Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Jens Lindhe

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE FOTÓGRAFO

10 Regras para estudantes, professores e para a vida (da arquitetura)

Entre os anos 1967 e 1968, Corita Kent escreveu as "Dez Regras para Estudantes, Professores e a vida" que, juntamente ao compositor e artista John Cage - discípulo de Arnold Schoenberg- ofereceram ao mundo um modelo para alimentar o espírito criativo e os processos de experimentação dos designers e artistas.

Um olhar crítico, experimental e reflexivo, tanto a respeito da formação, quanto dos formadores, pode ser traduzido perfeitamente no momento em que acontece a boa arquitetura e através da história de seus particulares autores, evidenciando uma abordagem comprometida com a disciplina, tanto no âmbito do aprendizado, quanto da prática.

Estas são as 10 regras para estudantes, professores e a vida, com as quais podemos nos aproximar aos processos do fazer arquitetônico.

Cais de Kvæsthus / Lundgaard & Tranberg Architects

© Jens Lindhe © Jens Lindhe © Jens Lindhe © Jens Lindhe + 12

København, Dinamarca

40 Projetos selecionados para o Prêmio Europeu de Arquitetura Contemporânea 2017 - Mies van der Rohe Award

A Comissão Europeia e a Mies van der Rohe Foundation anunciaram as 40 obras selecionadas que concorrerão ao Prêmio Europeu de Arquitetura Contemporânea 2017 - Mies Van Der Rohe Award. O júri escolheu a partir dos 356 projetos indicados, e a lista destaca as oportunidades e as tendências no território europeu atual: cidades, habitação, patrimônio e memória. Os cinco finalistas serão anunciados em meados de fevereiro e o vencedor e o arquiteto emergente em meados de maio.

Um terço das obras aborda o desafio da arquitetura contemporânea em relação ao patrimônio construído e um terço dos trabalhos os desafios contemporâneos da habitação. A gestão da paisagem urbana histórica será uma das prioridades destacadas pelo "Ano Europeu do Patrimônio Cultural" em 2018.

"Eu gostaria que os projetos selecionados demonstrassem interesse em criar lugares, explorar convenções e tipologias conhecidas, celebrar os prazeres do uso cotidiano por uma consideração de detalhes e uma resistência não expressa à atual tendência global a uma arquitetura auto-referencial, que desmente o contexto e o ato de habitação ". - Stephen Bates, Presidente do Júri.

Veja a lista a seguir.

O sucesso por trás da arquitetura: Como o BIG se tornou tão... grande?

Nos últimos anos, o sucesso crescente de Bjarke Ingels e sua empresa BIG tem sido difícil de não notar. Para um escritório que tem apenas 10 anos de existência, o número e alcance dos seus projetos é surpreendente; para lidar com a demanda, a empresa tem crescido e emprega hoje cerca de 300 pessoas. Este crescimento, porém, não aconteceu por acaso. Neste artigo, originalmente publicado em DesignIntelligence como "The Secret to BIG Success" Bob Fisher conversa com o CEO da empresa e a sócia Sheela Maini Søgaard a fim de descobrir o plano de negócios por trás do fenômeno BIG.

BIG é provavelmente o melhor nome do mundo para uma empresa.

O Bjarke Ingels Group (BIG) parece ter um impacto desproporcional em tudo o que faz. A empresa de arquitetura com sede em Copenhague vira convenções e hipóteses de cabeça para baixo e combina possibilidades contrastantes em maneiras escandalosamente ousadas, criativas e lúdicas. Projetos como Via na West 57th Street em Nova York e a Usina Amager Bakke em Copenhague são bons exemplos: o primeiro, um prédio de apartamentos em forma de pirâmide que desafia a floresta de torres retangulares em torno dele, e o segundo, uma usina de reciclagem que funciona como uma pista de esqui e solta fumaça em forma de anel.

O mundo tomou conhecimento. Seja através de elogios ou críticas e meios empresariais e culturais arquitetônicos tendem a utilizar um tom heroico ao descrever o trabalho da empresa: radical, ambicioso, ousado, confiante. Em suma ... BIG.

Museu Marítimo Nacional da Dinamarca, Helsingør. Imagem © Rasmus Hjortshøj Gammel Hellerup Gymnasium, Hellerup. Imagem © Jens Lindhe 8 House, Copenhague. Imagem © Dragor Luftfoto Two World Trade Center em Nova York. Imagem © DBOX, Cortesia de BIG + 9

Expansão de Esportes e Artes no Colégio Gammel Hellerup / BIG

© Jens Lindhe © Jens Lindhe © Jens Lindhe © Rasmus Hjortshoj + 30

Hellerup, Dinamarca
  • Arquitetos: BIG
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área: 2500.0
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano: 2014

Museu Moesgaard / Henning Larsen Architects

© Jens Lindhe © Martin Schubert © Jan Kofod Winther © Martin Schubert + 32

A arquitetura não precisa de reconstrução, precisa de críticos mais conscientes

Nas últimas semanas, uma série de comentaristas de arquitetura reacionários saíram da toca para denunciar o que vêem como o rumo atualmente negativo da arquitetura contemporânea. Eles afirmam que a arquitetura deve ser "reconstruída" ou que ela está “implodindo.” A partir de suas indicações, a arquitetura está no limite de sua vida, dando o seu último suspiro. A crítica que eles oferecem é de que a arquitetura contemporânea tornou-se (ou sempre foi?) insensível aos usuários, às condições do local, à história - dificilmente um romance. Todos os anos, este tipo de ataque frontal contra o valor da arquitetura contemporânea é lançado, mas as críticas desta vez parecem especialmente superficiais e equivocadas. Analisando a cena contemporânea da arquitetura global, eu realmente sinto que estamos em um lugar surpreendentemente saudável, se você olhar para além das vitrines óbvias. Temos escapado dos dogmas evidentes do passado e renovamos nosso foco nas questões de meio ambiente e ação social, estamos mais preocupados do que nunca com a tectônica e em como construir com qualidade. Mas os críticos perenes da arquitetura contemporânea parecem não ter analisado profundamente, ou mesmo cuidadosamente. E, infelizmente, as várias contestações às suas críticas, em apoio à arquitetura moderna e experimental, têm sido mal argumentadas.

O Still Museum da Allied Works é um edifício mais tranqüilo e eficaz do que o seu vizinho, Denver Art Museum de Daniel Libeskind. Imagem © Jeremy Bittermann O desenvolvimento Borneo Sporenburg em Amsterdam demonstra uma paisagem urbana de diversas fachadas modernas e integradas. Imagem © Flickr CC user Fred (bigiof) As formalmente radicais 8 House, de BIG acabou sendo socialmente radical, hospedando uma comunidade vital e animada. Imagem © Jens Lindhe Em Pearl District de Portland, edifícios modernos e parques convivem alegremente com variantes semi-tradicionais ou históricos. Imagem via landarchs.com + 12

Mountain Dwellings / BIG & JDS

Imagem 01.
Imagem 01.

© Jens Lindhe © Jens Lindhe Imagem 04.   © Jens Lindhe + 40

Ginásio Gammel Hellerup / BIG

© Jens Lindhe © Jens Lindhe © Jens Lindhe © Jens Lindhe + 36

Hellerup, Dinamarca
  • Arquitetos: Bjarke Ingels Group
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área: 1100.0 m2
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano: 2013