Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Vila Real

Vila Real: O mais recente de arquitetura e notícia

Casa AM / Horma

© Mariela Apollonio © Mariela Apollonio © Mariela Apollonio © Mariela Apollonio + 19

Vila-real, Espanha
  • Arquitetos: Horma
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área: 240.0 m2
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano: 2018

7 Mitos sobre detalhamento que estão mudando na era digital

A recente disponibilidade de técnicas automatizadas de projeto e produção está mudando a forma de desenvolver detalhes arquitetônicos. Com métodos de projeto paramétricos e com o uso de algorítimos e da fabricação digital, os arquitetos precisam adquirir novas habilidades para a etapa de detalhamento, ao mesmo tempo em que novos atores estão começando a participar do seu desenvolvimento.

Embora nem sempre recebam a atenção necessária, os detalhes arquitetônicos são de extrema importância para muitos aspectos de uma edificação. Eles podem definir sua expressão teórica e seu caráter técnico, e impactar seu processo de produção, seu método de construção e até mesmo sua pegada ecológica. A arquitetura contemporânea mostra um novo interesse no detalhamento, o que não deve ser confundido com o retorno à valorização do trabalho artesanal [1]. Este novo interesse está relacionado ao recente envolvimento do arquiteto com a execução física dos edifícios, como resultado do uso de tecnologias digitais [2]. O novo "mestre de obras digital" [3] conta com os processos file-to-factory, nos quais a morfologia dos detalhes da construção está diretamente relacionada ao conhecimento dos processos de produção disponíveis.

Zaha Hadid Architects divulga nova estrutura experimental feita com impressão 3D

© Luke Hayes
© Luke Hayes

O escritório Zaha Hadid Architects divulgou uma nova estrutura experimental como parte da exposição White In The City, que integrou o Salone del Mobile. Realizada na Accademia di Belle Arti di Brera, no coração do distrito de design de Milão, a exposição explorou o uso contemporâneo da cor branca no design e arquitetura em diversos locais da cidade. Intitulada Thallus - palavra grega para planta que não diferencia caule e folhas - a escultura é a mais recente investigação do escritório na área da tecnologia de impressão 3D. Thallus dá seguimento às pesquisas da área de design computacional realizadas realizadas pelo escritório Zaha Hadid Architects.

© Luke Hayes © Luke Hayes © Luke Hayes © Luke Hayes + 17

Professores de SUTD fazem a impressão 3D de um projeto paramétrico de iluminação

Uma malha tetraédrica luminosa com extensão de 10 metros é a mais recente inovação impressa em 3D obtida pelos professores Felix Raspall e Carlos Banon da Universidade de Tecnologia de Singapura (SUTD). A escultura interativa de luz é uma exploração de como os componentes impressos 3D em grande escala podem criar um sistema para "atender não só requisitos estruturais, mas também transmissão de energia e comunicação de informação dentro de uma estética contínua".

Suspenso sobre seus visitantes, a exposição envolve o público através de respostas aos seus movimentos abaixo, controlado por mais de 50.000 pixels distintos de LED e o algoritmo principal. Isto é possível através de cinco microcontroladores Teensy, trabalhando em conjunto com três sensores ultra-sônicos na base da estrutura, resultando em uma experiência viva e iluminante.

© SUTD: Felix Raspall e Carlos Banon © SUTD: Felix Raspall e Carlos Banon © SUTD: Felix Raspall e Carlos Banon © SUTD: Felix Raspall e Carlos Banon + 18

Big Data transformada em arquitetura em uma parede para IBM

Respondendo a debates recentes sobre como big data afetarão nossos ambientes construídos, Synthesis Design + Architecture associou-se à Watson Analytics da para projetar uma parede interna para o Watson Experience Center em San Francisco. O projeto, chamado Data Moiré, por conta dos padrões vertiginosos criados por conjuntos de linhas sobrepostas, usa dados da influência dos telefones celulares sobre o gasto mensal dos consumidores para criar um padrão preciso que define a parede.

Cortesia de Synthesis Design + Architecture Cortesia de Synthesis Design + Architecture Cortesia de Synthesis Design + Architecture Cortesia de Synthesis Design + Architecture + 31

Esta gruta impressa em 3D desafia os limites da geometria computacional e da percepção humana

Após o sucesso do seu intrincado Arabesque Wall, Benjamin Dillenburger e Michael Hansmeyer, mais uma vez conseguiram novos níveis de ornamentação - desta vez, com uma gruta impressa tridimensionalmente em escala real, criada a partir de sete toneladas de arenito. Comissionado pelo Centre Pompidou em Paris, a gruta é um exemplo de como a expressão espacial das tecnologias computacionais podem criar experiências arquitetônicas notáveis.

"Digital Grotesque II é um testamento e uma celebração de um novo tipo de arquitetura que deixa para trás paradigmas tradicionais de racionalização e padronização e, em vez disso, enfatiza a percepção do espectador, evocando a admiração, curiosidade e perplexidade", afirmam Dillenburger e Hansmeyer.

Luminosidade fluida: A iluminação arquitetônica na obra de Zaha Hadid

Leeza SOHO, em construção 2017, Pequim / China. Imagem © MIR
Leeza SOHO, em construção 2017, Pequim / China. Imagem © MIR

Os projetos de Zaha Hadid são notáveis não só por suas formas inovadoras de manusear materiais tangíveis, mas também pela sua imaginação em relação à luz. Suas teorias de fragmentação e fluidez são técnicas projetuais bem conhecidas que possibilitaram sua descoberta de formas. No entanto, seus avanços no uso da luz para transmitir sua arquitetura foram, muitas vezes, negligenciados -mesmo que tenham se tornado um elemento essencial para revelar e interpretar sua arquitetura. A transição de três décadas de linhas mínimas de luz no seu projeto do Corpo de Bombeiros de Vitra até o átrio mais alto do mundo no arranha-céu Leeza SOHO, que recolhe uma abundância de luz natural, mostra o notável desenvolvimento do legado luminoso de Zaha Hadid.

Centro Heydar Aliyev, 2013, Baku / Azerbaijão. Imagem © Hélène Binet Estação de Trem Nordpark, 2007, Innsbruck / Áustria. Imagem © <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Hungerburgbahn-Bergstation.JPG'>Wikimedia user Hafelekar</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en'>CC BY-SA 3.0</a> Museu MAXXI, 2009, Roma / Itália. Imagem © Iwan Baan Centro de Ciências Phaeno, 2005, Wolfsburg / Alemanha. Imagem © Werner Huthmacher + 13

O processo paramétrico por trás da sala de concertos da Filarmônica de Hamburgo

Dentre todos os seus méritos, o ponto focal do mais recente projeto de sucesso de Herzog & de Meuron, a Filarmônica de Hamburgo, é, sem dúvida, a sala de concertos central, como explorado neste artigo da WIRED. Um incrível exemplo das possibilidades de design paramétrico, a sala é composta de 10.000 painéis acústicos individuais que alinham as paredes, tetos e varandas. Cada um dos painéis consiste em um milhão de "células" de dimensões variadas, criadas para ajudar a definir o som dentro do espaço.

"DIY para Arquitetos": Fachada paramétrica de tijolos construída a partir de técnicas tradicionais

Em seu mais recente projeto, o escritório iraniano Sstudiomm explora o potencial que o tijolo pode oferecer através da arquitetura paramétrica. Em vez de depender apenas de componentes únicos pré-fabricados, o escritório trabalha as possibilidades de um material produzido em massa - o tijolo e diferentes formas de assentá-lo. A abordagem do escritório é bastante lo-fi, isto é, cria uma parede paramétrica de tijolos usando apenas métodos tradicionais de construção e um pouco de engenhosidade.

Cortesia de Sstudiomm Cortesia de Sstudiomm Cortesia de Sstudiomm Cortesia de Sstudiomm + 17

Aplicativo permite manipular o Serpentine Pavilion do BIG através de um iPad

A "parede descompactada" do Serpentine Pavilion deste ano, projetado pelo BIG, tem atraído elogios da crítica e do público. Seu projeto paramétrico simples inspirou belíssimos registros fotográficos e até mesmo a criação de um modelo virtual que permite ajustar os parâmetros da estrutura em seu navegador de internet. Agora é possível brincar com o projeto do BIG em qualquer lugar, com este novo aplicativo desenvolvido pelo Studioclam.

Brinque com a versão paramétrica do Serpentine Pavilion do BIG

Todos os anos a Serpentine Gallery convida um arquiteto a projetar um pavilhão que ocupará seus gramados e receberá as centenas de milhares de visitantes nos meses de verão. Pavilhões temporários como este são uma oportunidade importante para arquitetos testarem novas ideias e comunicarem ao público o que a arquitetura é e o que ela poderia ser.

A menos que você esteja em Londres, não terá a oportunidade de visitar fisicamente o pavilhão, mas graças a internet podemos levar você até lá. 

Cortesia de Archilogic Cortesia de Archilogic Cortesia de Archilogic Cortesia de Archilogic + 8

Por que o design computacional vai mudar o modo como trabalhamos

Este artigo foi originalmente postado em ArchSmarter.

Hoje em dia, quase todo arquiteto usa o computador. Seja para modelagem  3D, documentação ou até mesmo para criar planilhas de programação, computadores são muito frequentes e estão infiltrados na profissão. Arquitetos agora precisam saber o mesmo tanto de software quanto de estruturas, códigos de obras, e projeto.

À medida que ferramentas se tornam mais poderosas e sofisticadas, precisamos evoluir e desenvolver nossos métodos de trabalho para permanecermos competitivos. Escrevi um artigo sobre como arquitetos devem aprender programação. Muitos dos problemas que necessitamos resolver não estão nas capacidades de programas fáceis e rápidos. Precisamos ajustar e personalizar as nossas ferramentas para trabalhar a maneira como trabalhamos. Criar nossas próprias ferramentas e softwares é um jeito de fazer isso.

Dito isto, a realidade é que nem todo mundo tem tempo ou facilidade para aprender a programar. Leva tempo e sempre temos projetos para terminar, desenhos para revisar e edifícios para projetar. Felizmente aqui estão algumas novas ferramentas disponíveis que oferecem o poder da programação sem a necessidade de toda aquela interminável codificação.

Entre no mundo da programação visual e projetos computacionais.

7 novos métodos de fabricação que nos levarão a uma nova arquitetura

Mergulhada em uma era de digitalização e computação, a arquitetura foi profundamente afetada na última década por aquilo que alguns críticos têm chamado de "Terceira Revolução Industrial". Com questões éticas e de produção muito presentes no atual discurso da arquitetura, projetos que tiram vantagem destas novas tecnologias são frequentemente criticados por sua natureza vazia e inconsistente. Por outro lado, temos presenciado a emergência de trabalhos que exemplificam o lado mais otimista desta "Terceira Revolução Industrial" -- uma arquitetura que se apropria das novas tecnologias e da computação para o bem comum de nossas cidades e seus habitantes. 

Compilamos sete destes projetos, que englobam desde exemplos de engenharia até produções mais artesanais; projetos que, 80 anos depois da publicação de um dos livros mais reverenciados de Le Corbusier, dão pistas de um novo horizonte -- por uma (nova) arquitetura. 

5 modos de redefinir o artesanato na era pós-industrial

O artesanato é um daqueles temas que quase todo mundo tem uma opinião forte. Mas enquanto muitos lamentam o fato de que as práticas artesanais tradicionais estarem em declínio desde a revolução industrial, hoje uma nova geração de arquitetos e designers começam a redefinir e atualizar a noção de artesanato incluindo as mais modernas técnicas de design e fabricação existentes. Neste artigo, originalmente publicado em Autodesk Line//Shape//Space, como "5 Ways Architects and Postdigital Artisans Are Modernizing Craftsmanship,", Jeff Link explora alguns dos traços que conectam esses pioneiros com os artesãos de uma época passada.

Artesanato na era digital é algo difícil de definir. Para alguns, artesanato evoca uma pureza de estilo, uma preferência para o feito à mão sobre a máquina. Para outros, ele lembra a arquitetura artesanal de residências do início do século XX: telhados com empenas em balanço, varandas amplas e trabalhos manuais detalhados.

Mas, independentemente da compreensão intuitiva do termo, a noção de artesanato está evoluindo. Cada vez mais, o conhecimento milenar de entalhadores, pedreiros e outros artesãos é incorporado em processos de design inteligentes usando modelos computacionais geométricos e fabricação de máquina para desenvolver novos ofícios e ramos de arquitetura  -- desde conjuntos de móveis que desafiam a gravidade a fluxos de trabalho complexos para autômatos robóticos. Essas inovações ajudaram inserir arquitetos ao lado de artesãos no centro de um renascimento na cultura "maker", que, por exemplo, está em exibição em mercados artesanais, tais como Folksy e Etsy.

Então, o que é exatamente artesanato digital? E como aparece no trabalho de designers de ponta? Aqui, arquitetos inovadores identificam cinco coisas que artesãos pós-digitais estão fazendo para transformar o artesanato.

Pavilhão Origami oferece um abrigo com oito painéis de alumínio dobrados

A invenção da parametrização proporcionou aos arquitetos muitas novas possibilidade de projeto; forma, sombreamento e texturização são apenas alguns dos modos como esta tecnologia impactou as novas construções. Mas, talvez, sua função mais nobre seja a habilidade de otimizar as estruturas, especialmente através da dobra de materiais finos e rígidos. Esta é a função que o arquiteto Tal Friedman escolheu explorar em seu Pavilhão Origami. 

Cortesia de Tal Friedman Cortesia de Tal Friedman Cortesia de Tal Friedman Cortesia de Tal Friedman + 23

A revolução dos softwares de arquitetura: do padrão único ao DIY

Sempre fomos uma profissão de hackers. Cada edifício é único, feito a partir de inúmeras operações de alteração e modificação que trazem materiais e sistemas díspares em um todo coeso. Mas quando se trata de softwares a maioria de nós têm se contentado com o consumismo entusiasmado, aguardando ansiosamente os próximos lançamentos dos desenvolvedores de software, como Autodesk, McNeel (Rhino) e Bentley (MicroStation).

Faz cinco anos que lançamos oficialmente o nosso programa de pesquisa no Yazdani Studio of Cannon Design, e durante esse período, compreendemos que a evolução do nosso processo reflete no trabalho dos maiores arquitetos, mudando o relacionamento dos profissionais com os meios de produção. Especificamente, temos notado que no final de 2007, algo mudou. McNeel introduziu um plugin na programação visual chamado Grasshopper, e mais e mais arquitetos começaram a hackear suas ferramentas, bem como seus edifícios.

Cortesia de Yazdani Studio of CannonDesign Cortesia de Yazdani Studio of CannonDesign Cortesia de Yazdani Studio of CannonDesign Cortesia de Yazdani Studio of CannonDesign + 7

Instalação "The TWIST" na Timber Expo de Birmingham

O Emergent Technologies and Design Programme (EmTech) da Architectural Association School of Architecture de Londres exibiu recentemente seu projeto The TWIST na Timber Expo em Birmingham. O projeto é um experimento das propriedades da madeira compensada moída desenvolvido a partir de testes na escala 1:1. Através destes experimentos, The TWIST busca atingir o controle total das propriedades do material, desenvolvendo superfícies articuladas com a orientação de seus elementos variável. Saiba mais sobre o projeto, a seguir.

Instalação Oliva propõe sete pirâmides invertidas feitas de fios de algodão

Oliva significa oliveira em latim e é também o nome da instalação criada por Margarida Alves. A colheita da azeitona foi o conceito escolhido pela estudante de arquitetura que, em 2013, ganhou o concurso de Land Art, promovido pela Câmara Municipal de Vila Real, Portugal.

O concurso de Land Art tinha como temática a biodiversidade da região. Natural de Vila Real, a estudante escolheu a colheita da azeitona - prática tradicional da região - como base para a sua instalação. “A colheita da azeitona é a ideia base, mas a partir daí faço a minha própria interpretação. As pirâmides também têm a ver com a simbologia do triângulo. O triângulo [invertido] tem a forma de cálice e tem a ver com a fertilidade”, esclareceu a estudante ao jornal português P3.