Visualizando o invisível: graficação de análises estruturais e de conforto

Visualizando o invisível: graficação de análises estruturais e de conforto

Quando falamos em visualização de arquitetura, logo imaginamos croquis, renderizações computacionais e desenhos. Isso porque quase sempre associamos o termo à graficação de ideias, a mostrar um projeto que ainda não está construído, seja para a validação de decisões estéticas e funcionais ou para entendimento do próprio cliente, muitas vezes não familiarizado com desenhos técnicos. Mas além além das camadas superficiais de materiais, planos, texturas e cores, ao concretizar um projeto o arquiteto precisa estar ciente de questões técnicas e invisíveis a olho nu, que poderão influenciar diretamente no projeto ou no uso futuro da edificação ocupada.

Análises estruturais. Image Cortesia de SOM
Análises estruturais. Image Cortesia de SOM

Entender como o calor é transferido entre materiais e superfícies, como se distribuem os esforços estruturais em um elemento de apoio e até de que forma as ondas sonoras são dissipadas em um espaço é de vital importância para melhorar as especificações e mesmo evitar futuras patologias na construção. Mas esses processos, mesmo influenciando muito nos cotidianos, são invisíveis aos olhos. Conseguir evidenciá-los em uma linguagem gráfica pode auxiliar o entendimento de todas as partes, desde os próprios arquitetos, os engenheiros, fabricantes e até os clientes pode tirar dúvidas e auxiliar na tomada de decisões. Geralmente os gráficos são feitos através de gradientes de cores, sempre acompanhados por legendas para mostrar a magnitude dos números, proporcionando resultados muito bonitos esteticamente.

Análises de luz natural. Image Cortesia de Popular Architecture
Análises de luz natural. Image Cortesia de Popular Architecture

Até pouco tempo atrás, esse tipo de visualização era mais utilizada pelos próprios calculistas, geradas pelos seus programas próprios para o uso. Atualmente, com a disseminação do BIM, onde cada elemento no projeto pode receber especificações de material, resistência e capacidade de absorção sonora ou de calor, esse processo vem se tornando mais e mais popular. Por exemplo, a Autodesk recentemente lançou o Robot Structural Analysis, um software de análise de carga estrutural que trabalha integrado com o Revit. Para simulações de energia, a Autodesk disponibiliza o Energy Analysis, cujo intuito é de realizar análises de energia no projeto do edifício em todas as etapas, desde a fase conceitual inicial até o projeto detalhado, para garantir que o projetista esteja trabalhando constantemente em direção ao edifício com a maior eficiência energética possível.

Análises estruturais. Image Cortesia de Autodesk
Análises estruturais. Image Cortesia de Autodesk
Análises Térmicas. Image © SPBR Arquitetos + Baserga Mozzetti
Análises Térmicas. Image © SPBR Arquitetos + Baserga Mozzetti

No Archicad, o GRAPHISOFT EcoDesigner STAR é uma extensão do ARCHICAD que foi desenvolvido para atender a projetos de edifícios com alta eficiência energética, transformando os Modelos de Informações de Construção (Building Information Model - BIM) do ARCHICAD em vários Modelos de Energia de Construção (Building Energy Models - BEM) de zonas térmicas. Ele permite realizar análises climáticas, localizar as principais fontes de perdas de energia e possibilita realizar simulações energéticas para os projetos. Já no difundido software de modelagem Sketchup, o Sefaira, que é parte do pacote SketchUp Studio, permite desenvolver análises do uso de energia, a luz do dia, o conforto térmico dos ocupantes e diversas outras funções antes da construção do edifício.

Análises de luz natural. Image Cortesia de Cove.tool
Análises de luz natural. Image Cortesia de Cove.tool

Já o Cove.tool é um consultor automatizado de sustentabilidade. Seu lema é fazer que o edifício custe menos e performe melhor. Permite que os designers otimizem para massa, fachada, materiais e muito mais. Os plug-ins podem ser usados para trazer geometrias de software como Revit, Rhinoceros, Sketchup e ou modelá-la diretamente usando a interface da web simples.

Análises de radiação solar. Image Cortesia de Cove.tool
Análises de radiação solar. Image Cortesia de Cove.tool

Outro exemplo é o VELUX Daylight Visualizer, uma ferramenta de simulação de iluminação para a análise das condições de luz natural nos edifícios, que auxilia os profissionais prevendo e documentando os níveis de luz do dia e a aparência de um espaço antes da construção. Ele simula e quantifica com precisão os níveis de luz do dia em interiores, gerando relatórios e imagens explicativas com os valores.

Esses são apenas alguns exemplos de softwares e aplicativos que permitem quantificar fluxos de energia e de esforços, elementos que são extremamente difíceis de representar. Veja, na galeria abaixo e nessa pasta do My ArchDaily, alguns outros exemplos de projetos e arquitetos que utilizam diagramas de calor, tensões estruturais, radiação solar e acústicas.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Eduardo Souza. "Visualizando o invisível: graficação de análises estruturais e de conforto" 09 Jun 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/941262/visualizando-o-invisivel-graficacao-de-analises-estruturais-e-de-conforto> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.