Equipe ArchDaily Brasil

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE AUTOR

Conheça os vencedores do Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel 2020

O Instituto Tomie Ohtake, com o apoio da AkzoNobel, divulgou hoje os três projetos premiados na sétima edição do Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel. No total, foram 246 inscrições, provenientes de 14 estados brasileiros e Distrito Federal. Entre os selecionados, cujas obras farão parte também de um do catálogo, há projetos localizados no Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Ilha de Rei George na Antártica.

A seleção foi feita por um júri formado pelos arquitetos Diego Mauro, Elisabete França, Fernando Túlio, Juliana Braga e Pedro Varella. O anúncio, realizado via vídeo nas redes sociais do Instituto, inaugura também a exposição dos 13 selecionados nesta sétima edição.

Requalificação da Colina do Senhor do Bonfim / Sotero Arquitetos. Foto © Leonardo FinottiQuiosque e abrigo de canoas / Estudio Flume. Foto © German NievaAcademia Escola Unileão / Lins Arquitetos Associados. Foto © Joana FrançaEstação Antártica Comandante Ferraz / Estúdio 41. Foto © Eron Costin / Estúdio 41+ 13

Casas brasileiras: 14 projetos com jardim frontal

Casa Branca / Studio MK27 - Marcio Kogan + Eduardo Chalabi. © Fernando Guerra | FG+SGResidência A.B.V. / Andrade Morettin Arquitetos Associados. © Maíra AcayabaResidência DMG / Reinach Mendonça Arquitetos Associados. © Nelson KonCasa Lagos Park 250 / BRZL | Brazil Arquitetos. Imagem Cortesia de BRZL | Brazil Arquiteto+ 15

Diversas são as possibilidades no momento de pensar a transição entre os espaços público e privado. No caso da arquitetura residencial, o paisagismo realizado na fachada principal do projeto possui um papel fundamental nesse sentido. Através de distintos elementos como a vegetação, pavimentação, escadas e até mesmo obras de artes, é possível gerar uma composição que não enalteça apenas a arquitetura, mas que seja generosa também com o espaço público.

Inaugurada em São Paulo a estátua de Tebas, arquiteto escravizado no século XVIII

A cidade de São Paulo ganhou, no último dia 20 de novembro – Dia da Consciência Negra – uma estátua em homenagem a Joaquim Pinto de Oliveira, arquiteto negro escravizado no século XVIII conhecido como Tebas. Localizada na Praça Clóvis Beviláqua, face leste da Praça da Sé, no centro da cidade, a escultura foi projetada e desenvolvida pelo artista plástico Lumumba Afroindígena e pela arquiteta Francine Moura.

A obra tem o objetivo de firmar o legado de Tebas, revelar sua produção tecnológica sofisticada para a época e propor, acima de tudo, uma reflexão que recobra a relevância da ocupação territorial preta na área central da cidade que foi fragmentada ao longo dos séculos.

Mundos indígenas: interfaces entre arte, arquitetura e geografia

O que aconteceria se abdicássemos da epistemologia moderna que separa o “nós” dos “outros”? Como ficaria a história da arte sem essa separação restritiva? Muitos outros mundos, não desencantados, coexistem com o nosso. Outras cosmopolíticas podem nos permitir visões menos excludentes da vida e das relações, escavando futuros até agora insuspeitados.

Guilherme Wisnik conversa com Renata Marquez, professora da Escola de Arquitetura e Design da UFMG e coeditora da revista Piseagrama. Com doutorado em Geografia e pós-doutorado em Antropologia, pesquisa práticas curatoriais, teoria e crítica na interface entre arte, arquitetura, geografia e antropologia.

Os melhores trabalhos de conclusão de curso em 2020. Envie o seu!

Após ao menos cinco anos de estudos, chega o momento dos alunos de Arquitetura e Urbanismo fazerem seus trabalhos finais de graduação - chamados frequentemente de TCC, TFG ou Projeto de Final de Curso. Ao escolher o tema, os estudantes evidenciam projetos civis, urbanos ou teóricos que são de grande importância no momento de levantar um debate sobre o futuro de nossas cidades, do ambiente construído, da infraestrutura urbana, da mobilidade e tantos outros tópicos fundamentais para evoluir o modo como habitamos o espaço.

Banheiro: tudo o que você precisa saber para projetar um

Um espaço que deixou de ter relevância puramente higiênica para ganhar certo protagonismo em alguns projetos, o banheiro se tornou um elemento indispensável nos mais diversos programas arquitetônicos, sejam público ou privado.

Estudantes brasileiros vencem prêmio latino-americano de construção com aço

Voltado a estudantes de arquitetura latino-americanos, o Prêmio Acero tem como objetivo promover e impulsionar ações complementares aos modelos pedagógicos para a concepção de ideias arquitetônicas inovadoras utilizando o aço como matéria-prima. A edição deste ano, que tinha como tema "Cidades e Comunidades Sustentáveis", premiou com o primeiro lugar uma equipe formada por dois estudantes brasileiros da FAUUSP.

“Arquitetura que não toca o chão” é o nome da proposta desenvolvida por Augusto Longarine e Luiz Sakata, com orientação do professor Luciano Margotto, que com o mesmo projeto venceram o 13º Concurso CBCA (Centro Brasileiro da Construção em Aço), a etapa nacional que antecede o Alacero. Veja o projeto a seguir, acompanhado do memorial escrito pelos estudantes.

Estudantes brasileiros vencem prêmio latino-americano de construção com açoViga vagãoEstudantes brasileiros vencem prêmio latino-americano de construção com açoEstudantes brasileiros vencem prêmio latino-americano de construção com aço+ 30

Arquitetura contemporânea nos países comunistas: projetos em Cuba, Laos, Vietnã e China

"O mundo está muito polarizado." Esta é uma frase que todos nós já ouvimos recentemente. Embora isso seja um fato incontestável, houve épocas em que o planeta esteve tão ou mais polarizado que hoje. Em especial, o período entre o fim da Segunda Guerra Mundial e o início dos anos 1990 foi marcado por uma enorme tensão entre os blocos capitalista e socialista que deixou marcas profundas em muitos países e sociedades. O desmantelamento deste último, simbolicamente representado pela queda do muro de Berlim, extinguiu a tensão mas não erradicou o comunismo, que permanece ainda hoje como sistema político de alguns países

Há, atualmente, seis países que vivem um regime comunista: China, Coreia do Norte, Cuba, Laos, Vietnã e Transnístria. Com divergências em seus sistemas econômicos – a China, por exemplo, tem uma economia considerada mista por alguns especialistas, com regiões reguladas por um sistema de mercado capitalista – estes países também apresentam, evidentemente, particularidades sociais, culturais e geográficas que refletem em suas cidades e arquiteturas.

Escritório Moderno da Vila / Ho Khue Architects. Foto © Hiroyuki OkiInstalación Tres Esencias / Albor Arquitectos. Cortesia de Albor ArquitectosVinícola Xige Estate / Udopartners + Saussure Architects. Foto © Feng ShaoDough & CO / Tomi Atelier Architecs. Foto © Xaysavath Sommaly+ 14

3º Aniversário da Casa da Arquitectura

A Casa da Arquitectura – Centro Português Arquitectura comemora, a partir do dia 17 de novembro, o seu 3º aniversário no Quarteirão da Real Vinícola, em Matosinhos com uma programação que oferece entrada gratuita na Exposição até dia 22 de novembro e conteúdos online nas suas redes sociais.

Plataforma online mapeia soluções para cidades sustentáveis no Brasil

No início deste mês foi lançado o Observatório de Inovações para Cidades Sustentáveis. O projeto visa reunir informações, propostas e exemplos concretos de iniciativas e políticas públicas em âmbito municipal que contribuem para promover a melhoria da qualidade de vida das pessoas e o fortalecimento da situação do meio ambiente. A iniciativa é uma parceria do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), do Programa para o Meio Ambiente da Organização das Nações Unidas (PNUMA) e o Centro de Gestão de Estudos Estratégicos (CGEE).

Casas brasileiras: 15 projetos com telhado duas águas

Casa Boreal / Nommo Arquitetos - © Paula MoraisCasa Cavalcante / BLOCO Arquitetos - © Joana FrançaCasa Jordão / FGMF Arquitetos - © Fran Parente Residência Maestro / Guelo Nunes Arquitetura - © Fran Parente+ 16

A casa com um telhado duas águas não representa apenas o desenho que fazemos quando criança para ilustrar um lar, ela adota uma das soluções mais comuns na arquitetura residencial brasileira. Este tipo de cobertura, além de apresentar uma construção prática e agregar um apelo estético, facilita o escoamento das águas da chuva através de seus dois planos inclinados a partir de um eixo central - inclusive, este é motivo de seu nome.

Interiores boêmios: a arquitetura dos bares de São Paulo

São Paulo, por vocação ou falta de outros atrativos, apresenta uma vida noturna vibrante, com opções tão variadas quanto seus mais de 12 milhões de habitantes. Bares são, assim, amigos aos quais recorrem paulistanos do centro e da periferia, moradores das zonas leste, oeste, norte e sul. 

Reunimos a seguir alguns projetos de bares já publicados no ArchDaily que ilustram um pouco desta arquitetura da boemia à qual tantos habitantes de São Paulo estão habituados – uma arquitetura fala de remodelações, sociabilidade, encontros e espaços de intimidade.

Bar Hoegaarden Greenhouse / Metamoorfose Studio. Imagem © Maíra AcayabaGoose Island Brewhouse / SuperLimão Studio + McKinley Studios. Imagem © Maíra AcayabaBenzina Bar / SuperLimão Studio. Imagem © Maíra AcayabaPeriquita Ginclub / PROTOTYP& Chão de Fábrica. Imagem © Mariana Orsi+ 7

Betoneira, um podcast sobre arquitetura, pessoas e cidades

O que é o conforto no morar? Como a cidade serve de palco para a sua vida? De que forma as questões de gênero e raça influenciam a forma como você caminha à noite na rua? Porque a casa do vilão é sempre mais legal que a do mocinho? Estes são alguns dos temas do Betoneira, podcast apresentado pelos arquitetos André Scarpa, Marcelo Barbosa e Paula Otto.

O princípio do Betoneira é falar de tudo um pouco para falar muito sobre arquitetura, pessoas e cidades, misturando os mais variados temas, assuntos, convidados, opiniões, teorias e memes sob a ótica particular de cada um dos três. 

Altamira disponibiliza gratuitamente o ebook "Arquitetas e arquiteturas na América Latina do século XX"

A Altamira Editorial disponibilizou gratuitamente o livro Arquitetas e arquiteturas na América Latina do século XX para download em seu website. De autoria de Ana Gabriela Godinho Lima, a publicação reúne um "levantamento da atuação das arquitetas latino-americanas do século XX, no campo da produção teórica e prática do edifício."

Movimento negro e movimento de mulheres negras nas cidades brasileiras

Desde o Brasil colônia, pessoas negras se organizavam em resistência ao regime escravocrata e colonial. Irmandades, quilombos, famílias de santo. Imprensa negra, associação de trabalhadoras domésticas, Frente Negra Brasileira, Teatro Experimental Negro. Blocos-afro, MNU, grupos literários, organizações de mulheres negras, frentes internacionais. Ativismo político trançado às artes e à espiritualidade que nos permitiram chegar até aqui.

Guilherme Wisnik conversa com Bianca Santana, jornalista, escritora, doutora em ciência da informação e mestra em comunicação pela Universidade de São Paulo. Santana é autora de "Quando me descobri negra", colunista de ECOA-UOL e da revista Gama, e integrante da UNEafro, umas das entidades que compõem a Coalizão Negra por Direitos.

ABDI lança curso online e gratuito de BIM

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) lançou, em outubro, um curso básico online e gratuito de BIM (Building Information Modelling). Dividido em dois módulos, o curso Democratizando BIM se destina a todos os profissionais dos setores de arquitetura, engenharia e construção (AEC). Para se inscrever, basta acessar o site e preencher o formulário.

Edifício Ícaro Jardins da Graciosa do Studio Arthur Casas recebe o prêmio Rethinking The Future

O Edifício Ícaro Jardins da Graciosa, projetado pelo Studio Arthur Casas, foi premiado no Rethinking The Future, uma celebração que reconhece projetos de arquitetura e design de todo o mundo em mais de 40 categorias. Localizado em Curitiba, o edifício conta com 21 unidades de apartamentos divididas entre três torres de estrutura de concreto aparente.

Concorrendo na categoria residencial acima de cinco pavimentos, o edifício de Casas apresenta uma fachada marcada por circulações que atuam como varandas, destacando a horizontalidade das torres. Com projeto paisagístico de Renata Tilli, as linhas horizontais são evidenciadas pelo verde das plantas cultivadas em vasos que percorrem o perímetro dos pavimentos.

© Eduardo Macarios© Eduardo Macarios© Eduardo Macarios© Eduardo Macarios+ 5