Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Architectural Photography

Architectural Photography: O mais recente de arquitetura e notícia

Geometrias esquecidas de Madri, pelas lentes de Joel Filipe

Após uma primeira série de fotografias que revelava geometrias arquitetônicas de Madri, Joel Filipe compartilhou novamente seu trabalho conosco; desta vez, a série Into the Fog. Nestas fotografias, Filipe apresenta, através de uma camada de neblina, arquiteturas conhecidas do skyline da capital espanhola.

Torre PwC / Carlos Rubio Carvajal y Enrique Álvarez-Sala Walther. Imagem © Joel Filipe Torre PwC / Carlos Rubio Carvajal y Enrique Álvarez-Sala Walther + Torre Cepsa / Norman Foster. Imagem © Joel Filipe Torre de Cristal / César Pelli and Ortiz & Léon. Imagem © Joel Filipe Torre Espacio / Pei Cobb Freed & Partners, Henry N. Cobb, José Bruguera. Imagem © Joel Filipe + 12

David Romero recria obras desaparecidas de Frank Lloyd Wright em imagens realistas

Apoiado em uma ampla gama de softwares, o arquiteto espanhol David Romero recriou digitalmente uma série de obras emblemáticas de Frank Llody Wright: de duas delas só restam os escombros e uma terceira nunca foi construída. Nos referimos a três projetos nos Estados Unidos: o Edifício Administrativo Larkin (1903-1950), a Casa Rose Pauson (1939-1943) e a Capela Trinity (1958), respectivamente.

"As ferramentas de visualização 3D que temos raramente se dedicam a pesquisar o passado da arquitetura e existe um campo imenso para ser explorado", disse Romero sobre seu projeto Hooked on the Past em uma conversa com o ArchDaily em Espanhol. O arquiteto trabalha com os softwares AutoCAD, 3ds Max, Vray e Photoshop e se baseia em fotografas em preto e branco, croquis e plantas das obras.

Casa Rose Pauson (1939-1943). Imagem © David Romero Casa Rose Pauson (1939-1943). Imagem © David Romero Capela Trinity (1958), um projeto nunca construído de Frank Lloyd Wright. Imagem © David Romero Capela Trinity (1958), um projeto nunca construído de Frank Lloyd Wright. Imagem © David Romero + 29

Iwan Baan: Sem filtro

Fundação Louis Vuitton, Frank Gehry. Imagem © Iwan Baan
Fundação Louis Vuitton, Frank Gehry. Imagem © Iwan Baan

Cultured, uma das principais revistas de arte, arquitetura e design, compartilhou conosco parte de seu ensaio fotográfico de 16 páginas intitulado "No Filter" [Sem Filtro], por IwanBaan, que foi publicado na Edição de Inverno. Aproveite!

Se você é viciado em imagens de arquitetura como nós, é possível que você admire a obra de Iwan Baan. Embora ele seja categórico em afirmar que não é um "fotógrafo de arquitetura", Baan provavelmente já capturou mais edifícios, pavilhões, residências e todo tipo de estrutura que qualquer outro fotógrafo. Ainda assim é seu passado como fotógrafo documental que mais influencia seu trabalho. "Escolho meus projetos não tanto pela arquitetura, mas por sua relação com a cidade e como as pessoas respondem a eles", diz Baan. "Estou tentando contar a estória do ambiente construído - os lugares onde vivemos." Aqui, Baan conta a estória por trás de 11 projetos concluídos este ano, e dois outros com os quais tem uma conexão pessoal.

"Adoro boa arquitetura que é muito específica para o lugar e o cliente, para um arquiteto é sempre uma dança entre ele próprio, o terreno e o cliente. Aqui, Gehry recebeu liberdade total para projetar cada detalhe, cada canto do edifício para Bernard Arnault abrigar sua coleção de arte."

Leia mais citações e veja outras imagens de Iwan Baan, a seguir.

Fundação Louis Vuitton de Frank Gehry / Imagens por Danica O. Kus

A fotógrafa de arquitetura Danica O. Kus compartilhou conosco imagens da Fundação Louis Vuitton, projeto de Frank Gehry recentemente concluído. Rotulado de "o triunfo do fim de uma carreira" por Christopher Hawthorne, crítico do Los Angeles Times, a estrutura envidraçada se projeto sobre um espelho d'água no Jardin d’Acclimatation em Paris. Para uma análise mais atenta sobre o tão comentado projeto de Gehry, veja as fotos de Kus a seguir.

© Danica O. Kus © Danica O. Kus © Danica O. Kus © Danica O. Kus + 23

Como o acaso ajudou Pedro E. Guerrero a se tornar o fotógrafo favorito de Frank Lloyd Wright

O que é necessário para um estudante de artes de 22 anos começar uma relação profissional duradoura com "o maior arquiteto americano de todos os tempos"? Originalmente publicado na Curbed como "How a 22-Year-Old Became Wright's Trusted Photographer", esse artigo revela que para Pedro E. Guerrero foi necessário coragem e muita sorte - mas uma vez que começaram a trabalhar juntos, esse par improvável era uma dupla perfeita.

Quando Frank Lloyd Wright contratou Pedro E. Guerrero para fotografar a Taliesin West em 1939, nenhum dos dois sabia que isso levaria a uma das relações mais importantes na história da arquitetura. Wright tinha 72 anos e já havia sido publicado na capa da Time devido à Casa da Cascata. Guerrero tinha 22 anos e acabara de sair da faculdade. Seu primeiro encontro aconteceu a pedido do pai de Guerrero, um pintor que conhecia vagamente Wright da vizinhança e esperava que o arquiteto oferecesse a seu filho um trabalho. Qualquer trabalho.

O jovem Guerrero teve a audácia de se apresentar ao famoso arquiteto como "fotógrafo". Na realidade, ele não havia ganhado nenhum tostão com isso até então. "Eu tinha o pior portfólio do mudo, incluindo uma foto de um pelicano morto", confessou Guerrero mais tarde. "Mas eu também tinha nus feitas na praia em Malibu. Isso pareceu capturar o interesse de Wright."

Hufton + Crow vencem o "Architectural Photographer of the Year" no WAF

Hufton + Crow foram anunciados como vencedores do prêmio “Architectural Photographer of the Year 2014” [Fotógrafos de Arquitetura de 2014] por Arcaid Images. A notícia foi anunciada em Singapura no World Architecture Festival após a fotografia da escada do Centro Heydar Aliyev de Zaha Hadid ter recebido a pontuação mais alta pelo júri. Hufton + Crow também ficaram em segundo lugar na categoria "Exterior" com outra imagem do Centro Heydar Aliyev. Veja as fotografias a seguir.

Vídeo: Timelapse no Museu Soumaya

O fotógrafo alemão Yannick Wegner compartilhou conosco seu mais recente vídeo, um timelapse realizado no Museu Soumaya. Projetada pelo escritório FR-EE / Fernando Romero Enterprise, a estrutura de 45 metros de altura se tornou um ícone do distrito de Polanco na Cidade do México devido a sua forma escultórica e revestimento formado por 16 mil ladrilhos hexagonais espelhados que lembram escamas de peixe.

Veja a seguir algumas fotografias do museu.

Seriam as construções abandonadas ruínas da modernidade?

Ruínas antigas são algo comum na Europa - há muitos exemplos famosos como Pompeia, o Partenon, o Coliseu - mas o que dizer das novas ruínas? Esqueletos de edifícios incompletos agora povoam o skyline das cidades europeias. Uma forma de momento mori, essas construções abandonadas provam que nenhuma estrutura é permanente ou imune aos desejos cambiantes de uma sociedade em fluxo. O fotógrafo inglês Sam Laughlin documenta o surgimento dessas "ruínas" em sua série Frameworks, um exame contemporâneo do envelhecimento do ambiente construído.

Entre no mundo abandonado de Frameworks e veja outras fotografias de Laughlin, a seguir.

© Sam Laughlin © Sam Laughlin © Sam Laughlin © Sam Laughlin + 16

James Ewing vence o APA Awards com fotografia de Auroville

O fotógrafo de arquitetura James Ewing, de Nova Iorque, ficou em primeiro lugar na categoria "Arquitetura" do American Photographic Artists APA Awards. A imagem, como Ewing comenta, "foi criada para descrever a paisagem verdejante que cerca o Matrimandir e a comunidade de Auroville."

“A região estava em um estágio avançado de desertificação quando o projeto Auroville foi iniciado na década de 1960. A forte erosão havia removido a maior parte da cobertura do solo, deixando exposta uma terra estéril. Após muitos anos de cuidadosa engenharia e manejo do solo, Auroville desenvolveu uma cidade jardim exuberante. Procurei um ponto de vista elevado que me permitiu apresentar o edifício contextualizado com sua paisagem. O edifício sem a paisagem seria apenas metade da estória. Os ciclistas em primeiro plano mostram a escala e proporcionam um contraste entre a tecnologia rudimentar das bicicletas e a fantástica forma digna de ficção científica do Matrimandir."

A ascensão do "Ruin Porn"

Ultimamente os arquitetos têm compartilhado uma fascinação crescente por ruínas. À medida que as tecnologias para imaginar os edifícios do futuro se tornaram mais precisas - nos permitindo não apenas caminhar por eles, sobrevoá-los e dissecar suas paredes, mas também calcular as quantidades exatas de materiais, capacidades estruturais e custos - nossa fascinação por ruínas, um processo governado por leis da natureza e do tempo, espacialmente imprevisível e raramente uniforme, também tem se tornado mais popular.

A metamorfose de Hong Kong registrada na série fotográfica "Cocoon"

Em 1994, uma técnica comum na construção civil em Hong Kong, praticada há mais de 100 anos, atraiu a atenção do fotógrafo Peter Steinhauer e o levou a passar quase uma década registrando este fenômeno urbano singular. O andaime de bambu e as envoltórias têxteis fotografadas têm como função impedir que os detritos da construção se espalhem, porém, num primeiro olhar, mais parecem obras de Christo e Jeanne Claude, os artistas que ficaram famosos envolvendo edificações como o Reichstag em Berlim.

As fotografias resultantes mostram alguns dos enormes arranha-céus de Hong Kong envoltos em tecidos de cores vivas; suas fachadas se transformam em monólitos, como uma maquete volumétrica em escala real. Steinhauer chamou sua série de "Cocoons" (casulos): o edifício sofre uma metamorfose sob a envoltória, e quando esta é removida, ele está concluído.

Mais imagens desses casulos urbanos, a seguir.

© Peter Steinhauer © Peter Steinhauer © Peter Steinhauer © Peter Steinhauer + 24