1. ArchDaily
  2. Materiais Reciclados

Materiais Reciclados: O mais recente de arquitetura e notícia

Casas brasileiras: 10 residências com materiais reciclados

Segundo uma pesquisa realizada pela ABRECON (Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição), houve, nos últimos anos, um crescimento na reciclagem de resíduos de construção e demolição (RCD) no Brasil. Segundo o relatório de 2015, o percentual de RCD reciclados no país naquele ano foi de 21%, enquanto em 2013 este total correspondeu a 19%.

O cenário, apesar de otimista, ainda não é ideal, e o crescimento de RCDs reciclados ainda é considerado pequeno. No Brasil, os resíduos da construção civil podem representar entre 50% e 70% da massa dos resíduos sólidos urbanos. Ou seja, ainda é preciso defender uma prática comum de reciclagem e de reuso de materiais na arquitetura, sobretudo no contexto brasileiro.

Casas brasileiras: 10 residências com materiais recicladosCasas brasileiras: 10 residências com materiais recicladosCasas brasileiras: 10 residências com materiais recicladosCasas brasileiras: 10 residências com materiais reciclados+ 11

Reciclagem de telhas: 15 exemplos de reuso na arquitetura contemporânea

Nave 8 B / Arturo Franco. Image © Carlos Fernández Piñar
Nave 8 B / Arturo Franco. Image © Carlos Fernández Piñar

Reciclagem de telhas: 15 exemplos de reuso na arquitetura contemporâneaReciclagem de telhas: 15 exemplos de reuso na arquitetura contemporâneaReciclagem de telhas: 15 exemplos de reuso na arquitetura contemporâneaReciclagem de telhas: 15 exemplos de reuso na arquitetura contemporânea+ 17

Seja devido à demolição total ou parcial de um edifício, seja para reforma ou adaptação de uma estrutura existente — em busca de sistemas de cobertura mais eficientes —, telhas de barro e cimento são materiais que muito frequentemente acabam virando entulho. Devido ao seu baixo custo de produção, telhas não costumam ser recicladas e reaproveitadas cotidianamente, menos ainda utilizadas para cumprir outra função que não a de cobertura. Felizmente, somando-se a uma crescente conscientização sobre os custos ambientais da produção de materiais para a construção civil, a cada dia mais, arquitetos e arquitetas têm se comprometido a reciclar e reaproveitar resíduos de antigas estruturas obsoletas, estabelecendo uma arquitetura responsável e inovadora. A seguir, elencamos alguns recentes projetos que apresentam soluções alternativas para a reciclagem e reincorporação de telhas na arquitetura contemporânea, seja em paredes, fachadas, elementos de proteção solar, pisos e até mobiliário.

Bienal Architekturwoche Basel divulga projeto de pavilhão feito com materiais reciclados

O novo evento bienal Architekturwoche Basel (AWB) será lançado em maio como uma plataforma para discutir arquitetura e desenvolvimento urbano através das lentes da construção sustentável e da economia circular. A edição inaugural também marca o lançamento do primeiro Pavilhão de Basel, uma estrutura temporária destinada a mostrar novas possibilidades de construção ecológicas. O projeto vencedor, “Loggia Basileana”, criado pelo escritório de arquitetura isla, é feito de componentes de construção reutilizados e apresenta uma série de módulos que formam uma passagem contínua de pedestres ao longo de uma ferrovia em Dreispitz.

Bienal Architekturwoche Basel divulga projeto de pavilhão feito com materiais recicladosBienal Architekturwoche Basel divulga projeto de pavilhão feito com materiais recicladosBienal Architekturwoche Basel divulga projeto de pavilhão feito com materiais recicladosBienal Architekturwoche Basel divulga projeto de pavilhão feito com materiais reciclados+ 5

Argila têxtil: novo material apresentado na Semana de Design de Milão

À primeira vista, os materiais têxteis e a argila não têm muitas semelhanças. O escritório Oficina Penadés, entretanto, reúne esses dois elementos e nos mostra todos os benefícios de um novo material de origem têxtil e técnicas de processamento de argila através de “Looks like magic!”, uma exposição que aconteceu durante a última Semana de Design de Milão.

A reciclagem de concreto já é uma realidade

Cortesia de Sika
Cortesia de Sika

Muito tem se falado sobre a circularidade na construção civil. Inspirando-se na natureza, a economia circular trabalha em um processo contínuo de produção, reabsorção e reciclagem, auto gerindo e regulando-se naturalmente, onde os resíduos podem ser insumos para a produção de novos produtos. Trata-se de um conceito interessantíssimo, mas que enfrenta algumas dificuldades práticas no cotidiano, seja no processo de demolição / desmontagem, na destinação correta dos materiais e resíduos, mas, muitas vezes, na carência por tecnologias para reciclar ou dar um novo uso aos materiais de construção. Cerca de 40% de todos os resíduos gerados no Planeta Terra provém da construção civil, e boa parte deles poderiam ser reciclados. Especificamente o concreto é um material chave, seja por conta de sua grande pegada de carbono na produção, sua onipresença e uso massivo, mas também devido à dificuldade de reciclá-lo ou reutilizá-lo.

Banheiro portátil é impresso em 3D usando lixo plástico

O estúdio espanhol Nagami usou equipamentos médicos descartados para criar um banheiro portátil. O material era de plástico e foi fundido para ser impresso em 3D. Em larga escala, o projeto poderia ser uma alternativa para espalhar banheiros públicos onde fosse necessário.

Foram necessários apenas três dias para o banheiro ficar pronto. O espaço é composto basicamente por três partes: a estrutura em si (em formato oval), uma porta de correr e o vaso. Além da tecnologia, chama atenção o design do projeto. Ao contrário dos banheiros químicos comuns, este é “esteticamente agradável”.

Banheiro portátil é impresso em 3D usando lixo plásticoBanheiro portátil é impresso em 3D usando lixo plásticoBanheiro portátil é impresso em 3D usando lixo plásticoBanheiro portátil é impresso em 3D usando lixo plástico+ 7

Como escritórios emergentes estão ressignificando a sustentabilidade na arquitetura

A crise climática tem ocupado uma posição cada dia mais proeminente no discurso da arquitetura contemporânea, com os profissionais da construção civil lentamente reconhecendo a sua parcela de responsabilidade em relação às questões ambientais. No entanto, ainda há um longo caminho pela frente no que se refere a uma mudança sistemática no campo da arquitetura. Neste sentido, constituindo a principal frente de ação, jovens escritórios, organizações e iniciativas emergentes estão dando forma a uma nova prática de arquitetura que lentamente está começando a provocar uma mudança de paradigma na industria da construção civil. Abordando questões ambientais em vários níveis, desde políticas urbanas e estratégias de projeto até novos materiais e processos de construção, a seguir apresentamos alguns dos principais escritórios emergentes que estão reformulando o significado de sustentabilidade na arquitetura.

Como escritórios emergentes estão ressignificando a sustentabilidade na arquiteturaComo escritórios emergentes estão ressignificando a sustentabilidade na arquiteturaComo escritórios emergentes estão ressignificando a sustentabilidade na arquiteturaComo escritórios emergentes estão ressignificando a sustentabilidade na arquitetura+ 7

Pavilhão do Japão na Bienal de Veneza aborda consumo de massa e reuso na arquitetura

Para a edição deste ano da Bienal de Arquitetura de Veneza, o Pavilhão do Japão nos convida a refletir sobre o movimento de bens e mercadorias, sobre o consumo de massa, a sustentabilidade e o reaproveitamento de materiais na arquitetura. Intitulado Co-propriedade de Ação: Trajetórias de Elementos e com curadoria de Kadowaki Kozo, o Pavilhão Japonês para a Biennale deste ano será construído a partir da estrutura de uma tradicional casa japonesa de madeira, a qual será desmontada, enviada para Veneza e então reconstruída e ressignificada através do uso de novos materiais e soluções construtivas. Desta forma, o Pavilhão do Japão procura demonstrar que materiais e estruturas existentes podem ter uma segunda vida, colocando em cheque a crescente demanda por novos insumos e matérias primas, abraçado a reutilização em detrimento do consumo.

Casa de Contemplação / Virginia Kerridge Architect

Casa de Contemplação / Virginia Kerridge ArchitectCasa de Contemplação / Virginia Kerridge ArchitectCasa de Contemplação / Virginia Kerridge ArchitectCasa de Contemplação / Virginia Kerridge Architect+ 24

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área :  650
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano :  2020
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes :  Australian Architectural Hardwoods, Bisanna Tiles, Brodware, Spence & Lyda

Arquitetos de Hong Kong transformam resíduos plásticos em mobiliário urbano para combater a poluição

O rio Shing Mun em Sha Tin, uma cidade residencial em Hong Kong, luta contra a poluição do lixo plástico há anos. Os resíduos domésticos que não são reciclados de forma adequada vão parar em aterros ou a boiar no rio. Em 2018, quase 17 milhões de itens de plástico, ou 40.000 itens por dia, foram drenados para o oceano através do rio Shing Mun, principalmente embalagens de alimentos, talheres e garrafas de plástico para uso doméstico. Essa quantidade de poluição de plástico no rio e no meio ambiente pode eventualmente colocar em risco o ecossistema natural de forma irreversível.

Foster + Partners converte edifício industrial em escritórios em Madri

O escritório britânico Foster + Partners está liderando uma grande reforma em um edifício histórico de Madri, na Espanha. O projeto consiste na construção de um conjunto corporativo para a Acciona e busca requalificar uma antiga edificação industrial de 1905, criando mais de 10 mil metros quadrados de escritórios.

Foster + Partners converte edifício industrial em escritórios em MadriFoster + Partners converte edifício industrial em escritórios em MadriFoster + Partners converte edifício industrial em escritórios em MadriFoster + Partners converte edifício industrial em escritórios em Madri+ 6

Materiais de demolição, uma nova vida através da reciclagem

Em muitos lugares do mundo, uma nuvem de poeira e detritos combinada com uma bola de demolição e uma escavadeira compõem uma imagem que, ainda hoje, tende a simbolizar sinais de progresso, inovação, atividade econômica e a esperança de um futuro melhor através da arquitetura e da indústria da construção civil. 

Materiais e técnicas construtivas tradicionais na arquitetura contemporânea chinesa

A arquitetura vernácula nasce da escassez, da restrição de materiais e recursos disponíveis assim como de barreiras físicas, geográficas e dificuldades para transportar matérias primas de um lugar para outro. Ela se adapta ao seu contexto, utilizando materiais locais e técnicas construtivas tradicionais. Como uma tendência sempre presente, muitos arquitetos ainda buscam inspiração no passado, e cada vez mais têm incorporado com sucesso materiais e técnicas construtivas locais em seus projetos. Este artigo pretende oferecer uma visão abrangente de como os materiais tradicionais, como tijolos e telhas de barro, pedras, bambu, estruturas de madeira e taipa estão sendo ressignificados em um movimento que talvez poderíamos chamar de “a nova arquitetura vernacular chinesa”.

Todos os plásticos são recicláveis? Conheça uma nova tecnologia que recupera rejeitos de plástico e vidro

Ao passo que nem todos os plásticos são reciclados, mesmo aqueles que exibem o sinal de reciclagem, o problema global causado por estes resíduos continua muito longe de ser resolvido. A reciclagem, geralmente determinada por fatores como demanda, legislação e economia, consome cerca de 20% da produção anual de plásticos, deixando uma grande quantidade não resolvida, destinada a durar para sempre em nosso ambiente. Além disso, ao competir com materiais recém-produzidos, os plásticos reciclados precisam atender aos padrões de qualidade e valor, bem como ser submetidos a uma transformação sustentável, eficiente e economicamente viável.

A ROGP ou Rejects of Glass & Plastics Technology é uma abordagem inovadora que redireciona tipos de plástico rotulados como materiais não recicláveis devido à sua complexidade técnica ou problemas relacionados à economia.

Todos os plásticos são recicláveis? Conheça uma nova tecnologia que recupera rejeitos de plástico e vidroTodos os plásticos são recicláveis? Conheça uma nova tecnologia que recupera rejeitos de plástico e vidroTodos os plásticos são recicláveis? Conheça uma nova tecnologia que recupera rejeitos de plástico e vidroTodos os plásticos são recicláveis? Conheça uma nova tecnologia que recupera rejeitos de plástico e vidro+ 13

Reduzir, reutilizar e reciclar: o princípio dos 3 R's aplicado à arquitetura

Com o aumento dos níveis de emissão de poluentes ao longo dos anos, tem crescido também a preocupação sobre as ações que podem ser tomadas para minimizar os danos causados ao planeta. Como forma de promover a redução ou não-geração de resíduos, surge o princípio dos 3 R's: reduzir, reutilizar e reciclar. Estas ações, unidas à adoção de padrões de consumo sustentável, têm sido promovidas como forma de proteger os recursos naturais e minimizar o desperdício.

Reduzir, reutilizar e reciclar: o princípio dos 3 R's aplicado à arquiteturaReduzir, reutilizar e reciclar: o princípio dos 3 R's aplicado à arquiteturaReduzir, reutilizar e reciclar: o princípio dos 3 R's aplicado à arquiteturaReduzir, reutilizar e reciclar: o princípio dos 3 R's aplicado à arquitetura+ 15

Cidades recicladas: como o design cíclico dá forma à vida urbana

A reciclagem tem sido um ponto de entrada para o design sustentável. É uma atividade pessoal devido à micro escala que permite às pessoas reduzir o desperdício e economizar energia. Mas entre a escassez de recursos, a perda de habitat ambiental e a crise climática global, houve uma mudança nas práticas diárias em direção a um pensamento mais cíclico. Cada vez mais, a necessidade de manter a vida faz parte de um processo contínuo de produção, reabsorção e reciclagem, onde os resíduos são convertidos em insumos para a produção.

Cidades recicladas: como o design cíclico dá forma à vida urbanaCidades recicladas: como o design cíclico dá forma à vida urbanaCidades recicladas: como o design cíclico dá forma à vida urbanaCidades recicladas: como o design cíclico dá forma à vida urbana+ 9