1. ArchDaily
  2. Dia Das Mulheres

Dia Das Mulheres: O mais recente de arquitetura e notícia

Como o star system e o sexismo invisibilizaram a contribuição das mulheres arquitetas nos trabalhos em casal

Se a carreira de uma mulher na arquitetura já enfrenta mais obstáculos que a de um homem, como têm comprovado estudos e pesquisas em todo o mundo, as disparidades ficam ainda mais óbvias quando se trata de parcerias que envolvem ambos os gêneros. Na história da disciplina é possível encontrar uma série de exemplos de parcerias em escritórios ou projetos específicos que evidenciam as discrepâncias nos reconhecimentos obtidos pelos trabalhos, que se revelam em premiações, honrarias, citações e salários.

Muitas destas parcerias tratam-se de casais que, como em qualquer relação de sociedade, projetam e tomam decisões de trabalho de forma conjunta. Mas, no caso particular dos casais heterossexuais de arquitetos, o papel de "esposa" parece ter prevalecido sobre aquele de colaboradora, arquiteta ou sócia igualitária em muitas ocasiões.

Progressos para uma carreira mais inclusiva na arquitetura

Se você frequentou a escola de arquitetura ou design, provavelmente há algo que você notou sobre seus colegas de classe - a maioria deles eram mulheres. E se você trabalha no mundo da arquitetura ou design há alguns anos, provavelmente há outra coisa que você também percebeu - que há menos mulheres em posições de liderança do que homens. Há uma crise que a arquitetura enfrenta desde que a profissão existe: as mulheres abandonam a arquitetura em grande número. Mas o que está causando isso e quais etapas estão sendo tomadas para garantir que alguns dos melhores profissionais estejam posicionados para se tornarem futuros líderes da indústria?

Carmen Espegel sobre seu livro Heroínas do Espaço: "A história deve ser relida, ela ainda contém informações ocultas"

Carmen Espegel é arquiteta doutora pela Escola de Arquitetura de Madri. O seu trabalho é sustentado por três áreas complementares: acadêmica, pesquisa e atividade prática profissional. Trabalha de forma independente desde 1985, fez parte do atelier espegel-fisac arquitectos durante vinte anos - sendo sócia fundadora - e atualmente dirige o escritório espegel arquitectos. Sua orientação de pesquisa tem se concentrado principalmente na área de habitação, mulheres na arquitetura e crítica arquitetônica.

As mulheres esquecidas da Bauhaus

Quando Walter Gropius criou sua famosa escola de design e artes em 1919, Bauhaus, ele a criou como um lugar aberto a "qualquer pessoa de boa reputação, independentemente da idade ou do sexo". Um espaço onde não haveria “diferença entre o sexo belo e o sexo forte".

A ideia deflagrava uma sociedade na qual a mulher pedia para entrar em espaços que anteriormente lhe haviam sido vetados. Se a educação artística que as mulheres então recebiam era transmitida dentro da intimidade de suas casas, na escola de Gropius elas foram bem-vindas e seu registro aceito. Tanto que o número de mulheres que se matricularam foi maior que o dos homens.

Poltrona Barcelona <a href=''>© Vicens via Wikimedia </a> Licença CC BY-SA 2.5. Image Cadeira com tapeçaria Gunta Stolzl <a href='https://commons.wikimedia.org/w/index.php?search=Gunta+Stolzl&title=Special:Search&go=Go&searchToken=24j8k4xsxz7pgyr5rxc1e7bm0#%2Fmedia%2FFile%3AMarcel_breuer_con_stoffe_di_gunta_st%C3%B6lzl%2C_sedia%2C_1922_02.JPG'>© Sailko via Wikimedia </a> Licença CC BY-SA 3.0. Image Ceiling lamp HMB 29 Marianne Brandt <a href='https://www.flickr.com/photos/kaiseidler/3925875412/in/photolist-6YV8Z7-4gvbV9-b2h4Ji-8UbxRp-5iCTq8-dpG3es'>© Kai 'Oswald' Seidler via Flickr </a> Licença CC BY 2.0. Image Chaleira 1924 Marianne Brandt <a href=''>© William Cromar via Flickr </a> Licença CC BY-NC-SA 2.0. Image + 11

Mulheres no ArchDaily refletem sobre o futuro da arquitetura

Todo dia 8 de março, em nível global, a luta por direitos iguais e sufrágio universal é comemorada como parte de uma data estabelecida pela ONU em 1975. Essa comemoração reúne os esforços de mulheres que exigiram seu direito de votar, estudar, ocupar cargos públicos e combater a discriminação no trabalho. Essa luta é fruto da luta de muitas mulheres que se sacrificaram pela causa. Vários eventos que vivemos todos os dias mostram que a situação social mudou. No entanto, é essencial que homens e mulheres se comprometam com o progresso e a justiça para que as coisas aconteçam.

Ajude-nos a descobrir a nova geração de mulheres que está redefinindo a arquitetura mundial

No ArchDaily, queremos ver mais mulheres mostrando seus projetos ao mundo e recebendo o reconhecimento que merecem por seu trabalho. Hoje é celebrado o Dia Internacional da Mulher e, junto a nossas leitoras e leitores, queremos continuar dando visibilidade à valiosa contribuição que todos os dias milhares de companheiras de profissão oferecem ao campo da arquitetura. 

15 projetos liderados por mulheres

Zaha Hadid, Di Zhang, Carme Pinos, Jeanne Gang, Carla Juaçaba, Bia Lessa, Elisabete de Oliveira Saldanha, Sandra Barclay, Kazuyo Sejima, Sharon Davis, Elisa Burnazzi,Tatiana Bilbao, Jô Vasconcellos, Odile Decq, María Victoria Besonías, Lina Bo Bardi. Arquitetas. Mulheres.

Se antes as arquitetas eram invisíveis, agora elas possuem seus trabalhos reconhecidos. Sabemos que o campo da Arquitetura ainda é desigual e há muito o que batalhar para alcançar a igualdade de gêneros, no entanto acreditamos que cada vez mais as mulheres demonstram sua importância para a profissão e queremos encorajar ainda mais este ato ao apresentar quinze projetos do nosso arquivo que foram feitos por elas.

Esta seleção traz um panorama vasto do trabalho feminino. Há edifícios criados pelas únicas mulheres vencedoras do Prêmio Pritzker - Zaha Hadid e Kazuyo Sejima -, passando por outros que venceram o "Building of the Year 2016" - projetados por Sharon Davis Design e Elisabete de Oliveira Saldanha - e seguindo por obras presentes em contextos completamente distintos e projetos não tão famosos, mas nem por isso de menor qualidade. Estes são exemplos que demonstram todo o potencial existente em cada arquiteta e ao apresentar eles pretendemos inspirar a todos.

Veja todos os projetos, a seguir.

Arquitetas Invisíveis apresentam 48 mulheres na Arquitetura

Para celebrar o Dia das Mulheres, pedimos ao coletivo brasileiro Arquitetas Invisíveis, com sede em Brasília, que compartilhassem conosco parte de sua pesquisa que identifica e enaltece o trabalho das mulheres na Arquitetura e Urbanismo. Elas gentilmente nos cederam este material, que apresenta 48 mulheres que fizeram diferença no campo.

A intenção do projeto Arquitetas Invisíveis é apresentar, divulgar e homenagear o trabalho dessas excelentes profissionais e levantar a discussão: por que muitas delas ainda são invisíveis? E como podemos mudar esse quadro?

Após uma semana, as 48 arquitetas, que foram divididas em sete categorias - pioneiras, "nas sombras", arquitetura, paisagismo, arquitetura social, urbanismo e arquitetura sustentável -, foram apresentadas. Aqui, reunimos todas as publicações feitas e aproveitamos para agradecer, mais uma vez, ao coletivo pelo material compartilhado.

Veja a seguir todas as categorias publicadas e conheça as 48 arquitetas apresentadas pelas Arquitetas Invisíveis.

Arquitetas Invisíveis apresentam 48 mulheres na arquitetura: Arquitetura Sustentável

Para celebrar o Dia das Mulheres, pedimos ao coletivo brasileiro Arquitetas Invisíveis, com sede em Brasília, que compartilhassem conosco parte de sua pesquisa que identifica e enaltece o trabalho das mulheres na Arquitetura e Urbanismo, elas gentilmente nos cederam este material - que apresenta 48 mulheres divididas em sete categorias: pioneiras, "nas sombras", arquitetura, paisagismo, arquitetura social, urbanismo e arquitetura sustentável – que será publicado separadamente durante esta semana.

Hoje, no último post da série, estão presentes as arquitetas que abordam a sustentabilidade em seus projetos.

Carla Juaçaba. Imagem Cortesia de artribune.comFrançoise Hélène Jourda. © GA-drLeiko Motomura. Imagem via amima-arquietura Centro de Cultura Max Feffer, Pardinho, São Paulo, Brasil. © Roger Hama Sassaki+ 8

Arquitetas Invisíveis apresentam 48 mulheres na arquitetura: Paisagismo

Para celebrar o Dia das Mulheres, pedimos ao coletivo brasileiro Arquitetas Invisíveis, com sede em Brasília, que compartilhassem conosco parte de sua pesquisa que identifica e enaltece o trabalho das mulheres na Arquitetura e Urbanismo, elas gentilmente nos cederam este material - que apresenta 48 mulheres divididas em sete categorias: pioneiras, "nas sombras", arquitetura, paisagismo, arquitetura social, urbanismo e arquitetura sustentável – que será publicado separadamente durante esta semana.

Hoje, apresentamos as paisagistas.

Lota de Macedo. Imagem Divulgação/G1 GloboKathryn Gustafson. © Gustafson-PorterRosa Grena KliassMemorial Princesa Diana. © Gustafson-Porter+ 9

Arquitetas Invisíveis apresentam 48 mulheres na arquitetura: Arquitetura Social

Para celebrar o Dia das Mulheres, pedimos ao coletivo brasileiro Arquitetas Invisíveis, com sede em Brasília, que compartilhassem conosco parte de sua pesquisa que identifica e enaltece o trabalho das mulheres na Arquitetura e Urbanismo, elas gentilmente nos cederam este material - que apresenta 48 mulheres divididas em sete categorias: pioneiras, "nas sombras", arquitetura, paisagismo, arquitetura social, urbanismo e arquitetura sustentável – que será publicado separadamente durante esta semana.

Hoje, apresentamos as arquitetas que se destacam no campo social.

Jane Drew. © Jorge LewinskiElisabete França. Imagem via Moscow Urban ForumJulie Eizenberg. Imagem via AIAJulia King+ 11

Arquitetas Invisíveis apresentam 48 mulheres na arquitetura: Urbanismo

Para celebrar o Dia das Mulheres, pedimos ao coletivo brasileiro Arquitetas Invisíveis, com sede em Brasília, que compartilhassem conosco parte de sua pesquisa que identifica e enaltece o trabalho das mulheres na Arquitetura e Urbanismo, elas gentilmente nos cederam este material - que apresenta 48 mulheres divididas em sete categorias: pioneiras, "nas sombras", arquitetura, paisagismo, arquitetura social, urbanismo e arquitetura sustentável – que será publicado separadamente durante esta semana.

Hoje, apresentamos as arquitetas relevantes no campo do urbanismo.

Françoise Choay. © PFRunnerJane Jacobs, 1961. Image via Wikipedia.Raquel Rolnik. Imagem Divulgação USPAmanda Burden. Imagem por Bloomberg Associates - Licensed under CC BY 2.0 via <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/'>Wikimedia</a> Commons+ 12

Arquitetas Invisíveis apresentam 48 mulheres na arquitetura: Arquitetura

Para celebrar o Dia das Mulheres, pedimos ao coletivo brasileiro Arquitetas Invisíveis, com sede em Brasília, que compartilhassem conosco parte de sua pesquisa que identifica e enaltece o trabalho das mulheres na Arquitetura e Urbanismo, elas gentilmente nos cederam este material - que apresenta 48 mulheres divididas em sete categorias: pioneiras, "nas sombras", arquitetura, paisagismo, arquitetura social, urbanismo e arquitetura sustentável – que será publicado separadamente durante esta semana.

Hoje, apresentamos as arquitetas que se destacaram pela excelência de suas obras.

Carme Pinós. © Estudio Carme PinósJô Vasconcellos. © Beto Novaes/EM/D.A PressGae Aulenti. © Ernesto Ruscio - Getty Images Europe via Zimbio.Jeanne Gang em frente ao seu projeto Acqua Tower. Imagem Cortesia da Fundação John D. e Catherine T. MacArthur+ 32

Arquitetas Invisíveis apresentam 48 mulheres na arquitetura: As Pioneiras

O dia internacional das mulheres é celebrado no dia 8 de março em homenagem às 130 mulheres que foram queimadas vivas em uma fábrica em Nova Iorque em 1857. A violência foi uma resposta às reinvindicações por melhores condições de trabalho exigidas pelas tecelãs.

O que começou com pequenos protestos, acabou tomando proporções mundiais e desencadeou, ao longo dos tempo, em uma séria de conquistas políticas, econômicas, trabalhistas e sociais para as mulheres. Infelizmente, essas conquistas ainda não garantem igualdade de gênero na prática (e em alguns países ainda há leis que favorecem os homens). Constatamos isso diante da violência física e psicológica sofrida pelas mulheres, da falta de reconhecimento, das imposições ocupacionais, diferenças salariais, além de tantas outras. Esse panorama diz respeito às mulheres de todo o mundo, mas também dentro da arquitetura há estatísticas que comprovam como as mulheres ainda não são valorizadas social e profissionalmente. São poucas as mulheres que conseguem reconhecimento internacional, o que as torna desconhecidas para profissionais e estudantes de arquitetura, desencadeando a sensação de que elas não existem.

Para celebrar o Dia das Mulheres, pedimos ao coletivo brasileiro Arquitetas Invisíveis, com sede em Brasília, que compartilhassem conosco parte de sua pesquisa que identifica e enaltece o trabalho das mulheres na Arquitetura e Urbanismo, elas gentilmente nos cederam este material - que apresenta 48 mulheres divididas em sete categorias: pioneiras, "nas sombras", arquitetura, paisagismo, arquitetura social, urbanismo e arquitetura sustentável – que será publicado separadamente durante esta semana.