1. ArchDaily
  2. Crianças

Crianças: O mais recente de arquitetura e notícia

A escala das crianças: breve histórico sobre mobiliários infantis

Montessori Kindergarten in Xiamen / L&M DesignPhoto: 1931, Kaunas, Lithuania. Two children working on reading/writing words at Maria Varnienė's Children's House. The child on the left is Stasys Ragaišis, who later became a medical doctor.. Image via @montistory101Mi Casita Preschool and Cultural Center / BAAO + 4Mativ Design Studio. Image © Lesley UnruhPeter Keler - Puppenwagen, 19xx. Image via Wikimedia+ 53

Mobiliários infantils são aqueles - fixos ou móveis - desenhados pensando nas crianças, seja de acordo com os seus princípios ergonômicos e anatômicos, ou de forma a assessorá-las da forma mais adequada. Seguindo essa linha, podemos identificar dois tipos de móveis: (1) aqueles que facilitam a relação entre o cuidador e a criança e (2) os que permitem que a criança os utilize de forma independente.

A grande diferença entre esses dois tipos é que os primeiros possuem dimensões que se adaptam à ergonomia do adulto e o segundo são projetados para atender às necessidades ergonômicas da criança, em cada etapa de seu desenvolvimento. Como o crescimento das crianças ocorre de forma relativamente rápida, é comum que os móveis deste segundo grupo sejam multifuncionais ou mesmo extensíveis.

Dormitórios infantis: como projetar um ambiente saudável para o sono

Apartamento Acqua Verano / Bohrer Arquitetura. Image © Fellipe LimaRequalificação de residência projetada por Zanine Caldas / PKB Arquitetura. Image © Andre NazarethApartamento Taquinho / Lez Arquitetura. Image © Júlia TótoliBlue and Glue / HAO Design. Image © Hey! Cheese+ 43

Muitos fatores influenciam no bem-estar das pessoas, mas poucos tem um poder tão grande quanto a qualidade do sono. Adultos passam, em média, um terço de seu dia (e de sua vida) dormindo. No caso das crianças pequenas essa proporção é ainda maior. De acordo com um estudo publicado pela OMS em 2019, bebês (de 4 a 11 meses) devem dormir entre 12 e 16 horas/dia; e crianças até 4 anos devem dormir entre 10 e 13 horas/dia.

Um sono de qualidade atua diretamente no desenvolvimento cerebral da criança, principalmente durante sua primeira e segunda infância (do nascimento até os 12 anos). Durante o período de descanso o corpo libera os hormônios necessários para o crescimento e aprendizado, e isso relaciona-se diretamente ao desenvolvimento físico, motor, emocional e cognitivo. É sabido também que o ambiente onde se dorme interfere na qualidade desse sono, e alguns aspectos importantes devem ser considerados na hora de projetar espaços de dormir para crianças e bebês.

Como desenhar espaços urbanos mais seguros e saudáveis para crianças

Frequentemente as crianças não recebem prioridade ou até são desconsideradas no planejamento urbano. Estima-se que morram até 500 crianças por dia no mundo em acidentes de trânsito. Outras milhares acabam feridas em decorrência das colisões ou desenvolvem traumas psicológicos que podem acompanhá-las por anos. Seja nas ruas ou em espaços públicos, o sentimento de insegurança ou desconforto desencoraja as crianças da atividade física ao ar livre – e isso em um momento em que 80% das crianças entre 11 e 17 anos não são fisicamente ativas e outras 38 milhões com até 5 cinco anos estão acima do peso ou obesas.

As crianças participaram ativamente dos dias sem carro em Addis Ababa, conhecidos como “Menged Le Sewe” (Ruas para Pessoas). Foto: Nafkot GebeyehuUma criança em Dar es Salaam caminha até a escola em uma área escolar redesenhada pela Amend, organização vencedora da edição 2018-2019 do Prêmio WRI Ross para Cidades. Foto: Kyle LaFerriere/WRINeste momento em que as cidades estão preocupadas com a recuperação da crise e reavaliam as práticas do passado, devem levar em consideração as necessidades das crianças em termos de segurança, saúde e acessibilidade. Foto: Angela N. / FlickrUma zona de baixa velocidade recém-implementada no Distrito de Tunjuelito, em Bogotá, ajudou a reduzir os acidentes de trânsito e a melhorar a experiência nos deslocamentos. Foto: Segundo Lopez/WRI+ 9

Pedagogia Pikler na arquitetura: jogos de madeira e espaços de liberdade

Emmi Pikler era uma pediatra húngara que introduziu, nos anos pós segunda grande guerra, uma nova filosofia sobre o cuidado e aprendizado durante a primeiríssima infância (crianças até 3 anos). Foi depois do nascimento de seu primeiro filho que decidiu iniciar um experimento: 'o que acontece quando se permite que a criança se desenvolva livremente?'. Os resultados observados culminaram na introdução de uma nova metodologia.

A abordagem Pikler segue o procedimento de observar o livre desenvolvimento da criança utilizando como ferramentas o cuidado com a saúde física, o afeto, o respeito à individualidade e a autonomia de cada criança. Seguindo essa lógica, torna-se desnecessária alguma estimulação ou intervenção por parte do adulto. Para que a criança possa vivenciar o espaço com liberdade de movimentos, alguns cuidados devem ser tomados na preparação desses ambientes.

Projeto Bird House: uma atividade de arquitetura e fabricação digital para crianças

A arquitetura é uma disciplina profundamente ligada à percepção do espaço, assim como à sua construção, e poderia ser introduzida na educação infantil. Pensando nisso, os arquitetos do Studio dLux propuseram o projeto Bird House, workshop voltado a crianças do ensino fundamental que tem como objetivo apresentar os processos de desenho e construção de uma casa de passarinho.

© Hugo Chinaglia© Hugo Chinaglia© Hugo Chinaglia© Hugo Chinaglia+ 18

Outras cidades impossíveis: uma perspectiva da criança sobre a pandemia

Cidades desertas, comércios fechados, voos cancelados. Praças vazias, ruas sem ninguém circulando... o que parecia impossível aconteceu. Se para nós está difícil de se acostumar a essa nova rotina, para as crianças, então, o baque foi ainda maior. De um dia para o outro, elas foram privadas da escola, da convivência com os amigos, dos passeios pela cidade, dos parques, das praças. Foram encerradas dentro de casa.

Arquitetura de madeira para crianças: projetando espaços aconchegantes e divertidos

Geometrical Space for a Two Kid Family / Atelier D+YBlue and Glue / HAO DesignPodgorje TimeShare Kindergarten and School / Arhitektura Jure KotnikMRN Kindergarten and Nursery / HIBINOSEKKEI + Youji no Shiro+ 71

O ambiente em que habitamos nos influencia diretamente. Quando pensamos nas crianças, é sempre desejável que consideremos que este ambiente seja seguro, acessível e, ao mesmo tempo estimulante, para que eles possam se mover e se desenvolver livremente sem colocar sua integridade física em perigo. Já falamos em outra oportunidade sobre como criar playgrounds dentro de casa, mas hoje, decidimos reunir uma série de exemplos que usam o calor e a versatilidade da madeira para criar interiores interativos, criativos e divertidos para as crianças.

Criança quer ir para a rua! O futuro dos espaços públicos para os pequenos

Só num mundo distópico poderíamos imaginar que nossas crianças não teriam permissão para brincar livremente na rua com seus amigos. Antes da pandemia, estávamos vivendo tempos de luta para que as crianças passassem mais tempo ao ar livre, em contato com a natureza, ocupando os espaços públicos. A maior parte de nossas crianças vive em contextos urbanos e no Brasil, por conta do sentimento de insegurança, brincar na rua para muitas famílias não é considerado uma opção.

Banheiros coletivos para crianças: O que considerar ao projetar?

Kindergarden in Chroscice / PORTKindergarden between Palms in Los Alcazares / Cor & AsociadosChildren Hospital EKH / IF (Integrated Field)Beelieve Preeschool of Life / EstudioFernandaOrozco+ 14

É bastante comum usar o termo acessibilidade ao projetar espaços para pessoas com necessidades especiais ou para idosos. No entanto, para garantir um design universal eficaz para as crianças, é imprescindível conhecer e focar em suas necessidades específicas, com base em ergonomia, segurança, iluminação natural e artificial, cores e acessórios. Neste artigo, abordaremos os parâmetros mais importantes a serem considerados ao especificar dimensões e materiais em banheiros coletivos para crianças pequenas.

Como projetar escolas e interiores baseados na pedagogia Waldorf

Introduzida por Rudolf Steiner, a pedagogia Waldorf é alimentada por princípios da filosofia antroposófica. Uma das principais características de sua abordagem pedagógica é a suposição de que a formação de um ser humano deve ser holística: seus sentimentos, sua imaginação, seu espírito e seu intelecto como uma composição única, visando uma completa integração entre o pensamento, o sentimento e a ação (o pensar, o sentir e o agir estão sempre ligados).

O foco da filosofia é desenvolver indivíduos capazes de se relacionar com si mesmos e com a sociedade (inteligência inter e intrapessoal), habilidades que são fundamentais para os desafios que o século XXI desenhou. Esse aprendizado ocorre, em grande parte, devido à força característica das escolas que seguem esse método de introduzir famílias no ambiente escolar, transformando-as em uma comunidade. Abordaremos como isso é feito, a seguir.

Yellow Train School / Biome Environmental Solutions. Image © Vivek MuthuramalingamAfter-School Care Centre Waldorf School / MONO Architekten. Image © Gregor SchmidtMarecollege / 24H Architecture. Image Cortesia de Boris ZeisserEscola El Til·ler / Eduard Balcells + Tigges Architekt + Ignasi Rius Architecture. Image © Adrià Goula+ 19

Onde as crianças brincarão? Como projetar cidades estimulantes e seguras para a infância

Cities for Play é um projeto cujo objetivo principal é de inspirar arquitetos, urbanistas e planejadores urbanos a criarem cidades estimulantes, respeitosas e acessíveis às crianças.

Natalia Krysiak é uma arquiteta australiana que acredita que as necessidades das crianças devem ser colocadas como ponto central no desenho urbano para assegurar comunidades resilientes e sustentáveis. Em 2017, criou Cities for Play que estuda exemplos de cidades que se preocupam em proporcionar ambientes que são capazes de promover a saúde e o bem-estar (físico e emocional) das crianças com foco nas brincadeiras e na "mobilidade ativa" de espaços públicos. 

Conselhos para iluminar espaços interiores para crianças

Quando se fala sobre iluminação, muitos pensam que o assunto se resume à decoração e aos tipos de luminárias. No entanto, é consenso entre arquitetos que um bom projeto de luminotécnica agrega tanto valor estético, funcional como ambiental. Além disso, saber dimensionar e direcionar cada luminária para sua função, contribui também para a economia de energia elétrica.

No que se diz respeito às necessidades das crianças, é fundamental atentar para a quantidade, qualidade e tipo de lâmpada para cada objetivo específico do ambiente: dormir, brincar e aprender. A seguir, explicaremos melhor cada uma de suas especificidades.

© Atsushi Ishida. Image LHM Kindergarten / Moriyuki Ochiai Architects© Threeimages. Image Avenue Green Sheshan in Shanghai / ELTO Consultancy© Xia Zhi . Image Family Box Qingdao / Crossboundaries© Xia Zhi . Image Family Box Qingdao / Crossboundaries+ 23