Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Artigos
  3. Francis Kéré: Eu desenho em papel, mas prefiro desenhar no solo

Francis Kéré: Eu desenho em papel, mas prefiro desenhar no solo

Francis Kéré: Eu desenho em papel, mas prefiro desenhar no solo
Francis Kéré: Eu desenho em papel, mas prefiro desenhar no solo, © Eduardo Souza
© Eduardo Souza

Essa frase chamou a atenção durante a palestra de Diébédo Francis Kéré no AAICO (Architecture and Art International Congress), que ocorreu no Porto, em Portugal, entre 3 e 8 de setembro. Após ser introduzido por ninguém menos que Eduardo Souto de Moura, Kéré iniciou sua fala com a simplicidade e humildade que pautam seu trabalho. Suas obras mais conhecidas foram construídas em locais bastante remotos, onde materiais são escassos e a força de trabalho é dos próprios moradores, utilizando os recursos e técnicas locais.

Moradia para os professores de Gando. Image © Erik-Jan Ouwerkerk
Moradia para os professores de Gando. Image © Erik-Jan Ouwerkerk

No lugar de impor estruturas e um modo de viver novo aos usuários, Kéré busca o entendimento das reais demandas no local, as tradições dos moradores, seu modo de viver, aportando o conhecimento técnico adquirido no exterior para criar novos espaços funcionais. Não que esse processo seja sempre fácil. Como ele pontua, chegar a uma aldeia mostrando como algo deve ser feito, e como as pessoas devem trabalhar, sempre traz uma desconfiança. E é ao desenhar no solo, estando junto das pessoas, testando soluções, dando novos usos a materiais que sempre estiveram ali, que ele consegue ganhar a confiança e o respeito. E para uma real apropriação de sua arquitetura, é imprescindível que todos se sintam parte da obra, aportando com sua força de trabalho e conhecimentos para um produto final que é de todos.

Anexo da Escola Primária de Gando / Kéré Architecture. Image © Erik-Jan Ouwerkerk
Anexo da Escola Primária de Gando / Kéré Architecture. Image © Erik-Jan Ouwerkerk
Cortesia de Kéré Architecture
Cortesia de Kéré Architecture
Cortesia de Kéré Architecture
Cortesia de Kéré Architecture

São soluções projetuais simples mas extremamente engenhosas, que consideram o clima e as possibilidades locais. Como os vasos de barro que criam aberturas zenitais na Biblioteca da Escola de Gando, que funcionam como caixas que garantem a entrada de luz natural e a circulação do ar. Ou sua solução na Escola Secundária Lycee Schorge, onde a inserção de baldes com água próximo às esquadrias e considerando o caminho do vento, permitiu uma diminuição significativa na temperatura interna das salas de aula. A criação de filtros e camadas, preocupando-se com a ventilação e o sombreamento, a criação de espaços intermediários, o trabalho cuidadoso com materiais industrializados, tradicionais e a vegetação viva, são muitos dos elementos que transformam esses projetos em obras-primas.

Anexo da Escola Primária de Gando / Kéré Architecture. Image © Erik-Jan Ouwerkerk
Anexo da Escola Primária de Gando / Kéré Architecture. Image © Erik-Jan Ouwerkerk

Acima de tudo, sua arquitetura possui uma função pedagógica, inspirando a comunidade local e mostrando que o futuro pode ser um pouco mais colorido. Em um mundo em que a arquitetura continua sendo um luxo para tão poucos, Francis Kéré nos mostra que ela pode ser universal e ainda pode emocionar.

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Cita: Eduardo Souza. "Francis Kéré: Eu desenho em papel, mas prefiro desenhar no solo" 25 Set 2018. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/902666/francis-kere-eu-desenho-em-papel-mas-prefiro-desenhar-no-solo> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.