Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Resiliência

Resiliência: O mais recente de arquitetura e notícia

"Make it Right" disponibiliza as plantas de mais de 25 residências ecológicas

Criada após a devastação de New Orleans em 2005 pelo furacão Katrina, a Fundação Make it Right, criada pelo ator Brad Pitt, se tornou uma referência em projetos residenciais unifamiliares nos EUA, com projetos desenvolvidos por importantes nomes da arquitetura mundial, como Frank Gehry, MVRDV e Morphosis.

Os protótipos desenvolvidos tem uma especial atenção às questões ecológicas e econômicas e foram criados tendo em mente e situação das milhares de famílias desabrigadas após a tempestade que devastou parte de New Orleans -- cidade localizada em uma das regiões mais desfavorecidas dos EUA.

Recentemente, a Make it Right decidiu disponibilizar os desenhos técnicos de 26 modelos residenciais desenvolvidos ao longo dos 10 anos de trabalho da fundação. Entre os projetos, está uma versão da casa meio-pronta do Elemental e a casa mobília de Shigeru Ban. Veja a lista completa, a seguir.

"Espaços de Paz", de PICO Estudio, é premiado no ASF International Awards

Espacios de Paz (Espaços de Paz) / PICO Estudio & Movimiento Por la Paz y la Vida. Cortesia de ASF International Awards
Espacios de Paz (Espaços de Paz) / PICO Estudio & Movimiento Por la Paz y la Vida. Cortesia de ASF International Awards

A organização Architecture Sans Frontières anunciou os vencedores do primeiro ASF International Awards, premiação que busca reconhecer "soluções eficientes desenvolvidas globalmente por arquitetos para os muitos desafios sociais, ambientais e econômicos enfrentados pelo ambiente construído."

De 68 propostas enviadas, três vencedores foram escolhidos: Espacios de Paz (Venezuela), por PICO Estudio & Movimiento Por la Paz y la Vida; La Passerelle in Saint-Denis (França), por ASF France; e Building Trust International, por seu trabalho na Ásia e África.

Saiba mais sobre os projetos selecionados, a seguir:

5 segredos arquitetônicos dos Badjao: Povos marítimos do século 21

Milhares de anos atrás, uma pequena civilização de caçadores migraram para as regiões costeiras do sudeste da Ásia. Essas pessoas evoluíram para uma tribo generalizada de viajantes do mar. Até hoje eles permanecem como um povo sem Estado, sem nacionalidade e sem infra-estrutura consistente, às vezes vivendo a quilômetros de distância da terra. No entanto, essas pessoas constituem uma das poucas civilizações cuja vida coletiva tem sobrevivido por tanto tempo através da história humana. Eles são chamados de Badjao, e possuem qualidades surpreendentes que nos ensinarão sobre a arquitetura.

Comunidade Badjao ao longo da costa de Sabah, Malásia . Imagem © Dolly MJ via Shutterstock Mulher Badjao remando uma canoa. Imagem © Dolly MJ via Shutterstock Construção temporária no Sudeste Asiático. Imagem © asnida via Shutterstock Criança Badjao remando próximo a costa. Imagem © idome via Shutterstock + 9

Prefeitura do Rio de Janeiro aponta caminhos para enfrentar as mudanças climáticas

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, apresentou recentemente o Programa Rio Resiliente, estratégia que aponta as principais orientações da cidade para enfrentar impactos causados por mudanças climáticas e desafios urbanos nas próximas décadas. Elaborado com a participação de funcionários de 40 órgãos municipais, o programa será coordenado pelo Centro de Operações Rio (COR).

De acordo com Paes, a prefeitura está atenta às cinco prioridades definidas no Protocolo de Quioto, documento assinado em 2005, no Japão, por representantes de 168 países membros das Nações Unidas.

Os pontos mais importantes são prioridade para redução de risco de desastre, conhecimento do risco e adoção medidas, desenvolvimento de maior compreensão e conscientização, redução do risco e fortalecimento da preparação em desastres para respostas eficazes.

Fundação Rockefeller seleciona outras 35 cidades para compor a rede 100 Resilient Cities

100 Resilient Cities é uma organização da Rockefeller Foundation que se dedica a assessorar diversas cidades do mundo para que consigam se tornar resilientes, ou seja, que sejam capazes de resistir a situações de emergência física, social e econômica, aprendendo com essas crises a evitar os mesmos problemas no futuro.

Tais crises correspondem a desastres naturais – inundações, terremotos, incêndios, etc. – e a problemas sociais como violência, desemprego e questões de transporte público.

Em dezembro de 2013 a Fundação selecionou as 32 primeiras cidades a integrar a organização – entre elas Bangkok (Tailândia), Glasgow (Escócia), Roterdã (Países Baixos) e Vejle (Dinamarca) –, às quais foram acrescidas recentemente outras 35 cidades, entre elas Santiago (Chile), Chicago (EUA) e Barcelona (Espanha).

O que significa essa seleção e quais as cidades escolhidas? Saiba mais a seguir.

Fundação Rockefeller seleciona 33 cidades para Desafio de Resiliência

A Fundação Rockefeller selecionou o primeiro grupo de cidades para o "100 Resilient Cities Centennial Challenge.” Cada cidade foi escolhida por demonstrar "um comprometimento em construir seus próprios meios de se preparar, resistir e se recuperar rapidamente de abalos e tensões." Mais de mil registros e quase 400 inscrições de cidades de todo o mundo foram feitas. Após uma cuidadosa análise de cada uma das cidades e seus respectivos desafios, as seguintes 33 foram escolhidas.

Por que este é o Ano do Arquiteto?

Na última semana, notamos como a participação do American Institute of Architect's (AIA) com a Iniciativa Global Clinton (CGI), bem como muitas outras iniciativas, significam o comprometimento da organização de colocar a resiliência em discussão. O artigo a seguir, escrito por Brooks Rainwater, Diretor de Políticas Públicas do AIA, descreve estes esforços e enfatiza como arquitetos estão lidando com os desafios globais mais urgentes.

Arquitetos estão demonstrando de forma crescente sua habilidade de ajudar a resolver problemas de larga escala nas áreas de resiliência e saúde. Ao mesmo tempo a ascendência contínua do projeto de impacto social ajudou a elevar a discussão e deu ênfase em considerações sobre igualdade, aumento da população global e a ideia de que design deve servir a todas as pessoas.

Com mais de 1.000 líderes globais reunidos em Nova York na última semana para Reunião Anual da Clinton Global Initiative, é uma época ideal para fazer a pergunta: como o design se encaixa na discussão global?

White Arkitekter vence o concurso FAR ROC

O escritório White Arkitekter de Estocolmo, juntamente com os parceiros ARUP e Gensler, foram anunciados como vencedores da competição "Por um Rockaway resiliente" (FAR ROC), em Nova York. Selecionados dentre uma lista reduzida de quatro projetos, a partir de 117 propostas internacionais, o projeto "não tradicional" de White Arkitekter visa transformar um terreno costeiro de 80 acres em Rockaways em uma comunidade resiliente e acessível através de uma série de pequenas intervenções que podem ser testadas, ajustadas, ou redesenhadas durante o processo de desenvolvimento.

Vencedores do "Designing Recovery": Habitações dignas para cidades vulneráveis

“Designing Recovery,” uma competição focada no planejamento e reconstrução de comunidades sustentáveis e resilientes, anunciou três propostas vencedoras, dos escritórios sustainable.to Architecture + Building, GOATstudio LLP, e Q4 Architects.

A competição - uma colaboração entre o AIA, Make It Right, Architecture for Humanity, o St. Bernard Project, e Dow Building Solutions - foi proposta para ajudar comunidades afetadas por desastres naturais - neste caso, Nova Iorque, Nova Orleans e Joplin.