Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Crianças

Crianças: O mais recente de arquitetura e notícia

Archikidz Lisboa 2019 - Casas, Pessoas e Animais

A grande festa do Archikidz Lisboa está de regresso!!
Dia 13 de Abril, no Torreão Poente do Terreiro do Paço, das 15:00 às 18:00h.
Para crianças dos 5 aos 10 anos aproximadamente.
Entrada gratuita – sujeita a pré-inscrição.
http://archikidzlisboa.com/inscricoes/inscricoes-criancas/
Convidados: Margarida Botelho: Ilustradora e arquiteta + Ricardo Oliveira Alves: Fotógrafo de arquitetura

O tema deste ano é: Casas, pessoas e animais!!
Sabias que ha animais que são grandes arquitectos?
Como é que te adaptarias se fosses viver para a casa deles?
Apesar dos arquitetos fazerem construções pensando nas pessoas, há muitos animais que co-habitam nas cidades, vilas e aldeias. Nas cidades até há animais

Casacadabra 2: livro de urbanismo para crianças será lançado no Sesc Av. Paulista

Falar sobre espaço público e urbanismo com as crianças de forma lúdica: esta é a proposta do livro Casacadabra – Cidades para Brincar, que será lançado dia 11 de novembro no Sesc Avenida Paulista, em São Paulo.

Com texto de Bianca Antunes e Simone Sayegh, e ilustrações de Luísa Amoroso, este é o segundo título da série Casacadabra - o primeiro, chamado Invenções para morar, apresentou a arquitetura de dez casas pelo mundo. A série Casacadabra é uma iniciativa pioneira no Brasil de trazer conteúdos específicos de arquitetura e de urbanismo para o público infantil.

Dia das Crianças: brinquedos e artefatos lúdicos projetados por arquitetos e designers

As experiências lúdicas foram e são lugar de pesquisa e experimentação por parte de profissionais das mais diversas áreas. Interessados em estabelecer um diálogo sério e compromissado a partir de um assunto leve, que rendeu iniciativas bastante interessantes em vários campos ao longo do tempo, esses agentes colocam em debate o potencial das ferramentas que despertam tais situações ligadas ao prazer, à imaginação, à diversão e, em muitos casos, à infância.

No campo da arquitetura, projetos notáveis fizeram uso da estratégia lúdica na construção de seus espaços. Exemplo importante dessa abordagem são os projetos das Escolas Apollo, do holandês Herman Hertzberger, edifícios alinhados a uma vertente vanguardista de ensino básico, que materializam nos projetos preceitos referentes a uma proposta pedagógica que tinha como um de seus nortes o sentido lúdico e coletivo do aprendizado infantil.

Construindo escolas melhores: 6 maneiras de ajudar nossas crianças a aprenderem

© Velux Group
© Velux Group

Você sabia que 64 milhões de crianças europeias passam mais tempo na escola do que em qualquer outro lugar que não a sua casa? As crianças europeias passam aproximadamente 200 dias por ano nas suas escolas primárias. Com essas informações, como podemos criar salas de aula mais saudáveis para ambientes de aprendizagem produtivos? Esta questão é talvez mais importante do que nunca, já que esta será a primeira vez desde a década de 1970 que a Europa e o Reino Unido assistirão a um boom na construção e renovação de escolas. Trata-se de uma tremenda oportunidade para os arquitetos e educadores a repensarem o que deve ser uma instalação educacional e como o ambiente físico pode ser projetado para ter um impacto positivo na aprendizagem.

© Velux Group © Velux Group © Velux Group © Velux Group + 22

Moldando o futuro: o que considerar ao projetar para crianças

© Kyungsub Shin
© Kyungsub Shin

Le Corbusier declarou em seu texto seminal, Towards a New Architecture, que “... o homem olha para a criação da arquitetura com seus olhos, que estão a 1,70 metros do chão”. Códigos lógicos e racionais como esse configuram os padrões para grande parte da produção arquitetônica - mas, é claro, essas "normas" são tão construídas quanto a própria arquitetura. Esse padrão em particular é especialmente irrelevante ao projetar para crianças, em que as premissas arquitetônicas centradas em adultos não se aplicam e nem devem ser aplicadas.

© Katsuhisa Kida © Antoine Espinasseau © John Donat RIBA Library Photographs Collection © Dorte Mandrup + 24

Chiquitectos: quando as crianças experimentam arquitetura

Chiquitectos é um projeto espanhol "lúdico e educativo" que procura despertar o interesse das crianças e jovens pela arquitetura, o entorno, pela cidade e pelo desenvolvimento sustentável. "Queremos contribuir para a criação de cidadãos participativos e responsáveis por suas próprias decisões, capazes de agir para mudar o estado das coisas", afirma a equipe liderada pela arquiteta Almudena de Benito.

Em seus escritórios, brincar livremente com todos os tipos de materiais físicos e digitais é entendido como a ferramenta fundamental para aprender, entender e explorar. "(Crianças) interagem com o espaço, brincam com a luz, experimentam diferentes formas, descobrem a importância da estrutura e compreendem o significado de escala e proporção", acrescentam.

Para conhecer parte do seu trabalho, a equipe da Chiquitectos nos apresenta uma (difícil) seleção de sete projetos concebidos por meninos e meninas entre os 5 e 14 anos de idade, que trabalham com os seus sonhos, alegrias e preocupações para traduzir várias propostas através da experimentação arquitetônica (incluindo uma construção para escapar de um pesadelo recorrente).

Conheça as sete idéias a seguir. 

Trucos espaciales: propuesta de Max, Nina y Sofía de 12, 13 y 14 años respectivamente.. Image Cortesía de Chiquitectos Refúgios + emoções: proposta de Claudia, Lucas e Marco  7, 9 e 8 anos respectivamente. Image © Rosvima Refugio soñado: propuesta de Oliver, 5 años. Image Cortesía de Chiquitectos Refugio soñado: propuesta de Bruno, 6 años. Image Cortesía de Chiquitectos + 11

Snarkitecture projeta instalação lúdica na orla de Hong Kong

O estúdio colaborativo de design Snarkitecture, de Nova Iorque, divulgou sua mais recente instalação interativa que traz um sentido lúdico para a orla de Hong Kong. Intitulada BOUNCE, a instalação apresenta centenas de bolas saltitantes contidas em um espaço definido semelhante a uma gaiola e convida o público a interagir com estes elementos.

O trabalho do estúdio se distribui por três locais: a zona portuária de Harbour City, uma instalação interna no Ocean Center intitulada “Gallery by the Harbour” e um “Eyeball Maze” infantil no Ocean Terminal.

Gallery by the Harbour. Cortesia de Snarkitecture BOUNCE. Cortesia de Snarkitecture BOUNCE. Cortesia de Snarkitecture Eyeball Maze. Cortesia de Snarkitecture + 26

Conheça Elvira de Almeida: arquiteta de espaços lúdicos

Mastros-Tótens. Imagem: © ALMEIDA, Elvira de . Arte Lúdica.
Mastros-Tótens. Imagem: © ALMEIDA, Elvira de . Arte Lúdica.

Dando sequência ao conjunto de publicações que pretendem ampliar o acesso à produção acadêmica das universidades do país, apresentamos hoje o trabalho de mestrado de Ana Luzia Ribeiro Mello dentro do Instituto de Artes da UNESP - Universidade Paulista Júlio de Mesquita Filho, intitulado “O brinquedo do parque: um conceito lúdico como arte do reaproveitamento” e orientado pela Prof. Dra. Clice de T. Sanjar Mazzilli. O trabalho destaca a figura da arquiteta e designer Elvira de Almeida e sua trajetória com a elaboração e execução de esculturas-brinquedo.

Como crianças usam o espaço: Building Pictures produz vídeo sobre o cotidiano de uma escola primária em Barcelona

O vídeo “One day at the School” – “Um dia na Escola” - produzido pela Building Pictures sobre o projeto Maternelle du Lycée Français em Barcelona, do escritório b720 Fermín Vázquez Arquitectos, convida os espectadores a conhecer o dia a dia nesta escola.

Playground inspira a criatividade e o desenvolvimento intelectual ao combinar arte e arquitetura

Formado na Escola de Arquitetura de Yale, Spencer Luckey decidiu percorrer uma carreira um pouco alternativa, projetando estruturas verticais de escalada para deixar a imaginação infantil o mais livre possível. Os elementos de Luckey são parte um brinquedo de escalada e parte um objeto artístico que ergue-se do chão com plataformas ondulantes brotando e criando um espaço abstrato para inspirar criatividade e desenvolvimento intelectual.

Intervenção em escola de Madri exercita a criatividade e a capacidade imaginativa das crianças

O arquiteto espanhol Nacho Gias, em colaboração com o designer gráfico Fernando Carbayo, apresentaram o Playground, uma intervenção em uma quadra de futebol de uma escola em Torrelodones, Madri. A obra pretende fomentar a criatividade e a capacidade imaginativa das crianças enquanto elas inventam seus próprios jogos, guiados por percursos, pontos de encontro e pistas dentro do próprio campo.

Cidades ativas são cidades para o brincar

A importância de brincar na infância colabora para o desenvolvimento social, físico e emocional das crianças. Essa atividade permite que elas que interajam de modo espontâneo umas com as outras e com o espaço, desenvolvendo sua criatividade e sua capacidade de  compartilhar e conviver em sociedade.

Para uma parcela da população, o ato de brincar é relacionado a playgrounds em condomínios fechados. Essa escolha por espaços privados está associada a uma visão negativa sobre a cidade, de que ela é insegura, violenta e degradada. Essas crianças só conhecem a cidade através da janela do carro, do transporte escolar, ou através de uma grade, e isso pouco contribui para seu aprendizado e desenvolvimento, já que deixam de conviver com pessoas diferentes e de aprender sobre o local em que vivem. Para outra parcela da população, o brincar é limitado a espaços informais, não projetados originalmente para essa atividade. Na maioria dos bairros periféricos faltam áreas de lazer para crianças, que, por falta de opção, acabam se expondo aos riscos de locais impróprios para o brincar.   

3 Projetos brasileiros entre os vencedores do Urban95 Challenge, para melhoria das cidades para as crianças (e para todos)

Se você pudesse ver a cidade de uma altura de 95 centímetros – a altura media de uma criança saudável de 3 anos – o que você faria diferente? Como você organizaria os bairros, os espaços públicos, as áreas verdes, a habitação e o transporte? O que mais você mudaria ou melhoraria na cidade? Encontrar respostas para essas perguntas foi o objetivo do Urban95 Challenge, por meio do qual a Fundação Bernard van Leer (FBvL) ofereceu apoios a projetos de pequena escala, de organizações formais e informais, além de universidades, governos e indivíduos de todo o mundo.

Foram recebidas mais de 150 inscrições, e 26 foram selecionadas. Os vencedores vieram de 18 países, representando todos os continentes. América Latina e Ásia foram as regiões com mais projetos, cada uma com oito selecionados. Brasil, Bangladesh e Índia lideram os vencedores com três projetos cada. Os projetos recebem apoios de 560 a 30 mil euros, dependendo de sua complexidade e duração, totalizando 460 mil euros em apoios.

Cidade: a participação de todos na paisagem urbana / Ricardo Nogueira Martins

Vários são os desafios sociais e ambientais enfrentados pelas cidades, em particular aqueles relacionados com o propósito de maximizar o potencial de capital humano jovem disponível nas cidades. Na defesa de que a melhor forma de ter uma boa ideia é ter várias ideias, a actividade ‘Postais Ilustrados de Guimarães’ congrega a mobilização de pensamentos infantis reflectidos manualmente em postais que trabalham acerca da paisagem urbana que vivem. Esta é uma das várias atividades trabalhadas pelo Laboratório da Paisagem de Guimarães e uma das acções do Plano de Paisagem de Guimarães que, realizada desde 2015, conta já com quase duas centenas de contribuições.

O apelo à participação coletiva na paisagem segundo a Convenção Europeia da Paisagem deve fazer-se, pois, cumprindo a salvaguarda da característica social da paisagem, que é, por sua vez, uma das instâncias do significado de paisagem: a paisagem tal como é apreendida pelas populações.

Sesc Pinheiros promove curso de arquitetura para crianças

A partir de Abril, o Sesc Pinheiros promove o curso "Arquitetura Para Crianças" com Simone Sayegh e Carolina Hernandes. Voltado para crianças a partir de 7 anos, a atividade explora noções e conhecimentos da arquitetura de modo lúdico e será desenvolvido em três módulos interdependentes.

Módulo I (Abril) – o desenho que vira casa. Este módulo abordará a construção de vocabulário visual a partir da geometria e da representação plástica, considerando formas geométricas, representação (planos e elevações), cores e revestimentos e dimensões (do 2D para o 3D, transformando polígonos em figuras tridimensionais). Dias: 8, 15, 29/4 e 6/5. Sábados, das 10h30

Urbanismo inclusivo: empoderando as crianças em nossas cidades

Ao falar de planejamento urbano e espaço público, é importante pensar nas diferentes vivências que uma mesma cidade oferece aos seus habitantes. O urbanismo inclusivo é um tema amplo que pode ser abordado a partir de diferentes enfoques: gênero, acessibilidade e meios de transporte, por exemplo. Idealmente, a cidade deve ser projetada levando em consideração as situações particulares da população, acomodando diferentes experiências dentro de um mesmo espaço compartilhado. 

Instalação de luz com madeira translúcida ilumina um Hospital Infantil na Australia

Para as crianças, especialmente, os hospitais podem ser espaços muito angustiantes e assustadores. Por esse motivo, o trabalho de ENESS pretende mudar essa experiência através de sua instalação LUMES, uma peça de madeira que emite luz, exposta no Hospital Cabrini em Malvern, Austrália.

Cortesia de ENESS Cortesia de ENESS Cortesia de ENESS Cortesia de ENESS + 16