1. ArchDaily
  2. Infraestrutura Verde

Infraestrutura Verde: O mais recente de arquitetura e notícia

Curso de Extensão - Infraestrutura Verde - SbN para a Gestão das Águas Urbanas

Infraestrutura Verde - Soluções Baseadas na Natureza para a Gestão de Águas Urbanas

Curso de Extensão EAD - Universidade Livre Oswaldo Cruz

Através de conteúdos teóricos, diretrizes técnicas e um exercício prático, o curso tem como objetivo fundamentar as bases que habilitarão os estudantes e profissionais para o desenvolvimento de projetos de Infraestrutura Verde.

Infraestrutura Verde é um método de planejamento e projeto paisagístico que se fundamenta na criação de uma rede de paisagens multifuncionais verde-azuis (vegetação e sistema hídrico) composta de paisagens naturais e espaços tratados com Soluções Baseadas na Natureza (SbN) como jardins de chuva e wetlands construídos que aperfeiçoam

Há algo mais natural que a própria natureza? O argumento das casas “verdes”

Muitas vezes eu mesmo não fui capaz de decifrar se um edifício em meio ao bosque poderia ser considerado “sustentável”. Ao longo do caminho, fui obrigado a convencer amigos e familiares de que este ou aquele edifício poderia ser completamente a antítese do próprio termo.

O greenwashing transformou-se em uma importante ferramenta de marketing na arquitetura contemporânea. O conceito de sustentabilidade na arquitetura foi banalizado a tal ponto que já não significa absolutamente nada de concreto. Neste contexto, é praticamente impossível diferenciar um projeto que contribui de fato para minimizar o impacto ambiental e para construir ambientes mais saudáveis daqueles que simplesmente pretendem estar fazendo algo similar. Quando observamos projetos residenciais sob esta lente, esta questão se torna ainda mais nebulosa.

Pensando nisso, decidimos perguntar aos nossos leitores: O que faz com que uma casa seja considerada "verde"? Seria apenas saber de onde vem e quem comercializa os materiais utilizados para construí-la? Seria o fato de produzir toda a energia necessária para a sua manutenção a partir de fontes renováveis?

Infraestrutura Verde - Soluções Baseadas na Natureza (SbN) para a gestão das águas urbanas

Curso de Extensão
Infraestrutura Verde - Soluções Baseadas na Natureza (SbN) para a gestão das águas urbanas

Infraestrutura Verde é um método de projeto paisagístico fundamentado na criação de uma rede de paisagens verde-azul (vegetação e sistemas hídricos) que desempenham funções infraestruturais ao mesmo tempo em que fornecem Serviços Ecossistêmicos às cidades. Na infra verde o projeto é pensado a partir das potencialidades e limitações biogeofísicas das paisagens e a gestão das águas é feita por meio de técnicas de design, denominadas Soluções Baseadas na Natureza, como jardins de chuva, canteiros pluviais, bacias de infiltração vegetada e wetlands, que adaptam as infraestruturas

Oficina de Projetos Urbanos de Infraestrutura Verde

A oficina de Projetos Urbanos de Infraestrutura Verde na Luz é um espaço para o acontecimento de ideias coletivas, desenvolvimento de projetos e ações na região da Luz, centro de São Paulo.
A oficina é voltada para os profissionais, estudantes e interessados nas questões ambientais urbanas, com interesse nos projetos da paisagem que utilizam tecnologias e Soluções Baseadas na Natureza (NBS - Nature Based Solutions).
A partir das questões apresentadas e discutidas na oficina, será realizada uma atividade prática onde serão elaboradas propostas de projetos de Infraestrutura Verde para a Região da Luz. Serão disponibilizados materiais para consulta e pesquisa, mapas,

"O corpo e cérebro das cidades do futuro": Snøhetta projeta data center sustentável

O escritório Snøhetta divulgou imagens conceito de seu data center sustentável, The Spark. O projeto busca abordar a tipologia tradicional de edifícios de data center, alto consumidor de energia, e transformar em um edifício "produtor de recursos para as comunidades poderem gerar seu próprio poder".

A proposta é adaptável para uma vasta possibilidades de contextos e pode ser locada em qualquer local pelo mundo, conectando cidades a partir de sua geração de energia devido ao excesso de calor. 

Cortesia de Snøhetta/PlompmozesCortesia de Snøhetta/PlompmozesCortesia de Snøhetta/PlompmozesCortesia de Snøhetta/Plompmozes+ 5

Fotógrafo registra as obras da usina de energia com pista de esqui na cobertura projetada pelo BIG

O fotógrafo Aldo Amoretti registrou novas imagens de um dos projetos mais aguardados de 2018, a Usina de Energia Amager Bakke com uma pista de esqui na cobertura, localizada em Copenhague e projetada pelo BIG. As imagens mostram a usina concluída - inaugurada em março de 2017 - enquanto as obras do parque de 16 mil metros quadrados e da pista de esqui avançam.

O projeto busca recuperar um espaço geralmente não utilizado de um edifício - a cobertura - para o público através da introdução de elementos naturais. Durante os meses de verão, o parque projetado pelo SLA oferecerá aos visitantes trilhas de caminhadas, playgrounds, estruturas de ginástica, corrida e paredes de escalada. No inverno, o parque receberá uma pista de esqui de 500 metros desenhada pelo BIG.

© Aldo Amoretti© Aldo Amoretti© Aldo Amoretti© Aldo Amoretti+ 45

Proposta converte usinas de energia em conjuntos de uso misto

E se uma usina de energia pudesse ser também uma casa, um escritório ou mesmo um parque? Esta é a questão por trás do projeto Cypher CO2ling Plant, uma proposta conceitual desenvolvida por Kawan Golmohamadi, Shilan Golmohamadi e Soad Moarefi. Usinas de energia são subprodutos inevitáveis da vida contemporânea, porém, se localizam geralmente em áreas remotas, distantes de onde a energia é, de fato, utilizada, devido à sua aparência e à poluição que geram.  Cypher CO2ling Plan propõe um cenário alternativo em que estas infraestruturas são utilizadas para abrigar programa mistos, mitigando os aspectos menos desejáveis da produção de energia. 

© Kawan Golmohamadi, Shilan Golmohamadi e Soad Moarefi© Kawan Golmohamadi, Shilan Golmohamadi e Soad Moarefi© Kawan Golmohamadi, Shilan Golmohamadi e Soad Moarefi© Kawan Golmohamadi, Shilan Golmohamadi e Soad Moarefi+ 12

Como projetar para situações de desastres

Neste artigo publicado pela Fast Company, sete arquitetos líderes na área de projetos para situações de desastres - incluindo Peter Gluck, Michael Manfredi, e os diretores da James Corner Field Operations e Snøhetta - dão suas opiniões sobre as lições que o Furacão Sandy nos ensinou. Suas visões levantam uma série de questões mas, acima de tudo, compartilham um tema: a urgência