1. ArchDaily
  2. Arquitetura Escolar

Arquitetura Escolar: O mais recente de arquitetura e notícia

Escola Redbridge / ARX PORTUGAL

© Fernando Guerra | FG+SG © Fernando Guerra | FG+SG © Fernando Guerra | FG+SG © Fernando Guerra | FG+SG + 66

Lisboa, Portugal
  • Arquitetos: ARX PORTUGAL
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  4564
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018

Escola Internacional Red House / COMANOST + Studio dLux

© Leo Giantomasi © Leo Giantomasi © Leo Giantomasi © Leo Giantomasi + 26

Santa Cecilia, Brasil
  • Arquitetos: COMANOST, Studio dLux
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  2706
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018

Resultado do concurso CODHAB-DF para o projeto de um Centro Educacional no Bairro Crixá

A CODHAB-DF divulgou recentemente o resultado de mais um concurso de projeto. Dessa vez, consistia no desenvolvimento de um projeto para um Centro Educacional (CED), localizado na Avenida Crixá, Lote 06, com área de terreno total de 9.500,915 m², uma vez que a 1ª etapa do empreendimento habitacional de interesse social já se encontra em fase de obras.

As 62 propostas recebidas foram avaliadas por uma comissão julgadora em critérios como valorização da acessibilidade e dos espaços públicos, soluções de conforto térmico e eficiência energética, viabilidade técnico-construtiva, economia e eficiência na manutenção, aspectos plásticos e estéticos, dentre outros, uma vez obedecidas às indicações e as determinações do conjunto das Bases do Concurso, conforme discriminado no Edital. A equipe formada por Eder Rodrigues de Alencar, Juliana Andrade, Marcelo Braga, Mateus Reis, Gabriel Lordelo, Danielle Gressler e André Velloso, de Brasília, recebeu o primeiro lugar.

Veja, a seguir, os projetos classificados em 1º, 2º e 3º lugares e as Menções Honrosas concedidas:

CEUs: a construção coletiva do espaço público

Em seu contexto clássico, com uma sala de aula composta por lousa, professor em pé e alunos sentados, os espaços internos de uma escola podem ser facilmente confundidos com cárceres. Agora pense na área externa e pública da maioria das instituições de ensino no Brasil: quantas vezes pode-se reconhecer que aquele lugar é uma escola apenas avistando-o de longe?

Considerações sobre uma arquitetura escolar responsiva

Passados 469 anos desde a construção da primeira escola brasileira – erguida em Salvador (BA) por jesuítas que ensinavam leitura, escrita, aritmética e doutrina católica – a arquitetura escolar ainda é indistinguível na malha urbana da maioria das cidades brasileiras. Edifícios inexpressivos e pouco moduláveis, impossibilitados de se comunicar com o território em seu cerco de muros, foram referidos uma vez pela arquiteta Mayumi Souza Lima como “construções (que) podiam se destinar tanto a crianças, sacos de feijão ou a carros, pois são apenas áreas cobertas, com teto e piso”.