O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Laurian Ghinitoiu

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE FOTÓGRAFO

Uma nova cobertura transformou este antigo castelo alemão em um grande espaço de exposições

11:00 - 19 Março, 2019
Uma nova cobertura transformou este antigo castelo alemão em um grande espaço de exposições, © Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu

O castelo Moritzburg na cidade de Halle é exemplar da arquitetura militar gótica da Alemanha do século XV. Apesar da destruição parcial das alas norte e oeste durante a Guerra dos Trinta Anos, o local conseguiu manter a maioria de suas características originais: uma parede ao redor, três das quatro torres redondas nos cantos e um pátio central.

Mas o mais importante é que o castelo abriga um museu de arte desde 1904. O desafio surgiu quando esse espaço de exposição precisou ser expandido, sem modificar ou adicionar as colunas originais. Com um pouco de genialidade e criatividade, Nieto Sobejano Arquitectos criou um novo espaço expositivo baseado numa ideia arquitetônica única e clara: uma nova cobertura.

© Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu + 21

Woodhouse Hotel / ZJJZ

20:00 - 14 Março, 2019
Woodhouse Hotel / ZJJZ, Exterior. Imagem © Laurian Ghinitoiu
Exterior. Imagem © Laurian Ghinitoiu

Exterior. Imagem © Laurian Ghinitoiu Interior. Imagem © Laurian Ghinitoiu Interior. Imagem © Laurian Ghinitoiu Interior. Imagem © Laurian Ghinitoiu + 20

  • Arquitetos

  • Localização

    Guizhou, China
  • Arquitetos responsáveis

    Yuying Kate Tsai, Sean Shen, Xuanru Chen, Zhenyu Cao
  • Área

    500.0 m2
  • Ano do projeto

    2018
  • Fotografias

A improvável vida, morte e renascimento do cais de Hastings

13:00 - 14 Março, 2019
A improvável vida, morte e renascimento do cais de Hastings , Hastings Pier / dRMM. Imagem © Laurian Ghinitiou
Hastings Pier / dRMM. Imagem © Laurian Ghinitiou

A história do Cais de Hastings é improvável. Localizado em Hastings - a poucos passos de distância do campo de batalha que definiu a história da Inglaterra - o cais foi aberto ao público em 1872. Durante décadas, a estrutura entreteve multidões à beira-mar, mas no século XXI caiu em desuso. Em 2008, o cais foi fechado - um ato que se tornou aparentemente irreversível quando, dois anos depois, a estrutura foi alvo de um incêndio.

Hastings Pier / dRMM. Imagem © Laurian Ghinitiou Hastings Pier / dRMM. Imagem © Laurian Ghinitiou Hastings Pier / dRMM. Imagem © Laurian Ghinitiou Hastings Pier / dRMM. Imagem © Laurian Ghinitiou + 21

Novas Formas de Indústria: Shed #19 por Andrea Oliva Architetto

12:00 - 12 Março, 2019
Novas Formas de Indústria: Shed #19 por Andrea Oliva Architetto, © Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu

© Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu + 23

Pesquisa é a chave para o projeto Shed #19 de Andrea Oliva— não apenas porque essa antiga fábrica foi transformada em um pólo tecnológico para investigação industrial, mas também porque a proposta arquitetônica usa a pesquisa como uma maneira de identificar as possíveis transformações no edifício. Neste caso, a rica história industrial e do lugar é considerada essencial na remodelação; e o projeto depende da compreensão de seu significado.

Atelier Deshaus transforma a orla de Xangai com três projetos culturais

21:00 - 11 Março, 2019
Atelier Deshaus transforma a orla de Xangai com três projetos culturais, Long Museum West Bund / Atelier Deshaus. Image © Laurian Ghintiou
Long Museum West Bund / Atelier Deshaus. Image © Laurian Ghintiou

Em um cenário criativo que já está repleto de talento e inovação, as obras do Atelier Deshaus se destacam na China. Seus projetos, muitas vezes revitalizações de espaços existentes, não seguem regras particulares de estilo estabelecidas por outros ou por eles mesmos. No entanto, eles estão unidos por uma visão sutil e enigmática da experiência do espaço nos ambientes urbanos em constante mudança no país.

© Laurian Ghintiou Long Museum West Bund / Atelier Deshaus. Image © Laurian Ghintiou Shanghai Modern Art Museum / Atelier Deshaus. Image © Laurian Ghintiou Renovation of 80,000-ton silos on Minsheng Wharf / Atelier Deshaus. Image © Laurian Ghintiou + 29

As virtudes e limites da fotografia na representação da arquitetura - cinco fotógrafos discutem

07:30 - 28 Fevereiro, 2019
As virtudes e limites da fotografia na representação da arquitetura - cinco fotógrafos discutem , Viviendas San Ignacio / IX2 Arquitectura. Jalisco, México. Image © Lorena Darquea
Viviendas San Ignacio / IX2 Arquitectura. Jalisco, México. Image © Lorena Darquea

Enquanto meio de representação da arquitetura, a fotografia apresenta qualidades indiscutíveis. Com ela, é possível apresentar a um público distante obras erguidas em qualquer lugar do mundo, de vistas gerais a espaços internos e pormenores construtivos - ampliando o alcance e, de certo modo, o acesso à arquitetura.

Entretanto, como qualquer outra forma de representação, não é infalível. Na medida que avanços tecnológicos permitem fazer imagens cada vez mais bem definidas e softwares de edição oferecem ferramentas para retocar e, por vezes, alterar aspectos substanciais do espaço construído, a fotografia, por sua própria natureza, carece de meios para transmitir aspectos sensoriais e táteis da arquitetura. Não é possível - ao menos não satisfatoriamente - experienciar as texturas, sons, temperatura e cheiros dos espaços através de imagens estáticas. 

Faculdade de Biologia Celular e Genética / Héctor Fernández Elorza. Madri, Espanha. Image © Montse Zamorano Sesc Pompeia / Lina Bo Bardi. São Paulo, Brasil.. Image © Manuel Sá The Sales Center in Wenzhou TOD New Town / NAN Architects. Wenzhou, China. Image © FangFang Tian Tate Modern Switch House / Herzog & de Meuron. Londres, Reino Unido. Image © Laurian Ghinitoiu + 15

FRAC Dunkerque do Lacaton & Vassal é um eco histórico em forma e conceito

19:00 - 27 Fevereiro, 2019
FRAC Dunkerque do Lacaton & Vassal é um eco histórico em forma e conceito, FRAC Dunkerque / Lacaton & Vassal. Imagem © Laurian Ghinitoiu
FRAC Dunkerque / Lacaton & Vassal. Imagem © Laurian Ghinitoiu

Com a mudança da indústria no último século, seja em termos de forma, localização ou tipo, os espaços de produção espalhados pelo mundo ocidental foram reaproveitados. Não há dúvidas ao ver essas estruturas. As grandes janelas, tetos altos e plantas otimizadas para o trabalho fabril agora marcam os espaços da “indústria criativa”. Pense na renovação do Tate Modern (de uma antiga central elétrica) realizada pelo escritório Herzog + de Meuron, ou na recente transformação colaborativa de um pátio de locomotivas em biblioteca nos Países Baixos.

David Adjaye e Serpentine Galleries lançam chamada para instalação de realidade aumentada

15:00 - 13 Fevereiro, 2019
David Adjaye e Serpentine Galleries lançam chamada para instalação de realidade aumentada, Realidade aumentada. Cortesia de Matt Alderton
Realidade aumentada. Cortesia de Matt Alderton

As Serpentine Galleries, o Google Arts & Culture e o arquiteto e curador David Adjaye lançaram uma chamada para instalações com realidade aumentada que serão apresentadas juntamente com o Serpentine Pavilion 2019. Os candidatos são convidados a propor "espaços imaginários da cidade e especulações sobre o ambiente construído" a serem desenvolvidos e experimentados através de realidade aumentada (RA).

Architectural League de Nova Iorque anuncia vencedores do programa Emerging Voices 2019

15:00 - 8 Fevereiro, 2019

A Architectural League de Nova Iorque anunciou os vencedores do Emerging Voices 2019, um prêmio concedido anualmente a oito indivíduos ou escritórios com sede nos EUA, Canadá ou México. O programa Emerging Voices, que está em sua 37ª edição, procura destacar o trabalho de jovens em ascensão que tem potencial para influenciar o campo da arquitetura.

O programa Emerging Voices é considerado um dos prêmios mais prestigiados da arquitetura norte-americana. Grande parte dos 250 escritórios já premiados passou a ser internacionalmente reconhecida. 

Arquitetura transformada em narrativa: a reforma do Castello di Rivolli de Turim

13:00 - 5 Fevereiro, 2019
Castello di Rivoli / Andrea Bruno (Refurbishment). Imagem © Laurian Ghinitoiu
Castello di Rivoli / Andrea Bruno (Refurbishment). Imagem © Laurian Ghinitoiu

Ainda que possamos reconhecer a sua enorme influência histórica, a Itália, enquanto país unificado, possui uma história surpreendentemente jovem. Durante séculos e séculos, a região esteve dividida entre cidades-estados extremamente poderosas e independentes (e conflitantes na maioria dos casos). Cada reino possuía sua própria identidade, cultura e influência regional. Alguns períodos históricos ficaram marcados eternamente na historia da humanidade. Roma é berço da história e da cultura ocidental e o coração de uma religião; Florença é o berço do renascimento e sinônimo de arte e arquitetura; e a agitada Milão é um dos principais centros de moda e design do mundo contemporâneo.

A história de Turim talvez seja um pouco menos romântica. A pequena cidade de Rivoli, na região metropolitana de Turim, não muito longe da fronteira entre a Itália e a França, estabeleceu-se como uma potência industrial. É onde nasceu a Fabrica Italiana Automobile Torino ou simplesmente, a FIAT. Turim é a casa de algumas das melhores e mais reconhecidas universidades da Itália; suas ruas estão repletas de obras de Pier Luigi Nervi, Mario Botta e Aldo Rossi. Mas, apesar de toda a glória de sua arquitetura moderna, talvez seja o Castello di Rivoli um de seus mais importantes exemplares.

Castello di Rivoli / Andrea Bruno (Refurbishment). Imagem © Laurian Ghinitoiu Castello di Rivoli / Andrea Bruno (Refurbishment). Imagem © Laurian Ghinitoiu Castello di Rivoli / Andrea Bruno (Refurbishment). Imagem © Laurian Ghinitoiu Castello di Rivoli / Andrea Bruno (Refurbishment). Imagem © Laurian Ghinitoiu + 21

Por que o reuso de edifícios existentes pode (e deve) ser o principal foco dos arquitetos

10:00 - 27 Janeiro, 2019
Por que o reuso de edifícios existentes pode (e deve) ser o principal foco dos arquitetos, LocHal / Mecanoo. Image © Ossip van Duivenbode
LocHal / Mecanoo. Image © Ossip van Duivenbode

Certificados e prêmios de sustentabilidade são outorgados todos os dias à novos edifícios que prometem um futuro livre de carbono e impacto zero. Entretanto, a maioria dos esforços que empreendemos para construir edifícios cada vez mais "sustentáveis", acaba no dia de suas inaugurações. O custo energético global da arquitetura tem muito mais a ver com a vida útil de um edifício do que com a sua construção. Embora pareça não haver saída para este atual modelo de sucesso, cabe a nós arquitetos, repensar o significado de arquitetura sustentável nos dias de hoje. Talvez devemos parar de aplaudir e exaltar cegamente os novos edifícios e voltar a nossa atenção para os edifícios que já existem. Este artigo foi originalmente publicado no <em

Durante a primeira conferencia mundial do meio ambiente, realizada na cidade do Rio de Janeiro e chamada de Eco-1992, três alarmantes fatos vieram à tona: a temperatura da Terra está aumentando continuamente; a utilização de combustíveis fósseis é a principal causa deste fenômeno; precisamos, com urgência, adaptar o nosso ambiente construído considerando esta nova realidade. Naquele ano, publiquei um ensaio no Journal of Architectural Education intitulado “Architecture for a Contingent Environment”, sugerindo que arquitetos, naturalistas e preservacionistas deveriam se unir para discutir e enfrentar essa nova realidade.

Reforma de Renzo Piano para o Harvard Art Museum se revelou um triunfo silencioso

10:00 - 7 Janeiro, 2019
Reforma de Renzo Piano para o Harvard Art Museum se revelou um triunfo silencioso, © Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu

A primeira vista, projetar um edifício em Harvard parece algo tão sério quanto a própria estrutura desta instituição, uma das mais importantes e renomadas universidades do mundo. Por outro lado, o programa para o novo Museu de Arte de Harvard era tão simples quanto inovador, o tipo de encargo que todo arquiteto sonha um dia receber. Mas, apesar de toda a liberdade e disponibilidade de recursos, o processo de projeto foi muito mais complexo do que poderia parecer em um primeiro momento - foram mais de seis anos até que a obra fosse finalmente concluída.

© Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu + 21

Ventilação cruzada? Efeito chaminé? Entenda alguns conceitos de ventilação natural

07:28 - 21 Dezembro, 2018
Hospital Sarah Kubitschek Salvador / João Filgueiras Lima. Image © Nelson Kon
Hospital Sarah Kubitschek Salvador / João Filgueiras Lima. Image © Nelson Kon

Nada mais racional que utilizar o vento, um recurso natural, gratuito, renovável e saudável, para melhorar o conforto térmico de nossos projetos. A consciência da finitude dos recursos e a demanda pela redução no consumo energético tem retirado o protagonismo dos sistemas de ar condicionado, fazendo com que arquitetos e engenheiros voltem-se ao sistemas passivos para melhoria do conforto térmico nos interiores. É evidente que há climas extremos em que não há escapatórias, senão o uso de sistemas artificiais, mas em grande parte da superfície terrestre é possível proporcionar um fluxo de ar agradável através dos ambientes por meio de sistemas passivos, principalmente se as ações forem consideradas durante a etapa de projeto. 

O tema é altamente complexo e abrangente, mas abordaremos sinteticamente alguns conceitos, exemplificando-os com projetos construídos. Uma série de sistemas de ventilação pode auxiliar nos projetos: ventilação natural cruzada, ventilação natural induzida, efeito chaminé e resfriamento evaporativo, que combinados à correta utilização de elementos construtivos possibilita melhoria no conforto térmico e diminuição no consumo de energia. 

10 coisas para se fazer após o cansaço das entregas finais

12:00 - 13 Dezembro, 2018
10 coisas para se fazer após o cansaço das entregas finais, Lipik Stock Media via Shutterstock
Lipik Stock Media via Shutterstock

Encarar as inúmeras responsabilidades, entregas e posicionamentos a serem assumidos durante um semestre acadêmico é, por vezes, um desafio. Para muitos estudantes, torna-se um tormento, onde a crise de estresse pode tomar conta. No entanto, como futuras arquitetas e arquitetos, é imprescindível que a constante busca por melhores resultados e soluções projetuais conciliadas ao orquestrar as inúmeras tarefas auxiliem no treinamento da futura carreira profissional.

Com a difícil tarefa de apresentar uma gama de projetos de maneira convincente somado a poucas horas de sono, várias xícaras de café e em alguns casos, a rotina como estagiário, o fim do semestre pode parecer a luz no fim do túnel, onde o cansaço e a oportunidade para colocar os projetos pessoais em dia se encontram.  Para ajudar aqueles mais esforçados e aqueles na busca por tarefas desintoxicantes da relação mais direta com a arquitetura, compilamos dez tarefas que ajudarão ocupar sua rotina de férias após o fim do semestre acadêmico.

Projeto em vila japonesa define os padrões para uma arquitetura de resíduo zero

12:00 - 4 Dezembro, 2018
Projeto em vila japonesa define os padrões para uma arquitetura de resíduo zero, © Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu

Aninhada nos íngremes desfiladeiros e vales fluviais da província de Tokushima, no Japão, fica Kamikatsu - uma pequena cidade como qualquer outra. Mas Kamikatsu, ao contrário de seus vizinhos (ou a maioria das cidades do mundo), pode orgulhar-se de ser quase totalmente livre de resíduos.

Desde 2003 - anos antes de o movimento ganhar popularidade - a cidade comprometeu-se com uma política de desperdício zero. Os requisitos são exigentes: os resíduos devem ser classificados em mais de 30 categorias, itens quebrados ou obsoletos são doados ou separados em peças, itens indesejados são deixados em uma loja para troca de comunidade. Mas os esforços dos moradores ao longo dos anos foram recompensados - quase 80% de todos os resíduos da vila são reciclados.

© Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu + 20

Coal Drops Yard de Heatherwick Studio, pelas lentes de Laurian Ghinitoiu

16:00 - 21 Novembro, 2018
Coal Drops Yard de Heatherwick Studio, pelas lentes de Laurian Ghinitoiu, Coal Drops Yard. Imagem © Laurian Ghinitoiu
Coal Drops Yard. Imagem © Laurian Ghinitoiu

O fotógrafo Laurian Ghinitoiu divulgou novas imagens do projeto Coal Drops Yard, concebido pelo escritório Heatherwick Studio, em Londres. Revelado ao público no mês passado, o projeto inclui dois edifícios ferroviários da década de 1850, recuperados como um novo distrito comercial.

Coal Drops Yard. Imagem © Laurian Ghinitoiu Coal Drops Yard. Imagem © Laurian Ghinitoiu Coal Drops Yard. Imagem © Laurian Ghinitoiu Coal Drops Yard. Imagem © Laurian Ghinitoiu + 26

Esfera espelhada de Bjarke Ingels no Burning Man, pelas lentes de Laurian Ghinitoiu

10:00 - 19 Novembro, 2018
Esfera espelhada de Bjarke Ingels no Burning Man, pelas lentes de Laurian Ghinitoiu, © Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu

Uma das principais atrações do Festival Burning Man de 2018 foi a ORB, projetada por Bjarke Ingels, Iacob Lange e Laurent de Carniere. A esfera de 1 : 500.000 da escala da superfície do nosso planeta foi projetada para referenciar conceitualmente a Terra e a expressão humana.

Os idealizadores queriam que a esfera gigante servisse como um marco durante o festival, e lançaram uma campanha de financiamento coletivo para angariar fundos para a construção da instalação. No total, foram gastas 30 toneladas de aço, 1.000 horas de soldagem e costura, além de US$ 300.000 de recursos dos próprios idealizadores, para tornar a ORB uma realidade.

79&PARK / BIG

17:00 - 12 Novembro, 2018
79&PARK / BIG, © Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu

© Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu + 34

  • Arquitetos

  • Localização

    Ladugårdsgärdet, Estocolmo, Suécia
  • Associados Responsáveis

    Bjarke Ingels, Jakob Lange, Finn Nørkjær
  • Coordenação do Projeto

    Per Bo Madsen
  • Líder do Projeto

    Cat Huang
  • Área

    25000.0 m2
  • Ano do projeto

    2018
  • Fotografias