O gatilho e a tempestade: conversa com José Fernando Peixoto sobre violências a corpos negros e as dinâmicas da cidade

O gatilho e a tempestade: conversa com José Fernando Peixoto sobre violências a corpos negros e as dinâmicas da cidade

Em conversa na Escola da Cidade, na disciplina Seminário de Cultura e Realidade Contemporânea, coordenada pelo professor José Guilherme Pereira Leite; o filósofo, sociólogo e dramaturgo José Fernando Peixoto se baseia em dois acontecimentos de 1968 – o assassinato do estudante secundarista Edson Luís no Rio de Janeiro e o assassinato de Martin Luther King – para discutir lógicas sobre o corpo negro e como isso pode ser também percebido em dinâmicas de controle e opressão na cidade.

Coreopolícia é toda ordem coreográfica que determina o ordenamento de uma cidade. Ou seja, como as pessoas se movem em uma cidade, quais são as regras de mobilidade em uma cidade e o que determina as regras dessa circulação (...). Coreopolítica é tudo aquilo que rompe com a lógica da coreopolícia e tem a precariedade e a provisoriedade de uma emergência, de uma irrupção, de uma disrupção. Então, por exemplo, quando manifestações rompem com a lógica de controle da polícia e criam um desordenamento provisório na cidade e a polícia não sabe exatamente como cercar, isso é coreopolítica. —  José Fernando Peixoto. O Gatilho e a Tempestade.

Reveja as lives organizadas pela Escola da Cidade nos últimos meses:

A gente não pode esquecer é que embora um corpo esteja em uma periferia ou seja marginalizado, um corpo é algo que se move. Portanto esses corpos marginalizados são margem em movimento e é um problema quando a margem se move porque se a margem se move o centro se desloca e aí começa todo o nosso problema. Foi isso o que aconteceu em 1968 com Martin Luther King, (...) ou em 1968 com os estudantes secundaristas e a figura do Edson Luís. —  José Fernando Peixoto. O Gatilho e a Tempestade.

José Fernando Peixoto possui graduação e doutorado em Filosofia, pela Universidade de São Paulo-USP. Atua como pesquisador nas áreas de história e estética do teatro brasileiro e do teatro negro, estética teatral contemporânea, além de estética e filosofia contemporâneas. É dramaturgo, diretor de teatro e cinema. É professor e diretor na Escola de Arte Dramática-EAD da Escola de Comunicações e Artes da USP.

Sobre este autor
Cita: Escola da Cidade. "O gatilho e a tempestade: conversa com José Fernando Peixoto sobre violências a corpos negros e as dinâmicas da cidade" 23 Ago 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/945982/o-gatilho-e-a-tempestade-conversa-com-jose-fernando-peixoto-sobre-violencias-a-corpos-negros-e-as-dinamicas-da-cidade> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.