O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Como Medellín transformou seus reservatórios de água em verdadeiros parques públicos

Como Medellín transformou seus reservatórios de água em verdadeiros parques públicos

Como Medellín transformou seus reservatórios de água em verdadeiros parques públicos

Ao desenvolver o plano mestre de iluminação urbana para Medellín, a empresa estatal colombiana EPM (Empresas Públicas de Medellín) sobrepôs em uma análise as camadas de infraestrutura e iluminação noturna sobre a cartografia da cidade, revelando verdadeiras ilhas de escuridão em meio ao tecido urbano.

Para surpresa da organização, estas ilhas de escuridão correspondiam a 144 reservatórios de água que haviam sido construídos nas periferias da cidade. No entanto, a progressiva expansão urbana de Medellín acabou rodeando-os, incorporando-os totalmente nos povoamentos informais do Vale de Aburrá. Pior, tornaram-se focos de violência e insegurança em bairros totalmente desprovidos de espaços públicos e equipamentos básicos.

Através do seu Departamento de Intervenções Urbanas Sustentáveis (DIUS), a EPM analisou 144 tanques de água "sob os aspectos de área útil, densidade populacional e as necessidades das comunidades do entorno, restrições geológicas, expansão do serviço de água e seu entorno". Eles, então, escolheram 32 tanques e destes, uma pequena lista de 14, cuja intervenções eram mais críticas, resultando assim em um projeto ambicioso para fornecer espaços públicos de qualidade para os bairros mais pobres de Medellín. Surgiram, assim, as UVA, Unidades de Vida Articulada.

UVA La Esperanza. Cortesia de EPM UVA La Esperanza. Cortesia de EPM UVA La Imaginación. Cortesia de EPM UVA La Imaginación. Cortesia de EPM + 23

Mapeamento da iluminação noturna em Medellin. Cortesia de EPM
Mapeamento da iluminação noturna em Medellin. Cortesia de EPM

No trabalho, que chegou a ocupar um espaço na Mostra Internacional de Arquitetura da Bienal de Veneza de 2016, a EPM aplicou estratégias participativas de projeto  buscando soluções ante esta incrível oportunidade que tinha como empresa e cidadãos. Em uma bela metáfora, as paredes destes tanques de água foram derrubadas para serem abertas à comunidade e dar-lhes equipamentos que nunca tiveram. Todos esses tanques agora formam uma grande rede que valida o interesse de Medellín por construir e reforçar os laços comunitários, antes dominados pela violência.

Descrição oficial: Cada tanque de água foi visto como uma ferramenta para participar de uma nova relação de confiança com suas comunidades. Trabalhando em estreita colaboração com as pessoas locais na concepção do projeto, através de oficinas comunitárias, o objetivo comum era transformar o que estava escondido e fechado, na oportunidade do que se iria abrir e integrar. O projeto resultante é uma mistura de infraestrutura existente de água, como recurso valioso, com os espaços públicos.

Os tanques de água foram abertos, as cercas foram removidas e seu entorno redesenhado para dar à infraestrutura um novo espaço público, criando novas conexões entre a comunidade, antes separada pelas barreiras da infraestrutura dos reservatórios. Os muros e fechamentos foram derrubados para criar um espaço para a igualdade, que agora vem substituindo a divisão e exclusão através do projeto. Como resposta à carência de espaços públicos nesses bairros, foram derrubados os muros e cercas que protegiam os tanques de água e, em vez disso, foram entregues para a cidade espaços de reuniões públicas, promovendo o lazer e a cultura. Em um ato de generosidade e confiança estas intervenções convertem infraestrutura hidráulica em infraestrutura pública, costurando bairros e comunidades.

Localização doss UVA em Medellin. Cortesia de EPM
Localização doss UVA em Medellin. Cortesia de EPM

Mediante a construção de equipamentos e espaços públicos, buscou-se induzir a transformações em diferentes escalas. Como projeto urbano pretendeu-se incorporar novos usos às infraestruturas existentes, abrindo-as à cidade. Nos bairros, cada um dos edifícios procura estabelecer novas conexões urbanas, enriquecendo a dinâmica local e criando novos padrões para o encontro cidadão.

As UVA buscam propiciar eventos e acontecimentos para as pessoas. Como estratégia e, juntamente com paisagismo, os edifícios buscam fundirem-se com a topografia, liberando a maior quantidade de espaço público.

Tanques de água com intervenções. Cortesia de EPM
Tanques de água com intervenções. Cortesia de EPM

Estabeleceram-se estratégias gerais de projeto onde identificaram-se particularidades das tipologias dos tanques e da maneira em como estavam imersos no território. Tanques fechados de superfície, tanques de superfície descobertos e tanques enterrados, juntamente com as condições locais estabeleceram estratégias globais com as particularidades de cada lugar. A topografia e a paisagem são geradores da forma do espaço público e de sua arquitetura, já que os lotes encontram-se em lugares muito íngremes, resolvendo questões técnicas e de construção e oferecendo a possibilidade de encontrar adequadamente o local onde é necessário o equipamento. Neste sentido, o edifício acomoda a topografia e o lugar, e o espaço público em torno dos reservatórios conforma varandas urbanas.

Por outro lado, devido ao fechamento que os lotes tinham no seu perímetro, enfatizou-se a conexão dos caminhos e sistemas de mobilidade ao lado das bordas. Desta maneira, comunidades que antes estavam isoladas encontraram uma possibilidade de integração diretacom outras em seu próprio bairro. Adicionalmente, o tanque e sua infraestrutura são o "edifício". Quer dizer que se ressalta e dignifica a própria infraestrutura do tanque, que é a infraestrutura urbana a ressalta. Dessa forma, a arquitetura construída é discreta, mimetizando-se na morfologia própria do lugar, para ressaltar precisamente os valores dos tanques existentes.

Finalmente, a água e a luz são componentes fundamentais da gênese do projeto, e o ponto de partida do plano mestre de iluminação urbana inicial. Estes aspectos são fundamentais para a geração de atividades no espaço público e de significado, uma vez que ressalta a própria infraestrutura dos tanques, aspecto que se respeita e que deve continuar servindo como abastecimento de água da comunidade.

Estes são alguns dos projetos construídos até hoje:

UVA La Esperanza

UVA La Esperanza. Cortesia de EPM
UVA La Esperanza. Cortesia de EPM

Infraestrutura original: Tanque Moscú
Bairro/Comunidade:
San Pablo, Popular
Endereço: Calle 96 #34-100
Projeto e construção: Janeiro de 2013 - Março de 2014

UVA La Imaginación

UVA La Imaginación. Cortesia de EPM
UVA La Imaginación. Cortesia de EPM

Infraestrutura original: Tanque Orfelinato
Bairro/Comunidade:
San Miguel, Villa Hermosa
Endereço: Carrera 40 #61-04
Projeto e construção: Março de 2014 - Novembro de 2015

UVA La Alegría

UVA La Alegría. Cortesia de EPM
UVA La Alegría. Cortesia de EPM

Infraestrutura original: Tanque Campo Valdés
Bairro/Comunidade:
Santa Inés, Manrique
Endereço: Carrera 41 #79-66
Projeto e construção: Março de 2013 - Fevereiro de 2015

UVA La Armonía

UVA La Armonía. Cortesia de EPM
UVA La Armonía. Cortesia de EPM

Infraestrutura original: Tanque La Tablaza
Bairro/Comunidade: 
Santa Inés, Manrique
Endereço: Carrera 36 #84-98
Projeto e construção: Julho de 2013 - Novembro de 2015

UVA Los Sueños

UVA Los Sueños. Cortesia de EPM
UVA Los Sueños. Cortesia de EPM

Infraestrutura original: Tanque Versalles
Bairro/Comunidade: 
La Libertad, Villa Hermosa
Endereço: 
Calle 57 #17B-50
Projeto e construção: 
Maio de 2014 - Fevereiro de 2015

UVA La Libertad

UVA La Libertad. Cortesia de EPM
UVA La Libertad. Cortesia de EPM

Infraestrutura original: Tanque Santa Elena
Bairro/Comunidade:
La Libertad, Villa Hermosa
Área: Calle 57 #17B-50
Projeto e construção: Maio de 2014 - Fevereiro de 2015

UVA Nuevo Amanecer

UVA Nuevo Amanecer. Cortesia de EPM
UVA Nuevo Amanecer. Cortesia de EPM

Infraestrutura original: Tanque Santo Domingo
Bairro/Comunidade:
La Avanzada, Popular
Endereço: Calle 107B #23A-138
Projeto e construção: Julho de 2013 - Outubro de 2015

UVA San Fernando

UVA San Fernando. Cortesia de EPM
UVA San Fernando. Cortesia de EPM

Infraestrutura original: Planta de tratamento de águas residuais San Fernando
Bairro/Comunidade/Município:
San Fernando, Comuna 4, Itagüí
Fim da construção: 2016

Outros UVA construídos são Los Guayacanes, Mirador San Cristóbal, La Cordialidad, El Encanto e Aguas Claras

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Nicolás Valencia
Autor
Cita: Valencia, Nicolás. "Como Medellín transformou seus reservatórios de água em verdadeiros parques públicos" [La historia de cómo Medellín convirtió sus tanques de agua en verdaderos parques públicos] 22 Jul 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/791843/como-medellin-transformou-seus-reservatorios-de-agua-em-verdadeiros-parques-publicos> ISSN 0719-8906