Guia de arquitetura de Salvador: 25 lugares para conhecer na primeira capital do Brasil

Guia de arquitetura de Salvador: 25 lugares para conhecer na primeira capital do Brasil

Salvador é uma cidade marcada por uma falha geológica que a divide em duas: cidade alta e cidade baixa. Essa diferença de nível de aproximadamente 80 metros originou, desde o início da sua colonização, diferenças de usos e ocupações do solo nesse território - que foram se modificando ao longo dos anos com o desenvolvimento e expansão da cidade. A paisagem soteropolitana não é marcada apenas pela falha geológica, mas também é expressão de diferentes camadas de tempo: a primeira capital do Brasil, que completou 470 anos este ano, teve na sua arquitetura, ao longo da história, exemplares de diversos estilos e vertentes, como o neocolonial, barroco, neoclássico, eclético, moderno e contemporâneo.

Se você está planejando uma visita para Salvador ou é soteropolitano e gostaria de participar de passeios para conhecer melhor a arquitetura da cidade, os projetos “Prédios de Salvador”, do arquiteto Diego Viana; e “Arquitetura Soteropolitana”, do arquiteto Manuel Sá, são uma boa oportunidade. Os arquitetos organizam visitas guiadas a projetos modernos e contemporâneos na cidade através dos perfis no Instagram: @prediosdesalvador e @arquiteturasoteropolitana.

Salvador vista da Baía de Todos os Santos. © niltonsouza.com.br

Reunimos aqui 25 lugares que todo arquiteto deveria conhecer em Salvador, que vão desde exemplares do séc. XVIII à projetos contemporâneos; de praças à edifícios educacionais; dos lugares famosos aos menos conhecidos e visitados. Uma lista plural e diversificada, assim como a capital baiana em seus diferentes aspectos. Confira:

Ladeira da Misericórdia / Lina Bo Bardi

Restaurante Coati, Ladeira da Misericórdia. via Architecture Paste Book

A Ladeira da Misericórdia foi por muitos anos um importante ponto de conexão entre a cidade alta e a cidade baixa. Na década de 1980 Lina Bo Bardi interveio com a requalificação de imóveis que foram abandonados e a construção de um novo edifício, o restaurante Coati, com planta composta em círculos, envolta por uma dupla camada ondulada de concreto.

Centro de Exposições do Centro Administrativo da Bahia / João Filgueiras Lima (Lelé)

Centro de Exposições no Centro Administrativo da Bahia. Via arcoweb.com.br

Destacado pelos balanços sustentados pelo engaste na torre central e pelos tirantes que contribuem para a estabilidade do edifício, esta obra, da década de 70, está à frente do seu tempo. 

Igreja do Centro Administrativo da Bahia / João Filgueiras Lima (Lelé)

Igreja do Centro Administrativo da Bahia. © Ricardo Amado

A igreja é formada por “pétalas” de concreto, a partir de uma estrutura independente, dispostas segundo um helicoide ascendente. Elevadas uma em relação a outra, proporcionam uma iluminação tangencial para o interior do espaço.

Secretarias do Centro Administrativo da Bahia / João Filgueiras Lima (Lelé)

Secretarias do Centro Administrativo da Bahia. © Thiago Mendes, via Flickr; Licença Creative Commons

Neste conjunto de secretarias, Lelé utilizou os princípios construtivos pelos quais é conhecido: pré-fabricação e modulação, com uso de concreto aparente e detalhes metálicos. 

Sede da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF) / Assis Reis

Sede da CHESF. Cortesia de Acervo Assis Reis

Os tijolos formam a expressão máxima da linguagem arquitetônica do edifício. Essa característica de exposição in natura dos materiais, sem acabamentos, também se apresenta na estrutura de concreto protendido pré-fabricado e nas instalações aparentes.

Solar do Unhão / Lina Bo Bardi

Solar do Unhão. © Manuel Sá

Lina Bo Bardi realizou a reforma de um antigo casarão do séc. XVI para abrigar o atual Museu de Arte Moderna da Bahia. A intenção era criar um museu-escola com o intuito de incentivar e expor a produção regional, com oficinas que acontecem até hoje. O destaque arquitetônico vai para a escada de madeira projetada por Lina, com encaixes inspirados nos carros de boi, sem pregos.

Faculdade de Arquitetura da UFBA / Diógenes Rebouças

Faculdade de Arquitetura da UFBA. © Manuel Sá

O edifício foi projetado na década de 1960 e concluído na década de 1970. A composição de materiais em estado bruto como o concreto armado e tijolos - utilizados para proteção da incidência solar direta - é adotada também em outros edifícios do campus da UFBA.

Biblioteca da UFBA / Luiz Dourado, Fernando José Fahel e Maria Cristina Machado

Biblioteca da UFBA. © Diego Viana Gomes

A materialidade bruta do edifício está presente na estrutura modular de concreto armado e nos tijolos não revestidos, mas tem maior destaque nos painéis que revestem a fachada em um desenho geométrico, com o objetivo de proteger a biblioteca da luz solar direta.

Ladeira da Barroquinha / Metro Arquitetos Associados

Ladeira da Barroquinha. © Ilana Bessler

O desenho da escadaria é resultado da organização dos usos: uma confortável escada contínua que permite uma caminhada rápida que se desdobra em uma sequência de platôs que insinuam um caminhar mais lento.

Casa do Carnaval / A&P Arquitetura e Urbanismo

Casa do Carnaval. © Manuel Sá

Com vista para a Baía de Todos os Santos, a Casa do Carnaval é uma adaptação de uma edificação eclética localizada no centro histórico de Salvador. O programa é um museu que conta a história do carnaval de Salvador e abriga atividades relacionadas à festa.

Casa do Rio Vermelho / Gilberbet Chaves

Casa do Rio Vermelho. © Xico Diniz

A antiga casa de Jorge Amado e de Zélia Gattai hoje funciona como um museu que conta a história do casal e da sua produção artística e literária. 

Museu Rodin / Brasil Arquitetura

Museu Rodin. © Nelson Kon

O projeto é fruto do restauro de um antigo palacete e construção de uma nova edificação, conectados por uma passarela de concreto protendido, sem pilares de apoio.

Praça da Sé / Assis Reis e Márcia Reis

Vista aérea da Praça da Sé. Cortesia de Acervo Assis Reis

A praça foi construída no lugar onde existia a antiga Igreja da Sé, construída no séc. XVI e destruída para a passagem de uma linha de bonde na década de 1930. O projeto possibilita a visualização das ruínas das fundações da antiga igreja. 

Terreiro de Jesus / Burle Marx

Terreiro de Jesus. © Leonardo Finotti

Parada obrigatória para os turistas, o Terreiro de Jesus está localizado no coração do centro histórico de Salvador. O desenho original do paisagista Burle Marx é do início da década de 50 e tem como característica principal sua famosa composição com pedras portuguesas.

Hospital Sarah Kubitschek / João Filgueiras Lima (Lelé)

Hospital Sarah Kubitschek. © Nelson Kon

A combinação de sheds metálicos ondulados e brises na conformação da cobertura são alguns dos motivos pelos quais o projeto é referência de como um edifício hospitalar pode, através da arquitetura, ter bons parâmetros de conforto térmico.

Colina Sagrada / Sotero Arquitetos

Colina Sagrada. © Leonardo Finotti

A praça na frente da Igreja do Senhor do Bonfim possui uma pavimentação em pedras portuguesas, com desenhos que dialogam com o mobiliário urbano que integra banco, poste de iluminação e lixeira no mesmo elemento.

Edifício Otacílio Gualberto / Diógenes Rebouças

Edifício Otacílio Gualberto. © Diego Viana Gomes

O edifício, projetado na década de 50, tem as fachadas compostas por brises de alumínio verticais alternados com cobogós cerâmicos, em um volume elevado do solo por pilotis.

Igreja do São Francisco / Francisco Pinheiro

Igreja do São Francisco. © Rosino, via Wikimedia Commons

Com um imponente interior, trabalhado em entalhes dourados, a Igreja do São Francisco é um exemplar da arquitetura barroca brasileira, construído entre os séculos XVII e XVIII. Seu espaço interno ornamentado contrasta com o exterior mais sóbrio.

Edifício Caramuru / Paulo Antunes

Edifício Caramuru. © Diego Viana Gomes

Localizado no bairro do Comércio, o edifício Caramuru foi premiado com a menção honrosa na 1º Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo. O edifício da década de 40 possui uma “pele” composta por grelhas metálicas intercaladas que protegem a fachada da radiação direta.

Basílica Santuário do Senhor do Bonfim

Basílica Santuário do Senhor do Bonfim. © cristianopernalonga, via Flickr; Licença Creative Commons

Construída entre 1746 e 1772, a Basílica é conhecida pelas tradicionais “fitinhas” do Senhor do Bonfim amarradas pelos visitantes ao seu gradil externo.

Casa do Comércio / Jader Tavares, Otto Gomes e Fernando Frank

Casa do Comércio. Imagem: Susanna Moreira

A imponente estrutura do edifício é o seu elemento de destaque: as vigas metálicas formam balanços em diferentes níveis em todas as fachadas do edifício. A forma do edifício, composta por esses balanços, o diferencia do seu entorno.

Teatro Castro Alves / José Bina Fonyat Filho

Teatro Castro Alves. © Diego Viana Gomes

Projetado nos anos 1950, o teatro foi inaugurado apenas em 1967 devido a um incêndio dias antes da sua inauguração, prevista para 1959. O teatro é caracterizado por uma forma triangular nas fachadas laterais que além de ser resultado do desenho da platéia, funciona como cobertura para o espaço abaixo.

Casa do Benin / Lina Bo Bardi

Casa do Benin. © Gabriel de Andrade Fernandes, via Flickr; Licença Creative Commons

Inaugurada em 1988, a casa possui um programa composto por salas de exposição, auditório, sala multiuso e restaurante. O acervo é composto por peças originárias do Golfo do Benin, colecionadas pelo fotógrafo francês Pierre Verger e peças relacionadas à cultura afrodiaspórica doadas por artistas e instituições.

Edifício Garagem Otis / Diógenes Rebouças

Edifício Garagem Otis. © Diego Viana Gomes

Localizado no bairro do Comércio, na cidade baixa, o edifício garagem projetado na década de 70 é composto por uma estrutura em concreto armado aparente e fachadas de tijolos cerâmicos.

Roberto Alban Galeria / Foguel Reis e Sá Arquitetura

Roberto Alban Galeria. © Xico Diniz

O espaço da galeria permite realizar exposições das diversas linguagens artísticas contemporâneas brasileiras. São 1.500m² de área em três pavimentos, com pé direito de 8 metros na sala principal.

Veja a seguir um resumo dos 25 lugares para visitar em Salvador:

  • Ladeira da Misericórdia / Lina Bo Bardi
  • Centro de Exposições do Centro Administrativo da Bahia / João Filgueiras Lima (Lelé)
  • Igreja do Centro Administrativo da Bahia / João Filgueiras Lima (Lelé)
  • Secretarias do Centro Administrativo da Bahia / João Filgueiras Lima (Lelé)
  • Sede da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF) / Assis Reis
  • Solar do Unhão / Lina Bo Bardi
  • Faculdade de Arquitetura da UFBA / Diógenes Rebouças
  • Biblioteca da UFBA / Luiz Dourado, Fernando José Fahel e Maria Cristina Machado
  • Ladeira da Barroquinha / Metro Arquitetos Associados
  • Casa do Carnaval / A&P Arquitetura e Urbanismo
  • Casa do Rio Vermelho / Gilberbet Chaves
  • Museu Rodin / Brasil Arquitetura
  • Praça da Sé / Assis Reis e Márcia Reis
  • Terreiro de Jesus / Burle Marx
  • Hospital Sarah Kubitschek / João Filgueiras Lima (Lelé)
  • Colina Sagrada / Sotero Arquitetos
  • Edifício Otacílio Gualberto / Diógenes Rebouças
  • Igreja e do São Francisco / Francisco Pinheiro
  • Edifício Caramuru / Paulo Antunes
  • Basílica Santuário do Senhor do Bonfim
  • Casa do Comércio / Jader Tavares, Otto Gomes e Fernando Frank
  • Teatro Castro Alves / José Bina Fonyat Filho
  • Casa do Benin / Lina Bo Bardi
  • Edifício Garagem Otis / Diógenes Rebouças
  • Roberto Alban Galeria / Foguel Reis e Sá Arquitetura

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Susanna Moreira. "Guia de arquitetura de Salvador: 25 lugares para conhecer na primeira capital do Brasil" 30 Out 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/927318/guia-de-arquitetura-de-salvador-25-lugares-para-conhecer-na-primeira-capital-do-brasil> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.