Pagina inicial

Conheça a história por trás da nova identidade da nossa marca

Saiba mais
  1. ArchDaily
  2. Automação

Automação: O mais recente de arquitetura e notícia

Edifício de oito pavimentos é construído em apenas 100 dias em Santa Catarina

O Edifício Level, um prédio corporativo de oito pavimentos construído na região central de Tubarão, em Santa Catarina, levou apenas 100 dias para ficar pronto, sendo 20 deles dedicados exclusivamente à acoplagem no local. Isso porque foi utilizado o método construtivo off-site, ou seja, feito em fábrica. Por suas dimensões e prazos, o edifício off-site está sendo considerado um marco na construção civil brasileira. “É o maior edifício de construção off-site volumétrica da América Latina”, comemora Ricardo Mateus, CEO e fundador da Construtech Brasil ao Cubo, realizadora da obra.

Breve história da automação na arquitetura

Eficiência no canteiro de obras, reduzir desperdícios, diminuir custos, aprimorar a segurança, melhorar o planejamento e trazer as máquinas para auxiliar na construção e processo projetual. Hoje estes tópicos podem ser associados à automação na arquitetura, no entanto, para que a tecnologia chegasse até esse ponto, de brindar maior possibilidade de ousadia criativa e sustentabilidade, houve um longo caminho. Para conhecer essa trajetória, apresentamos uma breve linha do tempo que ajuda a compreender como ela se desenvolveu e quais são as possibilidades que ela traz para o futuro da profissão. 

A evolução dos robôs de alvenaria: mudando as regras da construção tradicional

A automação está rapidamente se tornando uma parte do cotidiano e das carreiras de muitas pessoas, uma tendência que de maneira alguma escapou à indústria da construção. Embora essa tecnologia cada vez mais difundida seja considerada um sintoma do século XXI contemporâneo,a tecnologia de construção automatizada pode ter uma história que remonta à década de 1960. Essa tecnologia, o robô de alvenaria, transformou-se dramaticamente desde sua realização limitada há mais de 50 anos, fragmentando-se em variações mais novas e tecnologicamente avançadas atualmente.

Controlar uma casa do celular: Automação pela voz

Isso já está acontecendo: a Internet das coisas permite que muitos artefatos sejam integrados digitalmente em sistemas automatizados para serem manuseados diretamente de nossos telefones celulares. Se um usuário fala ao celular e diz, por exemplo, a palavra "limpeza", a automação doméstica pode levantar as cortinas, acender as luzes e ativar um aspirador robô. A Amazon, com Alexa, e a Google, com Google Home, são alguns dos assistentes virtuais que permitem essa integração; Basta baixar o aplicativo, associar os dispositivos, fazer o pedido ao telefone, e isso ativará as funções necessárias para cumprir uma tarefa específica ou criar um ambiente.

Como a 'Malha Bluetooth' poderá mudar a forma como habitamos a arquitetura

Imagine luminárias que atuam como transmissores Bluetooth, permitindo que os smartphones ajudem os visitantes a encontrar o caminho em torno de um edifício. Imagine um sistema de iluminação que possa identificar a localização de pessoas e pontos físicos dentro do prédio. Imagine um sistema de automação que pode usar dados de ocupação e preferências pessoais para orquestrar um ambiente de construção otimizado e personalizado.

Pavilhão da Holanda na Bienal de Veneza 2018 aborda as implicações das novas tecnologias no espaço construído

Como parte da cobertura da Bienal de Arquitetura de Veneza de 2018, apresentamos a proposta para o Pavilhão Holandês. Abaixo, os participantes descrevem sua contribuição com suas próprias palavras.

O Museu Het Nieuwe Instituut, uma das principais instituições acadêmicas da Holanda focada em arquitetura, design e cultura digital, apresentará "TRABALHO, CORPO, LAZER", a proposta holandesa para 16ª Bienal Internacional de Arquitetura de Veneza. Intitulada de "FREESPACE", a exposição curada pela arquiteta e pesquisadora Marina Otero Verzier foi encomendada pelo Het Nieuwe Instituut. O projeto expositivo para o Pavilhão holandês de 2018 aborda as configurações espaciais, as condições de vida humana e o sentido háptico, provocado pelas configurações espaciais correlatas às condições de trabalho no mundo contemporâneo. O projeto busca fomentar o desenvolvimento de novas experiências criativas no campo da arquitetura em resposta às novas tecnologias.