Grandes cidades enfrentam maiores risco de inundação segundo relatório do Goldman Sachs

Grandes cidades enfrentam maiores risco de inundação segundo relatório do Goldman Sachs

O Goldman Sachs divulgou um relatório sobre os efeitos das mudanças climáticas em cidades de todo o mundo. O estudo explorou as principais mudanças que transformarão o planeta e destacou várias metrópoles que correm o risco de sofrer inundações.

HO CHI MINH CITY, Vietnã 18 de outubro de 2016: Rua inundada na cidade asiática, multidão em motocicleta na água, mudanças climáticas fazem o nível do mar subir, Vietnã. Imagem © Shutterstock / por xuanhuongho
HO CHI MINH CITY, Vietnã 18 de outubro de 2016: Rua inundada na cidade asiática, multidão em motocicleta na água, mudanças climáticas fazem o nível do mar subir, Vietnã. Imagem © Shutterstock / por xuanhuongho

As mudanças climáticas podem remodelar a Terra”, afirma claramente o relatório. De fato, o estudo que aborda como tornar as cidades resilientes às mudanças climáticas, se adaptando e vivendo ao longo desta época, destaca que os riscos potenciais para o aquecimento global serão significativos. Como consequências para a saúde humana, alimentação e agricultura, água, clima, desastres naturais e ambiente urbano, os perigos podem até tornar a adaptação crítica. Os resultados potenciais incluem “ondas de calor mais frequentes, mais intensas e mais duradouras, mudanças nos padrões de doenças, mudanças nos processos agrícolas e escassez de alimentos”. Em relação à água, o relatório Goldman Sachs afirma que "metade da população mundial viverá em áreas de estresse hídrico em 2025".

Veneza, Itália - 29 de outubro de 2018: Os turistas que usam galochas de chuva andam na água durante excepcionais Acqua Alta - inundações da maré alta. 70% da cidade foi inundada por águas subindo 149 cm. Imagem © Shutterstock / por pcruciatti
Veneza, Itália - 29 de outubro de 2018: Os turistas que usam galochas de chuva andam na água durante excepcionais Acqua Alta - inundações da maré alta. 70% da cidade foi inundada por águas subindo 149 cm. Imagem © Shutterstock / por pcruciatti

As cidades, lar de mais da metade da população do mundo e em rápida urbanização, estarão no centro desse desafio. Vulneráveis a tempestades mais frequentes, temperaturas mais altas, aumento do nível do mar, os perigos são enormes: “40% da população vive a 100 quilômetros de uma costa e uma a cada 10 pessoas vive em áreas a menos de 10 metros acima do nível do mar". Nova York, Tóquio e Lagos "podem estar sujeitos a tempestades e enfrentar inundações prejudiciais". Outras cidades em risco incluem regiões a menos de 11 metros acima do nível do mar, como Miami, Flórida; Alexandria, Egito; Daca, Bangladesh; e Xangai, China.

O aumento do nível do mar e as tempestades colocam partes da cidade de Nova York, Tóquio e Lagos em risco de inundação. Imagem Cortesia de NASA’s SRTMv3, Goldman Sachs Global Investment Research
O aumento do nível do mar e as tempestades colocam partes da cidade de Nova York, Tóquio e Lagos em risco de inundação. Imagem Cortesia de NASA’s SRTMv3, Goldman Sachs Global Investment Research

A adaptação urbana pode impulsionar uma das maiores construções de infraestrutura da história”. De fato, para gerar cidades resilientes, ações importantes e rápidas devem ser tomadas, seja em nível de planejamento urbano ou em um sistema de infra-estrutura específico, incluindo “investimentos em proteções costeiras, água e sistemas de gerenciamento de resíduos, resiliência energética e sistemas de comunicação e transporte mais eficientes”.

Washington, DC - 29 de abril de 2017: Milhares de pessoas participam da Marcha Climática para alertar sobre as mudanças climáticas. © Shutterstock/ por RNicole Glass Photography
Washington, DC - 29 de abril de 2017: Milhares de pessoas participam da Marcha Climática para alertar sobre as mudanças climáticas. © Shutterstock/ por RNicole Glass Photography

Muitas cidades começaram a investir em adaptabilidade, e muitos novos projetos estão explorando esse campo. Na verdade, recentemente, um novo plano diretor para a orla marítima do norte do Brooklyn, projetado pelo BIG e Field Operations, explorou uma nova abordagem para a resiliência urbana. A proposta coloca em prática “bermas, quebra-mares e áreas úmidas em espaços abertos para aumentar a resiliência, eliminando a energia das tempestades, reduzindo as inundações, proporcionando mais espaço para absorver água e retardar sua retirada”. Além disso, Sasaki propôs o Distrito de Inovação da Cidade de Ho Chi Minh no Vietnã com ideias semelhantes, levando em consideração o crescente risco de inundação na parte sul do Vietnã. Por outro lado, a cidade de Miami lançou um concurso aberto para transformar um terreno propenso a inundações no norte de Miami, a fim de reduzir o custo do seguro contra inundações, revigorar áreas comuns subutilizadas e promover a consciência climática.

Via Markets Insider.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Harrouk, Christele. "Grandes cidades enfrentam maiores risco de inundação segundo relatório do Goldman Sachs" [Major Cities Face High Risk of Flooding According to a Goldman Sachs Report] 07 Jan 2020. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/931293/grandes-cidades-enfrentam-maiores-risco-de-inundacao-segundo-relatorio-do-goldman-sachs> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.