Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Karina Zatarain

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE AUTOR

12 Exposições que mostram que a arquitetura não precisa ser permanente para ser potente

Ao pensar em arquitetura, lembramos, inevitavelmente, das obras do passado. Construções feitas para resistir à passagem do tempo encontram na idade um forte aliado, assegurando-se na história da humanidade. A permanência, porém, é um peso a ser suportado e, nesse sentido, a arquitetura dita efêmera não deve ser considerada inferior. 

Arquitetura que transcende barreiras de linguagem: Casas de Parto no México

Até alguns anos atrás, a maior causa de mortes no município de Tenejapa, localizado na região de Los Altos de Chiapas, era por problemas relacionados ao trabalho de parto. Ante esse panorama, e aliado à falta de serviços médicos na região, as parteiras tradicionais de 22 comunidades agruparam-se para combater o problema e formaram a Rede de Parteiras “Un solo corazón A.C.”, organização que conseguiu reduzir a zero a taxa de mortalidade materna e infantil atendendo 98% dos partos na área.

O desafio de construir um espaço público em uma cidade violenta no México

O que acontece com o espaço público de uma cidade que aprendeu a aceitar a violência como fator cotidiano? Embora seja ingênuo acreditar que a arquitetura por si só possa resolver problemas sociais e políticos complexos, também é importante entender como e de onde pode agir de alguma maneira, por menor que seja.

Equipes brasileiras entre os vencedores do Prêmio LafargeHolcim 2017 da América Latina

À medida que enfrentamos a crise climática global que deve ser abordada, a sustentabilidade rapidamente tornou-se um dos aspectos mais importantes a serem considerados na arquitetura contemporânea. Projetos que vão além dos padrões atuais, apresentando respostas sustentáveis às questões tecnológicas, ambientais, socioeconômicas e culturais surgidas nos últimos anos, conquistam elogios às inovadoras e ambientalmente amigáveis soluções propostas.

O Prêmio LafargeHolcim destaca-se como a competição mundial mais importante para projetos sustentáveis. Os critérios da competição de USD 2 milhões são tão desafiadores quanto o objetivo da própria sustentabilidade. O concurso é para projetos em estágio avançado, com obras não finalizadas.

Cidade do México recebe prêmio internacional de sustentabilidade

A Cidade do México foi uma das dez cidades premiadas nos prêmios 'C40 Cities Bloomberg Philanthropies Awards', que reconhecem as cidades abordando a mudança climática das formas mais inspiradoras e inovadoras. Os prêmios foram apresentados no North American Climate Summit.

Conheça os vencedores da edição internacional do Prêmio Obras CEMEX 2017

O Prêmio Obras CEMEX reconhece as melhores práticas arquitetônicas e construtivas que utilizam o concreto de forma criativa e inovadora, com uma abordagem sustentável e para o bem-estar social. Este ano, a edição internacional do prêmio recebeu 70 inscrições nas 5 categorias e 4 prêmios especiais.

Conheça as imagens vencedoras do Concurso de Fotografia "Um olhar moderno"

O Movimento Moderno surgiu mundialmente no início do século XX, onde as expressões plásticas viram uma importante mudança em sua concepção e execução, através do pensamento distinto das sociedades, respondendo às necessidades específicas e mais funcionais.

Guadalajara, no México, conta com algumas das expressões plásticas mais importantes do movimento no país, feitas por engenhosos arquitetos e engenheiros, onde grandes artistas vieram colaborar deixando um interessante patrimônio urbano.

Como os arquitetos podem contribuir com a reconstrução após o terremoto do México?

Depois do terremoto de magnitude 7,1 que sacudiu o centro e sul do México na última terça-feira 19 de setembro, arquitetos e engenheiros fizeram mobilizações nas áreas atingidas pelo desastre para analisar a situação dos edifícios danificados.

Viva a experiência 360° do Zócalo e Catedral da Cidade do México

O Centro Histórico da Cidade do México é, sem dúvida, um dos destinos turísticos mais relevantes do país por conta da história que abriga em seus numerosos espaços e edifícios públicos. No ArchDaily te convidamos a viver uma experiência em 360° de dois dos pontos mais icônicos do Centro Histórico: a Praça da Constituição (Zócalo) e a Catedral Metropolitana da cidade.

Workshop universitário realiza projetos para a construção de casas de parto no México

Desde 2015 o Workshop Vertical: Projetos de Impacto Regenerativo (Departamento de Arquitetura da Universidade Iberoamericana), ministrado pelos professores Juan Casillas, Mariana Ordóñez e Jesica Amescua, opera como um espaço acadêmico e prático de ação-reflexão sobre o papel atual dos arquitetos na produção social do habitat.

O propósito principal da oficina é disparar um sentido de responsabilidade nos estudantes através da exploração do potencial da arquitetura participativa como uma ferramenta de mudança sócio-ambiental. Os projetos tratados nesse âmbito surgem necessariamente de demandas reais e são desenvolvidos por meio de processos participativos e de intercâmbio de saberes (técnicos e locais) que buscam construir um conhecimento comum. Para além dos objetivos arquitetônicos, os processos com as pessoas tornam-se o centro dos projetos em seus três momentos: diagnóstico, desenho e construção.

Projeto de ampliação de uma das residências incrementais do ELEMENTAL

“Las Anacuas” é um conjunto de habitações projetado pelo ELEMENTAL a oeste da área metropolitana de Monterrey, México, composto por edifícios em fita, com três pavimentos e estrutura preparada para a expansão das unidades.

No fim de 2013, uma jovem família contatou o escritório mexicano ARKRAFT Studio para realizar um projeto muito pontual: ampliar a metade expansível de sua residência. Pouco mais de três anos depois, o projeto se concretizou e o esforço deu resultados: o desenho buscou a continuidade espacial e potencializou a percepção de amplitude dentro da estrutura predeterminada pelo projeto original do ELEMENTAL.

O que Alejandro Iñárritu, vencedor do Oscar, tem a ver com o futuro da arquitetura?

Desde seu princípio, o cinema esteve intimamente ligado à arquitetura, se apoiando nela para construir cenas que gerem emoções e transportem o público a outros mundos. Mas a realidade virtual rompeu com todos os esquemas pré-estabelecidos, sendo um meio que pode aspirar a produção de algo além das emoções: a empatia.

"Um filme busca enquadrar a duração de cada cena, a justaposição das imagens editadas", explicou o premiado cineasta Alejandro González Iñárritu, "mas um filme sem enquadramento é como um carro sem rodas. Deixa de ser um carro. É um avanço".

As cinzas de Luis Barragán não são mais importantes que sua obra e arquivo

Foi uma proposta poética: em troca de devolver o arquivo da obra de Luis Barragán para o México, a artista Jill Magid ofereceu a Federica Zanco, proprietária e arquivista da Barragan Foundation na Suíça, um anel com um diamante de dois quilates produzido a partir das cinzas do corpo de Barragán.

Este ato faz parte de um projeto artístico que "levanta perguntas essenciais sobre as consequências e implicações de que um legado cultural se converta em propriedade privada corporativa", exposto atualmente no Museu Universitário de Arte Contemporânea da UNAM e intitulado Una carta siempre llega a su destino.

Destaques da última edição do Festival de Arquitetura de Copenhague

O Festival de Arquitectura de Copenhague (CAFx) deste ano ofereceu uma grande variedade de atividades, desde projeções de filmes até exposições sobre o futuro da habitação social. A quarta edição do festival ocorreu durante 11 dias e contou com mais de 150 eventos distribuídos pelas cidades de Copenhague, Aarhus e Aalborg.

A diretora do Festival, Josephine Michau, explicou que, desde a sua primeira edição, a intenção por trás do CAFx era reunir muitos agentes locais para construir novos diálogos em torno da arquitetura. Enquanto sociedade, como nos identificamos com a arquitetura? Que valores atribuímos a ela? Essas perguntas faziam parte do tema desta edição: "Arquitetura como identidade".

7 Grandes obras da arquitetura latino-americana em estado de deterioração e abandono

Quantas vidas tem uma grande obra de arquitetura? A primeira começa quando é construída e habitada, e é julgada pelo impacto que tem sobre a qualidade de vida dos seus habitantes. A segunda chega gerações depois quando sua relevância se torna histórica e talvez sua função inicial já não se adapta a sociedade que a cerca. O valor deste tipo de edifício reside no fato de que eles nos comunicam o passado e, por isso, sua conservação é necessária. 

Entretanto, na América Latina, existem incontáveis casos de edifícios com grande valor arquitetônico que se encontram em estados lamentáveis de descuido e deterioração. Apresentamos sete exemplos a seguir:

Sobre como as elipses torcidas de Richard Serra me lembraram que sou um corpo

Para mim, e creio que para a maioria das pessoas que dia após dia exigem de seus corpos apenas o mais cotidiano, é fácil eu me entender como um corpo que pensa, ao invés de uma mente com um corpo. Como se meu corpo me contivesse sem eu realmente ser eu mesma. Somos um corpo ou temos um corpo? a pergunta foi confrontada por distintos filósofos desde os tempos de Platão e, para ser realista, não vou dar esta resposta. E, francamente, não estou buscando por ela, nem sequer havia pensado nela se não fosse pelo dia que visitei o Dia:Beacon e conheci, por fim, as Elipses Torcidas de Richard Serra.

O que a América Latina pode aprender com os arranha-céus verdes do WOHA em Singapura?

GARDEN CITY MEGA CITY: Ecossistemas Urbanos de WOHA é a primeira exposição do estúdio WOHA, de Singapura, inaugurada no Museo de la Ciudad de México em ocasião do festival MEXTRÓPOLI Festival Internacional de Arquitectura y Ciudad. A exposição propõe introduzir a biodiversidade e espaços públicos repletos de vida nas megacidades através de projetos climaticamente sensíveis e estratégias urbanas verticais.

Grandes mudanças no futuro de Bjarke Ingels e do BIG

"A melhor coisa de ser um arquiteto", disse Bjarke Ingels, "é que você constrói edifícios."

O público na estréia mundial do aguardado documentário BIG TIME riu da declaração aparentemente óbvia. Mas Ingels explicou-se: construindo edifícios, os arquitetos ocupam a posição única de serem capazes de adicionar ao ambiente construído as "combinações mais improváveis" que, em última instância, "moldam o mundo." Ele parece impressionado com o conceito - o mesmo sentimento retratado em BIG TIME como o arquiteto projeta o arranha-céu que vai mudar o horizonte de Nova York.