta com um grande letreiro de LED, o qual é utilizado para anunciar as ultimas novidades e publicações da editora Lars Müller. Interiormente, uma generosa prateleira de livros funciona também como elemento de isolamento acústico, criando um ambiente bastante aconchegante e agradável à leitura ainda que em meio ao movimentado centro urbano da capital lombarda.

Bar Temporário Noturno / fala

Cortesia de Ana Luisa Soares, António Lopes
Cortesia de Ana Luisa Soares, António Lopes

Utilizando uma estrutura metálica de 3x3x5m, a pele, tema central da composição, é definida por uma sobreposição de malhas metálicas de diferentes aberturas e telas plásticas. Ao perto, a silhueta e a sua textura revelam a sua racionalidade. A luz e a cor fluem livremente através dos materiais translúcidos, tornando-se numa neblina de contornos indefinidos sobre a sombra rígida da estrutura.

Museu Temporário Roy Lichtenstein / Diogo Aguiar Studio + João Jesus Arquitectos

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

No âmbito de uma iniciativa que procura aproximar a arte das pessoas, Diogo Aguiar Studio e João Jesus Arquitectos pensaram um Museu Temporário para receber obras do artista americano Roy Lichtenstein (1923-1997) dentro de um centro comercial, em Lisboa. Os arquitetos procuraram explorar uma maior relação entre o contentor e o conteúdo.

Pavilhão Sarbalé Ke / Kéré Architecture

© Iwan Baan
© Iwan Baan

Sarbalé Ke, "a Casa da Celebração" em Moore, uma língua falada em partes de Burkina Faso, é uma instalação vibrante criada para o Festival de Música e Artes Coachella Valley de 2019. Inspirado pelo baobá Burkinabé, Sarbalé Ke apresenta doze estruturas que rementem ao baobá, refletindo sobre o material, textura e disposição espacial da arquitetura em sua terra natal, Gando, Burkina Faso.

Este artigo é parte do Tópico do ArchDaily: Pequena Escala. Mensalmente, exploramos um tema específico através de artigos, entrevistas, notícias e projetos. Saiba mais sobre os tópicos mensais aqui. Como sempre, o ArchDaily está aberto a contribuições de nossos leitores; se você quiser enviar um artigo ou projeto, entre em contato.

Sobre este autor
Cita: Baldwin, Eric. "Arquitetura pop-up: construindo novas experiências em pequena escala" [Tiny Pop-Ups: Delivering New Experiences in Small Packages] 16 Set 2020. ArchDaily Brasil. (Trad. Libardoni, Vinicius) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/947565/arquitetura-pop-up-construindo-novas-experiencias-em-pequena-escala> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.