Como preservar o patrimônio arquitetônico moderno brasileiro?

Como preservar o patrimônio arquitetônico moderno brasileiro?

A intervenção em edifícios de valor histórico é uma das incumbências mais delicadas que cabe ao arquiteto. Falar em preservação hoje não passa apenas pela reforma de edifícios de séculos passados, mas também pela linguagem da arquitetura moderna.

Galeria Luciana Brito / Piratininga Arquitetos Associados © Romulo FialdiniCasa AM / COA Associados © Cassio ObaReforma MR 53 / BLOCO Arquitetos © Joana FrançaLoja Uniflex Cidade Jardim / Estudio Tupi © Leka Mendes+ 11

No Brasil, edifícios modernos representam o grande marco da arquitetura nacional para o mundo. Expoentes como Oscar Niemeyer e Paulo Mendes da Rocha ajudaram a redefinir as possibilidades do moderno internacionalmente e influenciaram, junto de tantos outros nomes, a arquitetura brasileira. Inúmeras obras que compreendem esta linguagem foram construídas no último século e agora passam por projetos de renovação, reabilitação e reformas.

Compreender como estas intervenções podem descaracterizar a obra trazendo assinaturas que se sobrepõem à original, desrespeitando o valor histórico que ela possui, ou criticar o fato delas manterem a arquitetura renegada apenas à história e não usufruir da oportunidade de adequá-la às tecnologias e novas formas de compreender o espaço contemporâneo, são algumas das polêmicas que surgem quando esses tipos de projetos são publicados.

A sensibilidade do cliente, a compreensão do novo programa proposto e a atitude do arquiteto diante do projeto são apenas algumas das camadas que devem ser lidas ao interpretar esse tipo de intervenção para ir além do binarismo existente entre o bom ou ruim. Trata-se de um assunto complexo e, por isso, queremos saber sua opinião: como preservar o patrimônio moderno arquitetônico brasileiro? Clique aqui e traga seu argumento para o debate.

Para ilustrar diferentes modos de intervir no patrimônio moderno, apresentamos abaixo alguns exemplos de projetos que foram reformados a partir de diferentes partidos.

Galeria Luciana Brito / Piratininga Arquitetos Associados

Galeria Luciana Brito / Piratininga Arquitetos Associados © Romulo Fialdini
Galeria Luciana Brito / Piratininga Arquitetos Associados © Romulo Fialdini

Projeto original realizado em 1958 por Rino Levi.

Trechos do texto enviado pelos arquitetos responsáveis pela intervenção: 

"Diante do que foi exposto, o entendimento preliminar que temos é que sem prejuízo de novas buscas quanto à autoria do projeto original do jardim, a tarefa consiste no entendimento do novo programa da edificação, apoiando-se essencialmente nas diretrizes emanadas do próprio projeto de Rino Levi. Em essência, fazer com que o projeto ressalte, como o traço essencial do partido arquitetônico, a alternância entre os espaços edificados e as áreas ajardinadas, criando simultaneamente um zoneamento de usos, um ritmo peculiar de apreensão do espaço e, não em último lugar, a criação de ambientes específicos para cada local de uso.”

Galeria Luciana Brito / Piratininga Arquitetos Associados © Romulo Fialdini
Galeria Luciana Brito / Piratininga Arquitetos Associados © Romulo Fialdini

Renovação de Residência Brutalista BsB / Arquitécnika

Renovação de Residência Brutalista BsB / Arquitécnika © Edgard Cesar
Renovação de Residência Brutalista BsB / Arquitécnika © Edgard Cesar

Projeto original realizado na década de 1970 por João Filgueiras Lima, Lelé.

Trechos do texto enviado pelo arquiteto responsável pela intervenção:

"(...) O conceito foi manter o concreto aparente original e a volumetria, criando soluções tecnológicas atuais. Para isso, o estilo e o traço foram mantidos, mas tudo foi repensado. (...) Em relação à planta antiga, a falta de privacidade nos ambientes da residência sempre foi uma observação dos proprietários. Para corrigir, o arquiteto investiu em novas instalações e técnicas de acústica. (...) Outro destaque do projeto é a sustentabilidade. Toda a projeção da cobertura foi utilizada para instalação de placas de energia (fotovoltaica, aquecimento da água de uso doméstico, da piscina e spa)".

Renovação de Residência Brutalista BsB / Arquitécnika © Edgard Cesar
Renovação de Residência Brutalista BsB / Arquitécnika © Edgard Cesar

Casa AM / COA Associados

Casa AM / COA Associados © Cassio Oba
Casa AM / COA Associados © Cassio Oba

Projeto original realizado em 1972 por Sylvio Sawaya e Edimilson Tinoco.

Trechos do texto enviado pelos arquitetos responsáveis pela intervenção: 

"Com o passar dos anos e após sucessivas intervenções, a construção foi aos poucos sendo descaracterizada. Em 2017 realizamos uma proposta de reforma buscando respeitar os principais elementos do projeto original, além de adicionarmos um anexo de lazer resultante dos diálogos e demandas dos atuais proprietários. A intervenção na casa teve três abordagens: remodelação da área de lazer e jardim posterior, recuperação de elementos originais do projeto que estavam degradados e reformas pontuais no interior e exterior da casa".

Casa AM / COA Associados © Cassio Oba
Casa AM / COA Associados © Cassio Oba

Reforma MR 53 / BLOCO Arquitetos

Reforma MR 53 / BLOCO Arquitetos © Joana França
Reforma MR 53 / BLOCO Arquitetos © Joana França

Projeto original realizado em 1974 por Milton Ramos.

Trechos do texto enviado pelos arquitetos responsáveis pela intervenção: 

"Durante 40 anos esta residência no Lago Sul permaneceu com a mesma família, mas isso não evitou alterações que distorceram a intenção inicial do autor. O espelho d’água frontal foi aterrado, um gradil de ferro foi colocado no vestíbulo externo da casa impedindo o morador ou visitante de ter acesso direto à porta frontal e todo o interior da casa – antes em concreto aparente – foi rebocado e pintado de branco. (...) Nossa intervenção procurou adaptar o projeto às necessidades do novo morador e recuperar atributos importantes do projeto original: livre circulação entre espaços, uso extensivo do concreto aparente e uso da água". 

Reforma MR 53 / BLOCO Arquitetos © Joana França
Reforma MR 53 / BLOCO Arquitetos © Joana França

Loja Uniflex Cidade Jardim / Estudio Tupi

Loja Uniflex Cidade Jardim / Estudio Tupi © Leka Mendes
Loja Uniflex Cidade Jardim / Estudio Tupi © Leka Mendes

Projeto original realizado em 1987 por Paulo Mendes da Rocha.

Trechos do texto enviado pelos arquitetos responsáveis pela intervenção: 

"O vermelho identifica os novos elementos sobrepostos ao edifício, ou aqueles que sofreram alguma intervenção. Desta forma, foram definidos os novos espaços necessários para que o projeto atendesse ao programa da Uniflex. (...) Os projetos de climatização e acústica demandavam ainda o fechamento do edifício – no projeto original de Paulo Mendes da Rocha, a porta-escada de entrada, quando aberta, deixava os interiores expostos às variações climáticas e aos ruídos externos". 

Loja Uniflex Cidade Jardim / Estudio Tupi © Leka Mendes
Loja Uniflex Cidade Jardim / Estudio Tupi © Leka Mendes

 

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Equipe ArchDaily Brasil. "Como preservar o patrimônio arquitetônico moderno brasileiro?" 19 Jul 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/943814/como-preservar-o-patrimonio-arquitetonico-moderno-brasileiro> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.