Christele Harrouk

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE AUTOR

Conheça os vencedores do Prêmio Architectural League 2022 para Jovens Arquitetos e Designers

A Architectural League of New York anunciou os vencedores da 41º edição do Prêmio Anual da Architectural League para Jovens Arquitetos + Designers. Aberto a jovens arquitetos e designers com até dez anos de formação ou mestrado, o prêmio busca reconhecer o trabalho visionário de jovens profissionais e incentivar o desenvolvimento de arquitetos e designers jovens e talentosos.

Control Syntax Rio, Het Nieuwe Instituut, Rotterdam, Países Baixos, 2016. Foto por Pim Top. Imagem cortesia de The Architectural League of New YorkPrairie Plots, Houston, TX, 2022. Cortesia de Dept.. Imagem cortesia de The Architectural League of New YorkPalimpsesto, Tamayo Pavilion, Museo Tamayo, Cidade do México, México, 2021. Foto: Arturo Arrieta. Imagem cortesia de The Architectural League of New YorkPlan Unplanned: Ideas for an Affordable Chinatown, New York, NY, 2021. Cortesia de Citygroup. Imagem cortesia de The Architectural League of New York+ 12

Conheça os escritórios de arquitetura selecionados pelo programa "Europe 40 under 40" 2021-2022

O Centro Europeu de arquitetura, arte, design e estudos urbanos e o Chicago Athenaeum: O Museu de Arquitetura e Design anunciou os vencedores do programa "Europe 40 under 40" para 2021-2022. A seleção reúne talentos emergentes de arquitetura e design espalhados por toda a Europa da Albânia, Áustria, França, Grécia, Irlanda, Itália, Polônia, Portugal, Rússia, Espanha, Holanda e Turquia.

"Durante estes tempos desafiadores, é crucial manter viva as visões perspicazes. Apresentar as personalidades mais esperançosas da Europa nos campos da arquitetura e do design é o que nos dá esperança de um amanhã melhor", explica o briefing oficial. Proporcionando uma visão do cenário arquitetônico na Europa, o programa iniciado pelo Centro Europeu destaca a próxima geração de jovens arquitetos, paisagistas, urbanistas e designers industriais com menos de 40 anos, que terão impacto nos futuros ambientes de vida e trabalho, nas cidades e áreas rurais.

Apartamentos Villa Reden / Architekt Maciej Franta. Imagem © Tomasz ZakrzewskiApartamentos Point du Jour / Estúdio Vincent Escalier. Imagem © Axel DahlAo redor da Net House / MARTINS AFONSO atelier de design + atelier miel. Imagem © Mickaël Martins AfonsoCentro de Interpretação do Românico / spaceworkers. Image © Sergio Pirrone+ 6

As melhores cidades do mundo para viver em 2022: conheça o top 20

O ranking das melhores cidades do mundo para se viver em 2022 produzido pela Global Finance acaba de ser divulgado. Realizado a partir de oito parâmetros diferentes que calculam e comparam a qualidade de vida das pessoas que vivem em áreas urbanas, como economia, cultura, população, meio ambiente etc., a edição deste ano também levou em consideração o número de mortes por Covid-19 para cada mil habitantes nos diferentes países. Com dados do Global City Power index, Johns Hopkins University, Statista e Macrotrends, a lista busca oferecer uma visão completa, unindo métricas tradicionais a novos fatores.

O primeiro lugar ficou com Londres, no Reino Unido, uma cidade que, embora não tenha obtido classificações altas em suas métricas de Covid-19, ainda lidera a lista devido às pontuações em cultura, acessibilidade e crescimento populacional. Tóquio ficou com a segunda posição, mostrando pontuação baixa no parâmetro população, decaindo em número de habitantes na última década. Xangai vem em seguida, na terceira posição, devido aos números relativamente baixos de mortes por Covid-19 e ao forte crescimento populacional. Singapura e Melbourne ficaram em 4º e 5º lugares.

Tokyo. Image via Shutterstock/ By ESB ProfessionalSydney. Image via Shutterstock/ By Irina SokolovskayaParis. Image © Rodrigo Kugnharski via UnsplashSingapore. Image via Shutterstock/ by anek.soowannaphoom+ 21

Instituições de arquitetura se unem em apoio à Ucrânia

Em 24 de fevereiro de 2022, a Rússia iniciou uma invasão em larga escala no território ucraniano. Sendo a maior crise de refugiados e o maior conflito armado no território europeu neste século até o momento, esta guerra está mobilizando pessoas em todo o mundo para pressionar as autoridades a encerrar o conflito armado. Personalidades e instituições do campo da arquitetura participaram desses atos de solidariedade, emitindo declarações, condenando ações e até encerrando atividades na Rússia. Da UIA ao MVRDV, e até organizações russas como o Instituto Strelka, o mundo da arquitetura está denunciando esses atos de violência e apoiando um cessar-fogo imediato.

Kyiv, Ukraine - September, 2021: Maidan Nezalezhnosti square - aerial drone view. Monument of Independence. Image via ShutterstockMVRDV,  usado em termos de "fair use"Instalação "Mirror Field". Imagem cortesia de BYHMCSinagoga Babyn Yar de Manuel Herz, imagem de Iwan Baan. Imagem cortesia de BYHMC+ 5

Mudando os paradigmas da memória coletiva: a história do Memorial do Holocausto Babyn Yar

Babyn Yar, uma ravina na capital ucraniana Kiev, testemunhou a morte de mais de 33.000 homens, mulheres e crianças judeus, em 29 e 30 de setembro de 1941. Local de um dos maiores massacres perpetrados por tropas alemãs de ocupação contra judeus durante a Segunda Guerra Mundial, Babyn Yar tornou-se um dos símbolos do Holocausto.

Embora o principal evento trágico tenha ocorrido em 1941, durante toda a ocupação o espaço foi utilizado como local de extermínio pelas forças alemãs. Com efeito, entre 70 e 100 mil pessoas perderam suas vidas em Babyn Yar. Sem uma arquitetura destinada à tragédia e apenas uma paisagem remanescente, não há espaço de memorialização para o reconhecimento público.

A Glimpse Into the Past / Anna Kamyshan. Image Courtesy of BYHMCCrystal Wall of Crying por Marina Abramovic. Imagem Cortesia de BYHMCThe Mirror Field Installation. Imagem Cortesia de BYHMCBabyn Yar Synagogue por Manuel Herz, imagem por Iwan Baan. Imagem Cortesia de BYHMC+ 30

Vencedor do Prêmio Pritzker 2022 será anunciado em abril

O "vencedor do Prêmio Pritzker de Arquitetura 2022 será anunciado no próximo mês", publicou o site oficial do Prêmio. A honraria mais importante da arquitetura revelará seu(s) vencedor(es) em abril deste ano, diferentemente do usual, feito em março. O "Prêmio Nobel de Arquitetura" homenageia todos os anos, desde 1979, um arquiteto vivo (ou grupo de arquitetos) que alcançou conquistas significativas para a humanidade e o ambiente construído.

Artista Theaster Gates projetará o Serpentine Pavilion 2022

O artista americano Theaster Gates revelou sua proposta para o 21º Pavilhão Serpentine. A edição de 2022, primeira não encabeçada por um arquiteto, terá como título Black Chapel e “homenageará as tradições britânicas de produção artesanal e manufatura”. O pavilhão será aberto ao público na sexta-feira, 10 de junho, em Kensington Gardens e terá supervisão de montagem feita pelo escritório de Adjaye Associates.

Maior obra permanente de Christo e Jeanne-Claude será construída no deserto de Abu Dhabi

Concebida em 1977, The Mastaba, a maior obra de arte permanente de Christo e Jeanne-Claude, será construída no deserto de Liwa, em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos. Composta por 410 mil barris de cores variadas, a instalação criará "um mosaico colorido que faz referência à arquitetura islâmica". Com 150 metros de altura e 300 metros de comprimento, o projeto da dupla de artistas levará ao menos três anos para ser construído após ser aprovado pelas autoridades locais.

The Mastaba of Abu Dhabi (Project for United Arab Emirates). Image © Christo and Jeanne-Claude FoundationThe Mastaba of Abu Dhabi (Project for United Arab Emirates). Image © Christo and Jeanne-Claude FoundationThe Mastaba of Abu Dhabi (Project for United Arab Emirates) Scale model 1979. Image © Christo and Jeanne-Claude FoundationThe Mastaba of Abu Dhabi (Project for United Arab Emirates). Image © Christo and Jeanne-Claude Foundation+ 12

“A Broken House”: filme retrata fenômeno da imigração e a saudade de casa

“A Broken House” é um documentário dirigido por Jimmy Goldblum que retrata a história de Mohamad Hafez, um cidadão sírio que se mudou para os Estados Unidos em um visto de entrada única para estudar arquitetura e não pôde mais voltar para seu país natal. Enfrentando seu destino, canalizou a saudade de casa em seu trabalho artístico e começou a produzir esculturas em miniatuira de sua terra, construindo a "Damasco de suas memórias".

“Se você não pode voltar para casa, porque você não cria sua casa". Ao contar a história das pessoas que lá habitam, o projeto arquitetônico ganha uma dimensão política após o início da guerra civil síria, retratando a extensão da destruição sofrida pela cidade, humanizando os refugiados e compartilhando suas histórias. 

Cortesia A Broken House, Documentário da The New Yorker dirigido por Jimmy Goldblum“A Broken House”: filme retrata fenômeno da imigração e a saudade de casaCortesia A Broken House, Documentário da The New Yorker dirigido por Jimmy GoldblumCortesia A Broken House, Documentário da The New Yorker dirigido por Jimmy Goldblum+ 17

Escritórios de arquitetura de Berlim, pelas lentes de Marc Goodwin

Depois de uma pausa de dois anos por conta da pandemia, o fotógrafo de arquitetura Marc Goodwin retomou seu projeto intitulado Atlas das Atmosferas Arquitetônicas, ou Archmospheres, começando pela cidade de Berlim. Este projeto busca capturar escritórios de arquitetura de todo o mundo e já reuniu imagens de Madri, São Paulo, México, Panamá, Países Baixos, Dubai, Londres, Paris, Pequim, Xangai, Seul, Escandinávia, Barcelona, Los Angeles e Istambul.

Buscando seu objetivo de registrar diversos escritórios de arquitetura e design, em sua passagem por Berlim, Goodwin capturou imagens de 13 escritórios: Hesse, LAVA, JWA, Tchoban Voss, Richter Musikowski, Barkow Leibinger, FAR frohn&rojas, studio Karhard, Jasper, Kleihues + Kleihues, Graft, Bundschuh Architekten e Sauerbruch Hutton.

JWA. Fotografia© Marc GoodwinChristop Hesse. Fotografia© Marc GoodwinGRAFT. Fotografia© Marc GoodwinBarkow Leibinger. Fotografia© Marc Goodwin+ 57

Sustentabilidade é o novo luxo? Entrevista com Andrea Boschetti sobre o projeto Karl Lagerfeld Villas

Durante os últimos anos, diversas marcas de moda começaram a se aventurar na arquitetura. Algumas construíram museus, fundações e instituições culturais, enquanto outras preferiram arriscar no campo da habitação, edificando luxuosas estruturas residenciais que buscam traduzir para a arquitetura a sua já valiosa identidade de marca. Nesta linha, a KARL LAGERFELD firmou uma importante parceria com a construtora espanhola Sierra Blanca Estates e o escritório de arquitetura, design e branding The One Atelier, lançando a primeira “coleção arquitetônica de luxo” assinada pela Karl Lagerfeld. Desenvolvido pelo The One Atelier, escritório no qual Andrea Boschetti é o arquiteto responsável, o luxuoso projeto das Karl Lagefeld Villas em Marbella, Espanha, foi concebido como uma estrutura sustentável e de baixa pegada de carbono, alinhado ao compromisso da marca com o chamado “Pacto da Moda”—uma iniciativa global que busca transformar a indústria em uma atividade mais sustentável e sintonizada com os desafios climáticos, a promoção da biodiversidade e proteção dos oceanos.

Procurando melhor entender o conceito de “arquitetura de luxo” e questionando-se por que as marcas de moda decidiram se aventurar na indústria da arquitetura e construção, o ArchDaily se reuniu com Andrea Boschetti para saber mais sobre as iniciativas nas quais o arquiteto e planejador urbano tem dedicado a maior parte de seu tempo ao longo dos últimos anos.

Cortesia de KARL LAGERFELD, Sierra Blanca Estates and One AtelierCortesia de KARL LAGERFELD, Sierra Blanca Estates and One AtelierCortesia de KARL LAGERFELD, Sierra Blanca Estates and One AtelierCortesia de KARL LAGERFELD, Sierra Blanca Estates and One Atelier+ 8

Os melhores artigos de 2021

2021 foi o ano de uma nova realidade, com a humanidade se adaptando ao que é conhecido como o segundo ano da pandemia. Enquanto alguns países testemunharam um retorno à normalidade alternativa, abrindo-se para o mundo por meio de viagens e eventos, outros permaneceram presos, ampliando ainda mais as lacunas da desigualdade. No entanto, este ano também trouxe muita esperança em todos os aspectos, levantando dúvidas e construindo soluções para o futuro próximo. Com um grande foco na urgência climática, na pesquisa biomédica e também nas noções de hibridismo, 2021 desencadeou novos entendimentos sobre o meio ambiente que nos cerca e sobre o nosso lugar neste mundo.

Destacando tópicos contextuais, trazendo uma perspectiva local e global, enquanto lança luz sobre narrativas históricas esquecidas, a equipe diversificada de editores do ArchDaily tem estado na frente e no centro, reagindo a tudo o que está acontecendo. Sempre buscando "capacitar todos que fazem a arquitetura acontecer para criar uma melhor qualidade de vida", o conteúdo editorial, gerado em todos os sites, em nossos 4 idiomas, inglês, espanhol, português e chinês, forneceu ferramentas, inspiração e conhecimento para ampliar horizontes e ajudar nossos usuários a construir um futuro melhor.

“As pessoas buscam uma nova proximidade com a natureza”: entrevista com Stefano Boeri

"Projetando uma casa para as árvores", como ele diz, Stefano Boeri está trabalhando em todo o planeta, exportando sua abordagem com as árvores do México para Shenzhen. Construindo todo um ecossistema, ao invés de apenas uma fachada verde, o arquiteto compreende a necessidade de redefinir nossa relação com a natureza, especialmente nas cidades.

Christele Harrouk, do ArchDaily, teve a oportunidade de entrevistar o arquiteto em Eindhoven, durante a inauguração da Trudo Tower, o primeiro projeto de habitação social de Stefano Boeri, em colaboração com Francesca Cesa Bianchi, sua sócia no Stefano Boeri Architetti, Laura Gatti, botânica e consultora, e Paolo Russo, responsável pelo projeto. Discutindo principalmente sua abordagem com a natureza, a qualidade ambiental e sua perspectiva aplicada ao redor do mundo, a conversa também abordou às quatro florestas verticais em andamento na Europa Ocidental: a primeira que acaba de iniciar em Utrecht, uma segunda em Bruxelas, um edifício em Eindhoven, e uma última em Antuérpia.

Trudo Tower. Imagem © Stefano Boeri ArchitettiPalazzo Verde . Imagem © Stefano Boeri ArchitettiPalazzo Verde . Imagem © Stefano Boeri ArchitettiTrudo Tower. Imagem © Stefano Boeri Architetti+ 22