Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Notícias de Arquitetura
  3. Pérolas ocultas da arquitetura latino-americana

Pérolas ocultas da arquitetura latino-americana

Pérolas ocultas da arquitetura latino-americana
Ninho de Quetzalcóatl / Javier Senosian. Imagem © Marcos Betanzos
Ninho de Quetzalcóatl / Javier Senosian. Imagem © Marcos Betanzos

Teatro Oficina / Lina Bo Bardi e Edson Elito. Imagem © Nelson Kon Portal do cemitério de azul. Imagem via Wikipedia User Elciri Licensed under CC BY-SA 2.5 Centro Cultural García Márquez. Imagem © Alejandro Ojeda Galería IK LAB / Jorge Eduardo Neira Sterkel. Image Cortesía de IK LAB + 24

Durante as férias de inverno muitos arquitetos aproveitam para viajar e conhecer outras cidades e monumentos. Durante esta breve pausa, convidamos todos os arquitetos à repensar seus próximos destinos e visitar um dos mais incríveis projetos de arquitetura da América Latina. Ainda que seja importante para um arquiteto revisitar projetos clássicos, tenha em conta que explorar lugares desconhecidos pode surpreendê-lo de uma maneira como você nunca imaginou. Tendo isso em mente, decidimos fazer uma lista de importantes obras arquitetônicas pouco conhecidas, as quais chamamos de "pérolas ocultas da arquitetura latino-americana". Veja a seguir a lista completa, compilada especialmente para vocês.

México

O Jardim surrealista de Edward James

Jardim Surrealista / Edward James. Imagem © Victor Delaqua
Jardim Surrealista / Edward James. Imagem © Victor Delaqua

A história deste lugar remonta a primeira expedição à Huasteca Potosina, realizado por James y Gastélum. Conta-se que ambos exploradores foram cercados por uma nuvem de borboletas enquanto banhavam-se nas águas do rio. O escritor britânico interpretou este acontecimento como um chamado divino. A partir daquela ocasião, entre os anos de 1947 e 1949 ele se dedicou a construção da sua versão do "Jardim do Édem".

Ruta del Peregrino

Ruta del Peregrino. Imagem © Iwan Baan
Ruta del Peregrino. Imagem © Iwan Baan

A Ruta del Peregrino é uma espécie de masterplan desenvolvido pelas arquitetas mexicanas Tatiana Bilbao, Rozana Montiel e Derek Dellekamp em parceria com outros nove importantes escritórios de arquitetura: Luis Aldrete Arquitectos, Tatiana Bilbao, Ai Weiwei (Fake Design), Christ & Gantenbein, Dellekamp Arquitectos, Alejandro Aravena (Elemental), Godoylab, HHF Architects e Rozana Montiel (Periférica). A Ruta del Peregrino é um percurso que leva desde Ameca até Talpa de Allende, intensamente visitado durante o evento mais importante do calendário religioso local. Esta série de intervenções arquitetônicas foram concebidas para que os visitantes pudessem experimentar uma outra forma de peregrinação, uma peregrinação arquitetônica.

Ninho de Quetzalcóatl

Ninho de Quetzalcóatl / Javier Senosian. Imagem © Marcos Betanzos
Ninho de Quetzalcóatl / Javier Senosian. Imagem © Marcos Betanzos

Este projeto de arquitetura está implantado sobre um terreno muito irregular contando com uma área de mais de 5,000m2. A arquitetura orgânica deste percurso é a marca registrada do escritório responsável pelo projeto, liderado pelo arquiteto mexicano Javier Senosian. O mais surpreendente nesta obra é a maneira como o arquiteto combina volumetrias orgânicas que evocam elementos da natureza como animais, conchas, cavernas e cascatas; utilizando materiais locais e tirando partido dos principais elementos da arte mexicana, o projeto revela uma série de detalhes curiosos, onde as janelas se aprecem com olhos e os azulejos, escamas.

Galeria IK LAB / Jorge Eduardo Neira Sterkel

Galería IK LAB / Jorge Eduardo Neira Sterkel. Image Cortesía de IK LAB
Galería IK LAB / Jorge Eduardo Neira Sterkel. Image Cortesía de IK LAB

Em meio a uma das paisagens naturais mais deslumbrantes da América Latina, próximo ao parque arqueológico de Tulum, na Península de Yucatan, este projeto de galeria de arte é um dos mais incríveis espaços para a promoção e divulgação da arte contemporânea. Com um acervo extraordinário, contando com obras dos mais famosos artistas internacionais, este é um projeto de galeria de arte sem precedentes. O IK LAB promove uma série de atividades culturais imersivas tanto para a comunidade local de Tulum quanto para o crescente número de visitantes internacionais.

Chile

Cap Ducal / Roberto Dávila

Cap Ducal / Roberto Dávila. Imagem © Natalia Yunis
Cap Ducal / Roberto Dávila. Imagem © Natalia Yunis

O Cap Ducal é um restaurante em Viña del Mar, construído em 1936 pelo arquiteto Roberto Dávila. Situa-se sobre uma pedreira na Av. Marina, nos terrenos do que foi a primeira praia de banho pública de Viña. É o único edifício costeiro convertido em hotel que foi conservado desde os anos 30, evidenciando seu importante legado patrimonial. Como ocorreu em outras cidades latino-americanas, Viña del Mar testemunhou a paulatina integração entre as atividades marítimas e a vida urbana. [1] Durante os anos 30, aconteciam grandes reformas nos usos da cidade de Viña, que se estabeleceu como um dos balneários mais importantes do Chile.

Templo Votivo de Maipú / Juan Martínez Gutiérrez

Templo Votivo de Maipú / Juan Martínez Gutiérrez. Image Cortesía de Juan Martínez Gutiérrez, la voluntad moderna
Templo Votivo de Maipú / Juan Martínez Gutiérrez. Image Cortesía de Juan Martínez Gutiérrez, la voluntad moderna

De poderosa forma escultórica e alta consistência estrutural, este projeto surpreende e deslumbra à primeira vista. Seu carácter simbólico e emblemático é uma resposta direta do arquitetos ao programa de necessidades. Exigia-se um projeto original, diferente de todos os outros templos religiosos conhecidos, uma igreja que fosse capaz de sensibilizar toda a população do país. É um projeto que nasce da escola Beaux-Arts, aonde Juan Martínez estudou e graduou-se arquiteto. Sua composição clássica está expressa na perfeita simetria em relação ao eixo leste-oeste que inclui ainda as colunatas e os elementos pre-existentes da antiga igreja que havia no local.

Catedrais de Mármore, Patagônia Chilena

Catedrais de Mármore, Patagônia Chilena. Imagem © Pedro Soffia
Catedrais de Mármore, Patagônia Chilena. Imagem © Pedro Soffia

As Catedrais de Mármore estão localizadas no Lago General Carrera – o maior lago do Chile -, no segundo trecho da Carretera Austral e apenas 223 km de distância de Coyhaique, na Patagônia Chilena. Estas estruturas são formações minerais de carbonato de cálcio, esculpidas pela água, que dá forma a três ilhotas: a Capela de Mármore, a Catedral de Mármore e as Cavernas de Mármore. Chega-se a elas pela água, com embarcações que partem de Puerto Río Tranquilo, e quando a maré está baixa, é possível acessar a Capela e percorrer todo seu interior; nestes momentos especiais é possível ver de muito perto todas as suas texturas e cores – brancos, azuis, cinzas, amarelos e rosas – além de observar como as paredes rochosas se perdem na imensidão das águas profundas do lago.

Colômbia

Conjunto residencial Calle del Sol / Rubio y Gómez

Conjunto Residencial Calle del Sol. Imagem © Rubio y Gómez
Conjunto Residencial Calle del Sol. Imagem © Rubio y Gómez

No centro da cidade de Bogotá, o Conjunto Residencial Calle del Sol domina alegremente a paisagem urbana. Como resultado de um amplo projeto de restauro, este edifício histórico se converteu em um majestuoso símbolo do patrimônio arquitetônico e cultural de Bogotá. No entorno colonial do bairro La Candelaria, esta fortaleza neogótica se funde com a “requintada modernidade do fim do século” característica do bairro, onde todos os seus contrastes e excentricidades dão forma a um dos conjuntos residenciais mais encantadores da cidade.

Teatro Faenza / Arturo Tapia, Jorge Muñoz e Ernesto González Concha

Teatro Faenza. Imagem © Pedro Felipe
Teatro Faenza. Imagem © Pedro Felipe

A história oculta por trás da fachada de estilo Art Nouveau do Teatro Faenza em Bogotá, esconde momentos de glória e também de miséria. Este ícone da arquitetura bogotana foi construído em 1924, em um edifício onde antes funcionava a "Fábrica de Losas Faenza", da qual o teatro empresta seu nome.

Biblioteca Luis Ángel Arango / Germán Samper

Biblioteca Luis Angel Arango. Imagem © Dan Gamboa Bohorquez
Biblioteca Luis Angel Arango. Imagem © Dan Gamboa Bohorquez

Em uma área de 7.200 metros quadrados no coração do centro histórico de Bogotá, surge este volume único, sóbrio e atemporal. Germán Samper empregou materias nobres na construção deste icônico edifício, como a madeira e o mármore. Mantendo o gabarito das edificações lindeiras, este incrível projeto dialoga com o entrono e respeita seus vizinhos históricos sem deixar de impor a sua nobre presença.

Centro Cultural García Márquez / Rogelio Salmona

Centro Cultural García Márquez. Imagem © Alejandro Ojeda
Centro Cultural García Márquez. Imagem © Alejandro Ojeda

O Centro Cultural García Márquez é um dos projetos mais icônicos do centro urbano de Bogotá. Suas formas sinuosas constroem um diálogo ente o tempo e o espaço. O projeto surgiu de uma iniciativa do Fundo Econômico para a Cultura do México em 2004, e foi liderado pelo arquiteto Rogelio Salmona, quem infelizmente não pode ver a obra concluída quatro anos depois, em 2008 na ocasião da sua inauguração.

Argentina

Paróquia Santa María de Guadalupe / Claudio Caveri

Paróquia Santa María de Guadalupe / Claudio Caveri. Imagem via Taller AVD
Paróquia Santa María de Guadalupe / Claudio Caveri. Imagem via Taller AVD

O arquiteto Claudio Caveri foi um dos principais responsáveis pela construção de uma identidade arquitetônica local na argentina dentro do contexto da arquitetura moderna internacional durante a segunda metade do século XX. O projeto da Igreja de Fátima destoa da maioria das obras do seu tempo, sendo o máximo expoente do estilo que acabou sendo chamado de "casablanquismo".

A obra de Francisco Salamone

Portal do cemitério de azul. Imagem via Wikipedia User Elciri Licensed under CC BY-SA 2.5
Portal do cemitério de azul. Imagem via Wikipedia User Elciri Licensed under CC BY-SA 2.5

A principal herança material da obra do arquiteto e engenheiro italiano Francisco Salamone, principalmente difundida entre os pequenos povoados da província de Buenos Aires entre os anos 1936 e 1940, se manifesta em forma de obras públicas que fomentavam o crescimento e desenvolvimento dos pequenos municípios bonaerenses do interior. Entre elas podemos citar - cemitérios, matadouros e prefeituras. Sua obra procurava evidenciar a necessidade de se construir uma representatividade estatal a qual foi traduzida para a arquitetura em forma de monumentalidade. Atualmente, entre estruturas decadentes e edifícios públicos monumentais, podemos perceber em sua obra construída a incansável busca por uma identidade local.

Brasil

Parque Eduardo Guinle / Lucio Costa

Parque Eduardo Guinle / Lucio Costa. Imagem © Nelson Kon
Parque Eduardo Guinle / Lucio Costa. Imagem © Nelson Kon

O Parque Eduardo Guinle, ou somente Parque Guinle, foi concebido originalmente na década de 1920 como os jardins da residência de Eduardo Guinle, um palacete neoclássico. Em 1940, o parque passou ao governo federal e, em 1943, foi objeto de um plano de urbanização desenvolvido por Lucio Costa, então diretor do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional -SPHAN-, quem propôs um conjunto de seis edifícios residenciais.
Os edifícios mantêm uma mesma linguagem visual, marcada pelo uso de pilotis, como estratégia para lidar como o perfil variável do terreno, pela presença de um pavimento recuado de cobertura e, principalmente, pela utilização de cobogós de cerâmica e brises verticais de madeira nas fachadas.

Centro de Exposições do Centro Administrativo da Bahia / João Filgueiras Lima (Lelé)

Centro de Exposições do Centro Administrativo da Bahia / João Filgueiras Lima. Image Cortesía de Arcoweb
Centro de Exposições do Centro Administrativo da Bahia / João Filgueiras Lima. Image Cortesía de Arcoweb

Projetado por João Filgueiras Lima em 1974, o Centro de Exposições do Centro Administrativo da Bahia foi executado em concreto aparente armado moldado in loco e permanece inteiramente suspenso cinco metros acima do solo. Engastado em duas torres laterais idênticas, de onde partem tirantes que colaboram na estabilidade estrutural, o edifício apresenta uma planta retangular que abriga um salão expositivo, a leste, e o anfiteatro, na extremidade oeste, cujo volume define um tronco de pirâmide invertida.

Centro de Mecanização do Banco do Brasil / Irmãos Roberto

Centro de Mecanização do Banco do Brasil / Irmãos Roberto. Imagem © Marcelo Donadussi
Centro de Mecanização do Banco do Brasil / Irmãos Roberto. Imagem © Marcelo Donadussi

Projetado pelos Irmãos Roberto em 1969, o Centro de Mecanização do Banco do Brasil em Porto Alegre se destaca por sua volumetria e solução estrutural em que predomina o caráter horizontal, à exceção do ritmo contínuo dos pilares, da disposição das placas de fechamento e da circulação vertical. Algumas sutilezas se apresentam, com destaque para o descolamento entre as caixas, enfatizado pelo sombreamento. O predomínio opaco dos volumes confere à edificação certo aspecto de monumentalidade.

Teatro Oficina / Lina Bo Bardi e Edson Elito

Teatro Oficina / Lina Bo Bardi e Edson Elito. Imagem © Nelson Kon
Teatro Oficina / Lina Bo Bardi e Edson Elito. Imagem © Nelson Kon

O Teatro Oficina Uzyna Uzona, popularmente conhecido como Teatro Oficina, localizado na Rua Jaceguai, no bairro da Bela Vista, em São Paulo, foi fundado em 1958 por José Celso Martinez Correa, agindo como um teatro manifesto, marcado por grandes espetáculos entre expressões teatrais, apresentações de música, dança e performances. Projetado originalmente por Edson Elito, teve sua estrutura e interior reformado pela arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi em parceria o autor do projeto original. Nesse desenho, a ideia central aproximava a nova arquitetura ao contexto territorial, de modo que a Rua parece invadir o espaço cênico, promovendo um teatro democrático pela hibridez de sua estrutura programática.

Casa Bola / Eduardo Longo

Casa Bola / Eduardo Longo. Imagem © Chico Prestes Maia
Casa Bola / Eduardo Longo. Imagem © Chico Prestes Maia

Projetada por Eduardo Longo em 1979 como sua própria residência, a Casa Bola é um dos exemplares mais controversos da arquitetura paulistana após os anos 1970. Iconoclasta e auto-ironizante em certa medida, a obra consiste em uma esfera de oito metros de diâmetro que repousa sobre a laje de cobertura de uma casa – conectando ambas, há um lúdico escorregador em espiral. A tipologia incomum da Casa Bola é acentuada pelo contexto onde ela foi construída, no bairro Jardim Europa, em São Paulo, cercada por edifícios.

Peru

Barrios Altos

Barrios Altos / Balcones Republicanos. Imagem © Wilder Ramos
Barrios Altos / Balcones Republicanos. Imagem © Wilder Ramos

Embora tenha sido declarado Patrimonio Histórico da Humanidade pela UNESCO, os Barrios Altos da cidade de Lima continuam ocultos, esquecidos e abandonados segundo os próprios moradores. Dentro deste bairro, em meio a um emaranhado de ruas estreitas, alguns dois mais belos exemplos da arquitetura virreinal e republicana do Peru encontram-se escondidas e esquecidas. São poucos aqueles que reconhecem à primeira vista o seu verdadeiro valor e importância histórica, mas percorrer suas vielas é um belo exercício para conhecer mais a fundo a alma desta cidade e seu passado encantador. O sociólogo Pablo Vega Centeno uma vez afirmou que ao percorrer estes caminhos, “percebemos a relação entre o espaço construído e seus moradores, aprendendo a valorizar o patrimônio urbano de Barrios Altos. A alma de uma cidade é a vida que se constrói nas suas ruas ao longo do tempo”.

Cemitério Nova Esperança

Cemitério Nova Esperança. Imagem © Juan Caycho
Cemitério Nova Esperança. Imagem © Juan Caycho
Cemitério Nova Esperança. Imagem © Juan Caycho
Cemitério Nova Esperança. Imagem © Juan Caycho

Já dizia José Matos Mar: “Implantado em um terreno pedregoso de formas sinuosas e pequenos desníveis, este cemitério é um mostruário da diversidade cultural dos seres que ali repousam, e da liberdade de seus familiares em exercer ali seus costumes mais tradicionais associados à morte, assim como era nos seus locais de origem”. O Cemitério Nova Esperança encontra-se em Lima, no distrito de Villa María del Triunfo e ocupa uma área de mais de 60 hectáres. Atualmente é o maior cemitério do Perú e também da América Latina, assim como o segundo maior cemitério do mundo, atrás apenas do cemitério Wadi-us-Salaam no Irã. No dia de finados, ou día de los muertos, Nova Esperança se torna o palco de uma festa multicultural por onde passam milhões de pessoas. O mais interessante desta estrutura é a sua localização, no limite entre a cidade e a natureza. A visita vale a pena por sua arquitetura popular e autoconstrução, assim como pela sua dinâmica social e urbana, um espaço público que se desenvolve em múltiplas escalas e na relação entre vivos e mortos.

Uruguai

Capilla Susana Soca / Antonio Bonet

Imagem Cortesia dos Serviços de Meios Audiovisuais da Faculdade de Arquitetura, Desenho e Urbanismo da Universidad da República. Imagem © Silvia Montero 2007
Imagem Cortesia dos Serviços de Meios Audiovisuais da Faculdade de Arquitetura, Desenho e Urbanismo da Universidad da República. Imagem © Silvia Montero 2007

Projetada pelo arquiteto catalão Antonio Bonet entre 1959 e 1960, esta capela geométrica está situada em Canelones e foi construída em memória da poetisa uruguaia Susana Soca. Reconhecida por sua tectônica, a Capela foi o primeiro projeto religioso do arquiteto no Uruguai, o qual estabeleceu desde a sua inauguração, uma série de reflexões sobre a arquitetura moderna no contexto nacional durante a década de 1960.

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Cita: Arellano, Mónica. "Pérolas ocultas da arquitetura latino-americana" [Gemas ocultas de la arquitectura latinoamericana] 16 Jul 2018. ArchDaily Brasil. (Trad. Libardoni, Vinicius) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/898129/perolas-ocultas-da-arquitetura-latino-americana> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.